News

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCIETE CARDOSO POMPEU

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIETE CARDOSO POMPEU
DATA: 13/12/2023
HORA: 09:30
LOCAL: Sala de Defesa do PPGEDUC - UFPA/CUNTINS
TÍTULO:

DEVIR-MULHER, INSURGÊNCIAS FEMINISTAS EM ESPAÇOS FORMATIVOS DA UFPA/CUNTINS: educação, arte, resistência.


PALAVRAS-CHAVES:

Cartografia. Devir-mulher. Insurgências feministas. UFPA/CUNTINS. Educação superior.


PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Tópicos Específicos de Educação
RESUMO:

Esta proposta de pesquisa de Mestrado em Educação e Cultura situa-se em um contexto de extrema urgência às lutas feministas frente aos avanços da violência contra a mulher e das práticas conservadoras patriarcais que excluem a sua participação na sociedade em escalas alarmantes. O estudo tem por objetivo cartografar os agenciamentos coletivos e educativos de mulheres estudantes e egressas da UFPA/CUNTINS, no fazer das suas artes de existência e lutas coletivas vivenciadas em seus percursos formativos e profissionais. Apresenta as seguintes questões: como nascem as alianças e as insurgências feministas nas trajetórias formativas de mulheres estudantes e egressas na UFPA/CUNTINS? Em que momentos o devir-mulher atravessa essa formação? Quais são seus enfrentamentos, como criam suas linhas de fuga em meio à educação, à arte, à resistência? Como cartografar os devires políticos e feministas nascidos dessa movimentação? Por meio de uma perspectiva filosófica cartográfica, baseada na filosofia da diferença de Deleuze e Guattari (1992) (1995) (1997) (2006) (2012), em aliança com os estudos feministas de Woolf (2014), hooks (1994) (2019) (2021), Louro (1997) entre outras, busca-se problematizar os processos formativos no ensino superior no que diz respeito à participação da mulher nesses espaços, dando visibilidade às insurgências feministas e às linhas de fuga nascidas do encontro com a arte, a intelectualidade e a luta política feminista agenciada nos espaços acadêmicos e sociais. Em termos metodológicos, a pesquisa selecionou 5 (cinco) mulheres estudantes e 5 (cinco) mulheres egressas da Universidade Federal do Pará/CUNTINS (sede Cametá), que estejam atuando na rede escolar e/ou realizando trabalhos comunitários, a fim de cartografar suas práticas ativistas, artísticas e pedagógicas em meio aos movimentos de “nascimentos políticos de devir-mulher” vivenciados ao longo de sua formação acadêmica e atuação profissional, de modo a evidenciar o sentido político, educativo e artístico de suas ações, lutas e alianças coletivas, estando a pesquisa entrelaçada à experiência formativa da própria pesquisadora-ativista-cartógrafa. Conclui-se, provisoriamente, que a força de um devir-mulher pode estar no presente que flui partículas de multiplicidades de vida em muitas mulheres, um convite a pensar os ativismos feministas como um contínuo nascimento político, isto é, do entrar ao sair da universidade, uma construção que se faz com ações conjuntas, artes, debates, diálogos e intervenções capazes de provocar nascimentos políticos e feministas em nossas vidas pessoais e profissionais, bem como a participar ativamente na construção de uma sociedade democrática e justa aos direitos e às lutas de múltiplas mulheres.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2298298 - GILCILENE DIAS DA COSTA
Interno - 2299112 - JOSE VALDINEI ALBUQUERQUE MIRANDA
Interno - 3329971 - MARIA LUCILENA GONZAGA COSTA
Externo à Instituição - LUCELIA DE MORAES BRAGA BASSALO
Notícia cadastrada em: 27/11/2023 09:42
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - morango.ufpa.br.morango2