News

Banca de QUALIFICAÇÃO: JEREMIAS DE OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JEREMIAS DE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 25/10/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Videochamada Google meet
TÍTULO:

NAS FRONTEIRAS DA RAÇA: mestiços e assimilados na luta anticolonial em Angola (1950-1960)


PALAVRAS-CHAVES:

Angola, luta anticolonial, raça, mestiços e assimilados.


PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História Moderna e Contemporânea
RESUMO:

A partir da contextualização social e histórica, esse trabalho busca analisar e compreender questões norteadoras que envolvem a questão racial em Angola, tendo como objetivo desnudar as relações historicamente estabelecidas que levam a constituição de categorias sociais baseadas em raça de mestiços e assimilados a partir de sua relação com o colonialismo. Traço marcante desse país, a política de assimilação, implementada especialmente durante a ditadura salazarista e a implementação do que ficou conhecido como a “Mística Imperial” portuguesa. Base do colonialismo de inspiração luso-tropicalista. Para isso, são mobilizados autores pertinentes a discussão sobre raça e suas significações do ponto de vista histórico, dentre eles Achille Mbembe (2013), Kabengele Munanga (1986), Lilia Moritz Schwarcz (1993) e Kwame Anthony Appiah (1997), que discutem a questão racial como um produto histórico de relações sociais e políticas e que se transforma historicamente.  As fontes utilizadas para delinear o processo de construção de uma perspectiva de assimilação cultural nas colônias portuguesas, especialmente em Angola, serão os discursos produzidos no âmbito da propaganda colonial, juntamente com a legislação acerca dos indígenas e assimilados de Angola, visando criar um panorama desse discurso de maneira geral, bem como estabelecer o contexto histórico resultante disso que servirá de pano de fundo para a discussão sobre os contornos raciais da luta anticolonial nos anos de 1950 e 1960. A literatura anticolonial angolana é demasiado rica em perspectivas e abordagens para compreender a luta anticolonial em si, devido o não raro envolvimento de seus autores e autoras com os movimentos políticos que foram sendo criados principalmente a partir de 1950 com as lutas independentistas. Dessa maneira, alguns autores são selecionados para discutir a questão dos mestiços e assimilados de Angola, sendo eles Pepetela (2013) e Uanhenga Xitu (2019), que constituem relatos relevantes para a compreensão dessas categorias em Angola. Essas fontes são cruzadas e dialogadas com documentos oficiais, discursos e fatos históricos no contexto do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), visando compreender qual a contribuição e influência do debate racial na luta anticolonial e como moldam-se relações baseadas no seu pertencimento racial.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2425811 - LUIZ AUGUSTO PINHEIRO LEAL
Interno - 2190546 - GILMAR PEREIRA DA SILVA
Interno - 1740753 - VILMA APARECIDA DE PINHO
Externo à Instituição - FÁBIO BAQUEIRO FIGUEIREDO
Notícia cadastrada em: 01/10/2021 09:18
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba2