News

Banca de DEFESA: MARIA DE FATIMA RODRIGUES NUNES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DE FATIMA RODRIGUES NUNES
DATA: 28/04/2017
HORA: 15:00
LOCAL: sala 001
TÍTULO:

APRENDE BRINCANDO”: A CRIANÇA ATUANDO ENTRE O POVO ASSURINÍ DO TROCARÁ, MUNICÍPIO DE TUCURUÍ-PA


PALAVRAS-CHAVES:

Antropologia da criança, Identidade cultural, e Saberes


PÁGINAS: 157
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

O presente trabalho tem como objetivo principal analisar o processo de aprendizagem e socialização das crianças Assuriní do Trocará e quais os diferentes papéis que as crianças atuam nessa sociedade. Podemos perceber que a infância indígena é carregada de significados e a presença infantil está em todos os campos da sociedade indígena neste sentido, é indispensável entender como a criança na comunidade indígena Assuriní do trocará socializa e interage com os saberes que fazem parte do processo de ensino aprendizagem desse povo indígena. Para tanto, se buscou como referencial teórico-metodológico estudos de autores que discutem a temática em questão, como: ANDRADE (1992), ARNAUD (1989) SILVA (2008), GRUPIONI (2001), CUNHA (1012), COHN (2005, 2010), FERNANDES (1976), NUNES, (2003), KRAMER, (2003), (RIBEIRO 2014), STUART HALL (2012). Posteriormente, foi realizado a pesquisa de campo, onde através da técnica da observação participante buscou-se a observação do dia-a-dia das crianças, suas formas de brincar e socializar com a comunidade, entrevista com as lideranças e as crianças Assuriní. A pesquisa se utilizou de documentos escritos, imagéticos e a fonte oral, mediante relatos orais e histórias de vida. Dados deste trabalho constataram que os estudos relacionados à infância vêm crescendo graças a etnografia, História e antropologia e a partir desses estudos a criança começa a ser estudada como sujeitos completos e formadores de conhecimento. O ensino e aprendizado se dá nos vários campos e espaços Assurini, onde através da transmissão de conhecimento a criança participa ativamente do seu próprio aprendizado. A criança tem um papel socializador, através das brincadeiras, da oralidade e do observar perpetua sua identidade e valorizam sua cultura, fazendo com que a sociedade Assurini continue se afirmando como um povo indígena, entre o qual a educação é aprendida e repassada pelas próprias crianças, gerando um espaço de grande aprendizado, onde as crianças têm papéis decisivos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA SILVA DOMINGUES
Presidente - 2524613 - BENEDITA CELESTE DE MORAES PINTO
Interno - 2299112 - JOSE VALDINEI ALBUQUERQUE MIRANDA
Interno - 4217639 - MARA RITA DUARTE DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - MARIA BETANIA BARBOSA ALBUQUERQUE
Notícia cadastrada em: 12/04/2017 10:34
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - morango.ufpa.br.morango1