News

Banca de DEFESA: VANDREIA DE OLIVEIRA RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANDREIA DE OLIVEIRA RODRIGUES
DATA: 04/12/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

TRABALHO INFANTO-JUVENIL E ESCOLARIZAÇÃO NO CAMPO: AS CONTRADIÇÕES POLÍTICAS, SOCIAIS E CULTURAIS PARA A FORMAÇÃO HUMANA 



PALAVRAS-CHAVES:

Trabalho; Infâncias; Escolarização do/no campo; Direito à educação 


PÁGINAS: 154
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Fundamentos da Educação
ESPECIALIDADE: Sociologia da Educação
RESUMO:

Este trabalho analisa o desempenho escolar a partir do trabalho dos estudantes da EMEF de Cametá-Tapera, localizada em território do campo do município de Cametá-PA. Buscou-se analisar a relação entre trabalho e educação e o aproveitamento escolar das crianças e adolescentes da referida escola. Para isso, procurou-se compreender essas relações a partir dos eixos de análise como o direito à educação das populações do campo, o trabalho como ação-transformação-exploração-degradação humana nas infâncias. Do ponto de vista metodológico, as análises da pesquisa em questão, epistemologicamente, estão sustentadas no referencial do materialismo histórico dialético (MARX, 2008). À luz desse, as categorias totalidade, contradição, mediação e práxis figuram aqui como fundamentais para a compreensão de como as relações histórico-social estruturam a materialidade da vida dos sujeitos da Vila de Cametá-Tapera e materializam processo de escolarização das crianças e adolescentes. Dessa forma, para discutir a concepção de escola do campo, apoiamo-nos em Caldart, (2004), Molina e Fernandes (2004), Arroyo (2012), Hage (2011); sobre as categorias trabalho educação destacam-se os autores: Frigotto (2012), Ciavatta (2012), Machado (2005) e Ribeiro (2012), entre outros que apresentam o trabalho como centralidade do desenvolvimento humano. Para discutir infâncias, destacam-se os autores: Kramer (2000), Aires (2018), entre outros. No que se refere aos resultados, a pesquisa revela que o trabalho no campo se constitui como centralidade da existência humana quando possui uma base coletiva de organização que também educa, mas, na contraposição, também há o trabalho precarizado, que se constrói no seio do capital que constitui na perda dos direitos sociais, no qual está a educação, que é afetada ou negada a partir dessas desigualdades. No bojo dessa realidade, elencamos os fatores que implicam no desempenho escolar dos estudantes da EMEF de Cametá-Tapera: a) no município de Cametá, a escola está no campo, porém, a perspectiva adotada para seu fundamento educacional não parte da ideia de educação do campo, logo, não se materializa enquanto política e se limita a uma  oferta urbanocêntrica; b) A ausência de políticas pautadas nas heterogeneidades características de “educação rural”, que têm condicionado o acesso e a permanência dos estudantes nas escolas, e o baixo desempenho dos sujeitos pesquisados, c) a exploração do trabalho infanto-juvenil é consequência da desigualdade social; d) na contradição da sociedade capitalista, o trabalho popular perde o caráter de subsistência, para o trabalho explorador, que tem implicações na frequência escolar, na repetência, na distorção idade-série e na evasão.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1769176 - ERALDO SOUZA DO CARMO
Interno - 2321894 - DORIEDSON DO SOCORRO RODRIGUES
Interno - 2272166 - HELLEN DO SOCORRO DE ARAÚJO SILVA
Interno - 1769360 - MARIA SUELI CORREA DOS PRAZERES
Externo à Instituição - ARMINDA RACHEL BOTELHO MOURAO
Notícia cadastrada em: 12/11/2020 16:57
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha2