Notícias

Banca de DEFESA: WELISON ABREU DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WELISON ABREU DE OLIVEIRA
DATA: 16/10/2020
HORA: 11:00
LOCAL: VÍDEO CONFERÊNCIA
TÍTULO:

"ANÁLISE DOS EFEITOS GENOTÓXICOS DO RAIO X ODONTOLÓGICO EM UM MODELO IN VITRO COM CÉULAS DO LIGAMENTO PERIODONTAL"


PALAVRAS-CHAVES:

Radiação Ionizante; Radiologia Odontológica; Ensaio cometa.


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A radiologia odontológica engloba o raio X da boca em geral (dentes, gengivas, maxilares entre outros). Muitos estudos mostram que a exposição a radiação ionizante pode produzir efeitos indesejáveis no organismo, especialmente danos no material genético, relacionados com o risco de fenômenos como a carcinogênese, visto que raios X são agentes mutagênicos físicos. Vários estudos mostram que a exposição a raios X em exames odontológicos apresenta um potencial citotóxico, porem os dados relativos a danos ao material genético são conflitantes. Apesar de que na radiologia odontológica são emitidos, habitualmente, pequenas doses de radiação - cerca de 70kv, 8 mA por 0,5
a 1,5 segundos - , e importante a confirmação de que essa exposição e segura, ou ate que intensidade a mesma pode ser considerada segura, vista que alguns casos o paciente pode ser exposto a mais de uma sessão. Dessa forma, considerando os dados inconclusivos a respeito do potencial genotóxico de exposições ao raio X odontológico, e que os testes anteriores levaram em consideração apenas analises pelo teste do micronúcleo, o presente trabalho teve como objetivo analisar a integridade do DNA de células do ligamento periodontal in vitro expostas a radiografia odontológica, a partir da utilização do ensaio cometa. As células foram expostas a 70kv, 8mA, pelos intervalos de tempo de 0,7 e 2,5 segundos, e os resultados do ensaio cometa foram comparados com um grupo controle, não exposto a nenhuma radiação. Os resultados mostraram que houve uma quantidade estatisticamente significante de quebras de fita simples nas células expostas ao menor intervalo, porem uma menor quantidade nas células expostas a um intervalo de tempo maior. Provavelmente, devido a uma maior quantidade de quebras em 2,5 segundos de exposição, o sistema de reparo de DNA foi ativado, e apto a corrigir essas quebras, fazendo que a quantidade de danos detectada pelo ensaio cometa não fosse estatisticamente diferente do controle não exposto. Em conclusão, mesmo em doses pequenas, existe um baixo potencial genotóxico do raio X odontológico, porem as quebras são de fita simples, e aparentemente podem ser corrigidas pelo sistema de reparo intrínseco das células.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1220143 - EDIVALDO HERCULANO CORREA DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - FERNANDA ANDREZA DE PINHO LOTT FIGUEIREDO
Externo à Instituição - RENATO HILTON DA SILVA REIS
Notícia cadastrada em: 14/10/2020 18:16
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha1