News

Banca de DEFESA: DARLENE BRANCHES FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DARLENE BRANCHES FERREIRA
DATA: 30/10/2023
HORA: 15:00
LOCAL: Sala Meet_PPGEDUC
TÍTULO:

UNIVERSIDADE TERRITÓRIO INDÍGENA: política de acesso e permanência para estudantes indígenas na UFPA

 


PALAVRAS-CHAVES:

Universidade. Ação Afirmativa. Estudantes indígenas.

 


PÁGINAS: 109
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Tópicos Específicos de Educação
ESPECIALIDADE: Ensino Profissionalizante
RESUMO:

Esta investigação discute a Política de Ação Afirmativa com recorte na política de acesso e permanência implementada pela Universidade Federal do Pará para estudantes indígenas. A pesquisa tem como objetivo geral analisar a efetividade da política de Permanência para estudantes indígenas na UFPA, e como objetivos específicos, identificar os principais fatores de sucesso e evasão acadêmica entre os alunos indígenas; conhecer as estratégias de ação da universidade para garantir a permanência dos estudantes indígenas e identificar as ações realizadas pela Associação de Povos Indígenas Estudantes na UFPA (APYEUFPA). É uma pesquisa de tipo explicativa, com abordagem quanti/qualitativa, sendo utilizada para a coleta de dados as técnicas de documentação e entrevista semiestruturada, aplicadas presencialmente. O lócus da pesquisa foi a Universidade Federal do Pará- Campus Belém, e teve como universo estudantes indígenas ingressantes no período de 2019 a 2021, e profissionais da gestão da política de permanência na instituição. Trabalhamos com uma amostra de 08 sujeitos, destes 06 indígenas e 02 gestores. Foram aplicadas oito entrevistas semiestruturadas (duas na fase exploratória e seis na segunda fase), com perguntas abertas e fechadas, estruturadas em dois tópicos: Identificação e Universidade. Foi utilizada a análise de conteúdo como ferramenta de análise e discussão dos dados. Acesso e vivências na Universidade; Desafios para a permanência de estudantes indígenas na UFPA e, Implementação da  Política: atuação da SAEST E APYEUFPA, foram os tópicos discutidos, obtendo os seguintes resultados: houve avanços importantes na política de acesso, expressa principalmente na construção coletiva do edital do PSE-IQ; no entanto é preciso avançar em aspectos como número de vagas ofertadas; sobre o significado do ingresso na universidade, os estudantes indígenas reconhecem-se inseridos numa coletividade, por isso as necessidades dos seus territórios são a principal motivação para continuarem no curso; além disso o ingresso dos povos indígenas na universidade é o resgate de um direito negado historicamente. Os principais desafios postos aos estudantes indígenas referem-se a: dificuldade de acompanhamento dos conteúdos das disciplinas; práticas racistas na instituição; falta de recursos financeiros para a manutenção material. O acesso aos auxílios e serviços disponibilizados pela instituição é considerado um dos maiores desafios, provocado principalmente pelas questões burocráticas. A APYEUFPA é a principal ferramenta de luta dos estudantes indígenas na UFPA. Conclui-se assim, que a Universidade é um território indígena em disputa e em construção.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2190546 - GILMAR PEREIRA DA SILVA
Interno - 3425816 - JOAO BATISTA DO CARMO SILVA
Externo ao Programa - 2835103 - BENEDITA ALCIDEMA COELHO DOS SANTOS MAGALHAES
Externo ao Programa - 2767692 - ROSELENE DE SOUZA PORTELA
Externo à Instituição - SAMELA RAMOS DA SILVA
Notícia cadastrada em: 24/10/2023 13:09
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - morango.ufpa.br.morango1