News

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO ALVES DA SILVA NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ALVES DA SILVA NETO
DATA: 04/10/2018
HORA: 16:00
LOCAL: campus cameta - Prédio Orlando Cassique
TÍTULO:

HEIDEGGER: ENTRE A TÉCNICA E A SERENIDADE


PALAVRAS-CHAVES:

Heidegger. Técnica. Homem. Educação. Serenidade


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

A Dissertação com título ‘Heidegger: entre a técnica e a serenidade’ tem como objetivo compreender como o ser humano vem se constituindo na modernidade na era da técnica. Para tanto, nos apoiaremos na filosofia de Heidegger como precursor da discussão da técnica e da serenidade. Ao questionar a técnica pretende-se percorrer um caminho para que aconteça uma livre relação com ela, buscando assim compreender sua essência. O questionar possibilita construir um caminho diferente, e não apenas permanecer preso a qualquer fato ou proposições. A técnica pensada na modernidade proporciona resultados assustadores, fantásticos e não pouco determina o tempo em que vivemos. Ao pensar sem questionar é aceitar o fato que a técnica do ponto de vista do conhecimento científico tem respostas para todas as coisas. Heidegger nos leva ao caminho do pensamento. Mas para ele, o que é pensar? O que seria esse meditar (besinnen) que o filósofo procura despertar frente a um suposto esquecimento do homem na era atômica? A preocupação de Heidegger não é se o mundo torna-se mais ou menos técnico, o questionamento repousa se de fato o ser humano estar preparado para responder às transformações a partir da era técnica. A serenidade é dizer “sim e não” aos objetos técnicos. É o conduzir na proximidade desses objetos, mas não está ‘dentro deles’ ou dominado por eles. Heidegger nos leva pensar no ‘entre’ a técnica e a serenidade: por um lado estar em contato com os objetos técnicos, por outro buscar meditar sobre eles. Heidegger nos encaminha a essência do pensar, pois a tendência do ser humano é ser vítima da “pobreza do pensamento”. A questão da técnica é notadamente perigosa quando reina a Gestell (armação). O filósofo alemão quer mostrar que o caminho da técnica (τέχνη) é curto, demorado é o caminho da serenidade (Gelassenheit) como abertura a um mistério. Na era atômica vale ressaltar uma breve discussão entre a técnica e a educação. Nessa trilha do trabalho, além das obras de Heidegger, contribuem Rüdiger, Morin, Rousseau, Loparic, Freud, Vattimo, Gadamer, entre outros


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2353907 - CEZAR LUIS SEIBT
Interno - 2299112 - JOSE VALDINEI ALBUQUERQUE MIRANDA
Externo à Instituição - ROGÉRIO JOSÉ SCHUCK
Notícia cadastrada em: 25/09/2018 18:32
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - jatoba.ufpa.br.jatoba1