News

Banca de DEFESA: LEIDIANI PENA PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEIDIANI PENA PINHEIRO
DATA: 27/06/2019
HORA: 15:30
LOCAL: Campus Universitário do Tocantins/Cametá
TÍTULO:

O PAPEL SOCIOCULTURAL DA MULHER KA’APOR DENTRO DA COMUNIDADE XIE PIHŨ RENDA/TERRA INDÍGENA ALTO TURIAÇU


PALAVRAS-CHAVES:

Mulher Ka’apor; Educação Indígena; Comunidade Indígena Xie Pihũ Renda.


PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

A presente dissertação realiza uma investigação sobre o papel sociocultural e socioeconômico que a mulher ka’apor vem desenvolvendo dentro e fora da comunidade Xie Pihũ Renda, localizada na Terra Indígena Alto Turiaçu, Maranhão, partindo das observações em campo, do arcabouço teórico construído, da análise das fotografias feitas durante a pesquisa e, principalmente, das análises dos discursos dos narradores. A pesquisa parte do objetivo central de investigar o papel da mulher na sociedade, a forma como ela foi e continua sendo tratada historicamente, bem como a importância de inseri-la como sujeito sociocultural, partindo do pressuposto de que as mulheres ka’apor possuem um papel de grande importância para o desenvolvimento e manutenção do povo ka’apor, e, atualmente, vem desenvolvendo outras funções sociais e econômicas. Nesse sentido, uma hipótese que pode ser levantada para explicar essas modificações seria a da interferência de novos saberes introduzidos pela escola na comunidade, os quais, ao serem apreendidos pelas mulheres, contribuiriam, talvez, para que se desenvolva uma nova função social. Para atingir esse objetivo, analisa-se, primeiro, a função social da mulher Ka’apor nos dias atuais, procurando identificar similaridades nos discursos dos indígenas. As narrativas orais, colhidas por meio de entrevistas, foram gravadas e transcritas, para, em seguida, serem analisadas, inicialmente, com base em quatro vertentes: a análise do discurso crítica de Magalhães (2017); os conceitos sobre Cultura e Educação, de Brandão (2009); uma teoria sobre história oral, de Thompson (1992) e Ferreira e Amado (2006); e os conceitos de etnografia, de Geertz (1978). A pesquisa nos levou a compreender que as mulheres Ka’apor continuam desenvolvendo os múltiplos papéis que sempre foram desenvolvidos, dentro das comunidades, sendo mães, esposas, filhas, mas agora também são professoras, agentes de saúde, capitoas, pajés. Assim, as mulheres Ka’apor que moram na comunidade Xie Pihũ Renda aprenderam a desenvolver novos papéis sociais, culturais e econômicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2341990 - JORGE DOMINGUES LOPES
Interno - 2524613 - BENEDITA CELESTE DE MORAES PINTO
Interno - 2353907 - CEZAR LUIS SEIBT
Externo à Instituição - LUCIVALDO SILVA DA COSTA
Notícia cadastrada em: 13/06/2019 10:37
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba1