News

Banca de DEFESA: EVERTON CRISTIER TAVARES BARRETO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EVERTON CRISTIER TAVARES BARRETO
DATA: 08/04/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Campus Universitário de Cametá
TÍTULO:

O PROTAGONISMO NHEENGAÍBA: Reflexões sobre o ensino das histórias e culturas indígenas no Marajó das Florestas


PALAVRAS-CHAVES:

Memória, Protagonismo Indígena Marajoara, Representações Sociais, Lei 11.645/2008, Currículo.


PÁGINAS: 146
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Currículo
ESPECIALIDADE: Currículos Específicos para Níveis e Tipos de Educação
RESUMO:

O texto discute à luz da Lei11.645/2008 a implementação da temática indígena marajoara no currículo da educação básica em Breves, no Marajó, entendendo o currículo como campo político e cultural atravessado por relações de poder, podendo transmitir visões e identidades interessadas particulares e sociais, mas sendo suscetível a mudanças e transformações resultantes do dinamismo social. A investigação busca entender, como diferentes povos originários marajoara, rotulados na história como “Nheengaíbas”, são representados em diferentes espaços e tempos, afirmando o seu protagonismo na história. Em um primeiro momento, nas memórias de jesuítas, viajantes, naturalistas e historiadores (1639 – 1659) e, posteriormente, no âmbito do currículo, livros didáticos e na experiência de professores na atualidade. O texto dialoga com as ciências humanas e sociais, apoiando-se nos referenciais de Le Goff (1990); Halbwachs (1990); Ricoeur (2007), Quijano (2005), Moscovici (2007) e autores que debatem o protagonismo indígena no Brasil, fazendo uso das categorias Memória, Esquecimento, Decolonialidade, Protagonismo Indígena e Representações Sociais, assim como, Currículo, Livro Didático e Docência nos referenciais de Moreira e Tadeu (2009), Silva (2016), Santos e Meneses (2009), Bhabha (1998,) Apple (2008), Bittencourt (2009, 2013) entre outros. Como metodologia, trabalhou-se as pesquisas documental, bibliográfica e a aplicação de entrevistas, com o uso da abordagem qualitativa. Finalmente, propõe-se como forma de intervenção, caminhos e sugestões para uma proposição curricular mais alinhada à legislação vigente e as epistemologias de resistência. Estima-se que as reflexões e produtos alcançados possam provocar a visibilidade, a inclusão e a valorização de uma temática indígena marajoara nos currículos, nos livros didáticos e nas práticas de professores em Breves e no Marajó, assim como, fomentar futuras produções alinhadas ao tema.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1669289 - FRANCIVALDO ALVES NUNES
Interno - 2272166 - HELLEN DO SOCORRO DE ARAÚJO SILVA
Externo ao Programa - 2387625 - ANNA MARIA ALVES LINHARES
Externo à Instituição - CARLO GUIMARAES MONTI
Notícia cadastrada em: 25/03/2022 16:11
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - morango.ufpa.br.morango2