News

Banca de DEFESA: KLEBY MIRANDA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KLEBY MIRANDA COSTA
DATA: 29/10/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Cametá
TÍTULO:

A FORMAÇÃO CRÍTICO-REFLEXIVA DE PROFESSORES DE INGLÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA EM UMA PERSPECTIVA INTERCULTURAL NA AMAZÔNIA


PALAVRAS-CHAVES:

Formação de nível superior crítico/reflexiva. Interculturalidade na educação. Ensino de Inglês Língua Estrangeira.


PÁGINAS: 178
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

Este trabalho analisa se o professor formado em um Curso de Licenciatura em Língua Inglesa possui saberes crítico-reflexivos que possibilitem sua constituição como mediador de culturas. Para tanto, realizamos entrevistas estruturadas com egressos das primeiras turmas de Língua Inglesa da UFPA/Campus de Cametá, no município de Cametá (PA), onde tivemos a oportunidade de analisar o PPP do Curso (2007), de acordo com os trabalhos de Amaral (2017), de forma a relacioná-lo com a formação dos estudantes, consoante o campo intercultural. A metodologia utilizada é de caráter qualitativo, onde foi desenvolvido um estudo exploratório e descritivo no intuito analisar; a formação crítica e reflexiva de professores de inglês em uma perspectiva intercultural, no baixo Tocantins, e de colaborar com novas pesquisas na área. Os dados foram analisados considerando uma formação atrelada aos aspectos interculturais de professores, consoante os estudos de Figueiredo (2011), Batista (2010), Jordão (2006) e Kramsch (1998), além de uma formação crítica e reflexiva que possa transgredir as fronteiras do hegemônico, considerando os trabalhos de Walsh (2007). Em um contexto cultural, nas concepções de Geertz (2008), Faria (2014) e Lameiras (2006), no campo da formação de professores, por intermédio dos trabalhos de Freire (2011), Borges (2015) e Velásquez (2017), considerando, ainda, os conceitos de identidade de Hall (2006). Neste contexto, as entrevistas apontaram que o currículo do curso, em seus objetivos, propõe a formação de sujeitos interculturalmente competentes. No entanto, ao analisarmos as disciplinas específicas constatamos que as mesmas não dialogam, de maneira explícita, com o campo intercultural. Nesse tocante, concluímos que os egressos que participaram da pesquisa, se constituem como mediadores de culturas, onde, por meio de atividades dinâmicas, os discentes puderam dialogar, interagir e mediar sua formação na Amazônia. Tal construção ocorreu por meio de um processo contínuo, onde estes estudantes puderam desconstruir antigos estereótipos e colocar sua voz e identidade no idioma. Nessa perspectiva esperamos que a pesquisa possa contribuir para a reflexão e a prática de formação de sujeitos mediadores de culturas no contexto amazônico.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2341990 - JORGE DOMINGUES LOPES
Interno - 159.587.918-85 - ANDREA SILVA DOMINGUES - UFPA
Interno - 2181917 - RAIMUNDO NONATO DE OLIVEIRA FALABELO
Externo ao Programa - 1152685 - WALKYRIA ALYDIA GRAHL PASSOS MAGNO E SILVA
Notícia cadastrada em: 16/10/2020 10:09
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha1