News

Banca de QUALIFICAÇÃO: ATHAYSE RAIANA WANZELER TELES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ATHAYSE RAIANA WANZELER TELES
DATA: 07/06/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Campus Universitário do Tocantins/Cametá_UFPA
TÍTULO:

ESCRITAS DE SI, MULHERES SURDAS E PROCESSOS EDUCATIVOS.


PALAVRAS-CHAVES:

Escritas de si. Mulher Surda. Narrativas de vida. Feminismo Surdo. Educação.


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Tópicos Específicos de Educação
ESPECIALIDADE: Educação Permanente
RESUMO:

Esta pesquisa aborda o tema “Escritas de si, Mulheres Surdas e Processos Educativos”, com o objetivo de tecer possíveis correlações do conceito foucaultiano de “Escritas de si” com as narrativas de vida de 5 (cinco) mulheres surdas paraenses invisibilizadas em seus processos educativos de constituição de si e com o outro. Nesse sentido, propõe-se acionar mecanismos coletivos de poder e resistência de mulheres surdas, a fim de narrar-se e reinventar-se como seres políticos na sociedade. Como interlocutores teóricos, dialoga-se com Beauvoir (1970), Foucault (2011), Klein (2019), Perlin (2003), Rago (2013), Skliar (2003), entre outros, ensaiando cruzamentos entre os estudos da Diferença em educação, especialmente os Estudos Surdos, os Estudos Foucaultianos e os Estudos Feministas, no intuito de conjeturar alianças e a visibilidade da trajetória de vida dessas mulheres surdas, através de suas narrativas, memórias e vivências que se destacam em suas áreas de atuação social e profissional. Dentre os aspectos metodológicos da pesquisa, as narrativas de vida das mulheres surdas serão tomadas como “passagens de vida” ou “autoinvenção de si” (RAGO, 2013) nos processos de constituição de si e com o outro. O compromisso acadêmico e social desta pesquisa está em proporcionar a visibilidade de narrativas de mulheres surdas na educação, seja como participantes seja como autoras da pesquisa. As narrativas e as “escritas de si” de mulheres surdas apontam caminhos para uma educação inclusiva conectada aos feminismos surdos e aos debates das questões de gênero no ambiente escolar, e contribuem para o reverberar de suas histórias e resistências, abrindo espaço para olhar a surdez como Diferença na educação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2353806 - AMELIA MARIA ARAÚJO MESQUITA
Presidente - 2298298 - GILCILENE DIAS DA COSTA
Interno - 2299112 - JOSE VALDINEI ALBUQUERQUE MIRANDA
Notícia cadastrada em: 03/06/2022 18:15
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - morango.ufpa.br.morango2