News

Banca de DEFESA: MARCELO BARROS CAPELA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELO BARROS CAPELA
DATA: 26/04/2018
HORA: 15:00
LOCAL: sala 001 - Predio Orlando Cassique
TÍTULO:

POLITICA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: Implicações do IDEB para a qualidade do ensino na EMEF Profª. Maria Nadir Valente, Cametá/PA


PALAVRAS-CHAVES:

IDEB; Qualidade de ensino; descentralização; regulação.


PÁGINAS: 233
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

O presente trabalho, intitulado “Politica de Avaliação da Educação Básica: Implicações do IDEB para a qualidade do ensino na EMEF Profª. Maria Nadir Valente, Cametá/PA”, teve por objetivo analisar a política de avaliação da Educação Básica, tomando o IDEB como parâmetro a partir de seus pressupostos e suas implicações para a qualidade do ensino na EMEF Profª Mª Nadir Filgueira Valente em Cametá/Pa. Situamos o objeto sob as orientações decorrentes das reformas aprofundadas nos anos de 1990, cujas mudanças nas políticas públicas centralizaram-se na gestão com implicações no âmbito das secretarias de educação e consequentemente para o interior das escolas. Ao focalizar o IDEB enquanto parâmetro de qualidade nas orientações oficiais propõe-se a analisar as ações político-pedagógicas da escola na confluência das orientações da Secretaria Municipal de Educação de Cametá sobre o uso do IDEB nas ações da escola frente às exigências de melhoria dos índices educacionais, considerando as metas estabelecidas no Plano Nacional de Educação (PNE). O recorte histórico do estudo corresponde ao período de 2007 a 2015, tendo em vista a origem do IDEB e as edições de avaliação externa do ensino fundamental que compunha o IDEB nesse período. A pesquisa orientou-se pela abordagem qualitativa, tendo como técnicas de coleta de dados além da revisão da literatura, a análise documental e entrevista semiestruturada aplicada para os técnicos de educação da Secretaria Municipal de Educação de Cametá e para os sujeitos docentes, administrativo (gestores) e técnico (coordenador pedagógico) da escola que elegemos para a amostragem de alguns dados. A análise fundamenta-se no materialismo histórico-dialético, considerando a pertinência ao fenômeno educacional que constitui nosso objeto. Essa perspectiva de análise enseja uma interpretação pautada pelos princípios de: mediação, contradição, totalidade e historicidade, configurando-se no estudo das categorias de modo contextualizado. Dentre os autores que balizam o texto podemos destacar Abrúcio (1997), Araújo e Castro (2011), Arroyo (2002), Ball (2012), Barroso (2005), Banomino e Sousa (2012), Cassassus (2001; 2013), Chirinéa (2016), Chirinéa e Brandão (2015), Coutinho (2012), Cocco & Sudbrack (2012), Cury (1986), Dourado, Oliveira e Santos (2007), Dourado e Oliveira (2009), Fonseca (2009), Fonseca, Richer e Valente (2012), Krawczik (1999; 2005; 2008), Mororó (2011), Novaes e Fialho (2010), Oliveira, A. P. (2011), Orso (2011), Peroni (2000; 2013), dentre outros. Os resultados apontam que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica- IDEB se insere numa política produzida sob os princípios do mercado, possuindo assim um viés predominantemente técnico, focado na maximização dos resultados. O IDEB enquanto uma ação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação (PMCTPE) e esta como política fortemente influenciada pela classe empresarial do país tem o papel de regular os resultados educacionais assim como o trabalho docente. Por meio de transferência de responsabilidade de órgãos centrais aos subnacionais o Plano de Metas induz as instituições educacionais, a exemplo da Secretaria Municipal de Educação – SEMED/Cametá e as escolas, a transformarem-se em “centros descentralizados” da administração da educação a partir de alguns programas e ações com vistas ao crescimento de seus índices. Nesse sentido, a EMEF Nadir Valente, no período investigado, desenvolveu práticas pedagógicas coerentes com as orientações advindas da secretaria municipal e das políticas em forma de programas federais com critérios previamente definidos o que se caracterizou uma espécie de regulação e controle. A pesquisa indicou, ainda, uma certa performance no contexto da prática, onde o IDEB, tido como instrumento indicativo de qualidade, acabou influenciando as práticas desenvolvidas na escola que conformaram as ações direcionadas para aumentar os resultados por meio do crescimento do índice, ainda que esse crescimento não represente a qualidade social que defendemos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3357780 - MARIA EDILENE DA SILVA RIBEIRO
Interno - 1769360 - MARIA SUELI CORREA DOS PRAZERES
Presidente - 3153596 - ODETE DA CRUZ MENDES
Notícia cadastrada em: 02/03/2018 19:25
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha1