News

Banca de DEFESA: TATIANA DUARTE DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TATIANA DUARTE DE SOUZA
DATA: 27/01/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Campus UFPA Cametá
TÍTULO:

FINITUDE E ENVELHECIMENTO: Uma pedagogia para a vida.



PALAVRAS-CHAVES:

Finitude. Filosofia. Envelhecimento. Pedagogia. 


PÁGINAS: 83
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Fundamentos da Educação
ESPECIALIDADE: Filosofia da Educação
RESUMO:

A construção do presente texto dissertativo, se tece dentro do campo da filosofia e da educação, o que nos permite problematizar questões tidas como habituais, e que emergem a partir da crescente necessidade de pensar a finitude e o envelhecimento como perspectivas complementares que se inter-relacionam e nos possibilitam traçar formas outras de pensar e problematizar a educação, e nos instigam perguntar de que modos podemos questionar a própria existência humana, integrando o corpo físico que envelhece. E com isso, pensar como o envelhecimento nos possibilita pensar a pedagogia para além das perspectivas comuns e normais, em geral voltadas para a produtividade e o desempenho máximo; Como a educação pensa esse ser humano? Somente o prepara para ser adulto? A pedagogia não tem nada a aprender com o fato de que somos finitos? E nesse sentido, um duplo movimento, o que a pedagogia pode aprender com o fato de que envelhecemos e morremos? E por outro lado, de que modo a pedagogia pode nos possibilitar uma educação que aceita as perdas da vida? O que a vida faz conosco? Objetivamos colocar em questão os modos como a pedagogia tem sido alicerçada em uma perspectiva de vida que deixa de lado o fato de que temos uma vida finita e que envelhecemos. Como pensá-la agora para além de uma lógica produtivista e mercadológica? Pretendemos analisar os modos como a finitude e a morte tem sido discutidos ao longo dos anos, problematizando o envelhecimento enquanto inspiração de novos modos de pensar e materializar a pedagogia, e no modo como encaramos uma vida com perdas (sobretudo se nos formamos a todo o momento para lidar somente com os ganhos), com isso nos questionamos, que experiência é essa que acontece no envelhecimento, que nos permite pensar contra uma educação dos afazeres e das certezas? Como inspiração teórica utilizaremos autores como Yalom (2008), Elias (2001), Seibt (2009.2012), Krishnamurti (1992), Luper (2010) entre outros, que nos permitem problematizar o conceito de finitude, articulado com a perspectiva de envelhecimento que Combaz (1990), Cícero (2011), Sêneca (2009), Shopenhauer (2016), Steglish (1992) entre outros. Traçamos uma articulação com a gerontogogia apresentada por Both (1999) em seu texto “Gerontogogia: Educação e Longevidade” que foi imprescindível para que conseguíssemos traçar as primeiras aproximações acerca da temática envelhecimento ao campo educacional. Nesse sentido, nos instigamos a questionar os modos como a pedagogia vem sendo construída, e nos possibilita problematizar a educação sob uma ótica não muito comum entre os pedagogos. Nos permite pensar e viver a vida de outros modos, fora de enquadramento e de padrões estéticos, éticos, e de toda ordem que nos impõem uma forma de viver que negam os limites, as perdas que o tempo acarreta. Como aspecto teórico-metodológico, utilizaremos a pesquisa bibliográfica, que nos permite um aprofundamento e amadurecimento com relação ao que tem sido escrito e questionado a respeito da temática. Vivemos em uma sociedade pautada nas certezas, nos caminhos mais sólidos para que se possa caminhar, no infinito. Abordar então o finito nos coloca em um lugar de incertezas, em um caminho irregular, que pode nos surpreender, possibilitar pensar uma educação que aborde as questões naturais da vida, anuncia que muitos campos já consolidados precisam ser repensados. Pretendemos então pensar uma educação que ultrapassa a fase infantil, a adolescência e a vida adulta.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2353907 - CEZAR LUIS SEIBT
Interno - 2299112 - JOSE VALDINEI ALBUQUERQUE MIRANDA
Externo ao Programa - 2223200 - PATRICIA DO SOCORRO MAGALHAES FRANCO DO ESPIRITO SANTO
Notícia cadastrada em: 29/12/2020 15:30
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha1