Notícias

Banca de DEFESA: MARCIO DE JESUS LIMA DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCIO DE JESUS LIMA DO NASCIMENTO
DATA: 26/04/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Manaus-AM
TÍTULO:

GEOMORFOLOGIA URBANA POR MEIO DE PLATAFORMA SIG: MONITORAMENTO PROCESSO EROSIVO ACELERADO ( VOÇOROCA) NO GEOSITO DO CEMITÉRIO ARQUEOLÓGICO INDÍGENA DE MANAUS.


PALAVRAS-CHAVES:

Meio Ambiente, Erosão, Voçorocas, Geomorfologia, geositio


PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências
RESUMO:

A cidade de Manaus a capital do Estado do Amazonas, está localizada na parte central da Amazônia Brasileira, na foz do Rio Negro afluente do Rio Amazonas. A história de Manaus começa em 1669, com a construção do Forte de São José do Rio Negro, nos dias atuais com uma População estimada em. 2.094.391 (IBGE, 2016). A área de análise deste estudo limita-se à zona urbana da cidade, que hoje corresponde a 4% da área total do município, e comporta 99% de sua população. Com mais de 56 bairros e seis zonas administrativas, a área urbana da cidade corresponde a 44.130,42 ha, com Área da unidade territorial de Manaus em 11.401,092 km²) (IBGE, 2016).

Está inserido no contexto dos problemas socioambientais enfrentados pelas grandes cidades brasileiras se intensificam, devido ao crescimento desordenado, desconsiderando os limites impostos pelo ambiente. Neste contexto, os processos erosivos tornam-se cada vez mais presentes nos centros urbanos, principalmente nas zonas de cobertura sedimentar recente, contendo sedimentos inconsolados e friáveis. A Zona Norte de Manaus com uma alta densidade demográfica (41 hab / km²), onde localiza-se o cemitério arqueológico indígena no Bairro Nova Cidade é um bairro do município brasileiro de Manaus, capital do estado do Amazonas, localiza-se na Zona Norte da cidade. De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 59. 576 habitantes em 2010, com crescimento populacional tem sido o principal responsável pela degradação ambiental que a mesma vem sofrendo, com as áreas de expansão desta zona tornam-se cada vez mais direcionados ao seu limite.

Desta forma, visando analisar os impactos antropogênicos O estudo está sendo direcionado no sentido de monitorar o processo erosivo acelerado em uma voçoroca no Cemitério Arqueológico Indígena Bairro do Nova Cidade. A presente pesquisa pretendemos avaliar o impacto da erosão no cemitério arqueológico, área com formação de voçorocas, e verificar se práticas de manejo do solo da região, podemos considerar que a área pesquisa, os processos erosivos estão em crescimento exponencial, contabilizando prejuízos para e observou-se, por força desse processo, a intensa modificação da área de estudo da região, processo de assoreamento do igarapé. O controle da erosão por voçorocas é uma operação difícil, já que normalmente, o usuário que concorre para sua formação ignora que, em conservação dos recursos naturais, é sempre mais econômico preservar do que restaurar.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 148.723.232-20 - JANDECY CABRAL LEITE - ITEGAM
Externo à Instituição - LILEANE PRAIA PORTELA DE AGUIAR
Presidente - 2025599 - RICARDO JORGE AMORIM DE DEUS
Notícia cadastrada em: 20/04/2017 10:07
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba1