News

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANO SISTHERENN

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANO SISTHERENN
DATA: 22/06/2015
HORA: 10:00
LOCAL: CAMPUS DE ABAETETUBA
TÍTULO:

PRINCÍPIOS EPISTEMOLÓGICOS PARA UMA PEDAGOGIA DE BASE COMPLEXA: CAMINHOS PARA A REFORMA DO PENSAMENTO


PALAVRAS-CHAVES:

VIDA, EDUCAÇÃO, EPISTEMOLOGIA, COMPLEXIDADE


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Fundamentos da Educação
RESUMO:

Nosso trabalho tem por objetivo investigar alguns princípios epistemológicos que possam constituir uma pedagogia de base complexa, e pensar como essa pedagogia pode contribuir para a reforma do pensamento. Reformar o pensamento da humanidade parece ser a grande utopia sonhada e empreendida por Edgar Morin. Então, queremos pensar com ele, através de seus escritos, e de comentadores, como essa reforma pode passar pela via pedagógica. A proposta de uma reforma do pensamento é preocupação central também do pensamento moderno. Porém, parece-nos que o problema foi justamente o caminho encontrado e dogmatizado na modernidade: o método científico como única forma de conhecimento válido e verdadeiro. Esse método, empírico-racional, que tanto contribuiu para o desenvolvimento científico e tecnológico que temos hoje, também trouxe-nos alguns problemas, pois, além de desvalorizar as outras formas de conhecimento, também acabou por fragmentar o saber e compartimentalizar a vida. Acreditamos que o pensamento não deveria estar desligado do corpo, da natureza, da cultura, da ação. Nesse sentido, um aspecto fundamental da educação é que ela nunca está desligada da vida, não é um apêndice, nem apenas uma preparação para a vida, mas é a própria vida que se constitui no processo educacional, que se faz durante toda a existência, e ainda permanece inacabada. Assim como a vida e a educação não se desvinculam no pensamento de Morin, seu pensamento também não está desvinculado da sua história de vida, o que significa uma implicação do sujeito no processo do conhecimento. Esse é um aspecto central em sua epistemologia, que perpassa todo nosso trabalho. No primeiro capítulo investigamos os seguintes princípios epistemológicos da complexidade: o erro, a contradição, a dialógica, a uni-multiplicidade, a ordem e a desordem. Ao apresentar e problematizar cada um dos princípios, que se desdobram em vários outros, os relacionamos com a biografia de Morin e nos questionamos como eles podem integrar uma pedagogia de base complexa. No segundo capítulo procuramos compreender os pressupostos da reforma do pensamento proposta em empreendida por Morin, para isso, discutimos os fundamentos da epistemologia moderna, de base cartesiana e baconiana, que levou a formação de um pensamento parcelar, evidenciado, por exemplo, na educação que se fragmenta em disciplinas e nas suas especializações. Como reação a essa forma de compreender o mundo, a reforma do pensamento intenta a religação dos saberes e a descompartimentalização da vida. No terceiro capítulo, retomando a discussão sobre os princípios epistemológicos e os questionamentos apresentados no primeiro capítulo, e contrapondo-os com os princípios da ciência moderna apresentados no segundo capítulo, refletimos sobre como a reforma do pensamento pode passar pela via pedagógica e contribuir para um mundo melhor.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1255928 - DAMIAO BEZERRA OLIVEIRA
Interno - 2298298 - GILCILENE DIAS DA COSTA
Interno - 2278773 - WALDIR FERREIRA DE ABREU
Notícia cadastrada em: 18/05/2015 09:38
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha2