Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFPA

2023
Descrição
  • IVANA MONIQUE CORPES CASTRO
  • Guideline para normatização dos Cuidados Paliativos à pessoas com Traumatismo Cranioencefálico

  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • O cuidado paliativo é uma abordagem multiprofissional que visa garantir qualidade de vida a pacientes e familiares diante de doenças que ameaçam a continuidade da vida, por meio do alívio do sofrimento, tratamento da dor e de outros sintomas de natureza física, psicossocial e espiritual. Dentre essas doenças e para desenvolvimento desta pesquisa, buscou-se uma população de grande impacto na vida produtiva da sociedade, o Traumatismo cranioencefálico, alicerçado por uma revisão sistemática da literatura com base na prática baseada em evidências, objetivou-se elaborar um guideline com diretrizes para o desenvolvimento dos cuidados paliativos no ambiente hospitalar à pessoas com TCE. Como resultado dessa dissertação, foi elaborado um “Guia de boas práticas em cuidados paliativos para o Traumatismo Cranioencefálico” e a contribuição para o serviços de saúde, de forma a favorecer altas eficazes e com segurança, diminuindo assim a média de permanência e ampliando a ideia de custo-eficácia dos serviços de saúde pública brasileiros. Esta pesquisa deixa para as futuras publicações a contribuição e encorajamento para que este guideline seja validado e entregue à comunidade científica e aos usuários do SUS.

  • FLÁVIA DANIELA LUCAS SOUZA DA SILVA
  • OFICINA EDUCATIVA PARA CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NA UNIDADE NEONATAL

  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  •  Introdução: O processo de hospitalização do recém-nascido em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal (UCIN), requer atenção especial, pois necessita da interação dos pais e recém-nascidos dentro dos espaços neonatais, resultando em uma experiência desafiadora para os serviços de saúde e para os processos de trabalho. É relevante capacitar os profissionais de enfermagem que assistem o recém-nascido com ações humanistas, possibilitando vivenciar esse momento junto às famílias de forma mais tranquila, minimizando o impacto da hospitalização. Objetivo: Fomentar capacitação aos profissionais de Enfermagem do Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria em Bragança/Pa, por meio de uma Oficina Educativa, enfatizando boas práticas para redução do impacto da hospitalização ao binômio mãe e filho nos espaços neonatais. Método: Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório realizado em três etapas: Aplicação de um Inventário Sóciodemográfico; Questionário semi-estruturado e o produto da pesquisa: Oficina Educativa, para capacitação dos profissionais de enfermagem na unidade neonatal. Resultados: As categorias oriundas do Questionário, tiveram a significância dos percentuais das variáveis nominais verificada pelo teste G de aderência com nível alfa de 5%: Sentimento negativo da mãe; UTIN x desespero Materno e Boas práticas no cuidado com RN e família na UTIN. O produto da pesquisa: A Oficina Educativa foi realizada com 15 profissionais que atuam nos espaços neonatais sobre o cuidado ao recém-nascido, mediada pela Teoria da Problematização, através de aula teórico-expositiva, com abordagem das Boas Práticas ao Recém-nascido e família nos espaços neonatais, permitindo a adoção dos pais neste cuidado, minimizando os impactos gerados durante a hospitalização. Considerações finais: A Oficina Educativa pode favorecer um cuidado neonatal mais palpável e humanizado através da percepção dos profissionais aos problemas gerados na separação da díade mãe/bebê mediante a hospitalização.

  • JULIANA BACELLAR NUNES DE BRITO
  • MANUAL DE DERMATOSES NA INFÂNCIA PARA DIAGNÓSTICO E MANEJO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE

  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • O aparecimento de dermatoses na infância é comum, sendo responsável por aproximadamente 30% das queixas em consultas de pediatria. A pele infantil apresenta diferentes características quando comparada com a dos adultos e a depender do estágio de maturidade em que se encontra torna-se mais vulnerável a dermatoses específicas. Desse modo objetivou-se a elaboração de um manual texto e ilustrativo em formato digital (PDF “Portable Document Format”) com as principais dermatoses que acometem a faixa etária pediátrica, de zero a 18 anos. O levantamento de dados se deu por meio de uma revisão bibliográfica de literatura e as figuras utilizadas foram as de domínio público disponíveis em sites e artigos gratuitos da internet. O estudo resultou em um produto intitulado: “MANUAL DE DERMATOSES NA INFÂNCIA PARA DIAGNÓSTICO E MANEJO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE” que elencou as 13 dermatoses mais prevalentes nesta população, por meio de um produto com 62 páginas e 43 figuras ilustrativas. O material está disponível para ser utilizado por profissionais de saúde atuantes na atenção primária em saúde com a finalidade de facilitar o diagnóstico, manejo e tratamento dessas dermatoses, além de nortear políticas públicas de prevenção e educação populacional.

  • ADRIENE CARVALHO DA CONCEICAO
  • PROTOCOLO MULTIPROFISSIONAL DE CUIDADOS PERIOPERATÓRIOS: FERRAMENTA DE SISTEMATIZAÇÃO DO CUIDADO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • A existência e aplicação de facilitadores de adesão às boas práticas na assistência à saúde (protocolos e diretrizes) são os principais determinantes de condutas médicas; considerados mecanismos que podem ser implementados de forma simples e a curto prazo. Diretrizes e protocolos clínicos multimodais de cuidados perioperatórios foram elaborados e aplicados com o intuito de aprimorar a recuperação pós-operatória; a exemplo tem-se o projeto ACERTO, – Acelerando a Recuperação Pós-operatória – elaborado com base em evidências científicas de alto nível. No entanto, muitas condutas e práticas cirúrgicas são mantidas e habitualmente repassadas nos serviços de cirurgia, que podem culminar com sintomas adversos no perioperatório. Objetivo: Desenvolver um protocolo multidisciplinar de assistência perioperatória nas bases do projeto ACERTO. Métodos: Coleta de variáveis qualitativas e quantitativas, mediante aplicação de formulário contendo perguntas relacionadas ao protocolo ACERTO, que foram analisadas e serviram de base para definição do perfil profissional, identificação dos pontos de maior desconhecimento quanto ao Projeto Acerto e posterior elaboração do protocolo. Resultados: Elaboração do Protocolo Clínico - Diretrizes Terapêuticas de Cuidados Perioperatórios baseado no projeto ACERTO a partir das seguintes informações coletadas: 26 profissionais, maioria do sexo feminino, com média de 44,2 anos (±8,9), maior parte com formação técnica para técnicos de enfermagem. Dos participantes da pesquisa, 73,1% consideraram que ficar de jejum a partir das 22h do dia anterior a cirurgia é benéfico para o paciente cirúrgico; 57,7% nunca receberam treinamento sobre atendimento perioperatório; 73,1% não conheciam o protocolo ERAS (Enhanced Recovery After Surgery); 57,5% não conheciam o projeto ACERTO; 61,5% não souberam informar sobre o emprego de medidas preventivas para o íleo pós-op.; 50% não achavam seguro realizar uma cirurgia com um tempo de jejum de 6h para alimentos sólidos e 2h para líquidos enriquecidos com carboidratos e 61,5% afirmaram que a reintrodução de dieta com líquida no pós-operatório de cirurgias abdominais de grande porte não eram realizadas no mesmo dia ou no primeiro dia de pós-operatório. Conclusão: O cenário atual do emprego de condutas de cuidados perioperatórios baseados em evidências científicas pode ser considerado desfavorável para a recuperação acelerada do paciente cirúrgico. Logo, a elaboração do protocolo de assistência multidisciplinar perioperatória nas bases do projeto ACERTO, pode ser considerado um incentivo para a mudanças de rotinas (tradicionais) já estabelecidas em unidades de saúde.

  • FABIO HENRIQUE DOLZANY ROSALES
  • ACIDENTES POR ARRAIAS NA AMAZÔNIA – ELABORAÇÃO DE MATERIAL PARA EDUCAÇÃO EM SAÚDE DE COMUNIDADES RIBEIRINHAS NO PARÁ

  • Data: 14/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Acidentes por arraias fluviais, amplamente distribuídas nos rios da região amazônica, apresentam estreita relação com atividades humanas, como lazer e pesca. A ocorrência desses acidentes entre populações ribeirinhas merece destaque, em virtude do contexto social, geográfico e econômico dessa parcela da sociedade. Ressalta-se o potencial de morbimortalidade advindo de assistência em saúde retardada pelas grandes distâncias aos grandes centros e a precariedade de acesso dessa população ao pronto-atendimento em casos de acidentes. Por conseguinte, há o risco de impacto negativo nas atividades econômicas desse grupo, decorrente de graus variáveis de incapacidade temporária ou definitiva, dependendo de como for feito o manejo clínico das vítimas. Como não há registro na literatura científica, até o momento, de produção tecnológica direcionada a medidas de educação em saúde especificamente para população ribeirinha sobre acidentes com arraias fluviais, este projeto se propôs a produzir material informativo, na forma de livro impresso e virtual, sobre a importância do manejo adequado em caso de acidentes por arraias. A produção do referido material bibliográfico foi pautada em revisão integrativa, contendo informações selecionadas e atualizadas sobre o agente etiológico, fatores de risco, mecanismo de lesão, manifestações clínicas, tratamento, complicações e medidas de prevenção de acidentes por arraias fluviais entre a população ribeirinha. O material é inovador pela forma de abordar o conteúdo, especificamente voltado para a população ribeirinha. Pretende-se, com isso, contribuir para o acervo bibliográfico acerca do tema, contextualizado na realidade amazônica.

  • NATASHA VALENTE DOS SANTOS
  • APLICATIVO PARA AUXÍLIO NO MANEJO DE DOR MUSCULOESQUELÉTICA CRÔNICA NA PESSOA IDOSA

  • Data: 13/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • As doenças musculoesqueléticas são bastante comuns e incluem mais de 150
    síndromes e enfermidades que habitualmente se associam a dor, comprometimento
    funcional e incapacidade para o trabalho. Esse estudo teve como objetivo desenvolver
    um aplicativo de saúde destinado a médicos para manejo clínico inicial de dor crônica
    musculoesquelética na pessoa idosa. O estudo foi realizado através da revisão
    integrativa da literatura resultando em 2765 artigos, dos quais 792 foram publicados
    entre 2018 e 2023. Os resumos dos artigos foram avaliados de acordo com os critérios
    de inclusão e exclusão, resultando em uma amostra final de 22 estudos. A construção
    do aplicativo móvel foi desenvolvida através da parceria com desenvolvedor de
    Tecnologia da Informação, recebendo o nome de GeriDor, sendo utilizada a
    linguagem de programação JAVA e construído para sistemas Android e IOS. A partir
    disso, foram elencadas três categorias principais que compõem o menu inicial do
    aplicativo móvel: princípios básicos e classificação da dor, estratégias de tratamento
    e tratamento das principais condições musculoesqueléticas no idoso. No total o
    aplicativo apresenta 21 telas. Conclui-se que o aplicativo GeriDor é uma opção aos
    médicos prescritores que atendem pessoas idosas no que se refere à produtos de
    tecnologias destinados a diagnóstico e tratamento de dores crônicas
    musculoesqueléticas, sendo uma ferramenta de acesso rápido, com informações
    claras e que abordam as principais situações e dúvidas clínicas de médicos
    generalistas.

  • MAIRA RODRIGUES DE OLIVEIRA KOYAMA
  • AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE ACESSO DA POPULAÇÃO PEDIÁTRICA AO PROGRAMA DE IMPLANTE COCLEAR DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO BETTINA FERRO DE SOUZA

  • Data: 13/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • O Implante Coclear (IC) é uma das formas de intervenção e reabilitação auditiva na surdez sensorioneural bilateral severa e profunda, principalmente em crianças com etiologias congênitas e pré-linguais, sendo recomendado quando os aparelhos de amplificação sonora não permitem a discriminação dos sons. Esses pacientes devem preencher critérios de indicação e contraindicação para serem candidatos a essa tecnologia, dentre os quais a idade e o tempo de privação auditiva são de fundamental importância para o sucesso do implante. Objetivo: Avaliar a qualidade de acesso de crianças ao Programa Implante Coclear de um serviço de referência. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, observacional, de caráter descritivo/analítico, com abordagem quantitativa, baseado em informações obtidas a partir de um banco de dados do Programa de Implante Coclear, de prontuários de pacientes e entrevista com responsáveis de pacientes pediátricos que realizaram IC no Estado do Pará no período de 2010 a 2021. Resultados: Na população estudada, 64,3% dos pacientes realizaram a Triagem Auditiva Neonatal (TAN) e, destes, apenas 44,44% realizaram em até 30 dias de vida. A idade média das crianças na primeira consulta foi de 28,25 meses, idade média no diagnóstico de 29 meses, e idade média na realização da cirurgia para IC foi de 49,35 meses. O local de procedência, a idade do responsável e escolaridade do responsável não se correlacionaram significativamente com a idade da criança na cirurgia. Quanto ao tempo de espera para cirurgia de IC, 79% aguardaram mais de 1 ano. Quanto à realização de terapia fonoaudiológica, 75% realizam as sessões e, dentre estes, 52,38% relataram dificuldade para agendamento das sessões. Conclusão: Os resultados encontrados apontam dificuldade de acesso dos pacientes pediátricos ao Programa de Implante Coclear, inclusive das crianças que falharam na triagem auditiva, implicando idade avançada na ocasião do encaminhamento, do diagnóstico e da cirurgia de IC.

  • HENDERSON DE ALMEIDA CAVALCANTE
  • PROPOSTA DE MUDANÇA DE FLUXO INTERNO PARA CIRURGIA DE ADENOAMIGDALECTOMIA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ

  • Data: 13/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • O Sistema Único de Saúde (SUS) enfrenta desafios devido ao grande volume de cirurgias eletivas em fila de espera no Brasil, resultando em impactos negativos para pacientes, médicos e hospitais. No âmbito desse desafio, o Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) se depara com dificuldades relacionadas aos atrasos em procedimentos cirúrgicos, notadamente nas adenoamigdalectomias. O presente estudo propõe uma abordagem utilizando o Lean Healthcare com o objetivo de reduzir o tempo de espera dos pacientes, incorporando o método Kanban para aprimorar o fluxo interno, com especial ênfase nas cirurgias de adenoamigdalectomias. A pesquisa retrospectiva, descritiva e observacional envolveu 105 participantes, predominantemente do gênero feminino (57,14%), com idade média de 9,42 anos. A maioria dos pacientes era do município de Belém (27,70%). Os tempos médios de espera para diversas etapas do processo de adenoamigdalectomia foram analisados durante o segundo semestre de 2021. As fases incluíram desde a "Indicação de Cirurgia" até a "Cirurgia depois da emissão da AIH", com tempos variando de 0 a 1.668 dias. A análise comparativa entre gêneros e faixas etárias não revelou diferenças estatisticamente significativas, indicando uma visão geral de equidade no acesso ao serviço. No entanto, ressalta-se a necessidade de intervenções específicas em áreas críticas. Considerando dados nacionais e internacionais sobre tempos de espera para cirurgias eletivas, propõe-se a implementação do método Kanban como estratégia efetiva para otimizar o processo de adenoamigdalectomia. Detalhes sobre as fases do processo, desde a indicação até a cirurgia, são apresentados, destacando a inclusão da lista de espera, otimização de exames pré-operatórios e priorização. A proposta é uma valiosa contribuição para a melhoria do fluxo operacional no HUBFS, podendo servir como modelo para intervenções semelhantes em outras áreas da assistência médica.

  • PAULA CAROLINA BRABO MONTE
  • CUIDADOS COM PACIENTES PEDIÁTRICOS COM DERIVAÇÃO VENTRICULAR EXTERNA: tecnologia educacional de suporte para profissionais da saúde.

  • Data: 13/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A derivação ventricular externa (DVE) é uma tecnologia em saúde indicada para a diminuição da pressão intracraniana, sobretudo em crianças com patologias neurocirúrgicas que cursam com esse quadro. Como todo procedimento invasivo, ela pode acarretar complicações, principalmente as infecciosas. Por conta disso, o manejo da DVE e o cuidado dos pacientes devem ser realizados de modo a evitar essa ocorrência. Entretanto, nem todos os profissionais de saúde responsáveis pela assistência desses pacientes possuem o conhecimento necessário sobre o dispositivo e dominam as práticas para o manejo adequado da DVE. Objetivo: Validar uma tecnologia educacional de suporte para profissionais de saúde que cuidam de pacientes pediátricos que utilizam DVE. Metodologia: Foi realizada uma revisão integrativa da literatura para identificar os principais aspectos relacionados aos cuidados dos pacientes pediátricos com DVE, além do desenvolvimento de vídeos educacionais abordando condutas essenciais que devem ser adotadas pelos profissionais de saúde que atendem crianças com o dispositivo. A validação do material foi feita por profissionais de saúde especialistas. Resultados: A revisão contou com 11 estudos, dos quais 3 abordavam aspectos relacionados a educação em saúde e o conhecimento dos profissionais acerca do tema, enquanto 8 abordavam sobre as principais complicações e seus fatores de risco. Quanto ao produto, a média de aprovação pelos avaliadores foi 95,10%, indicando sua relevância e coerência em relação ao tema. Conclusão: As complicações infecciosas e o manejo da DVE em pacientes pediátricos são uma grande preocupação. A revisão da literatura demonstrou que o conhecimento dos profissionais de saúde sobre esse dispositivo e os cuidados é insuficiente, justificando a elaboração de uma tecnologia educacional que favoreça aos profissionais de saúde a disseminação de conhecimentos sobre manejo e cuidados com os sistemas de DVE.

  • JOACY PEDRO FRANCO DAVID
  • MODELO DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA INTERPRETAÇÃO E LAUDO DE CAMPIMETRIA VISUAL COMPUTADORIZADA 24-2.

  • Data: 12/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Há muitos anos a campimetria ou perimetria tem sido o método padrão para a medida de alterações visuais provocadas pelo glaucoma. A perimetria tem a capacidade de medir a habilidade de um indivíduo detectar um estímulo luminoso emitido a partir de um plano de fundo uniformemente iluminado(AGIS2, 1994). No manejo do glaucoma, a perimetria tem como principais objetivos a identificação e quantificação de anormalidades no campo visual e serve como uma avaliação longitudinal para a detecção de progressões da doença. O desenvolvimento de modelos de inteligência artificial capazes de interpretar o exame é um grande exemplo de como podemos aliar o desenvolvimento tecnológico com a melhoria do acesso a saúde para a população. Objetivo: O presente estudo tem como objetivo desenvolver um programa de inteligência artificial capaz de interpretar exames de campimetria computadorizada 24-2 e categorizá-los em 2 grupos: alterado ou normal. Métodos: Consistirá em um estudo observacional, transversal, descritivo da criação de um modelo de inteligência artificial capaz de interpretar exames de campimetria computadorizada 24-2 realizados entre Janeiro de 2018 e Dezembro de 2022.Resultados: O modelo de IA obteve resultados de 80% de sensibilidade e 94,64% de especificidade para detecção de exames de campimetria alterados. O teste obteve uma curva ROC gerando uma área sob a curva (AUC) de 0,93.Conclusão: A introdução da inteligência artificial no diagnóstico, rastreio e monitoramento de patologias representa uma verdadeira mudança de paradigmas na oftalmologia, possibilitando melhorias significativas em termos de acurácia, eficiência, disponibilidade e acessibilidade.

  • JAQUELINE VIEIRA GUIMARAES
  • PARTOGRAMAPP: VALIDAÇÃO DE UM APLICATIVO QUE AVALIA A EVOLUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO

  • Data: 12/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • O partograma é um instrumento que avalia a evolução do trabalho de parto e seu uso contribui para a redução de intercorrências, intervenções desnecessárias e para uma assistência integral e humanizada. Objetivo: Validar o conteúdo do Partogramapp, aplicativo que avalia a evolução do trabalho de parto.Método: Estudo descritivo, de desenvolvimento tecnológico com abordagem quantitativa. A validação de conteúdo do aplicativo foi realizada por 10 juízes especialistas na área da obstetrícia. A avaliação foi mediada por um instrumento baseado na Escala Likert, analisado por meio da técnica Delphi e do Índice de Validade de Conteúdo (IVC). As informações coletadas foram tabuladas em planilhas eletrônicas e analisadas através da estatística descritiva. Resultados: O Partogramapp foi avaliado e validado pelos juízes especialistas com IVC de 1 e 100% de concordância quanto aos objetivos, relevância, estrutura e apresentação. Conclusão: Considerando que os recursos tecnológicos aplicados à assistência à saúde auxiliam na prática assistencial e viabilizam a tomada de condutas, prevenindo desfechos desfavoráveis, o aplicativo desenvolvido se configura em uma estratégia de promoção da saúde.

  • LETICIA LOUREIRO DA SILVA
  • MANUAL DE CONDUTAS EM CUIDADOS PALIATIVOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

  • Data: 12/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Cuidados paliativos (CP) são os cuidados holísticos, ativos, prestados a
    indivíduos de todas as idades com sofrimento intenso, decorrente de doença grave,
    especialmente dirigidos àqueles perto do fim de vida. Têm como objetivo melhorar a
    qualidade de vida das pessoas doentes, das suas famílias e cuidadores. As práticas
    de CP fazem parte da Atenção Primária em Saúde (APS), porém ainda têm ocorrido
    de forma incipiente e com limitações. É necessário, portanto, aprimorar os CP nesse
    cenário, como forma de cumprimento da integralidade e da coordenação do cuidado,
    atributos essenciais da APS. Objetivo: Elaborar um manual de condutas em CP
    voltado para os profissionais de saúde da APS, nos formatos e-book e livro impresso,
    a fim de propiciar melhorias na abordagem desses cuidados, desde a prevenção até
    o alívio do sofrimento do paciente e de seus familiares. Metodologia: O estudo foi
    composto por dois momentos distintos, sendo eles a revisão integrativa da literatura
    sobre os principais aspectos a serem abordados em pacientes com necessidade de
    CP, em especial, na APS, seguido da confecção de um manual de condutas em CP
    voltado para os profissionais de saúde da APS, em formato de e-book e impresso, a
    partir dos achados da revisão integrativa da literatura. Resultado: O estudo resultou
    em um produto intitulado: “Manual de Condutas em Cuidados Paliativos à Atenção
    Primária em Saúde” com 43 páginas, para uso dos profissionais de saúde da APS.
    Discussão: O manual em seu formato prático e acessível de forma digital, e, também
    na forma impressa, permite consultas rápidas em momentos de dúvidas, assim como
    guia para a consolidação de informações sobre os principais aspectos a serem
    abordados no paciente paliativo, podendo ser acessado por todos os profissionais de
    saúde da APS. Conclusão: A partir da revisão integrativa da literatura realizada sobre
    os principais aspectos a serem abordados em pacientes em CP, em especial na APS,
    permitiu-se que fosse elaborado um manual de condutas, no formato impresso e e-
    book, acerca do assunto, que tem como alvo atingir o máximo de profissionais de
    saúde atuantes na APS.

  • CAMILLA CRISTINA LISBOA DO NASCIMENTO
  • Tecnologia Educacional para Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica

  • Data: 05/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • As Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica são destinadas à prestação de assistência especializada a pacientes em estado crítico. Para estes, há necessidade da assistência com atenção profissional contínua e intensiva. Nesse cenário, as Tecnologias Educacionais podem contribuir e oferecer esclarecimentos a equipe de enfermagem, desde que, para sua efetiva utilização, passem pelo processo de validação. OBJETIVOS: Validar uma Tecnologia Educacional sobre práticas de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa metodológica descritiva desenvolvida de janeiro à dezembro de 2023, em duas etapas: na primeira fez-se a validação do conteúdo junto a juízes-especialistas expertises na temática do estudo e na segunda a validação com os juízes técnicos designer gráfico, pedagogo e professor de língua portuguesa. Para esse processo utilizou-se um instrumento validado no formato de escala Likert. Para medir a concordância dos juízes utilizou-se o Índice de Validade de Conteúdo, considerando validado com índice maior que 0,80. Aplicou-se também o teste de Coeficiente alfa de Cronbach para verificar a confiabilidade dos resultados de cada bloco. RESULTADOS: Participaram da pesquisa 16 juízes especialistas, que atribuíram Indice de Validade de Conteúdo geral 0,92 no processo de validação. Acatou-se também as sugestões feitas pelos dos juízes no produto final concluindo a validação da cartilha intitulada "UTI Pediátrica: guia para enfermagem". CONSIDERAÇÕES FINAIS: Espera-se que a validação da cartilha, sobre práticas de enfermeiros,em UTI pediátrica possa incentivar a construção de novas ferramentas didáticas, especialmente, na área de enfermagem.

  • JOELMA FLORENCE LOBO DA COSTA
  • BOAS PRÁTICAS NA PRESCRIÇÃO MÉDICA PEDIÁTRICA EM ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

  • Data: 05/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • As prescrições pediátricas são frequentes nos serviços de saúde da Atenção Primária, sendo emitida, em regra, por médicos não especialistas em pediatria. Desse modo, surge a necessidade de que o prescritor seja habilitado e tenha conhecimento para estabelecer a melhor conduta terapêutica, não ocasionando erro de medicação e consequentemente danos ao paciente pediátrico. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi sintetizar as orientações acerca das prescrições pediátricas, encontradas nos manuais, notas técnicas, diretrizes, e artigos científicos que preconizam a melhor prática e abordagem. No primeiro momento, realizou-se uma revisão integrativa da literatura utilizando as seguintes bases de dados: Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Scientific Electronic Library (SCIELO), Medical Literature Analysis and Retrieval Sistem on-line (MEDLINE). Os descritores utilizados foram: “prescrição médica”; “erros de medicação”; “posologia pediátrica; “pediatria”; “uso off-label” e “atenção primária”. Foram identificadas 1.554 publicações, no período de 2016/2023, e por fim selecionados 18 artigos para compor a revisão. Posteriormente, foi elaborado o Guia Prático “Descomplicando as prescrições pediátricas: boas práticas e medicações orais da Atenção Primária”, com elementos de orientações desde ao ato da prescrição, orientações e posologias das drogas disponíveis nos serviços da APS com uma abordagem direcionada as principais doenças que acometem as crianças de forma geral.

  • THIAGO ALMEIDA SILVA
  • TECNOLOGIA SOBRE ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA, INTRA-HOSPITALAR, NA PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA DE ADULTOS: ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE

  • Data: 04/12/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Parada Cardiorrespiratória (PCR) é definida como a interrupção súbita das atividades respiratórias e circulatórias efetivas sendo um grande desafio para a saúde pública mundial. Portanto, cabe aos profissionais da saúde, independente da área de trabalho, reconhecer sinais de gravidade e realizar uma intensa e constante busca por informações e treinamentos de qualidade a fim de manter-se atualizado sobre o assunto e promover melhores resultados frente ao agravo e, por conseguinte, maiores chances de sobrevida às vítimas. Objetivo: Promover a criação de uma tecnologia educacional, em formato de website, sobre a atuação fisioterapêutica na parada cardiorrespiratória intra-hospitalar de adultos para educação permanente em saúde dos fisioterapeutas hospitalares. Métodos: Tratou-se de uma pesquisa metodológica com abordagem qualitativa a qual foi desenvolvida em duas etapas: 1) Revisão Integrativa da Literatura (RIL) para fundamentação teórica do produto. 2) Produção de Tecnologia Educacional (TE) em formato de website para proporcionar educação permanente em saúde sobre atuação fisioterapêutica na parada cardiorrespiratória, intra-hospitalar, de adultos para fisioterapeutas hospitalares e comunidade fisioterápica em geral. A coleta de dados científicos da RIL ocorreu entre Julho e Agosto de 2023 tendo como critérios de inclusão: artigos completos e disponíveis de forma on-line e gratuitamente; artigos publicados em revistas nacionais e/ou internacionais, independente do ano de publicação, no idioma português ou inglês. Para tanto utilizou-se os seguintes descritores em saúde: parada cardiorrespiratória, ressuscitação cardiopulmonar, fisioterapia e seus respestectivos termos em inglês bem como recorreu-se ao operador booleano “AND” para aumento das buscas. Foram excluídos estudos incompletos, em outros idiomas, e cuja temática não abordasse os objetivos do estudo. Após a
    construção da RIL bem como levantamento da regulamentação fisioterapêutica brasileira (1o etapa), iniciou-se o desenvolvimento do website (2o etapa). A interface foi produzida em conjunto pelo pesquisador e por um profissional da área de informática (experiente no assunto) de uma empresa especializada na produção de mídias digitais, onde em comum acordo produziram os ambientes virtuais que dão identidade a TE. Além disto, ressalta-se que o produto passou por uma série de análises e testes validatórios pela empresa de tecnologia especializada contratada. Já os dados teóricos que abastecem a ferramenta, foram elaborados criteriosamente
    com uma linguagem clara e objetiva, de forma coerente e organizada, com a finalidade de alcançar a melhor compreensão do leitor. Resultados: Foram encontrados 8 artigos pertinentes ao tema para compor a RIL. Destes, 1 foi realizado nos EUA (12,5%), 1 no Paquistão (12,5%) e 6 (75%) foram produzidos no Brasil, sendo 3 da região Norte e 3 da região Sudeste. Já a TE recebeu o nome de “RCPhysio” e apresenta interface inicial com título e subtítulo do portal, logo profissional, mensagem de boas-vindas, história, missão, visão e valores, além de contatos de uma rede social (instagram©) e do email profissional. Além disto, conta com os ícones de
    exploração (Home, Funções, Regulamentação, Sobre, Bônus) e pesquisador de termos e/ou assuntos. Já a janela de “funções” conta com 7 tópicos de assuntos (avaliação, ventilação, compressões, desfibrilação, cronometria, liderança, medicações). O ícone de “regulamentação” apresenta texto elucidativo sobre a legislação profissional e apresenta links para baixar resoluções do COFFITO pertinentes ao assunto. A janela “sobre” traz informações do autor do projeto, enquanto “bônus” apresenta 3 tópicos especiais (cadeia de sobrevivência, pós-parada, simulação PCRIH) que trazem conhecimento complementar do tema. Conclusão: A parada cardiorrespiratória representa o nível máximo de agravo e complexidade em um ambiente intra- hospitalar, sendo assim requer uma equipe bem treinada e ciente de suas funções. Portanto, conclui-se que o produto desenvolvido se acrescenta ao rol de tecnologias existentes e representa uma nova era no ensino em saúde, pois fortifica o conhecimento e permite educação permanente em saúde dos fisioterapeutas hospitalares sobre PCRIH de adultos. 

  • ANA CAROLINA PAES BOULHOSA
  • PROTOCOLO SOBRE CUIDADOS PALIATIVOS EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JOÃO DE BARROS BARRETO

  • Data: 28/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Em 2021, foram registrados 38,4 milhões de adultos e crianças que vivem com HIV/AIDS no mundo. No Brasil, neste mesmo ano, foram diagnosticados 40.880 novos casos de infecção pela HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) e 35.246 casos de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). Com o advento da terapia antirretroviral, transformou a condição da infecção pelo HIV de uma enfermidade com prognóstico ruim, para uma doença crônica. A Organização Mundial de Saúde (OMS), reconhece os cuidados paliativos como um elemento essencial a assistência de pacientes que vivem com HIV/AIDS, em decorrência de uma alta carga de dificuldades físicas, psicológicas e sociais que essa parcela da população vive. OBJETIVO GERAL: Elaborar um manual clínico assistencial sobre cuidados paliativos em pessoas que vivem com HIV/AIDS para uso nas áreas assistências no Hospital Universitário João de Barros Barreto. OBJETIVOS ESPECIFICOS: Estruturação do manual baseado em evidências, para aplicação prática na assistência de pessoas que vivem com HIV/AIDS com critério para receber cuidados paliativos. Validar o manual utilizando juízes especialistas na área. Divulgar o manual e implementar no serviço da UDIP (Unidade de Doenças Infecto Contagiosas Parasitárias) no Hospital Universitário João de Barros Barreto. METODOLOGIA: o presente estudo será dividido em 3 etapas: Revisão bibliográfica sobre os cuidados paliativos em PVHA;confecção do protocolo clínico assistencial sobre cuidados paliativos em PVHA a partir dos achados da revisão da literatura. e validação do produto científico. A validação ocorreu por consenso por meio da Técnica Delphi com um comitê de especialistas. Após o processo de validação o produto foi submetido ao Setor de Gestão da Qualidade e Vigilância em Saúde do HUJBB. Para validação foi utilizado o instrumento AGREE II. Não foi necessário a aplicação de Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE) e nem do Termo de Compromisso de Utilização de Dados (TCUD). O presente estudo não precisará ser submetido ao Comite de Ética da instituição. RESULTADOS: A análise qualitativa do produto através do AGREE II evidenciou uma avaliação global do protocolo de 100% de aprovação e de recomendação de uso. CONCLUSÃO: Concluiu-se que o protocolo alcançou elevado grau de aprovação, tendo todos seus domínios aprovados com qualidades superiores a 75%, além disso, observou a escassez de matérias científico sobre o assunto, reforçando a necessidade das produções cientificas sobre o tema do estudo.

  • LETÍCIA RAMOS PEREIRA TAVARES
  • ELABORAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE PASSAGEM DE PLANTÃO ENTRE FISIOTERAPEUTAS PARA COMUNICAÇÃO SOBRE O ESTADIAME NTO CLÍNICO DO PACIENTE N A UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ADULTO

  • Data: 25/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A comunicação efetiva é instituída pelo Ministério da Saúde como meta de segurança, o profissional deve apresentar determinantes para alcançar uma comunicação favorável durante a passagem de plantão, bem como olhar diretamente ao receptor, escutar, compreender a mensagem, obter postura de liderança, união entre os membros da equipe e facilitar a troca de informações (FARIAS; SANTOS; GÓIS, 2018).
    Durante a passagem de plantão, o profissional da saúde precisa levar em consideração fatores importantes e que podem ser fundamentais ao desfecho do tratamento do paciente. Portanto, neste momento é preciso que o profissional seja objetivo, claro e conciso sobre os acontecimentos, esteja disposto a enfrentar barreiras institucionais que por ventura podem prejudicar esse momento, como ruídos, cansaço após longa jornada de trabalho, pressa em transmitir informações, atraso dos membros da equipe, conversa paralela ou até mesmo intercorrências (NOGUEIRA; DEVEZA; SANTOS, 2019).
    Há relatos na literatura sobre a técnica SBAR (Situation, Background, Assessment, Recommendation) que pode ser utilizada como forma de guia para a passagem de plantão, onde respectivamente deve ser repassada a situação em que o paciente se encontra, o que trouxe o indivíduo ao serviço, avaliações que foram realizadas e recomendações para os próximos passos (FELIPE; SPIRI, 2019).
    Segundo Cardoso et al. (2023), a passagem de plantão é um momento significativo para uma comunicação efetiva entre os profissionais e problemas relacionados a falta de comunicação são as principais causas de eventos adversos. Perda de informações, erros de comunicação, erros envolvendo a comunicação não verbal podem gerar desfechos desfavoráveis ao paciente.
    É recomendado o uso de linguagem única e clara, conexão e concentração entre os profissionais, minimizando termos técnicos não padronizados. Além disso, interrupções devem ser evitadas detendo informações paralelas e deve haver interações entre os indivíduos com possibilidade de questionamentos (CORPOLATO et al, 2019).
    5
    Nesse sentido, o momento da passagem de plantão se torna uma estratégia da equipe multidisciplinar com o objetivo de auxiliar o processo de cuidado, sintetizando o quadro em que o paciente se encontra baseado nos procedimentos que estão sendo feitos ou que estão pendentes. O uso de um instrumento para documentar tais informações, além do uso da comunicação verbal, pode guiar esse momento, evitando falhas e minimizando as chances de falta de repasse de informações (LOPES, 2018).
    A possibilidade de uso de tecnologias e instrumentos durante a passagem de plantão também é vista como facilitadora de comunicação efetiva, uma vez que possibilita a documentação das informações e funciona como guia para os profissionais. Ademais, optar por uma ferramenta eficaz, além da comunicação verbal, pode reforçar a garantia de uma comunicação segura sobre transferência de cuidados (LOPES, 2018).
    É possível identificar na literatura os meios de comunicação que podem ser utilizados nesse momento, bem como, gravações, impressos informativos, relatos verbais a beira leito, que em conjunto com o grau de comprometimento do profissional podem facilitar a continuidade de informações sobre os pacientes, sem deixar de considerar que todos estes meios são passíveis de falha. (LOPES, 2018)

  • LUCIANO MOURA DE ASSUNCAO
  • Prática Deliberada em Ciclos Rápidos: uma estratégia de ensino para Protocolo BLUE na avaliação da insuficiência respiratória aguda.

  • Data: 25/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A ultrassonografia pulmonar e o protocolo de ultrassonografia pulmonar à beira do leito em emergência (protocolo BLUE) tem sido utilizada como ferramenta diagnóstica à beira do leito para o diagnóstico de patologias torácicas. Além disso, a prática deliberada em ciclos rápidos (PDCR) é uma estratégia de simulação cujo objetivo é melhorar a performance dos participantes. Objetivo: Formular um protocolo de simulação e material teórico-prático validado para aplicação da estratégia de simulação PDCR como metodologia ativa de ensino no cenário de POCUS no diagnóstico de insuficiência respiratória aguda por meio do protocolo BLUE. Métodos: Essa pesquisa foi dividida em quatro etapas na sua produção: 1) constituída por uma revisão de literatura e projeção de um produto de metodologia para aplicação da estratégia PDCR como metodologia ativa do protocolo BLUE; 2) baseada em um estudo prospectivo intervencionista de simulação da aplicação do projeto do produto de ensino médico para trabalhar o diagnóstico de insuficiência respiratória aguda por meio do protocolo BLUE; 3) análise da coleta de dados para validação desse produto de ensino com base na coleta de informações da etapa anterior; 4) formulação final do produto de pesquisa na estratégia de simulação PDCR como metodologia ativa de ensino no cenário de POCUS no diagnóstico de insuficiência respiratória aguda por meio do protocolo BLUE, além da formulação de material didático teórico. Resultado: o protocolo e o manual teórico-prático que aplica a estratégia de simulação com PDCR como forma ativa de ensino no cenário de POCUS no diagnóstico de insuficiência respiratória aguda por meio do protocolo BLUE divide o treinamento em três etapas: 1) ministração de uma breve aula teórica; 2) demonstração prática do protocolo BLUE; 3) treinamento com prática deliberada em ciclos rápidos. Além disso, o produto se expande em um material didático teórico para os participantes do treinamento. Conclusão: devido a progressão do uso da POCUS na prática diária médica, principalmente em ambiente de emergência, sugere-se a estratégia de PDCR como uma ferramenta educacional para ensino do protocolo BLUE.

  • MICHELINE VALE DE SOUZA
  • ASPECTOS SOROEPIDEMIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES PELOS VÍRUS DAS HEPATITES B E C EM GESTANTES ATENDIDAS NO PRÉ-NATAL DE ALTO RISCO EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NO NORDESTE DO PARÁ, BRASIL

  • Data: 25/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Mediante o elevado risco de transmissão vertical dos vírus das Hepatites B
    e C é de suma importância a definição dos aspectos soroepidemiológicos em gestantes,
    considerando que práticas de detecção precoce contribuem para a identificação de pacientes
    infectadas e minimizam o impacto e a propagação do vírus, pois a doença é silenciosa.
    Objetivo: Identificar informações soroepidemiológicas das infecções pelo HBV e HCV entre
    gestantes atendidas em hospital de referência no município paraense de Bragança, assim como
    a produção de ferramentas educacionais que auxiliarão no atendimento do serviço de saúde e a
    compreensão dos riscos por gestantes portadoras desses dois vírus hepatotrópicos. Método:
    Estudo de natureza quantitativa, caracterizado como transversal, prospectivo e analítico por
    meio de inquérito soro epidemiológico e coleta de informações através de bancos de dados
    científicos para a formulação de protocolo/material didático a ser instituído. Foi considerada
    todas as gestantes cadastradas e em acompanhamento no pré-natal de alto risco do Hospital
    Santo Antonio Maria Zaccaria no ano de 2022, independente da idade gestacional. Em todas as
    amostras foi pesquisados os marcadores da infecção do HBV (HBsAg, anti-HBc Total e anti-
    HBs) e anticorpos sistêmicos tipo IgG para a detecção do HCV (anti-HCV) através de um
    Ensaio Imunoenzimático (ELISA) de quarta geração, usando kits comerciais (Dia Pró, Itália),
    obedecendo as instruções do fabricante. Resultados: Das 301 gestantes analisadas, demonstrou
    uma frequência de 18 a 28 anos, estado civil casada/estado civil, com escolaridade entre ensino
    médio completo ou nível superior, renda familiar mensal de até um salário mínimo, 68% do
    município de Bragança e com comorbidades 9% em destaque hipertensão arterial, em relação
    aos resultados dos exames laboratoriais: o HBsAg, resultou em uma taxa de prevalência de
    (0,5%_1/301), para o anti-HBc Total houve predomínio de (2,7%_08/301), anti-HBs em
    (61,4% _185/301) e 29,9% não estavam imunizadas. Nenhum das pacientes apresentava anti-
    HCV reagente. Conclusões: O acesso ao pré-natal com protocolo operacional padrão e equipe
    capacitada é um dos principais instrumentos de qualidade no combate a transmissão vertical
    causadas pelas hepatite B e C, assim como a entrega de um folder as gestantes no intuito da
    multiplicação das informações.

  • JULIANA DE JESUS CIPRIANO PEREIRA
  • AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE HANSENÍASE EM ESCOLARES DE 10 A 15 ANOS NA CIDADE DE BRAGANÇA-PA.

  • Data: 25/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Hanseníase é uma doença estigmatizada devido ao preconceito histórico e falta de conhecimento da população ao seu respeito. Por isso uma das formas de prevenção da doença é a educação em saúde, principalmente voltada ao público infanto-juvenil como forma de ações educativas e lúdicas para que a informação seja repassada de maneira correta e assim desmistifique a doença. Objetivos: Avaliar o conhecimento dos escolares na faixa etária de 10 a 15 anos sobre a Hanseníase no município de Bragança-PA. Identificar as características socioepidemiológicas de escolares de 10 a 15 anos com Hanseníase. Elaborar um material educativo do tipo palestra destinado aos adolescentes para orientá-los sobre os sinais, sintomas e transmissibilidade da Hanseníase, baseado na linguagem local utilizada por essa faixa etária.
    Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, prospectivo e documental com uma abordagem quanti-qualitativa. A população foi composta por adolescentes das escolas pactuadas no Programa Saúde na Escola (PSE) do município de Bragança, num total de 51 escolas e 15.603 alunos. Foram incluídos neste estudo alunos das escolas pactuadas no Programa Saúde na Escola do município de Bragança, na faixa etária de 10 a 15 anos e a partir do 5º ano do ensino fundamental até o 1º ano do ensino médio. Serão excluídas da amostra, os
    alunos que não estudem nas escolas pactuadas no Programa Saúde na Escola, acima de 15 anos e fora do intervalo entre o 3º ano do ensino fundamental e o 1º ano do ensino. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário semiestruturado com questões socioeconômicas, demográficas, situação de convivência assegurando o sigilo quanto à identidade dos participantes. Para a análise de dados, utilizaram-se planilhas do programa Microsoft Excel para armazenamento das informações coletadas. Os dados contidos nas planilhas foram transformados em tabelas e gráficos para expor os resultados encontrados. Para as análises estatísticas serão utilizados o software Bioestat 5.0 para a associação entre as variáveis sendo estas realizadas pelo teste do Qui-quadrado, considerando como p significativo de ≤ 0,05. Resultados: Foram selecionados 100 alunos de uma escola pública participante do Programa Saúde na Escola no município de Bragança-PA com idade entre 10 e 15 anos para compor a amostra. Destes, 48 eram do sexo masculino e 52 do sexo feminino, foi realizado o teste Qui- quadrado de aderência que não demonstrou significância em relação a diferenciação entre sexo dos escolares se comparados entre si (p-valor=0,55). Verificou-se que 48 (48%) escolares eram do sexo masculino e 52 (52%) do sexo feminino, com idade predominante de 10 anos, 31 (31%) alunos, 52 (52%) alunos eram do 5º ano, cerca de 95 (95%) alunos são naturais do município de Bragança, 93 (93%) residem no bairro Vila Sinhá, justificado pela proximidade à escola, 75 (75%) dos escolares possuem em sua residência 4 (quatro) ou mais cômodos, 75 (75%) possuem 4 (quatro) ou mais moradores em sua residência, cerca de 40 (40%) desconhece o valor de sua renda familiar e 43 (43%) residem há mais de 4 (quatro) anos em sua moradia. Conclusão: Esta pesquisa possibilitou identificar o conhecimento dos escolares de 10 a 15 anos de uma escola no munícipio de Bragança a respeito da hanseníase. A maior parte dos escolares desconhece as temáticas relacionadas à doença como atendimento, tratamento e sintomatologia, porém a respeito do tratamento os alunos conseguiram identificar corretamente o agente causador da hanseníase.

  • CLEISE ELLEN FERREIRA PANTOJA
  • PRODUÇÃO DE PROTOCOLO SOBRE SINAIS DE ALERTA PARA AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR DO RECÉM-NASCIDO COM SÍFILIS CONGÊNITA

  • Data: 25/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis congênita é uma infecção causada por uma bactéria, e que aparece como uma das doenças mais preocupantes da saúde pública, e tem causado grandes impactos na saúde materno-infantil. O objetivo do estudo foi produzir um protocolo assistencial de seguimento do cuidado do Recém-Nascido com Sífilis Congênita sobre sinais de alerta para avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor. Trata-se de uma pesquisa do tipo descritivo e qualitativo, culminando na produção de um protocolo assistencial que ocorreu no período de junho de 2023. Para a realização da pesquisa, foram realizadas as seguintes etapas: estudo epidemiológico descritivo, seguido da etapa de pesquisa de campo e finalizando com a última etapa que foi o desenvolvimento do protocolo. A análise do perfil sócio epidemiológico materno dos 152 recém-nascidos nascidos no hospital mostrou que 74,34% dos casos de sífilis materna foram diagnosticados no momento do parto, mesmo sendo realizado pré-natal. Em seguida foram realizadas as análises das falas dos enfermeiros entrevistados, que foi possível desenvolver três categorias textuais para serem analisadas: “a importância da continuidade do cuidado em sífilis congênita”, “o “colocar em prática” do enfermeiro nos cuidados do recém-nascido” e “melhorando a qualidade de vida ao recém-nascido”, mostrando assim a necessidade de criação de um protocolo assistencial para o público da pesquisa. Após a análise feita, foi gerado o produto da pesquisa, que é a construção do protocolo aos recém-
    nascidos com sífilis congênita junto com os conhecimentos já existentes na atualidade sobre a temática nas pesquisas nacionais e internacionais, com o auxilio das respostas dos entrevistados e a análise do perfil sócio epidemiológico. O produto consiste em uma tecnologia que estabelece um protocolo desde a alta do hospital até ao nível ambulatorial para prevenção de sequelas durante o crescimento e desenvolvimento. Diante da pesquisa, pode-se notar pelos enfermeiros a importância de se desenvolver um protocolo de continuidade da assistência após a alta hospitalar, levando a prevenção de sequelas no futuro no desenvolvimento dessas crianças. Espera-se, com a criação deste produto de pesquisa, futuramente seguir para a validação e proporcionar uma melhoria na assistência de enfermagem voltada ao recém-nascido, pois o instrumento irá ajudar a nortear os cuidados da equipe de enfermeiros que realizam assistência direta a estes pacientes.

  • EVELYM CRISTINA DA SILVA COELHO
  • TECNOLOGIA SOBRE PREVENÇÃO DE SUICÍDIO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE

  • Data: 24/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A população infantojuvenil é considerada grupo de risco para o
    suicídio, devido a diversas alterações emocionais, físicas e mentais que ocorrem
    nessa faixa-etária, além da inabilidade de gestão emocional, baixa autoestima e
    quadros psiquiátricos, quando presentes. É necessário empoderar os profissionais de
    saúde com conhecimento científico de qualidade acerca do assunto, por meio de
    educação permanente mediada por tecnologias educacionais, para uma
    aprendizagem significativa que envolva a equipe de saúde para qualificar a atenção a
    saúde de crianças e adolescentes, ao sofrimento mental infantojuvenil e ao suicídio.
    OBJETIVO: Produzir uma tecnologia educacional na forma de aplicativo móvel sobre
    prevenção de suicídio em crianças e adolescentes para profissionais da área da
    saúde. METODOLOGIA: Pesquisa metodológica, com abordagem qualitativa,
    desenvolvida em duas etapas: Revisão da Literatura e Produção de Tecnologia
    Educacional na forma de aplicativo móvel. Realizou-se a revisão em janeiro de 2023,
    nas bases de dados: PubMed; SciELO; LILACS, BDENF, MEDLINE, a partir da
    Biblioteca Virtual em Saúde; e do Portal de Periódicos Capes, resultando na amostra
    final de 37 artigos. O corpus textual, elaborado a partir dos artigos, foi analisado no
    software Iramuteq. Após a análise e interpretação dos dados, foi desenvolvido o
    protótipo do aplicativo móvel, por meio do Microsoft Power Point 2016 ®.
    RESULTADOS: A maioria dos artigos incluídos está disponível no idioma inglês, em
    publicações internacionais e em maior frequência a partir do ano de 2020. Identificou-
    se 3 classes temáticas, a partir do software Iramuteq, que foram apresentadas nas
    categorias: 1) O comportamento suicida entre crianças e adolescentes e a
    complexidade dos fatores de risco envolvidos e 2) Promoção para prevenção do
    suicídio infantojuvenil; favorecendo a identificação dos conteúdos para compor o
    aplicativo. Este é composto por 33 telas coloridas contendo texto e ilustrações; 7
    seções sobre esse fenômeno, além de tela inicial; tela de apresentação sobre os
    autores; telas contendo endereço dos locais de atendimento em saúde mental em
    Belém e uma tela de referências. CONCLUSÃO: O protótipo desenvolvido reúne
    informações educativas para gestão do suicídio em crianças e adolescentes, visando
    uma experiência simples e dinâmica no cotidiano do profissional, para apoiar o
    profissional na tomada de decisão clínica à essa população.

  • MARCELA COUTINHO ALVES
  • ATLAS RADIOLÓGICO DE LESÕES PULMONARES DA COVID-19: UM APLICATIVO DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

  • Data: 24/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • O novo coronavírus surgiu em 2019 na cidade de Wuhan, e em poucos meses tornou-se responsável pela pandemia da COVID-19, com mais de 700 milhões de casos confirmados. O quadro clínico da COVID-19 abrange desde pacientes assintomáticos, até quadros graves, com dispneia progressiva, hipoxemia, necessidade de oxigênio suplementar, síndrome do desconforto respiratório agudo e choque séptico. A tomografia computadorizada de tórax, procedimento de relativo baixo custo, disponível e extremamente efetivo na detecção de anormalidades do parênquima pulmonar, mostrou-se uma alternativa para o diagnóstico da doença. Devido à ampla necessidade e intenso fluxo de casos e, com o objetivo de facilitar a comunicação entre radiologistas e demais profissionais da saúde, foi criado um sistema para categorizar o nível de suspeição do acometimento pulmonar pela COVID-19 nas tomografias de tórax, o CORADS. No cenário atual, o uso de aparelhos como smartphones e tablets faz parte do dia a dia dos profissionais da saúde, e os aplicativos surgem como estratégias de disseminação de informações, educação em saúde e ensino. De maneira rápida, prática e abrangente, possibilitam disseminar os achados tomográficos da CORADS e sua relação com a suspeita de COVID-19. Diante do exposto, o objetivo do presente trabalho foi desenvolver um atlas radiológico tomográfico do acometimento pulmonar pela COVID-19 em forma de aplicativo. Para tal, foi conduzido um estudo transversal, com a captação de imagens de tomografias de tórax realizadas na Policlínica Metropolitana de Belém, no período de maio a junho de 2020, e um estudo de geração de tecnologia educacional em saúde, sendo desenvolvido um aplicativo para o sistema operacional Android, no formato de atlas radiológico com imagens e vídeos das tomografias, agrupados por classificação de grau de suspeição de CORADS 1 – 5. Foram estudadas imagens de 50 pacientes, sendo usadas 15 tomografias, incluindo 1 vídeo. A concepção do aplicativo RadioVid foi baseada nos métodos CTM3, design instrucional contextualizado, e foi desenvolvida por meio da linguagem de programação Javascript e o framework React Native, direcionado para o sistema operacional Android, posteriormente submetido na Play Store. Buscou-se, por meio da tecnologia, gerar um instrumento de educação para médicos, estudantes da graduação e demais profissionais da saúde, com acesso ilimitado independente de conexão com a internet, possibilitando otimizar o tempo do diagnóstico e da tomada de condutas, gerando conhecimento, além de contribuir para um registro de momento inédito na saúde mundial.

  • LEILA DO SOCORRO SANTOS DUARTE
  • CURSO DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

  • Data: 23/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • As Tecnologias educacionais (TE) contribuem para a sistematização do saber
    científico, utilizados para o desenvolvimento do processo educacional formal ou
    informal. O processo de trabalho do gerente de Unidade Básica em Saúde (UBS) é
    dinâmico e complexo e a qualificação desses profissionais deve ser permanente e
    pautado nas diretrizes do SUS e contextos em que atuam. Este estudo teve como
    objetivo a elaboração de uma Tecnologia Educacional para contribuir na melhoria do
    processo de trabalho gerencial na Unidade Básica de Saúde, pautada nos princípios
    do Sistema Único de Saúde e Atenção Primária à Saúde. Foi desenvolvido através de
    um estudo metodológico, com abordagem quali-quantitativa descritiva, realizado no
    município de Ananindeua-PA. Os participantes foram os gerentes que atuam na
    Atenção Primária à Saúde na função de gerentes de UBS. A técnica de coleta de
    dados foi a aplicação de questionário e o método de análise foi a análise de conteúdo.
    O estudo foi realizado em três etapas: a primeira etapa foi a Revisão Integrativa de
    Literatura (RIL) a fim de possibilitar a seleção de pesquisas para síntese do
    conhecimento e uma abordagem ampla sobre os assuntos; a segunda etapa foi o
    Diagnostico Situacional, utilizando a aplicação de questionário para conhecer o perfil
    sociodemográfico, aspectos sobre o processo de trabalho, a tecnologia educacional e
    temas de interesse na opinião dos participantes; e a terceira etapa foi a Elaboração
    do Produto, onde foi elaborado um curso para formação profissional e o material
    didático, baseados nas duas etapas anteriores. Este estudo situou o gerente como um
    protagonista fundamental na consolidação e fortalecimento do SUS, destacando-se a
    formação e o investimento em educação permanente, buscando potencializar
    competências e habilidades necessárias para o enfretamento de desafios gerados no
    desempenho do trabalho diário e produção do cuidado para mudanças efetivas na
    construção do SUS e APS.

  • LUANA PEREIRA MARGALHO
  • ESTRUTURAÇÃO DE UM PROGRAMA DE MEDICINA DO ESTILO DE VIDA PARA A PROMOÇÃO DO BEM-ESTAR E MELHORA DO ESTILO DE VIDA DE ALUNOS DA GRADUAÇÃO DE MEDICINA

  • Data: 23/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • O Colégio Americano de Medicina do Estilo de Vida define a Medicina do Estilo de
    Vida (MEV) como “o uso terapêutico de intervenções no estilo de vida baseadas em evidências
    para tratar e prevenir doenças relacionadas ao estilo de vida em um ambiente clínico. Ela
    capacita os indivíduos com o conhecimento e as habilidades de vida a fazer mudanças efetivas
    de comportamento, que abordam as causas subjacentes da doença”. Assim, o objetivo do
    presente estudo foi propor um programa de Medicina do Estilo de Vida que possa ser utilizado
    em instituições de ensino superior, com fins de capacitação acerca da MEV e de promoção do
    bem-estar e da melhora do estilo de vida de alunos da graduação de medicina. A pesquisa foi
    caracterizada como um estudo de revisão integrativa da literatura, realizado a partir da análise
    de dados secundários, qualitativo e descritivo, com a finalidade de obter embasamento teórico
    para um programa de MEV. O produto incluiu a estruturação de um Programa de Medicina do
    Estilo de Vida voltado para os alunos da graduação de medicina da Universidade do Estado do
    Pará (UEPA), que poderá ser utilizado por instituições de ensino superior da área médica para
    a capacitação e promoção de saúde de seus graduandos. A partir da síntese dos estudos
    analisados, foi possível verificar que a maior parte dos estudos com aplicação de intervenção
    educativa utilizou como estratégia de ensino palestra/ aula expositiva e que também tiveram
    aumento da satisfação e percepção de conhecimento por parte dos participantes. Ainda é
    incipiente as publicações nacionais sobre o tema na área da graduação médica, o que evidencia
    a importância de propostas educacionais com vista à implantação extracurricular e curricular
    da MEV na graduação de medicina.

  • EDVALDO SOUZA DE OLIVEIRA JUNIOR
  • CRITÉRIOS DE PRIORIDADE PARA REALIZAÇÃO DE CIRURGIA BARIÁTRICA PELO SUS EM UM PROGRAMA PÚBLICO NO ESTADO DO PARÁ: PROPOSTA DE UM ESCORE DE GRAVIDADE

  • Data: 23/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A obesidade é uma doença crônica associada a múltiplas
    complicações, que não depende só de fatores genéticos e fisiológicos, mas também de
    variáveis culturais, sociais, e psicológicas, associadas à quantidade e qualidade da
    alimentação. Nos últimos trinta anos, a obesidade ganhou importante destaque na agenda
    internacional de saúde pública, haja vista sua crescente incidência e prevalência. Nesse
    contexto, surge a cirurgia bariátrica como importante veículo de resgate à falha do
    tratamento clínico. O diagnóstico da obesidade é realizado a partir do parâmetro
    estipulado pela Organização Mundial de Saúde, o Índice de Massa Corpórea- IMC
    associado a comorbidades. Justificativa: A seleção do paciente usando de forma
    preponderante o IMC pode ser criticada como imprecisa e subjetiva, uma vez que pode
    não identificar os pacientes que mais se beneficiaram com a cirurgia bariátrica. Objetivo:
    Analisar os critérios atuais utilizados na gestão dos pacientes que aguardam realização de
    cirurgia bariátrica em um hospital de referência no procedimento no estado do Pará,
    objetivando criar um escore de prioridade, baseado no impacto da obesidade sobre a saúde
    física e mental desses pacientes, considerando gravidade, para que sejam priorizados na
    fila os que mais teriam benefícios de sua realização mais célere. Resultados: Dos 443
    pacientes incluídos neste estudo, 365 (82,4%) eram mulheres. A média de idade no
    momento da realização da cirurgia foi de 40,6 ±9,2 anos. O tempo médio de espera da
    fila para os inscritos no POZ foi de 14,9 ±4,5 meses. Não houve correlação linear entre
    IMC e o Escore de Edmonton. Entre todas as variáveis que foram realizadas correlações
    a que apresentou maior correlação foi Edmonton versus Belém BariScore, O BBS, o que
    era esperado em virtude da maior parte das variáveis dele serem desdobramentos das que
    existiam para classificação de Edmonton, Pearson foi de 0,62, mostrando forte correlação,
    com r2 de 0,38 (p<0,001). Conclusão: Entre tantos contextos, surge a necessidade de
    gerir de forma eficaz a fila de cirurgia bariátrica no SUS. Novas atitudes de gestão, que
    não apenas aumentem o número de cirurgias, mas que pense numa forma eficaz de gerir
    a fila de espera de pacientes com suas necessidades diversas se faz necessária. E assim
    nasceu o produto desse trabalho, a proposta do escore BBS.

  • JESSICA LORENA ALVES
  • ALTERAÇÕES ELETROCARDIOGRAFICAS NA URGÊNCIA PEDIÁTRICA: TECNOLOGIA DIGITAL PARA PROFISSIONAIS DA SÁUDE.

  • Data: 23/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A interpretação do eletrocardiograma (ECG) em crianças é desafiadora devido às diferenças
    anatômicas e fisiológicas em relação aos adultos, resultando em erros diagnósticos e atrasos
    no tratamento adequado. Essas crianças são admitidas na urgência pediátrica por um médico e
    equipe multiprofissional que também deve estar apta a execução e interpretação desses
    exames a fim de melhora o prognostico cardiovascular desses pacientes. A produção de uma
    tecnologia digital para profissionais da área da saúde teve como objetivo possibilitar que esta
    equipe multiprofissional realize a identificação precoce de patologias diagnosticadas pelo
    ECG na urgência pediátrica, inclusive com condutas apropriadas. Foi elaborada uma
    ferramenta virtual didática para suporte dos profissionais de saúde, esta utilizou imagens de
    ECGs obtidas de livros-texto e exames impressos, sem identificação dos pacientes. Foram
    utilizados recursos tecnológicos acessíveis, como o Adobe Acrobat Reader, o iPhone 13 para
    gravação e o programa Capcut para edição dos vídeos. Essa tecnologia digital passou por
    processo de validação de juízes especialistas utilizando a escala Likert em um documento no
    Google Forms, respondido por médicos, fisioterapeutas e enfermeiros. Encontra-se, a partir de
    então, disponíveil na plataforma audiovisual YouTube, podendo ser acessadas por meio de
    um link com código QR. Essa ferramenta educacional terá alta aplicabilidade impactado,
    portanto, na melhoria dos atendimentos pediátricos de urgência.

  • MARIANA PINHEIRO MOURA
  • ELABORAÇÃO DETECNOLOGIA EDUCATIVACOMO FERRAMENTA PARA ORIENTAR AS GESTANTES SOBRE OS MÉTODOS NÃOFARMACOLÓGICOS DE ALÍVIO DA DOR DO TRABALHO DE PARTO

  • Data: 22/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A construção de tecnologia impressa, do tipo cartilha, referente às
    terapias complementares de alívio da dor, tem grande relevância, pois é uma
    ferramenta tecnológica que proporciona educação em saúde à gestante, deixando-a
    mais preparada, protagonista e com maior autonomia para os momentos finais da
    gestação. Objetivo: Construir, com base na literatura, uma tecnologia educativa
    sobre os métodos não farmacológicos de alívio da dor do trabalho de parto.
    Metodologia: trata-se de um estudo metodológico do tipo construção de tecnologia,
    com base na literatura. Primeiramente foi realizada uma revisão integrativa da
    literatura, a qual prevê identificação, análise e sintetização do conhecimento, o tema
    foi pesquisado na linha temporal de 2018 a 2023 nas bases LILACS, MEDLINE via
    EBSCO, IBECS, BDENF e Google Scholar utilizando Descritores em Ciências da
    Saúde (DeCS): trabalho de parto, dor no parto e enfermagem. Após a busca ativa da
    literatura e seleção desse material, foi construída a cartilha denominada “Caminhos
    para um parto seguro e respeitoso: utilizando métodos não farmacológicos para
    aliviar a sua dor”, cujo público alvo são gestantes. O texto elaborado tem uma
    linguagem simples e objetiva, buscando sempre dialogar com o leitor. Em relação às
    imagens utilizou pelo menos uma figura para explicar cada medida complementar de
    alívio da dor. Resultado: dezenove artigos foram identificados após a busca, todos
    na BDENF: a assistência de enfermagem para o parto humanizado é imprescindível,
    pois o enfermeiro atua com base em evidências científicas. Os métodos descritos
    nos estudos foram: massagem, banho de aspersão, bola suíça, deambulação,
    aromaterapia, técnicas respiratórias, mobilidade materna, musicoterapia, acupuntura,
    a técnica do rebozo e spinning babies. A cartilha “Caminhos para um parto seguro e
    respeitoso: utilizando métodos não farmacológicos para aliviar a sua dor” é um
    material educativo, constituída por 17 páginas, composta por capa, a qual representa
    a parturiente no momento do parto, numa posição verticalizada e no decorrer da
    leitura da tecnologia imprensa vão ser apresentados os caminhos que ele percorreu,
    utilizando medidas não farmacológicas, até chegar nessa fase final da gravidez. Em
    relação ao conteúdo dessa ferramenta educativa elaborou-se um sumário, uma
    breve apresentação, nesta parte logo no início buscou-se mostrar ao leitor que será
    uma orientação do tipo diálogo por meio da frase “olá gestante”, também nesta parte
    é explicado o que são métodos não farmacológicos, a finalidade de sua utilização e
    exemplos dos diversos métodos existentes; O conteúdo seguinte foi dividido em
    tópicos onde optou-se por descrever a utilização e a importância da bola Suíça, da
    massagem de conforto, da hidroterapia, da deambulação, da aromaterapia, da
    musicoterapia, da respiração, do rebozo e da acupuntura no trabalho de parto; Os
    dois últimos conteúdos abordados estão direcionados ao uso de medidas não
    farmacológicas utilizados de forma combinada e a presença do acompanhante
    durante o trabalho de parto. Conclusão: Portanto, a produção desta cartilha
    promoverá educação em saúde, pois permitirá que a gestante compreenda sobre as
    diversas terapias complementares de alívio da dor que podem ser utilizadas durante
    as contrações uterinas. Proporcionará também uma assistência mais humanizada e
    um parto mais prazeroso para a paciente.

  • RAFAELA DE SOUZA DIAS NEVES
  • ''HANSEN PREVPLAY'' FERRAMENTA DIGITAL DE PREVENÇÃO E EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO COMBATE À HANSENÍASE EM MENORES DE 15 ANOS

  • Data: 22/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase e uma doença infectocontagiosa potencialmente incapacitante e reconhecida
    como problema de saúde pública por seus impactos pessoais, familiares e sociais. Estratégias
    tecnológicas poderiam ser utilizadas para promover educação em saúde e, principalmente, em
    públicos-alvo que possam servir como multiplicadores do conhecimento no âmbito familiar,
    como os mais jovens. Este estudo objetiva desenvolver e avaliar a eficácia de um jogo como
    ferramenta de conscientização e de informação para a prevenção da hanseníase, através de um
    aplicativo para computadores, smartphones e tablets, em escolas de ensino fundamental de
    município hiperendêmico do Norte do Brasil. O projeto foi desenvolvido utilizando editor de
    jogos 2D Construct 2. Foi aplicado questionário para avaliação de conhecimentos prévios sobre
    hanseníase em momento anterior ao uso do aplicativo e posterior para aferição da
    aprendizagem. Houve apropriação de conhecimentos significativos sobre possibilidade de
    infecção e alimentação de pessoa doente, com aumento da frequência de respostas corretas em
    todas as questões propostas. O aplicativo pode auxiliar os profissionais de saúde e da educação
    na atenuação da problemática da hanseníase, se apoiando na efetividade da tríade, saúdeeducação-
    tecnologia.

  • CAROLINE CUNHA DA ROCHA
  • EPIDEMIOLOGIA DAS INTOXICAÇÕES EXÓGENAS EM CRIANÇAS NA REGIÃO DA AMAZÔNIA LEGAL: PREVENÇÃO PARA A FAMÍLIA E PROFISSIONAIS DE SAÚDE

  • Data: 22/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As intoxicações exógenas (IE) são alterações clínicas, laboratoriais e radiológicas consequentes a alterações bioquímicas das substâncias externas que entraram em contato com o corpo humano. O conhecimento de prevenção de acidentes domésticos, entre eles a IE e o pronto atendimento da criança, com o reconhecimento precoce dos sinais e sintomas das síndromes tóxicas, assim como a conduta terapêutica adequada são essenciais para o prognóstico favorável no atendimento da criança vítima de intoxicação. Cerca de quase 180.000 casos foram registrados no ano de 2019 no Brasil, destes, 14,3% ocorreram em crianças menores de 12 anos de idade. Metodologia: É um estudo observacional, transversal, restrospectivo, quantitativo, com dados obtidos a partir do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Sáude. Foi incluído na amostra todos os casos notificados de intoxicação exógena em pacientes pediátricos entre 0 e 14 anos de idade, registrados no SINAN no Brasil e na Amazônia Legal, entre 2010 a 2019. A análise estatística foi realizada no software SPSS 25, utilizando-se o teste Qui-quadrado de Pearson, adimitindo-se como nível de significância α < 0,05. Resultados: Houveram 1.079.074 notificações de IE no Brasil em todas as faixas etárias de zero até oitenta anos ou mais de 80 anos no período de 2010 a 2019. Na faixa etária pediátrica em menores de 14 anos, foram 232.682 notificações em todo o Brasil, representando cerca de 21,56%, com elevada incidência entre o número total de notificações de IE (n = 232.682; n= 1.074.179 / p < 0,0001). Na Amazônia Legal na faixa etária pediátrica o sexo masculino foi o mais notificado (50,11%; n = 5.631). A escolaridade com maior número de casos foi o com Ensino Médio completo (n= 3.714), na Amazônia Legal. Os agente tóxicos com o maior número de casos foi de medicamentos e drogas de abuso, correspondendo a 43,5% (n = 31.553) no Brasil assim como na Amazônia Legal correspondendo a 30,24% (n = 11.237). Houve importância significativa, (n = 42.790 / p < 0,001) ao analisar os número de casos notificações de IE por medicamento e drogas de abuso com os demais agentes em todas as faixas etárias e na faixa etária pediátrica na Amazônia Legal. A idade de um a quatro anos e os medicamentos e drogas de abuso foram o maior número de casos (n = 5.042), representando 41,8%, na Amazônia Legal. Conclusão: A prevalência de intoxicações exógenas em crianças na Amazônia Legal foi de 0,41%, quase duas vezes maior comparada a faixa etária pediátrica em todo o Brasil. O ensino médio completo, o sexo masculino, a faixa etária de 0 a 1 ano de idade e os medicamentos e drogas de abuso foram os que houveram maior número de notificações. E sendo o número de casos em paciente pediátricos de importância significativa, é necessário ampliar as políticas de prevenção e sua divulgação na Região da Amazônia Legal e no Brasil como um todo para reduzir o número de casos e o impacto deste agravo na saúde e morbimortalidade das crianças. 

  • VANESSA POMPEU BAIA MIRANDA
  • EMPREENDEDORISMO NA ENFERMAGEM: modelo de negócio em consultoria e assessoria em saúde.

  • Data: 22/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A enfermagem tem explorando um novo mercado de trabalho, onde há riscos e desafios, mas
    fazer um trabalho autônomo e inovador traz benefícios e oportunidades, nas quais a profissão
    adquire maior visibilidade, espaço e reconhecimento. Esta pesquisa tem como objetivo
    compreender a geração de valor em empreendimentos na área da enfermagem. Realizou-se
    uma Revisão Integrativa da Literatura, um relato de experiência e foi gerado um modelo de
    negócio de consultoria e assessoria em saúde. A revisão teve abordagem qualitativa e
    percorreu cinco etapas, desde a definição do problema até a discussão e apresentação dos
    achados, por meio de um período de busca nos últimos 5 anos, via bases de dados do
    Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes,
    Bireme – Biblioteca Virtual em Saúde e EBSCO, foram utilizados descritores como
    "empreendedorismo”, “empreendedores”, “enfermagem”, “enfermeiro”, “negócios”,
    “empresas e organizações de serviço”. A revisão contou com uma discussão final de 14
    publicações, onde foram evidenciadas qualidades do perfil do enfermeiro empreendedor
    primordiais para a criação de valor do negócio na área da enfermagem, além de diversas
    potencialidade e estratégias, como o planejamento, o investimento em capacitação, o próprio
    modelo de negocio, o estabelecimento de parcerias, o uso de mídias sociais e a satisfação em
    si com o negócio. Os artigos trouxeram também a exposição de desafios enfrentados nos
    processos, os quais poderiam ser trabalhos com as potencialidades e estratégias já pontuadas e
    assim gerar resultados positivos para o empreendedorismo na enfermagem. O relato de
    experiência de empreendedorismo na enfermagem pela autora descreveu a experiência da
    mesma no serviço autônomo de consultoria e assessoria, tendo o foco organizacional e
    informacional de qualidade e segurança em saúde, e trouxe contribuições sociais e
    empresariais valiosas. Tendo como base a revisão e a experiência foi, então, gerado um
    modelo de negócio de consultoria e assessoria em saúde na área da enfermagem,
    representando a maneira de como esse negócio cria, captura e distribui valor, por meio da
    ferramenta conceitual simplificada adaptada Business Model Canvas, onde qualquer
    profissional de enfermagem interessado em criar ou modificar seu modelo de negócio tem
    uma base com linguagem comum e assim pode trocar experiências e ideias, ampliando as
    discussões em torno da temática estudada.

  • JOSE RICARDO MOUTA ARAUJO
  • DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE APLICATIVO PARA MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS PALPEBRAIS EM SMARTPHONE

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A ptose palpebral é uma condição na qual a margem da pálpebra superior está anormalmente baixa em relação à posição normal. Dentre os exames para avaliação da ptose palpebral está a medição das distâncias palpebrais, as quais classicamente são medidas usando uma régua milimetrada. Novas tecnologias têm sido propostas como métodos alternativos para a mensuração dessas distâncias. OBJETIVO: O objetivo deste estudo é desenvolver, validar e avaliar a replicabilidade de um aplicativo para smartphone para fazer medições semi-automatizadas de distâncias palpebrais. MÉTODO: O aplicativo foi desenvolvido para ambiente operacional Android. Foram testados 15 participantes saudáveis para validação e avaliação da replicabilidade teste-reteste e entre examinadores. Foram medidas as distâncias palpebrais da margem superior reflexo corneano (MRD1) e margem inferior reflexo corneano (MRD2) usando uma régua milimetrada e o aplicativo. Dois pesquisadores participaram dos experimentos e foi avaliado a concordância, a correlação e diferença entre as medidas feitas e a replicabilidade das medidas usando o smartphone. RESULTADOS: Foi verificado que usando o smartphone, as medidas de MRD1 eram significativamente menores que as medidas usando a régua e que as medidas de MRD2 eram significativamente maiores que as mesmas medidas usando a régua. Na avaliação da replicabilidade foi observado que ela foi fraca entre examinadores para a medição de MRD1, mas foi forte para a medição de MRD2. Na avaliação teste-reteste houve significativa replicabilidade de ambas as distâncias palpebrais. CONCLUSÃO: As medidas palpebrais usando o smartphone não concordaram com as medidas feitas usando a régua e houve alta replicabilidade teste-reteste dessas medidas. A baixa replicabilidade entre examinadores pode sugerir a necessidade de treinamento constante sobre os critérios das medidas.

  • LUCAS DA SILVA MUNIZ
  • A UTILIZAÇÃO DE ÓRTESES DE DESCOMPRESSÃO DE BAIXO CUSTO PARA A PREVENÇÃO DE LESÕES POR PRESSÃO NA REGIÃO OCCIPITAL (ODO), NO CENTRO DE TERAPIA INTENSIVA EM UM HOSPITAL PRIVADO DE BELÉM.

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo busca analisar a eficácia das órteses de descompressão de baixo custo para
    prevenção de lesões por pressão na região occipital, ou seja, Órtese de Descompressão
    Occipital. Para tanto, a pesquisa se caracterizou como do tipo descritiva, transversal e
    quantitativa. Nesse sentido, foi realizada no Hospital adventista de Belém, no Centro de Terapia
    Intensiva Adulto, a confecção das órteses é realizada no Laboratório de Tecnologia Assistiva
    do referido hospital. Para a coleta de dados, foram consultados os indicadores de confecção de
    órteses e abertura de lesão por pressão alimentados pela equipe de Terapia Ocupacional durante
    os 12 meses do ano de 2022. Portanto, a pesquisa contou com uma amostragem de 657 Órteses
    de Descompressão Occipital confeccionadas e distribuídas entre os pacientes das 4 unidades de
    terapia intensiva estudadas. Com a proposta, a Órtese de Descompressão Occipital apresenta-
    se como dispositivo com características únicas em relação aos demais encontrados no mercado.
    Além de ser um dispositivo de baixo custo, ainda apresenta características únicas dos seus
    materiais e o seu design anatômico permitem uma descompressão mais eficiente da região
    occipital. Logo, considera-se como proposta de estudo futuro a comparação entre diferentes
    instituições de saúde para analisar um número maior de Centros de Terapia Intensiva, bem
    como comparar o aparecimento de lesões por pressão em hospitais que fazem o uso ou não da
    ODO.

  • ANNA PAULA ALVES DE ALMEIDA
  • FLUXOGRAMA DE ATENDIMENTO ÀS GESTANTES EM UM SERVIÇO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A gestação é um processo fisiológico e assim deve ser vista pelas mulheres, sociedade
    e equipes de saúde. Embora esse período se dê em grande parte sem intercorrências,
    quando essas ocorrem, são necessárias ações imediatas. Nesse cenário, é
    imprescindível a utilização de tecnologias para a otimização do atendimento. Desse
    modo, destaca-se o emprego dos fluxogramas, produto esse essencial na agilização da
    conduta, contribuindo para minimização de intercorrências e agravamento dos casos.
    Trata-se de uma pesquisa cujo objetivo geral é desenvolver três fluxogramas de
    atendimento às gestantes em situações de urgência e emergência, acolhidas em uma
    Unidade de atendimento da região metropolitana de Belém. Estudo com delineamento
    metodológico. Foi desenvolvido no setor de urgência e emergência do Centro Especial
    de Saúde no município de Santa Bárbara e teve como participantes 81 gestantes
    atendidas no local, bem como 7 profissionais entre médicos e enfermeiros que fazem
    atendimento no estabelecimento. Os primeiros dados foram obtidos por meio de coleta
    de informações junto a ficha de atendimento inicial, onde foi possível traçar um
    diagnóstico situacional dos principais motivos que levaram as mulheres a buscarem
    aquele serviço. Posteriormente, foi desenvolvido três fluxogramas para atendimento
    daquela demanda. O material foi validado com o auxílio de profissionais já atuantes
    naquele serviço, por meio do índice de validação de conteúdo. Entende-se que a
    padronização da assistência em situações de urgência melhora a qualidade no
    atendimento e pode prevenir significativamente as consequências. Nesse contexto
    recomenda-se a criação e implementação de produtos como esse, buscando-se cada
    vez mais ultrapassar os desafios e adversidades que poderão surgir.



  • DANIELLY DO VALE PEREIRA
  • SAÚDE DA MULHER: Tecnologia educacional para o autocuidado de mulheres no pós-parto

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS, 2018) demonstram que, aproximadamente,
    830 mulheres morrem diariamente por causas evitáveis em decorrência de complicações no
    período gravídico, parto e puerpério, e cerca de 99% desses casos ocorrem em países em
    desenvolvimento. O período puerperal, ocorrem mudanças profundas na vida da mãe, do bebê,
    do parceiro e da família. Nesse contexto, é importante destacar a importância dos cuidados
    voltados para a mãe, uma vez que ela requer atenção especial para seu bem-estar físico, mental
    e social (PEREIRA; SANTOS, 2022). O puerpério é uma fase em que as mulheres necessitam
    de cuidados com a saúde de forma significativa. Um acompanhamento adequado e de qualidade,
    aliado à orientação sobre autocuidado, contribui para fortalecer o empoderamento das mulheres
    nesse período (QUEIROZ et al., 2021). Este estudo tem por objetivo desenvolver uma
    tecnologia educacional do tipo cartilha digital para dispositivos móveis para dispositivos
    móveis com a finalidade de proporcionar orientações sobre o autocuidado no puerpério para
    mulheres internadas na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Trata-se de uma pesquisa
    do tipo estudo metodológico, com abordagem qualitativa com o foco na construção de uma
    tecnologia educacional do tipo cartilha digital para dispositivos moveis sobre o autocuidado de
    mulheres no pós-parto. Utilizando como base cientifica o estudo anterior que obteve uma
    amostra de 19 puérperas entrevistas através de um questionário semi estrutura, formando a partir
    das falas das puérperas seis categorias temáticas, e além disso realizou-se uma revisão
    integrativa da literatura sobre relevância da construção de tecnologias educacionais
    selecionados dez artigos sobre a temática. Diante disso foi desenvolvida a primeira versão da
    cartilha no período de maio a agosto 2023, com o auxílio do profissional designer gráfico,
    cartilha que recebeu o nome de “Saúde da mulher: promovendo o autocuidado” contendo 26
    páginas, divididas em 11 tópicos, no formato de e-book e poderá ser acessada através de
    QRcode para dispositivos móveis. Pensando assim, as cartilhas educativas desempenham um
    papel valioso no processo de autocuidado das mulheres no período puerperal, capacitando-as a
    tomar decisões informadas, adotar práticas saudáveis e promover sua saúde física, emocional e
    social. A promoção do autocuidado nessa fase é imprescindível para a saúde e o bem-estar das
    mulheres e de seus bebês, promovendo uma transição suave para a maternidade e contribuindo
    para uma experiência positiva no pós-parto. Portanto, este estudo servirá como base para
    pesquisas futuras sobre a saúde da mulher e a promoção do autocuidado no pós parto, que teve
    por objetivo a construção de uma tecnologia educativa, que servirá para contribuição na vida
    de todas as mulheres que tiverem acesso e das famílias alcançadas com conteúdo produzido.

  • JAMILA VAZ TAVARES
  • MANUAL EM REDE SOCIAL PARA PACIENTES COM DOENÇA ONCOLÓGICA

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • Caracterizado pelo crescimento descontrolado de cé lulas que impedem o
    funcionamento normal do organismo, o câ ncer é uma doenç a crô nico-degenerativa de
    etiologia multifatorial, desencadeada principalmente por alteraçõ es gené ticas, fatores
    ambientais e de estilos de vida. Existem diferentes modalidades de tratamento
    disponíveis para tratar e controlar o câncer. A quimioterapia é uma modalidade padrão
    de tratamento do câncer, na qual se utilizam drogas que agem em diferentes fases do
    ciclo celular, com o intuito de destruir as células cancerígenas, e inibir seu crescimento
    e disseminação pelo organismo. As medicações atingem tanto células benignas
    quanto malignas, afetando assim os aspectos fisiológicos do corpo, levando a
    alterações secundárias. Durante o tratamento, torna-se importante o entendimento do
    paciente a respeito destas questões, e seu comprometimento em cuidar-se
    adequadamente conforme as orientações da equipe de saúde assistente. Neste
    contexto, torna-se importante instruir de forma adequada os pacientes sobre os
    conhecimentos básicos a respeito das doenças oncológicas, seu diagnóstico, assim
    como suas complicações e efeitos adversos relacionados a seu tratamento. A criação
    de materiais educativos acessíveis em plataformas online, pode auxiliar na
    propagação de informações relevantes de maneira compreensível para os pacientes.
    Neste cenário, uma das plataformas digitais a ser explorada é o Instagram a qual
    apresenta fácil acessibilidade e propagação de conteúdo. Optou-se por usar a rede
    Instagram como ferramenta informativa em formato de manual online, de feed
    estático, descrevendo os principais temas relacionados ao cuidado oncológico
    (diagnóstico, tratamento, efeitos adversos do tratamento, cuidados gerais com a
    saúde e higiene) com orientações práticas a serem seguidas pelos pacientes, a fim
    de melhorar seu autocuidado e sua qualidade de vida.

  • ISABELLE SOUZA MACHADO
  • CONSTRUÇÃO DE TECNOLOGIA EDUCATIVA PARA MULHERES DURANTE PERÍODO GRAVÍDICO-PUERPERAL: SOS MATERNIDADE

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A gestação é um processo fisiológico e assim deve ser vista pelas mulheres,
    sociedade e equipes de saúde. Esse período é marcado por uma série de alterações
    físicas, fisiológicas e emocionais que tornam a mulher mais vulnerável, e com
    anseios relacionados ao momento do parto e nascimento. Com isso, esse período é
    percebido pelas gestantes sob expectativa de dor, sofrimento, mal-estar,
    insegurança e, ao mesmo tempo de felicidade e realização. Observa-se que durante
    o pré-natal as informações oferecidas pelos profissionais de saúde não são
    suficientes, fazendo-as buscarem informações de forma informal através de seus
    familiares e amigas que já vivenciaram o parto e através da internet. Cabe ao
    profissional de saúde realizar ainda durante o pré-natal orientações pertinentes a
    gestante, além de ações educativas, pois estas promovem melhores resultados
    perinatais, satisfação materna em relação aos cuidados ofertados, assim como a
    compreensão da mulher em relação ao trabalho de parto e evolução da gestação.
    As tecnologias educativas são alternativas viáveis para informação e sensibilização
    da população, uma vez que possibilita a promoção da saúde por meio da
    participação ativa. O presente trabalho trata-se de uma pesquisa metodológica do
    tipo desenvolvimento de tecnologia, com abordagem qualitativa que foi desenvolvida
    em duas etapas: revisão da literatura e a construção da tecnologia. A tecnologia
    utilizada foi o desenvolvimento de uma cartilha intitulada “SOS MATERNIDADE”:
    tudo o que você precisa saber sobre pré-parto, parto e pós-parto, a partir de uma
    lista gerada por um programa de inteligência artificial (CHATGPT) com as principais
    dúvidas de gestantes sobre maternidade, bem como de forma empírica com
    grávidas que procuravam atendimento em uma maternidade em Belém. Foram
    desenvolvidos 20 temas descritos conforme o ciclo gravídico-puerperal com escrita
    simples, coesa, e com a utilização de ilustrações desenvolvidas no programa
    CorelDraw e Adobe Photoshop no formato flat designer para aproximação do leitor.
    O estudo enfatizou a importância do material educativo como forma de promoção
    em saúde, através de evidências científicas e esclarecimento de dúvidas das
    gestantes, auxiliando os profissionais de saúde durante a prestação de serviços
    durante o pré-natal, sendo usado como ferramenta para ajudar a esclarecer dúvidas
    e a ajudando a reforçar o diálogo entre profissionais e pacientes.

  • LUIS ANDREY SANTOS TEIXEIRA
  • TOXOPLASMOSE EM GESTANTES: Protótipo de aplicativo móvel para profissionais da atenção básica.

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • A infecção por toxoplasmose em gestantes é preocupante, pois o parasita é capaz de
    atravessar a barreira transplacentária e infectar o feto. Esta transmissão vertical
    geralmente provoca complicações de diversos graus. Este estudo tem como objetivo
    desenvolver um protótipo de aplicativo móvel para celular sobre toxoplasmose,
    direcionado a profissionais de saúde atuantes no pré-natal e para as gestantes
    atendidas, com o intuito de facilitar a orientação e referenciamento na atenção básica
    de um município do Pará. Primeiramente se iniciou com uma revisão integrativa nas
    bases de dados, no qual emergiu o seguinte resultado: de um total de 106 (cento e
    seis) trabalhos científicos sobre a assistência a toxoplasmose na gestação, somente
    13 (treze) estavam dentro do que foi proposto pelo objeto deste estudo. A partir da
    revisão de literatura e de dados obtidos pelo autor em uma pesquisa anterior realizada
    com gestantes atendidas no pré-natal de alto risco de um hospital materno infantil do
    município de Belém, foi possível criar um protótipo de aplicativo móvel que atendesse
    as necessidades das gestantes, assim como dos profissionais de saúde atuantes no
    pré-natal e que posteriormente será validado com auxílio de juízes especialistas na
    área para ser disponibilizado nas plataformas digitais. Conclui-se que a construção de
    tecnologias educacionais como o protótipo de aplicativo apresentado nessa pesquisa
    é de suma importância para o processo de educação em saúde e acesso a
    informações seguras sobre a toxoplasmose, assim como ferramenta que auxilie os
    profissionais de saúde no momento da assistência a essas gestantes. Neste estudo
    apresentou-se a pesquisa até a etapa III do modelo de Desing Instrucional
    Contextualizado. Considera-se como proposta de estudo futuro a validação deste
    aplicativo por profissionais nas áreas da enfermagem, medicina e tecnologia da
    informação, para que seja possível atingir a etapa IV do modelo DIC.

  • JOYCE WYLLA ANDRADE ALMEIDA
  • GUIA DE PSICO-ONCOLOGIA E CUIDADOS PALIATIVOS NA AMAZÔNIA:INSTRUMENTO PARA UMA PRÁTICA REGIONAL HUMANIZADA

  • Data: 21/08/2023
  • Mostrar Resumo
  • As neoplasias se definem como crescimento desordenado e potencialmente incontrolável de células mutacionais, tornando-se uma doença ameaçadora da vida. Segundo a base de dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a estimativa para o câncer no triênio de 2023 - 2025, são assustadores 704 mil casos novos por ano no Brasil. As repercussões causadas pelo diagnóstico do adoecimento oncológico afetam setores dinâmicos do ser humano, extrapolando uma pluralidade de sentidos adentrando no físico e perpassando vivências emocionais, sociais, econômicas e espirituais, compreendendo com isso a necessidade incontestável do cuidado ofertado por uma equipe multiprofissional, que contemple espaços relacionados ao cuidado integral e humanizado. OBJETIVO: O projeto visa a elaboração de um guia de Psico-oncologia e cuidados paliativos, através da tecnologia cuidativo-eduacional, promovendo saúde, compreensão sobre as rotinas de atendimento e delimitando o papel do profissional. MÉTODO: Trata-se de um estudo metodológico, descritivo subsidiado pelo modelo teórico-conceitual de Tecnologia Cuidativo-Educacional (TCE), buscando fomentar a apropriação do conhecimento entre a equipe de saúde, principalmente no que diz respeito ao profissional de psicologia especialista em oncologia na região amazônica. RESULTADOS: O material desenvolvido contempla os assuntos considerados propícios com base no levantamento de dados bibliográficos realizado, abordando, cuidados paliativos e a atuação do Psico-oncologia na abordagem ambulatorial, na abordagem hospitalar na comunicação de más notícias e na sedação paliativa até a finitude.

  • NATHALIA BARROS FERREIRA
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E FATORES DE RISCO AMBIENTAIS ASSOCIADOS À DOENÇA DO NEURÔNIO MOTOR NA AMAZÔNIA

  • Data: 06/07/2023
  • Mostrar Resumo
  • A Doença do Neurônio Motor (DNM), especialmente a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), é uma condição degenerativa e progressiva, incurável, geralmente diagnosticada após um terço da sua evolução, resultando na morte do paciente em 3 a 4 anos. A etiologia da doença permanece pouco compreendida, apesar de inúmeras pesquisas em busca de uma cura ou controle. A maioria dos casos de ELA (90%) é esporádica, implicando uma herança poligênica com variabilidade de expressão, e investigações sobre fatores ambientais de risco estão em curso globalmente, embora os estudos na região Amazônica e no Estado do Pará ainda sejam limitados. Este estudo visa analisar o perfil epidemiológico da DNM, com foco na exposição a fatores de risco, especialmente a intoxicação por Mercúrio orgânico (MetilHg), em pacientes atendidos no Hospital Ophir Loyola, um centro de referência em saúde no Estado do Pará. O método utilizado foi um estudo observacional transversal controlado, que avaliou a associação entre fatores de risco e a DNM, incluindo a exposição ao mercúrio. A amostra consistiu em 31 casos e 29 controles até 2020. Além das informações sociodemográficas e epidemiológicas, a exposição prolongada ao mercúrio foi avaliada por meio da análise de Hg Total em amostras de cabelo de 34 pacientes e 33 controles usando espectrofotometria de absorção atômica no Laboratório de Toxicologia do Núcleo de Medicina Tropical da UFPA. Os resultados não forneceram evidências sólidas de associação entre fatores de risco, incluindo níveis de mercúrio semelhantes em casos e controles, e o desenvolvimento da doença. A frequência de consumo de peixes também não apresentou correlação com a doença, provavelmente devido à origem urbana da maioria dos casos, cujos hábitos alimentares diferem dos de áreas ribeirinhas e indígenas. O estudo ressaltou a necessidade de atualização e capacitação da equipe de cuidados de saúde multidisciplinar para um diagnóstico precoce e manejo eficaz dos pacientes, bem como a importância de investigações sobre o risco de DNM em regiões com alta exposição ao mercúrio na dieta. Com base nos resultados, é proposta a criação de um guia de orientação específico para o Estado do Pará, visando aprimorar o atendimento a esses pacientes de forma mais eficaz e ágil.

  • ELIZANGELA ROCHA GONDIM ARAUJO
  • SÍFILIS GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA: RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS DE MANEJO CLÍNICO ASSISTENCIAL PARA O MUNICIPIO DE ALTAMIRA – PARÁ

  • Data: 27/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível que está reemergindo no Brasil, tendo-se observado nas últimas décadas aumento expressivo na incidência de sífilis gestacional (SG) e sífilis congênita (SC). A sífilis na gestação é um grande desafio para a saúde pública brasileira, se não tratada, pode resultar em inúmeros desfechos negativos para a mãe e bebê. JUSTIFICATIVA: O município de Altamira, entre os anos de 2010 - 2021 apresentou significativas taxas de detecção SG e SC, comprovando que a doença representa um grave problema de saúde pública. Os resultados advindos desse estudo fornecem informações relevantes para que sejam criadas estratégias de prevenção eficazes. OBJETIVO: Elaborar recomendações técnicas de manejo clínico-assistencial para os casos de sífilis gestacional e congênita nas Unidades Básicas de Saúde do município de Altamira. METODOLOGIA: Estudo de natureza descritiva, epidemiológica, realizado através de levantamento de dados secundários referentes aos casos de SG e SC em residentes de Altamira, disponibilizados pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. RESULTADOS: Ao longo dos anos do estudo houve um aumento no número de casos de SG e SC. Número expressivo de sífilis gestacional em adolescentes, diagnóstico tardio, tratamento inadequado, parceiros não tratados, falta de realização de exames diagnósticos no recém-nascidos com sífilis congênita. CONCLUSÃO: É necessário a adoção de ações e estratégias robustas, investimentos adequados em saúde materno-infantil e a continuidade de esforços conjuntos para prevenir, controlar e erradicar a sífilis gestacional. O parecer técnico com recomendações é de extrema importância, pois fornece informações discriminadas e precisas sobre o estudo realizado, permitindo que decisões importantes sejam tomadas com base em fatos, dados, análises e recomendações. 

  • RAFAELLE SOUZA ALMEIDA
  • IMPLANTAÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM SERVIÇO PARA AVALIAÇÃO DE FUNCIONALIDADE EM TRABALHADORES RURAIS NO CENTRO DE REABILITAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MÃE DO RIO, PARÁ

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • O World Health Organization Disability Assessment Schedule (WHODAS 2.0) é
    uma ferramenta desenvolvida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para
    medir deficiência e incapacidade, apoiando o modelo da Classificação
    Internacional de Saúde, Incapacidade e Funcionalidade. A versão brasileira do
    WHODAS 2.0 foi traduzida e disponibilizada para uso pela OMS em 2015.
    Assim, o objetivo deste estudo foi validar a versão brasileira do WHODAS 2.0
    para uso em trabalhadores rurais. Participaram 110 pessoas (idade mediana:
    50 anos). Foram utilizadas duas ferramentas de avaliação: a versão de 36 itens
    do WHODAS 2.0 e o World Health Organization Quality of Life-bref (WHOQOL-
    abreviado). As propriedades psicométricas testadas foram consistência interna
    e validade de critério. Os valores de Alfa de Cronbach mostraram boa
    consistência interna na maioria das áreas. A validade do critério foi adequada,
    com correlações moderadas entre os domínios do WHODAS 2.0 e áreas do
    WHOQOL-abreviado. Os resultados indicaram a validade do WHODAS 2.0
    para avaliar a funcionalidade de trabalhadores rurais.


  • SIMONE GUALBERTO SCOTTA
  • CINESIOTERAPIA EXCLUSIVA NA REABILITAÇÃO DO MEMBRO SUPERIOR DE PACIENTES PÓS-TRATAMENTO CIRÚRGICO DE CÂNCER DE MAMA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA.

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, respondendo por cerca de 24,5% dos casos novos a cada ano. As cirurgias de mama ainda são o principal recurso para impedir a disseminação do tumor e para determinar o prognóstico da doença e tem evoluído a cada dia, procurando sempre o procedimento mais conservador em suas técnicas. Apesar de ser consenso que a fisioterapia deve ser incluída no programa de reabilitação física de pacientes submetidas a cirurgias na mama, ainda é bem controverso o tipo de movimentação ideal, melhor momento para início dos exercícios, se eles precisam ser realizados com supervisão ou não, e se o início precoce poderia aumentar a frequência de seromas e outras complicações. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo verificar, através de uma revisão sistemática, o benefício no uso exclusivo da cinesioterapia na reabilitação funcional precoce do membro superior de pacientes pós cirurgia para tratamento do câncer de mama. Métodos: Essa revisão sistemática seguiu as diretrizes do PRISMA e foi previamente registrado na PROSPERO. A pesquisa foi realizada nas bases de dados PubMed, PEDro, SciELO, LILACS e Cochrane Library. Para avaliar o risco de viés foi utilizado a RoB 2.0 e para qualidade de evidência foi utilizada a escala PEDRO. Resultados: Foram encontrados 113 estudos, porém obedecendo os critérios de inclusão e exclusão, realizou-se a análise de 3 estudos. Conclusão: O presente estudo ratifica os efeitos benéficos como a melhora na amplitude de movimento, dor e qualidade de vida na utilização da cinesioterapia de forma exclusiva como intervenção para funcionalidade do ombro em pacientes submetidas à cirurgia de câncer de mama, principalmente se iniciada precocemente. Registro de revisão: PROSPERO (CRD42023389392). 

  • CLARA NATALY MARTINS PEREIRA
  • Elaboração de um protocolo de desmame de cânula de traqueostomia em um hospital do estado do Pará

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A presença da cânula traqueal pode desencadear uma série de alterações anatômicas e fisiológicas que prejudicam a fonação e deglutição. Apesar da importância da decanulação no ambiente hospitalar, protocolos sobre a temática ainda apresentam grande variabilidade, sem um consenso estabelecido. Objetivo: Este trabalho tem como proposta a elaboração de um protocolo de desmame de cânula de traqueostomia aplicável à realidade de um hospital no estado do Pará. Métodos: Foi realizado uma revisão sistemática através das bases de dados Lilacs, Medline, Scielo e Pubmed, nos idiomas português e inglês, com os descritores: “cannula”, “weaning”, “protocol” e “tracheostomy”. Após a análise dos artigos, os resultados foram alinhados e utilizados para elaboração do protocolo de desmame de cânula de traqueostomia como proposta para uso nas UTI’s do Hospital Porto Dias. Resultados: A revisão resultou em 17 artigos sobre a temática. Baseado nos estudos foi construído um protocolo composto por 3 fases: seleção, avaliação e desmame. Conclusão: Um protocolo multiprofissional de desmame de cânula de traqueostomia foi elaborado, baseado em propostas já validadas. Assim, espera-se que a futura implementação do protocolo no hospital possa resultar em benefícios para os pacientes, a instituição e os profissionais. 

  • PRISCILA FARIAS FONSECA
  • MODELAGEM DE UM PROTÓTIPO DE APLICATIVO MÓVEL BASEADO NA UTILIZAÇÃO DO NURSING ACTIVITIES SCORE (NAS) NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI) DO HOSPITAL OPHIR LOYOLA (HOL)

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • A enfermagem é uma profissão dentre as outras da área da saúde que tem uma enorme responsabilidade com o paciente, suas atividades podem ser diretas ou indiretamente relacionadas a ele. Todas essas atribuições requerem deste profissional tempo para executá-las com qualidade de assistência. Entretanto, cada paciente apresenta um perfil diferenciado e conforme o grau de dependência deste, da complexidade da doença, das próprias características da instituição e mesmo do perfil dos profissionais da equipe de enfermagem, estas atribuições podem demandar maior tempo e exaustão da equipe se não estiver bem dimensionada. Todos esses fatores influenciam diretamente na qualidade da assistência à saúde prestada aos pacientes. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um setor dentro da unidade hospitalar de alta complexidade, com pacientes em estado de saúde crítico, que necessitam de equipamentos especializados para dar maior suporte na manutenção da vida. Estes pacientes em sua maioria apresentam instabilidade hemodinâmica, necessitando assim de cuidados de enfermagem diferenciados, qualificados e de forma contínua/integral.

  • ELIELSON PAIVA SOUSA
  • DISTRIBUIÇÃO DA CONTAMINAÇÃO POR MERCÚRIO EM PEIXES NA AMAZÔNIA BRASILEIRA

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Mercúrio na forma orgânica é encontrado contaminando alimentos, dentre os quais os peixes e frutos do mar. A dieta é a forma mais frequente de exposição entre indígenas e ribeirinhos, principalmente, para as mulheres em idade reprodutiva. Por isso, o uso de estratégias educativas é necessário para a prevenção dos danos decorrentes dessa exposição. O uso de estratégias educativas é necessário para os grupos mais vulneráveis, incluindo as gestantes que devem ser acompanhadas durante o período pré-natal. Objetivo: elaborar e analisar dois mapas temáticos sobre a contaminação por mercúrio de peixes capturados nos principais rios da Amazônia brasileira. Metodologia: Elaboração de um mapa como produto tecnológico para uso como estratégia educativa de prevenção da exposição ao mercúrio em regiões ribeirinhas. A construção desse produto se desenvolveu em duas etapas: a primeira consistiu em uma revisão da literatura sobre a contaminação por mercúrio de peixes da Amazônia, etapa necessária para a construção da segunda, que consistiu na elaboração dos mapas propriamente dita, com a utilização de técnicas de georreferenciamento. Resultado: Os produtos elaborados apresentam-se como Mapa 1 e 2, os quais mostram a distribuição da contaminação de peixes predadores e não predadores respectivamente, por bacia hidrográfica da região Amazônica. As concentrações de mercúrio em peixes foram acima do limite estabelecido pela ANVISA em 14 espécies predadoras e em três espécies não predadoras. Conclusão: A distribuição da contaminação por mercúrio nos rios da Amazônia brasileira é demostrada nos Mapas 1 e 2, os quais podem contribuir como estratégias educativas destinadas à prevenção da exposição ao mercúrio em populações vulneráveis da Amazônia, com destaque para as mulheres grávidas, as quais podem se beneficiar com esse conhecimento durante as consultas do pré-natal. Como medida de controle sanitário esse produto deverá ser divulgado no sistema de saúde e nas escolas das regiões envolvidas. 

  • JOAO GABRIEL PINTO GURSEN DE SOUZA
  • DESENVOLVIMENTO DE UM PROTOCOLO PARA REGISTROS INERCIAIS OBTIDOS DURANTE O TIMED UP AND GO

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • O teste Timed Up and Go (TUG) é vastamente utilizado para mensurar a mobilidade e a função
    física, sobretudo em idosos. Esse teste se constitui em aferir o tempo necessário para uma
    pessoa se levantar de uma cadeira, caminhar por três metros, retornar e se sentar novamente.
    Recentemente, diversas pesquisas tem proposto a utilização de registros inerciais durante o teste
    TUG, de modo a auferir medidas objetivas e particularizadas do desempenho e do movimento
    do indivíduo. Objetivo: aplicar análise de séries temporais inerciais obtidas durante o TUG
    baseada no vetor magnitude dos sensores. Métodos: trata-se de um estudo quantitativo do tipo
    transversal. A amostra foi composta por 212 indivíduos entre 18 e 90 anos. Um smartphone
    com o aplicativo Momentum Science instalado foi utilizado para obtenção dos registros inerciais
    a uma taxa de amostragem de 50 Hz. Para exposição dos dados foi apresentada estatística
    descritiva e o teste de correlação de Pearson. Resultados: os sinais inerciais demonstraram
    forma de onda dependente do tipo de sensor existente no smartphone. Foram extraídas 11
    características das séries temporais dos sensores inerciais durante o TUG. Além disso, foi
    possível perceber que alguns dos parâmetros retirados dos sinais inerciais do TUG são
    dependentes da idade. Conclusão: as formas de onda dos sinais inerciais são influenciadas pelo
    tipo de sensor utilizado no smartphone. O giroscópio exibiu três componentes transientes e o
    acelerômetro dois componentes partilhados por todos os participantes deste estudo. Além de
    ser identificado 11 características no TUG a partir do giroscópio e do acelerômetro. A duração
    total do teste, o tempo para ficar de pé, o tempo para caminhar três metros, o tempo para
    caminhar de volta e a velocidade angular máxima em G2 e em G3 são sensíveis a idade.


  • ELLEN DO SOCORRO CRUZ DE MARIA
  • DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA DISPOSITIVOS DE TELEFONIA MÓVEL PARA A AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS COMPRESSÕES TORÁCICAS DURANTE MANOBRA DE REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR

  • Data: 15/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A alta incidência de episódios de parada cardiorrespiratória vem desafiando não apenas profissionais de saúde quanto desenvolvedores de instrumentos para a avaliação das medidas de reanimação cardiopulmonar. Sensores inerciais tem sido umas das tecnologias usadas no monitoramento e na retroalimentação da qualidade das manobras de reanimação cardiopulmonar. A presença de sensores inerciais embutidos em aparelhos de telefonia móvel, abre um espaço para a criação de aplicativos que possam ser usados na avaliação da qualidade de manobras de reanimação cardiopulmonar, especialmente naquilo referente à qualidade das compressões torácicas. Métodos: Inicialmente foi usado um aplicativo de registro de sinais inerciais, Momentum Science, para colher os sinais inerciais durante a realização de manobras de reanimação cardiopulmonar por profissionais da área da saúde (n=15) em manequins de reanimação. Após isso, foi estimada a profundidade e a frequência da compressão usando um algoritmo proposto por Gonzales-Otero et al. (2014). Esses dados foram comparados com os dados registrados por manequins. Foi realizada ainda avaliação de usabilidade com dez usuários. Produto e Resultados: Foi desenvolvido um aplicativo em linguagem de programação Kotlin para ambiente Android, para uso extra hospitalar, voltado para a avaliação da qualidade das manobras de compressão cardiopulmonar. Sensível a leitura da frequência. Os usuários de forma geral se mostraram-se satisfeitos. Conclusão: O aplicativo resultante do estudo pode ser usado por profissionais e leigos em situações extra hospitalares. Fornecendo um feedback sensível sobre a frequência de compressão e facilitando o pedido de ajuda. 

  • MIRA NABIL SAID
  • ANÁLISE DOS DESFECHOS NEONATAIS EM GESTAÇÕES GEMELARES DIAMNIÓTICAS DICORIÔNICAS SUBMETIDAS À CERCLAGEM PROFILÁTICA

  • Data: 13/06/2023
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    INTRODUÇÃO: A gestação gemelar é uma das principais causas de trabalho de parto prematuro e, devido a isso, muitos estudos sobre medidas preventivas são realizados nesta população. Dentre as medidas avaliadas, estudos sobre o papel da cerclagem nas gestações gemelares são poucos e com resultados controversos. Devido ao pequeno número e resultados indefinidos, novas pesquisas sobre o papel da cerclagem profilática na prevenção do TPP, em especial para gestações gemelares dicoriônica diamniótica ainda são necessárias para melhor avaliação da sua real utilidade. OBJETIVO: Analisar os desfechos neonatais após cerclagem eletiva em mulheres com gestação gemelar diacoriônica diamniótica sem alteração do colo do útero. METODOLOGIA: Estudo de caso-controle sendo emparelhado um caso para cada dois controles, que incluiu no total 122 mulheres com gestações gemelares diamnióticas dicoriônicas. O Grupo Controle (n=80) foi composto por gestantes gemelares diamnióticas dicoriônicas que fizeram o seguimento de pré-natal usual. O Grupo de cerclagem (n=42) por gestações gemelares diamnióticas dicoriônicas que foram submetidas à cerclagem eletiva sem colo curto entre 12-16 semanas de gestação. Dados do pré-natal, parto, nascimento e puerpério foram analisados e comparados entre os dois grupos. Variáveis categóricas foram comparadas com qui-quadrado, contínuas utilizando teste t ou ANOVA e as associações através de regressão logística. As diferenças entre os grupos foram consideradas significativas quando p<0,05. RESULTADO: A hospitalização por Trabalho de parto prematuro foi maior no Grupo Controle que no Grupo Cerclagem (52,5% vs. 16,3%, P < 0,001), porém a ruptura prematura de membranas foi menor no Grupo Controle (5,0% vs. 20,9%, P=0,006). A idade gestacional do nascimento foi semelhante, entre o Grupo Controle e Grupo Cerclagem (36,1 vs.36,5 semanas, P = 0,429), por outro lado o tempo de internação materno foi maior no Grupo Controle (6,0 vs. 2,6 dias, P=0,001). As complicações maternas durante o trabalho de parto e pós parto foram maiores no Grupo Controle do que no Grupo Cerclagem (37,5% vs. 11,6%, P=0,002). Não houve diferença significativa nos dias de internação dos recém-nascidos. O Apgar de 1° e 5° minutos foram iguais no primeiro recém-nascido, entretanto foram menores no segundo recém-nascido no Grupo Controle. Apesar de não havermos encontrado diferença significativa na mortalidade fetal, ocorreram 4 óbitos fetais no Grupo Controle e nenhum no Grupo Cerclagem. CONCLUSÃO: A cerclagem eletiva realizada na gravidez gemelar diamniótica dicoriônica não aumentou a idade gestacional ao nascimento, porém foi associada a um menor número de internação por TPP, menos dias de internação e de complicações maternas e melhor Apgar no segundo recém-nascido. Por outro lado, a cerclagem foi associada a um aumento da internação por rompimento prematuro da membrana ovular. Nosso estudo demonstrou que a cerclagem uterina profilática em gestações gemelares diamnióticas dicoriônicas não alterou o desfecho principal que seria aumentar a idade gestacional ao nascimento.

  • ANDREZA OLIVEIRA FERREIRA LEITAO
  • AVALIAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO ENTRE OS NÍVEIS SÉRICOS DE ÁCIDO ÚRICO E OS PADRÕES DO ULTRASSOM DOPPLER OBSTÉTRICO NA DETERMINAÇÃO DO RISCO DE SOFRIMENTO FETAL/RCIU EM GESTANTES COM PRÉ-ECLÂMPSIA.

  • Data: 30/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pré-eclâmpsia ainda tem sua fisiopatogenia não totalmente esclarecida, porém seus efeitos deletérios à mãe e ao feto são bem conhecidos. O ultrassom doppler obstétrico é uma ferramenta de avaliação da vitalidade fetal, enquanto parâmetros clínicos e laboratoriais são utilizados para o seguimento e avaliação das gestantes acometidas por esta enfermidade. Objetivo: Comparar medidas clínicas e concentração sérica de ácido úrico de grupos de pacientes com pré-eclâmpsia com diferentes padrões ultrassonográficos doppler obstétrico. Métodos: É um estudo retrospectivo, no qual a partir de uma população de 879 prontuários de pacientes com pré-eclâmpsia, foram estudados 112 pacientes, sendo 79 com pré-eclâmpsia que apresentavam algum grau de sofrimento intrauterino identificado ao ultrassom obstétrico doppler e 33 pacientes com pré-eclâmpsia sem sinais de sofrimento fetal ao doppler obstétrico. Ao ultrassom doppler obstétrico, as pacientes foram divididas em 4 grupos: Presença de Restrição de Crescimento Intrauterino associado à alteração de doppler (RCIU+/Doppler+); Presença de Restrição de Crescimento Intrauterino sem alteração de doppler (RCIU+/Doppler- ); Ausência de Restrição de Crescimento Intrauterino associado à alteração de doppler (RCIU- /Doppler+) e Ausência de Restrição de Crescimento Intrauterino sem alteração de doppler (RCIU-/Doppler-). Os parâmetros de clínico-laboratoriais comparados aos 4 grupos foram: concentração de ácido úrico, idade materna, idade gestacional, pré-eclâmpsia grave e oligoidrâmnio. De acordo com o parâmetro analisado, foram aplicados os seguintes testes: teste de Shapiro-Wilkins, teste de Kruskal-Wallis, comparações múltiplas de Dunn quando necessário, o teste de Qui-Quadrado ou teste G com correção de Bonferroni quando necessário. Resultados: Houve diferença estatística (p<0,05) nas associações da concentração de ácido úrico e grupo RCIU+Doppler- e entre a presença de oligoidrâmnio e o mesmo grupo. Conclusão: Observou-se que a elevação de ácido úrico ou a presença do oligoidrâmnio estão associados ao maior risco de sofrimento fetal em pacientes com pré-eclâmpsia.

  • GISSELE MARIA FIGUEIREDO NUNES
  • REABILITAÇÃO NA COVID-19: PROPOSTA DE INTERVENÇÃO EM UMA ENFERMARIA CLÍNICA DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NA REGIÃO DOS CAETÉS, PARÁ.

  • Data: 06/03/2023
  • Mostrar Resumo
  • A pandemia da COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus) é atualmente o mais grave problema de saúde pública e a maior crise desafiadora a ser enfrentada no mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde(OMS), até meados de janeiro de 2023, no Brasil, foram registrados 36,7 milhões de casos confirmados. Essa doença tem referido várias sequelas e comprometimentos advindos de suas complicações sistêmicas variadas como exemplo a redução da capacidade pulmonar total, alterações cardíacas, psicológicas, físicas e motoras levando ao comprometimento generalizado, o que interfere no desempenho das atividades de vida diária e profissionais. Neste contexto, a intervenção fisioterapêutica, por meio da prescrição clínica de exercícios físicos de forma individualizada, torna-se importante em pacientes com Covid-19, por se tratar de uma intervenção pautada em uma avaliação prévia com testes de esforço padrão-ouro para avaliar a tolerância ao exercício, verificar a capacidade funcional e as respostas anormais dos sistemas musculoesquelético, cardiovascular e respiratório. Assim, previne e trata as alterações funcionais em órgãos e sistemas do corpo humano melhorando a força muscular, equilíbrio, coordenação, além de promover qualidade de vida. Trata-se de um ensaio clínico não-randomizado, longitudinal e prospectivo que teve como objetivo geral a verificação dos desfechos em curto prazo de um protocolo de reabilitação em pacientes com COVID-19 em ambiente hospitalar. A amostra constou de 17 pessoas com idade de 18 a 80 anos, avaliados antes e depois de cada sessão de tratamento com progressão da terapêutica a cada 5 dias de atendimentos, aplicação de instrumentos de avaliação e protocolo de reabilitação (Treino aeróbio e Resistido) em um hospital de referência na Região de Saúde Rio Caetés.

  • HELLOYZA HALANA FERNANDA AQUINO POMPEU
  • TECNOLOGIA EDUCACIONAL PARA ORIENTAÇÃO CIRÚRGICA SOBRE CURETAGEM NO PROCESSO DE ABORTAMENTO

  • Data: 27/02/2023
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Desenvolver tecnologia educacional, a partir do conhecimento e necessidades das pacientes submetidas à curetagem uterina, acerca das informações perioperatórias. Método: Estudo observacional, transversal com método descritivo e abordagem qualitativa. Realizou-se pesquisa com 11 pacientes que foram submetidas a curetagem uterina na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, no ano de 2022.Utilizou-se dois instrumentos para a coleta dos dados que posteriormente foram analisados segundo o modelo proposto por Bardin. Resultados: Constatou-se que o maior percentual das pacientes tinha de 24 a 29 anos, eram solteiras, pardas, renda de até um salário, do lar e com ensino médio completo. Após a interpretação dos dados emergiram 3 categorias: O desconhecimento das orientações perioperatórias; Informações perioperatórias importantes para as pacientes; Necessidade da tecnologia educacional para pacientes submetidas a curetagem uterina. Percebeu-se que de maneira geral todas as pacientes possuíam carência de conhecimento quanto o processo cirúrgico e cuidados pré e pós-operatórios. Conclusão: Constatou-se carência de informações perioperatórias e necessidade de tecnologia educacional para repasse dessas orientações, e foi indicado pelas pacientes cartilha ou folders, com figuras coloridas, e que possam ser disponibilizadas para as pacientes terem acesso posterior.

  • NARJARA FONTES XAVIER
  • MANUAL DE BOLSO DE SEMIOLOGIA: UM INSTRUMENTO DE FACILITAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA GRADUAÇÃO MÉDICA.

  • Data: 19/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • Tradicionalmente é na disciplina de Semiologia Médica que o contato alunopaciente ocorre. Segundo Dias et al. (2019), a produção e confecção de ferramentas didáticas pedagógicas, para o acadêmico de medicina, desde o primeiro ano até o último ano do curso, contribuem para a formação médica. Objetivo: Construir uma tecnologia, Manual de Bolso de Semiologia Médica, em formato digital (Portable Document Format – PDF) e impresso, para uso de facilitação do processo ensino-aprendizagem durante a graduação médica. A pesquisa foi realizada seguindo as seguintes etapas: Levantamento bibliográfico, Seleção e fichamento do conteúdo, Elaboração textual, Criação das Figuras (Fotos e Ilustrações) e Diagramação. Após o levantamento bibliográfico foram utilizados 17 artigos científicos e 3 livros-texto. A elaboração das Figuras é de produção dos autores deste trabalho. O estudo resultou em um produto intitulado: “Manual de Bolso: Semiologia Médica” com um total de 102 páginas e 73 figuras ilustrativas. O material pode ser aplicado durante toda a graduação, tanto nas matérias iniciais de ensino de habilidades médicas quanto no ciclo do internato, no qual o aluno se depara com as anomalias estudadas durante os anos anteriores, e pode praticar suas habilidades no paciente real.

  • LUCIANNA SERFATY DE HOLANDA
  • CONSTRUIR E VALIDAR UMA CADERNETA DE SAÚDE PARA O HIPERTENSO

  • Data: 18/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • A hipertensão arterial é o principal fator de risco modificável com associação independente, linear e contínua para doenças cardiovasculares (DCV), doença renal crônica (DRC) e morte prematura. A elaboração de tecnologias educativas que visem desenvolver e melhorar o conhecimento técnico-científico de profissionais da saúde na assistência, deve ser incentivada, pois promove a qualificação profissional, fortalecendo a prática assistencial da equipe da unidade básica de saúde. Objetivo Geral: Construir e validar uma caderneta de saúde para o paciente hipertenso: instrumento necessário, após análise terapêutica de hipertensos internados com síndrome coronariana aguda. Objetivos específicos: Verificar a prevalência de hipertensos com diagnóstico de síndrome coronariana aguda; Verificar a prevalência de pacientes hipertensos acompanhados em unidade básica de saúde; Analisar o conhecimento da equipe multiprofissional de saúde, desde a prevenção até o tratamento não medicamentoso do hipertenso, através do entendimento do próprio paciente sobre o assunto; Analisar o tratamento medicamentoso prescrito para esse grupo de pacientes; Analisar as alterações eletrocardiográficas desse grupo de pacientes, na admissão hospitalar; Criar e validar uma caderneta de saúde do hipertenso como instrumento tecnológico de auxílio às consultas; Buscar a editora para publicação da caderneta em formato digital e geração do ISBN, com posterior reprodução do produto impresso. Metodologia: Primeira fase: estudo observacional, analítico e transversal, com posterior produção de tecnologia educativa. Período de estudo: a coleta desta pesquisa foi realizada de março a maio de 2022, após aceite do Comitê de Ética em Pesquisa. População de estudo: foram incluídos 205 indivíduos com diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica, que foram admitidos no Serviço de Apoio da Triagem (SAT), serviço de urgência e emergência cardiológica, da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna do Pará, com diagnóstico de síndrome coronariana aguda Segunda fase: trata-se de uma pesquisa aplicada de tecnologia educacional que objetiva a criação de uma caderneta a ser utilizada em consultas do paciente com hipertensão arterial, pelos próprios hipertensos e por médicos generalistas, especialistas em clínica médica e médicos de família e comunidade, que conduzem doentes com hipertensão arterial. Terceira etapa: Validação da Caderneta, após a confecção do material, foi realizado a validação por 10 médicos especialistas em medicina de família e comunidade, cardiologia e clínica médica, sendo utilizada a escala do tipo Likert. Resultados: O uso prévio de drogas anti-hipertensivas apresentou proporção significante (89,8%) entre os pacientes da amostra estudada. Os pacientes com uso prévio ingeriam até três drogas associadas, sendo que o maior percentual de pacientes ingeria apenas uma (63,9%). Quanto à classe medicamentosa anti-hipertensiva mais utilizada, o bloqueador dos receptores de angiotensiva (BRA) foi o mais evidenciado (69,6%) seguido de inibidor da enzima conversora de angiotensiva (IECA) com 25%.Quanto a validação da caderneta junto aos especialistas, todos os itens foram considerados válidos, obtendo o IVC (Índice de Validade de Conteúdo) acima de 95%.Conclusão: Através dos resultados encontrados na primeira fase do estudo, viu-se a importância da construção da caderneta do hipertenso, sendo considerada válida após avaliação dos especialistas. 

  • ROMULO TEIXEIRA DOS SANTOS
  • PROTOCOLO TERAPÊUTICO DE PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS PARA AUXILIAR PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM DEPRESSÃO MAIOR.

  • Data: 11/01/2023
  • Mostrar Resumo
  • A depressão maior é uma doença que possui vários tipos de tratamento e o exercício físico pode auxiliar na diminuição dos sintomas depressivos dos pacientes que são atendidos pelos profissionais de educação física da Rede de atenção Psicossocial (RAPS). Objetivos: Desenvolver e validar um protocolo de prescrição de exercício físico que possa auxiliar os profissionais de educação física dos centros de atenção psicossocial (CAPS) no tratamento de pacientes com depressão maior. Métodos: Trata-se de um estudo exploratório, de enfoque descritivo e abordagem quantitativa. A construção do protocolo foi realizada através de uma revisão integrativa nas bases de dados PubMed, Lilacs, Cochrane Library, Google acadêmico, livros e artigos disponíveis integralmente, publicados nos últimos  cinco anos, escritos nos idiomas inglês, espanhol ou português, que abordavam os descritores exercício físico e depressão maior. Na segunda fase, a validação foi realizada por seis profissionais de educação física que atuam nos CAPS da Secretaria Municipal de Saúde de Belém, que avaliaram o protocolo elaborado através da revisão integrativa. Resultados: A partir da revisão integrativa,obteve-se um protocolo de exercício físico para auxiliar os profissionais de educação física no  tratamento de pacientes com depressão maior validado pelos profissionais de educação física dos CAPS da SESMA de Belém, com um índice de validade de conteúdo > 0,80. Conclusões: Esse trabalho auxiliou os profissionais de Educação física a prescrever exercícios físicos para pacientes com depressão maior que são atendidos nos CAPS de Belém, visto que a maioria desses profissionais não tiveram capacitação e especialização na area da saúde mental.

2022
Descrição
  • MARINA GORETH SILVA DE CAMPOS
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS SOBRE CUIDADOS NA TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL DOMICILIAR

  • Data: 23/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Pacientes em uso de nutrição enteral estão em constante risco nutricional e a maioria apresenta desnutrição ou perda de peso grave. Diversas complicações relacionadas ao uso da dieta enteral podem acometer estes pacientes e os cuidados no domicílio são importantes para evitá-las. O cuidador é o responsável pelo manejo da dieta e suas complicações, entretanto, a falta de conhecimento sobre o assunto e orientação ineficaz após a alta hospitalar podem gerar dificuldade no cuidado. Nesta perspectiva, o objetivo do estudo foi construir e validar vídeos educativos acerca de cuidados com a terapia nutricional domiciliar. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Núcleo de Medicina Tropical sob número 4.811.593. Inicialmente a tecnologia educativa foi desenvolvida pela escrita do roteiro após pesquisa na literatura sobre os assuntos que envolviam desde a produção até a administração da nutrição enteral domiciliar. Foram selecionados materiais de cunho científico de sociedades ou serviços de saúde. Depois de finalizado, o roteiro foi enviado à equipe responsável pela produção dos vídeos. Finalmente, os vídeos passaram pela validação de juízes especialistas os quais foram selecionados por meio da amostragem bola de neve por método de conveniência. Os juízes avaliaram elementos relativos aos objetivos, pertinência teórica e aspectos audiovisuais da série de vídeos. Por meio da escala Likert, os juízes julgaram os itens em escala numérica que variava de discordo totalmente até concordo totalmente. Para avaliar a concordância entre as respostas, utilizou-se o Índice de Validade de Conteúdo (IVC), sendo adotado neste estudo o ponto de corte de 0,8 para considerar a tecnologia válida. Como resultado foi obtido uma série de quatro vídeos educativos, com duração entre três a quatro minutos cada, totalizando cerca de doze minutos a série completa. Quanto aos juízes validadores, foram selecionados oito especialistas, sendo a maioria nutricionista (75%), seguida de um profissional da medicina e um da enfermagem (12,5% cada). O produto ao final teve o IVC de 0,98, sendo considerado válido. Este estudo possibilitou a elaboração e validação de uma tecnologia inovadora, por meio de vídeos educativos, que possa ser utilizada pelos profissionais da saúde nos mais diversos serviços para orientação de alta de pacientes em uso de nutrição enteral domiciliar.

  • ERISANDRA DO SOCORRO PEREIRA DE FREITAS
  • ELABORAÇÃO E VALIDAÇÃO DE APLICATIVO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COMO COADJUVANTE NA ADESÃO AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO DE PACIENTES COM FIBROSE CÍSTICA

  • Data: 20/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • Fibrose Cística (FC) é a principal doença hereditária potencialmente letal entre caucasianos, apresentando complicações sistêmicas e necessidade de um regime terapêutico que demanda tempo e dedicação, tendo-se aí, grandes barreiras à adesão ao tratamento. Ter uma ferramenta que possa atuar como coadjuvante ao processo de adesão à Reabilitação Respiratória pode ser uma alternativa para pacientes que necessitam de tratamento diário, trazendo ao mesmo, uma maior responsabilidade sobre sua recuperação e contribuindo para a melhora nos desfechos clínicos. Objetivo: Desenvolver e validar um Aplicativo (App) para smartphone que permita orientar e estimular pacientes portadores de FC a realizarem, de forma lúdica e correta, seus exercícios fisioterapêuticos, melhorando, desta forma, sua adesão ao tratamento domiciliar. Materiais e métodos: Trata-se de um estudo transversal de inovação tecnológica, analítico e descritivo, com o objetivo de elaboração e validação de um produto como ferramenta tecnológica. A pesquisa foi desenvolvida em etapas: Etapa 1: averiguação da viabilidade da utilização do App pelos seus usuários em potencial (amostragem e contato inicial). Etapa 2: elaboração e desenvolvimento do App FisioResp pela pesquisadora e por um profissional de T.I. Etapa 3: testagem e avaliação do App por pacientes/responsáveis e por profissionais que atuam na área de reabilitação respiratória e/ou de pacientes portadores de Fibrose Cística. Etapa 4: análise estatística das respostas. Resultados: Participaram do estudo 13 pacientes/responsáveis e 10 fisioterapeutas. A variação de idade no grupo dos pacientes, foi de 11 a 60 anos (média de ± 22,15 anos) e o gênero mais prevalente foi o feminino (53,85%). Sobre o quantitativo das respostas para cada item avaliado (25 itens) no Questionário de Validação do Aplicativo para Público-alvo, sete itens obtiveram aprovação total por parte do público-alvo (100% de respostas “sim”). Apenas dois itens obtiveram resposta “negativa”, recebendo 7,7% de rejeição do público-alvo (apenas 1 voto em cada item). Em relação ao grupo dos juízesespecialistas em fisioterapia/reabilitação, a idade destes variou de 32 a 65 anos, com média de 45 anos e o gênero mais prevalente foi o feminino (80%). Sobre as proporções das respostas para cada item avaliado (34 itens) no Questionário de Validação do Aplicativo Para Juízes-especialistas, onze itens obtiveram aprovação total por parte dos especialistas (100% de respostas “sim”). Apenas um item obteve uma resposta “negativa”, perfazendo, então, 10% (1 voto). Com isso, verificou-se que Aplicativo FisioResp foi considerado satisfatório na maioria dos quesitos, sendo que 30,5% do total dos itens (18, dos 59 itens) obtiveram unanimidade em resposta “positiva”. Os quesitos com menor quantidade de respostas “SIM” foram os relacionados com comportamento do App em relação a ausência de erros/falhas durante a execução, sendo que estes também podem estar relacionados com a qualidade do sinal de Internet do usuário ou com a dificuldade, em instalar um App enviado de outro usuário (Configurações de Segurança do celular). Conclusão: Este trabalho buscou trazer aos pacientes e aos profissionais fisioterapeutas mais uma ferramenta de auxílio terapêutico para tentar tornar a rotina de tratamento domiciliar mais prática e mais eficiente, levando em conta a individualidade de cada usuário. O Aplicativo-protótipo passou pela avaliação do público-alvo e de juízes-especialistas na área de saúde/reabilitação, a fim de qualificar aparência, usabilidade e conteúdo, obtendo resultados positivos, com adequabilidade e concordância entre os avaliadores. 

  • RAIMUNDO DE JESUS PICANÇO DA COSTA
  • AVALIAÇÃO DOS DESFECHOS OBSTÉTRICOS E PERINATAIS EM UMA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA NA REGIÃO DOS CAETÉS, PARÁ

  • Data: 06/12/2022
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil existem diversas políticas públicas voltadas para saúde da mulher, em especial as gestantes. As transformações fisiológicas podem gerar processos patológicos, colocando a vida da mãe e do feto em risco. A denominação Gestação de Alto Risco é ampla e diz respeito a todas as situações que podem ter interferência no processo normal de uma gestação. Conhecer o perfil dessas gestantes de alto risco, poderá facilitar o desenvolvimento de ações e de políticas públicas de saúde que minimizem os elevados índices de mortalidade materna e perinatal. Objetivo geral: Avaliar os desfechos obstétricos e perinatais de gestantes classificadas como alto risco em uma maternidade de Referência Regional. Materiais e Método: Tipo de Estudo: estudo epidemiológico, transversal, analítico, de abordagem quantitativa. Elaboração do Produto: O produto proposto por este trabalho é a elaboração de um RELATÓRIO TÉCNICO, que tem como finalidade apresentar os resultados extraídos de uma pesquisa, que venha apresentar um relato técnico ou científico, que possibilite uma visão ou retrato de determinada situação vivida. Resultados: a pesquisa foi composta por 121 parturientes diagnosticada como gestação de alto risco no momento da admissão hospitalar. No entanto somente 33% tiveram acesso a serviço especializado de prénatal de alto risco, 65.3% realizaram pré-natal de risco habitual em unidade básica de saúde, não chegaram a ser encaminhadas ao Alto Risco e 1.7% não teve acesso a nenhum tipo de pré-natal. O perfil socioeconômico das gestantes, predominantemente pertenciam a faixa etária entre 20 a 29 anos, cor parda, lavradora, residindo no meio rural, com escolaridade do ensino fundamental incompleto, em sua maioria não possuem ocupação remunerada regular, tinham renda familiar de até um salário mínimo e são beneficiárias do Programa Bolsa Família. A taxa de cesariana foi de 82.6% entre as pacientes pesquisadas. Dentre as pacientes atendidas, 38.8% estavam estáveis, 39.7% com Pré-eclâmpsia, 5.8% tiveram Hemorragia pós-parto, 4.1% evoluíram para Eclampsia, 1.7% para Síndrome Hellp e 9.9% estavam com Hiperglicemia. Dessas, 15 pacientes foram internadas na UTI e 2 evoluíram a óbito materno por eclampsia e hemorragia pós parto. Nos desfechos perinatais identificamos que 91.8% nasceram vivos, 8.2% em óbito fetal. 27.1% dos nascidos vivos internaram na UTI e/ou UCI Neonatal, sendo que 27.9% eram prematuros, 25.5% tinham baixo peso ao nascer, 12.3% sofreram algum tipo de asfixia ao nascer, pois tiveram Apgar abaixo de 7 no 5º minuto e 3.3% tiveram óbito neonatal. Diante deste achado ressaltamos a importância de avançar as políticas públicas inclusivas e redução das desigualdades sociais, favorecendo melhorar escolaridade e renda das gestantes e família. No campo da assistência pré-natal, observou-se a necessidade de uma organização mais adequada com capacitação de equipes, principalmente em classificação de risco, regulação de leitos para evitar a peregrinação da gestante e transporte seguro, além da oferta de medicamentos e exames.

  • ELZA SARA MAUES PENA
  • ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE FISIOTERAPIA BASEADO EM REALIDADE VIRTUAL NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO.

  • Data: 06/09/2022
  • Mostrar Resumo
  • Disfunções cardiovasculares e alterações do sistema nervoso autônomo são comuns no pós-operatório (PO) imediato de cirurgia cardiovascular, prejudicando a reabilitação de paciente submetidos a Revascularização do Miocárdio (RM). Assim, a busca de novos protocolos que auxiliem no processo de reabilitação vem se fortalecendo. Evidências apontam que à pratica de exercício físico após evento cardíaco melhora o consumo de oxigênio, capacidade funcional e promove adaptação cardiovasculares como à modulação da frequência cardíaca, aumentando a variabilidade da frequência cardíaca (VFC), redução da isquemia e ausência de efeitos colaterais. A inclusão da Realidade Virtual (RV) nesse cenário mostra-se uma estratégia viável e eficaz, trata-se de uma terapia imersiva que promove maior adesão, refletindo tanto na recuperação funcional quanto no menor tempo de internação hospitalar. Objetivo: Elaborar e aplicar um protocolo fisioterapêutico fundamentado no treinamento com RV em pacientes no PO de cirurgia de RM. Metodologia: Foi elaborado um protocolo fisioterapêutico baseado em RV, e em seguida realizado um ensaio clínico randomizado, onde três grupos foram distribuídos aleatoriamente em: Grupo Controle (GC) submetido a um protocolo de reabilitação convencional do Hospital, Grupo Mobilização Precoce (GMP) submetido a um protocolo de reabilitação baseado em exercícios com mobilização precoce e o grupo Realidade Virtual (GRV) submetido a exercícios puramente com Videogame Nintendo Wii. Ambos foram submetidos a avaliação da VFC no pré operatório e no quinto dia do pós-operatório (PO5). A análise dos dados foi realizada no programa IBM SPSS 25, para normalidade dos dados foi utilizado o teste de ShapiroWilk, à análise da variância dos dados foi realizada pelo teste MANOVA com post hoc de Tukey HSD e a análise dos dados demográficos pelo teste Qui-quadrado. Foi utilizado o effect size para determinar o efeito potencial dos diferentes tipos de intervenção. Produto e resultados: O produto desta dissertação foi a elaboração de um protocolo fisioterapêutico baseado em RV. A amostra final foi composta por 47 participantes. Houve predomino do sexo masculino, a idade média (anos) foi GC de 61,5±10,1; GRV de 63,9±12,45 e GMP de 62,3±17,7. O tempo de permanência na UTI (dias) GC de 10,1±4,13; GRV de 4,18±3,39 e GMP de 4,5±3,8 (p=0,05), tempo de alta hospitalar (dias) após alta da UTI foi GC de 15,5±6,8; GRV de 11,5±5,6 e GMP de 10,2±3,5 (p=0,05). Quando comparado o tempo de internação total o GRV e GMP tiveram menor tempo (dias) comparado ao GC, GC de 75,5±23,8; GRV de 58,48±5,6 e GMP de 55,15±20,2 (p=0,05). As variáveis RMSSD, SDNN, SD1 e SD2 demostraram aumento significativo nos grupos controle e experimentais no quinto dia do pós-operatório com melhores resultados nos GMP e GRV. Conclusão: O protocolo fisioterapêutico baseado em RV mostrou-se aplicável e seguro. Os protocolos de intervenção fisioterapêutico baseado em RV e MP afetaram a modulação autonômica da frequência cardíaca de forma positiva, promovendo maior modulação autonômica após os protocolos, além de reduzir o tempo de permanecia na UTI e o tempo de internação Hospitalar.

  • DIANA ALBUQUERQUE SATO
  • SEPSE NEONATAL TARDIA: RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PARA O MANEJO CLÍNICO EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL NA REGIÃO DO XINGUPA.

  • Data: 06/07/2022
  • Mostrar Resumo
  • A sepse neonatal é uma síndrome clínica responsável por elevada mortalidade em recém-nascidos (RN) anualmente em vários países. No Brasil, sua incidência é de 1 a 8 casos por 1.000 nascidos vivos. A sepse neonatal tardia (SNT), que ocorre após 48 horas de vida, representa importante problema de saúde pública para a Região Norte brasileira, uma vez que esta apresenta a maior taxa de mortalidade neonatal do país e que a incidência da SNT aumentou com a melhora na sobrevida de prematuros. Objetivo: Avaliar os casos de sepse neonatal tardia em internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) do Hospital Regional Público de Referência da Transamazônica(HRPT). Metodologia: Estudo retrospectivo, transversal e analítico que avaliou fatores de risco e outros aspectos associados a SNT em recém-nascidos internados na UTIN do HRPT, no período de 01 de janeiro de 2018 a 31 de dezembro de 2020. A amostra foi de 17 indivíduos e 23 casos de SNT, selecionadas por conveniência, e incluiu todos os recém-nascidos com sepse clínica ou sepse comprovada segundo critérios da ANVISA. Foram excluídos 16 recém-nascidos com malformação congênita grave e 2 por prontuários com informação insuficiente. Os dados foram coletados dos prontuários físicos do HRPT contemplando variáveis perinatais e neonatais. Resultados:Observou-se incidência de SNT de 5,9%, mortalidade de 17,6%, a idade materna mais frequente foi de 20 a 34 anos (76,5%), gemelaridade foi rara (n=1), RN <1000g e até 28 semanas foi 41,2%, 88,2% AIG, Apgar >=7 76,5%. Além disso, o uso de NPT foi 76,5%, 70,6% no RN recuperou PN até 20 dias de vida; 88,2% usaram ATB antes do diagnóstico de sepse  por mais de 5 dias (80%), sendo ampicilina/penicilina + aminoglicosídeo 73,3% destes; 70,6% não fez uso de CE pós-natal; 8 dos 17 realizaram procedimento cirúrgico, sendo a laparotomia a mais frequente (75%). Comorbidade estava presente em 88,2%, sendo SDR e PCA as mais frequentes (53,3% e 33,3%, respectivamente). 88,2% fizeram uso de VMI, 64,7% usaram CVC mais de 20 dias sendo PICC o mais utilizado (70,6%). Das HMC 64,7% foram positivas sendo o agente mais comum aK. pneumoniae(45,5%), seguida deCandida spp(27,3%). O sítio de infecção mais frequente foi a corrente sanguínea (52,9%). Em análise multivariada, houve correlação entre o peso <1000g e óbito.Conclusão: O presente estudo da SNT na região do
    médio Xingu identificou o perfil microbiológico com predomínio de bactérias GRAM 
    negativas e fungo, alto uso de antimicrobianos de amplo espectro, baixo uso de cateter venoso umbilical, a alta letalidade de doença e acentuada mortalidade em menores de1000g. Novas pesquisas são necessárias para verificar a sassociações observadas,bem comopara avaliaro impacto dapandemia da COVID-19 na mudança do perfil da unidade. A tecnologia educativa do tipo cartilha produzida com base nessa pesquisa vai contribuir com a melhoria da assistência aos RN com SNT na região. 

  • BIANCA CAROLINE SILVA DA CUNHA
  • DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA ELETRÔNICA DE ORIENTAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS PARA PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA.

  • Data: 10/06/2022
  • Mostrar Resumo
  • Os países ocidentais observam as doenças cardiovasculares liderarem as estatísticas de causa de morte a décadas. No Brasil, as doenças do aparelho circulatório também representam as principais causas de óbitos. As cirurgias cardíacas, sendo as mais comuns as reconstrutoras, que incluem as revascularizações do miocárdio e as plastias de valva, são intervenções complexas e requerem um tratamento adequado em todas as fases operatórias. O período pós-operatório é um momento em que os pacientes são acometidos por diversas alterações orgânicas, em decorrência da exposição aos efeitos tissulares provocados pelo desgaste cirúrgico. Entendendo a importância e a necessidade dos cuidados pós-operatórios à pacientes submetidos à cirurgia cardíaca e como as tecnologias móveis podem oportunizar intervenções direcionadas ao autocuidado, acreditamos que a criação de um aplicativo para dispositivos móveis seja uma estratégia para auxiliar na promoção e proteção da saúde desses indivíduos. Objetivo: Desenvolver um aplicativo como ferramenta de apoio ao autocuidado de pacientes em pós-operatório de cirurgia cardíaca. Metodologia: Este trabalho constituiu-se de uma revisão de literatura para o desenvolvimento de uma ferramenta eletrônica, seguida de uma avaliação tecnológica transversal para validação do instrumento. O algoritmo foi desenvolvido no programa XMindVersion: XMind 8 Update 3 (Copyright© 2006 – 2017 XMindLtd.) para então ser introduzido em um aplicativo para sistema Android. O aplicativo foi disponibilizado para pacientes em pré-operatório de cirurgia cardíaca, internados na Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna e foi avaliado pelos pacientes após uma semana de uso e por um grupo de profissionais que trabalham diretamente com cirurgia cardíaca. Os programas Microsoft Office Excel® 2019 e Statistical Package for Social Sciences, SPSS® foram utilizados para análise estatística. O nível de significância admitido será p≤0,05 ou 5%. Resultados: A pontuação total obtida através da soma dos itens da escala Likert foi de 611 ± 0,63, correspondendo a 91,8% da pontuação máxima (665 pontos). Isso evidencia que o aplicativo foi positivamente avaliado pelos especialistas. O valor de alfa de Cronbach considerando todas as dimensões foi de 0,507 o que evidencia uma consistência interna dos itens da escala Baixa. Os domínios “concepção da apresentação” e “qualidade do conteúdo” foram os que apresentaram
    maior alfa de cronbach.

  • BRUNA RIBEIRO DE ARAÚJO LIRA
  • APLICATIVO MÓVEL PARA ORIENTAÇÃO DE ENFERMEIROS USUÁRIOS NA REALIZAÇÃO DE EXAMES DE IMAGEM.

  • Data: 23/05/2022
  • Mostrar Resumo
  • Desenvolver um aplicativo móvel  para celular, para facilitar prescrição de preparos de exames de imagem por enfermeiros e a orientação destes preparos aos usuários que acessam Divisão de Diagnóstico Por Imagem (DDI) do Hospital Ophir Loyola. Metodologiaestudo aplicado na modalidade de produção tecnológica, descritiva, com abordagem qualitativa, utilizando o modelo de Design Instrucional Contextualizado (DIC) para o desenvolvimento de um aplicativo. O DIC é adotado para descrever uma proposta construtiva na ação intencional de planejar, contextualizar os conteúdos e as ferramentas
    disponíveis pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s). Resultados: Diante das respostas recebidas foi possível constatarque o aplicativo móvel deveria estar baseado em objetividade e facilidade de navegação, assim como informações claras e com linguagem acessível a todos os públicos.O AMEI/HOL, apresenta área de navegaçãoclara e objetiva para facilitar o acesso. Conclusão: Desta forma houve a construção do aplicativo móvel
    baseado na realidade vivida pela instituição de saúde, atualização de protocolo obsoleto e nas principais dúvidas dos públicos alvo em relação ao tema, como forma de atingir o máximo de satisfaçãodosblicose tambémosobjetivosdoestudoaquipropostos.

  • PAULO CESAR GUTERRES RIBEIRO
  • AVALIAÇÃO DA SAÚDE FUNCIONAL DOS IDOSOS DA ESF 3 DA UNIDADE DA GUANABARA ATRAVÉS DO MÉTODO SAFE

  • Data: 27/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Com avanço da idade as pessoas ficam mais suscetíveis em se tornarem portadores de doenças crônicas (WARD,2018).No Brasil, nos últimos 50 anos, a população brasileira envelheceu. Os idosos passaram de um grupo de 4,7% (1960) para 12,6% (2012). (DOLL, 2015) O equilíbrio da mente e do corpo são fundamentais para adquirirmos um estado de felicidade, pois o envelhecimento é dinâmico, progressivo e apresenta diversas modificações biológicas, psíquicas e sociais (LIMA, 2010).OBJETIVO:A seguinte pesquisaavalioua saúde funcional dos idosos da ESF 3 da Unidade Básica de Saúde da Guanabara através do Método SAFE. METODOLOGIA:Foi aplicadooMétodoSAFE, o qualgerourespostas oriundas por mais de 50 biomarcadores de mente e corpo através de entrevistas, testes, escalas e medidas corporais. A amostra teve47 pessoas do sexo masculino e 47 do feminino acima de 60 anos. Após arealização doMétodoSAFEserá analisadoosbiomarcadores físicos e mentais,aplicandométodos estatísticos descritivos e inferenciaiscomo o teste Qui-quadrado de aderência e inferência e o teste t de Student.Osresultadosabordados foram:Equilíbrio Mente;Equilíbrio Corpo;Classificação do Estilo de vida SAFE e TEIA de Saúde Funcional.RESULTADOS:NoEquilíbrio Mente a maioria das pessoas considera ter uma vida saudável dentro dos parâmetros do Método,sendoque a Capacidade FuncionalPercebidaentremulherese homensfoiestaticamentediferente(p-valor=0.0056)e o biomarcador Nível de Dor foino geralabaixodo parâmetro. No EquilíbrioCorpo foi observado que a maioria dos idososencontra-se abaixo dos parâmetros avaliados. No EstilodeVida Safe ao verificarmos de forma geral temos que o idoso da unidade se encontra na Classificação Z3 (76,6%).E na Teia de Saúde Funcional temos que aDorfoi a categoriamaisrelevantepara prejudicar a Saúde Funcional dos idosos.CONCLUSÃO:A maioriadas pessoas ao serem interrogadas sobre sua saúde respondem de forma positiva, mas ao serem avaliadasde forma objetiva comtestescomoIMC,Circunferênciaabdominalepráticasdeatividadesfísicas percebe-se que elas precisam melhorar suaSaúde Funcional.Dessa forma, o trabalho teve como objetivo também criar uma cartilha para melhorar a saúde funcional dos idosos da unidade.

  • AMANDA CAROLINE DUARTE FERREIRA
  • GRANDES PROJETOS ECONÔMICOS E IMPACTOS NA SAÚDE HUMANA: A GEOEPIDEMIOLOGIA DA SÍFILIS EM ALTAMIRA-PA FACE A CONSTRUÇÃO DA USINA HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE.

  • Data: 25/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho,apresenta-se comportamento e pidemiológico da sífilis gestacional no município de Altamira Pará,e correlaciona a incidência de casos com o georreferenciamento dos endereços fornecidos na notificação do SINAM. Não obstante, demonstra-se as unidades básicas de saúde mais próximas das gestantes que positivaram para sífilis no período gestacional. Logo, o objetivo neste estudo foi caracterizar epidemiologia espacial dasífilis em gestantes e influência da instalação da UHE Belo Monte, para operíodo de 1anos, no município de Altamira, Sudoeste do estado do ParáO estudo teve como premissa apesquisa descritiva e exploratória, por analisar em Altamira a distribuição da sífilis gestacional em um período de 12 anos. É também um estudo observacional ecológico retrospectivo que investiga a distribuição espacial e temporal da sífilis gestacional em Altamira e a relação com a implantação da UHE Belo MonteOs resultados obtidos demonstraram que 499 casos de sífilis gestacional foram notificados nesse período, dos quais 436 são residentes (434 notificados no próprio município de Altamira e 2 notificados em Vitória do Xingu). Na análise, os casos notificados residentes do município de Altamira401 casos eram residentes do espaço urbane  35 do espaço rural, logo, 91,97% dos casos foram registrados no espaço urbanoPara o período destacado, observa-se crescimento progressivo no número de notificações de sífilis gestacional ao longo do período estudado, saltando de 4 casos em 2008 para 51 casos em 2019, mas com um pico de 70 casos em 2018. Outro achado é que o serviço de saúde que mais notificou foi o hospitalar, demonstrando que existe fragilidade dos serviçode atenção primárià saúde. Por fim conclui-se que o realocamento das famílias, devido a barragem, se deu de forma afastadas do centro da cidadeconstituindo novas comunidades, e novas regiões periféricas foram criadas acompanhadas de suas vulnerabilidades, ocorrendoo aumento de doenças negligenciadas na regiãouma delas, asífilisO estudo é relevante para o fortalecimento de diversas estratégias que  estão sendo traçadas pelo ministério da saúde, com os objetivos de prevenir, de detectar precocemente e de tratar o mais breve possível.

  • DANIELA BATISTA FERRO
  • URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA:Elaboração de tecnologia educacional com metodologias ativas para capacitação em parada cardiorrespiratória.

  • Data: 06/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • Asdoenças cardiovasculares representam um relevante problema de saúde pública, devido ao elevado números de óbitos decorrentes da Parada Cardiorrespiratória(PCR). No Brasil, estimase que anualmente ocorram aproximadamente 200.000 paradas cardíacasnecessitando assim dediagnóstico e manobras de Reanimação Cardiopulmonar(RCP) rápidos, precisoe iniciadoprecocemente a fim de aumentar as chances de sobrevidas. Considerando que a atenção primáriaestá inserida como um dos níveis da Rede de Atenção às Urgênciassurge então, a necessidade de estratégias de ensino através de metodologias ativas para favorecer um atendimento da parada cardiorrespiratória com qualidade que exigem decisões rápidas e competência técnicaOBJETIVOConstituiem elaborar aplicar uma estratégia de metodologia ativa para a capacitação de Parada Cardiorrespiratória na Atenção PrimáriaMETODOLOGIA:Trata-se de uma pesquisa qualitativa. Realizada no Centro de Saúde do município de Altamira-Pará. Esse estudo apresenta com o produto o protocolo de tecnologia educacional com metodologias ativas para capacitação em parada cardiorrespiratóriafundamentadoatravés das diretrizes atualizadas da American Heart Association(AHA)estrutura da capacitação procedeu emAula teórica dinâmica; Abordagem práticade reconhecimento de PCR e manejo de RCP; simulação realística in situ de atendimento PCR; Abordagem através de debriefing para realinhar e fortalecer o aprendizado no processo de capacitação. Ao término desse processo utilizou-se o questionário para avaliar a aplicabilidade da metodologia proposta e conhecer as potencialidades e entraves envolvidos no processo da capacitação. Para análise dos dados aplicou-se atécnica de Análise de conteúdo. RESULTADOS:O fundamento teórico-prático, simulações e de briefing foram caracterizadas pela interação proativa e significativados profissionais. Emergiramas seguintes categoriasEstratégia inovadora de ensino; Aprendizagem na ambiência do serviço; Construção desaberes; Desafios nas habilidades práticas e afetiva na PCR e Organização do processo de trabalho na APSCONCLUSÃO: Oconjunto das metodologias ativas apresenta avaliações satisfatórias e  otimizadora do conhecimento, constituindo-se um meio de tornar a aprendizagem significativa, efetivando a aplicabilidade da educação permanente de forma contributiva o que corroborou com o aprimoramento de conhecimentos dos profissionais para com a qualidade da assistência prestada naPCR.

  • ANTONIO VIVALDO PANTOJA
  • DIABÉTICONAATENÇÃOPRIMÁRIADESAÚDE:RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS DE MANEJO CLÍNICO-ASSISTENCIAL PARA A REGIÃO DO XINGU-PA

  • Data: 06/04/2022
  • Mostrar Resumo
  • O pé diabético é uma condição clínica de origem neuropática podendo ou não estar associada à doença arterial periférica, levando as complicações como as úlceras e até mesmo amputações. Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo analisar as características clínica, metabólicas, inflamatórias e complicações associadas aos pacientes portadores de pé diabético da região do Xingu - PA, a fim de se elaborar um parecer com recomendações técnicas de manejo clínico-assistencial. Trata-se de um estudo descritivo em formato de séries de casos com abordagem quantitativo e qualitativo. Os dados foram representados em tabelas, gráficos e figuras e submetidos à análise descritiva. O estudo envolveu 15 pacientes adultos de ambos os sexos portadores de úlceras do pé diabético atendidos na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro de Brasília, Altamira-PA e com dados coletados no período de janeiro de 2020 à janeiro de 2022. A pesquisa constatou que 93% dos pacientes eram portadores de diabetes do tipo 2 associada à hipertensão arterial, 60% apresentaram úlcera grau 1, ou seja, superficial e não infectada e 40% grau 2, profundas com ausência de abscesso ou osteomielite de acordo com a classificação de Wagner para pé diabético. Em relação às complicações macrovasculares: 53,3% evidenciaram ateroma de carótidas, 6,6% doença arterial periférica e 13,2% as duas. Em relação as microvasculares: 53,3% tinham neuropatia e retinopatia; 40% neuropatia, retinopatia e nefropatia associadas; 6,6% apenas neuropatia. Constatou-se que a falta de um seguimento assistencial multidisciplinar e ações preventivas na atenção primária das Unidades Básicas de Saúde favorecem para o avanço da doença, resultando nas complicações supracitadas. Dessa forma, corroborando-se para um aumento expressivo de gastos em saúde pública, piora da qualidade de vida, perda da capacidade laborativa e aumento da morbimortalidade. Face ao exposto, foi elaborado um parecer técnico (APÊNDICE A) como produto da pesquisa que visa subsidiar gestores municipais de saúde da região do Xingu - PA, com recomendações técnicas sugeridas de manejo clínico-assistencial na atenção primária aos portadores de pé diabético, priorizando uma abordagem multiprofissional e interdisciplinar com foco na prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento desses pacientes.

  • RAFAELA CAROLINE AMADOR FERREIRA
  • ÁLBUM PARA EDUCAÇÃO PERMANENTE DE PROFISSIONAIS DESAÚDE SOBRE ALTERAÇÕES DERMATOLÓGICAS EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS.

  • Data: 31/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, em 2020, foram diagnosticados 32.701 novos casos de infecção pelo HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). As alterações dermatológicas ocorrem em mais de 90% das PVHA (Pessoas vivendo com HIV/AIDS). Lesões cutâneas podem ocorrer em vários estágios clínicos no curso da história natural da infecção pelo HIV.Objetivo:Produzir uma tecnologia no formato de álbum e em PDF“Portable Document Format”com as principais alterações dermatológicas em PVHA. A pesquisa metodológica foi realizada em duas etapas: estudo
    transversal; produção de tecnologia. Foram incluídos 50 indivíduos vivendo com HIV com demanda dermatológica no cenário de internação hospitalar e ambulatorial que aceitaram participar da pesquisa através do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HUJBB de acordo com número do parecer 3.950.307.Osdadosforamcoletadosatravésdeavaliaçãodermatológicadopaciente,
    construçãodeumquestionáriocomcaracterísticasdaslesõeseregistrofotográfico. Confecção de tecnologia no formato álbum imprenso e tecnologia digital em formato de PDF, com as principais doenças dermatológicas em PVHA classificadas nas principais etiologias (neoplasias, inflamatórias, infecciosas e farmacodermias). Foram avaliados para a produção desse álbum cinquenta pacientes e selecionados para divulgação, vinte e seis. Eleitos devido a
    sua importância, frequência, magnitude da doença, além da complexidade do caso clínico. O álbum é inovador e age sobre um grave desafio da saúde pública mundial: a segurança no reconhecimento clínico e diagnóstico de doenças tropicais negligenciadas (DTN), como o HIV/AIDS e as diversas outras doenças oportunistas apresentadas em imagens reais e de alta qualidade.

  • RODRIGO TAVARES NOGUEIRA
  • CARTILHA DE ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL PARA IDOSOS NA REGIÃO AMAZÔNICA: UMA FERRAMENTADE EDUCAÇÃO PARA MELHORA D ANUTRIÇÃO E SAÚDE DE IDOSOS AMBULATORIAIS

  • Data: 21/03/2022
  • Mostrar Resumo
  • O número de pessoas idosas no mundo aumentou de forma significativa nos últimos anos,e junto com tal transição inúmeras mudanças advindas do envelhecimento tornam-se importantes no cuidado associadoa essa condição.Alterações fisiológicas do envelhecimento como diminuição do apetite, retardo no esvaziamento gástricoeproblemas dentários,aliados a problemas crônicos desenvolvidos no decorrer da vida impactam diretamente no consumo alimentar e consequentemente no estado nutricional de idosos, o qual pode se potencializar devido a restrições educacionais e financeiras. Sendo assim, um adequado consumo alimentar adaptado às condições clínicas e socioeconômicas podem interferir positivamenteno estado nutricional, na prevenção e no controle doenças.Objetivo:Avaliar o perfil epidemiológico, clínico e nutricional de idosos ambulatoriais e elaborar uma cartilha para educação em nutrição para idosos. Metodologia:Trata-se de um estudo observacional, de recorte transversal, de naturezaquantitativa, com análise estatísticae com objetivo de elaboração de uma ferramenta educativa alimentar para idosos.Para a elaboração da cartilha será previamente caracterizado o estado nutricional e clínico dos idosos participantes, a partir de variáveis antropométricas, dietéticas, socioeconômicas, bioquímicas e clínicas

  • MATHEUS ROCHA MAIA
  • PROTOCOLO DE MANEJO DE CIRROSE HEPÁTICA E COMPLICAÇÕES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JOÃO DE BARROS BARRETO

  • Data: 28/01/2022
  • Mostrar Resumo
  • A cirrose hepática é um patologia de etiologias variadas, de modo que se caracteriza pelo processo inflamatório crônico do parênquima hepático e subsequente fibrose com formação de nódulos de regeneração, o que implica na ocorrência de inúmeras complicações da doença, a exemplo da encefalopatia hepática, da ascite, peritonites
    infecciosas, síndromes hepatorrenal e hepatopulmonar, as quais culminam com elevada morbimortalidadeporhepatopatiacrônica,associadoanecessidade frequente de internação hospitalar afim de manejo clínico adequado das mesmas. Nesse contexto, a necessidade crescente de padronização das ações que compõem o plano terapêutico necessário à assistência a esse paciente evidencia a eficácia de
    protocolos clínicos operacionais. Desse modo, teve-se como objetivo geral desse trabalho a elaboração deum protocolo clínico assistencial sobre cirrose hepática e suas complicações para uso em enfermaria de clínica médicado Hospital Universitário João de Barros Barreto, Belém, Pará, além de avaliar aqualidade técnica do produto dessa pesquisa a partir da utilização doinstrumento AGREE II (Appraisal of Guidelines for Research & Evaluation II). Método:O estudo foi composto por três (3) momentos distintos, sendo eles arevisão integrativa da literatura sobre a cirrose hepática e suas complicações,confecção de protocolo clínico assistencialeavaliação e validação da qualidade e do rigor metodológico do protocolo. Foi realizadarevisão integrativa da literaturae confecção do produto da pesquisa seguindo as recomendações para construção de protocolos clínicos e assistenciais definidas pelaEmpresa Brasileira de ServiçosHospitalares(EBSERH)epeloComplexohospitalaruniversitárioda Universidade Federal do Pará (CHUUFPA). A análise qualitativa do produto através do AGREE II evidenciouuma avaliação global do protocolo de 96,4% de aprovação e 100% de recomendação de uso. Concluiu-se que o protocolo alcançou elevado grau
    de aprovação, tendo todos seus domínios aprovados com qualidades superiores a  75%, além de validação e aprovação interna no cenário de assistência à saúde ao qual ele foi idealizado, necessitando, contudo, de vigilância contínua dos marcadores e indicadores em saúde propostos afim de avaliar eficácia do mesmo.

2021
Descrição
  • DEBORA GONÇALVES DA SILVA SARMANHO
  • APLICATIVO MÓVEL PARA AUXÍLIO NA VIGILÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL PELOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NA ATENÇÃO BÁSICA: CONSTRUÇÃO DO PROTÓTIPO VIGIEP.

  • Data: 30/12/2021
  • Mostrar Resumo
  • Dentre as estratégias voltadas para atenção integral à saúde da criança, Caderneta da Crianças e apresenta como instrumento essencial, por ser o documento onde são registrados os dados e eventos mais significativos para a saúde infantil. Embora pesquisas no âmbito da saúde reforcem sua importância, constatam também sua subutilização. 

    Atualmente, o uso crescente de novas tecnologias na área da saúde tem contribuído para aproximar os profissionais de saúde às novas estratégias de avaliação e diagnóstico, além de contribuir para o acesso e processamento rápido das informações, intervindo diretamente na tomada de decisão, acompanhamento clínico e prognóstico.

    Uma das maiores vantagens no uso de softwarestrata-se da possibilidade de serem desenvolvidos como aplicativos para dispositivos móveis, como celulares, facilitando o uso, o acesso etornando prática a mobilidade dorecurso para diversos lugares, independentemente da plataforma ser utilizada. OBJETIVO:Descrever o desenvolvimento de uma tecnologia em saúde, no formato de aplicativo para aparelhos de telefonia móvel, visando ao auxílina vigilância do desenvolvimento infantil pelos profissionais desaúde na atenção básica. 

    METODOLOGIA: Trata-se de estudo metodológico para produção tecnológica, descritivo, baseado na engenharia
    de software 
    fundamentado no ciclo de vida de softwareconstituídode etapas: planejamento, análise de requisitos e prototipagem. O conteúdo informacional foi baseado no Instrumento de Avaliação do Desenvolvimento Integral da Criança, validado e preconizado pelo Ministério da Saúde, constante na parte II-Registros do Acompanhamento da CriançaAcompanhando o Desenvolvimento: Vigilância do Desenvolvimento infantil da Caderneta da Criança(versãoimpressa 2020).

    A programação do protótipo foi realizada por um programador profissional em ambiente de programação Android Studios linguagem JavaForamusados kits de desenvolvimento de software (SDK) para dispositivos Android programados módulos de interfaces. RESULTADOS: O protótipodenominado vigiepapresentou adequado funcionamento em dispositivos móveis com sistema operacional Android. Foi gerado um arquivo com extensão (APK) para possibilitar a sua instalação. Uma vez instalado, osoftware tem suas funcionalidades preservadas somente com o dispositivo eletrônico on-line, entretanto, as informações já inseridas não são perdidas, caso o usuário perca a conexão da internet. Em estudo futuro, pretende-se avaliar a usabilidade do protótipo com usuários, entendendo que é o método mais utilizado e essencial para disponibilizar um produto de qualidade e que satisfaça as necessidades do usuário. O registro será solicitado ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial

    CONSIDERAÇÕES FINAISNo contexto da atenção integral ao cuidado na infância, faz-se necessária a utilização de tecnologias que possam oportunizar uma prática mais rápida, resolutiva eficiente. Espera-se que protótipo oportunize melhoria na operacionalização da vigilância do desenvolvimento infantil, instrumentalizando-de forma maisacessível eeficiente, sobretudo na identificação precoce de atrasos do desenvolvimento e na tomada de decisão para encaminhamento a outros níveis de atenção ems aúde, podendo ser utilizado como auxílio pelos profissionais de saúde na atenção básica, na práticada assistência, bem como na pesquisa e no ensino, contribuindo com o processo de ensino aprendizagem de acadêmicos e residentes na área.

  • RENAN ROCHA GRANATO
  • HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA EM PARTURIENTES DA REGIÃO DO XINGU. EXISTE ASSOCIAÇÃO COM A EXPOSIÇÃO AOMERCÚRIO?

  • Data: 15/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • Introdução:Na gravidez, a elevação da pressão arterial pode se apresentar com características diferentes as da população geral, daí ser reconhecida pela OMS como Desordens hipertensivas da gravidez,condições que contribuem para o aumento da mortalidadematerno-fetal.Váriosfatoresestãoassociadosàhipertensãoem grávidas, dentre os quais, a exposição aos metais pesados, incluindo o mercúrio que mostrou efeitos em doenças cardiovasculares.Objetivo:Investigar a prevalência da hipertensãoarterialsistêmicaesuaassociaçãocomaexposiçãopré-natalao mercúrio em parturientes da região do Xingu atendidas no Hospital Geral de Altamira São Rafael (HGASR).Metodologia:Estudo observacional, transversal, prospectivo envolvendo parturientes atendidasno HGASR no período de março adezembrode
    2020.Resultados:Foramselecionadas 110gestantes atendidas durante e após o partoprocedentes da região do Xingu,que apresentavamperfil sociodemográfico similar ao de gestantes de áreas rurais da Amazônia:mulheres jovens (idade mediana de 24 anos),em união estável ou casadas, baixasrenda e escolaridade) e com pouco
    consumo de peixe na dieta.A pressão sistólica média foi 119 e adiastólica 78,7 mmHg.A frequência de hipertensão arterial sistólica foi 9,5% igualmente, para a diastólica, e 7,6% apresentaramambas. A prevalência de exposição ao mercúrio foi baixa.Dentre as 28 mães que apresentaram hipertensão, a concentração mediana de HgTotal foi 0,18μg, com valor máximo de 2,90μg/g, enquantoa nasmães sem hipertensão foi 0,16μg/g.Conclusão:Não houve correlação entre as concentrações de HgTotal e os níveis de pressão arterial. A associação entre concentrações de HgTotal e consumo alimentar de peixes foi observado apenas para hipertensão arterial sistólica.Estudos sobre a influência da exposição ao mercúrio e hipertensão arterial na gravidez, particularmente, em áreas impactadas pelo mercúrio de origem antropogênico devem serestimulados para melhor compreensão desse agravo e  contribuição para saúde materno-infantil.

  • JACQUELINE NOGUEIRA DA SILVA
  • EXPOSIÇÃO PRÉ-NATAL AO MERCÚRIO NA REGIÃO DO RIO XINGU: UMA PROPOSTA COMPLEMENTAR À ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL.

  • Data: 15/10/2021
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo foi investigar a exposição pré-natal ao mercúrio através da ingestão de peixes durante a gravidez,na região do Xingu, Estado do Pará. Participaram 107 paresdemães eseusrespectivos recém-nascidos atendidos ao parto emHospital público de referênciapara a região. Informaçõessociodemográficas, epidemiológicas e reprodutivase afrequênciade ingestão de peixes no último trimestre da gestaçãoforam analisadas, bem como os resultados das medidas de concentrações demercúrio total (HgT)em cabelo materno e cordão umbilical.
    O perfil socioeconômico das parturientes foi similar ao encontrado em alguns estudos realizados na população de ribeirinhosda Amazônia,baixo grau de instrução, baixa renda familiar e predominância da cor parda.O quadro epidemiológico e reprodutivomostra nenhuma fumante,3,7% e1,9%usaramrespectivamente, álcool e droga ilícita durante a gravidez.O parto pré-termo correu em4,7%dosrecém-nascidos, 13,1% com baixa estatura e 9,3% comperímetro cefálico abaixo de 33cm.A concentração mediana de HgT no cabelo materno e cordão umbilical foi respectivamente0,16μg/g e 0,05μg/g. Não houve correlação entre as concentrações de HgTno cabelo materno e sangue do cordão. A correlação foi observada entre afrequênciade ingestão de peixes e as concentrações de HgT nas duas matrizes avaliadas.Recomenda-se a realização de novos estudosutilizandoas mesmas técnicas utilizadas neste estudo em comparação com outrasjá validadas.

  • MAYARA FONSECA DANTAS
  • OS ENTRAVES ENCONTRADOS PELOS ENFERMEIROS NA ABORDAGEMDA SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE COMO MÉTODO DE PREVENÇÃO DO HIV/AIDS.

  • Data: 31/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • Dentre as doenças crônicas e infecciosas que acometem o idoso, têm-se evidenciado o aumentoda contaminação pelo vírus HIV/AIDSem pessoas idosas. Nos últimos anos, houve mudançasna concepção e na prática da sexualidade, refletindo significativamente na terceira idade, fazendo com que este grupo seja grande alvo de dúvidas e preconceitos, assim como, maior vunerabilidade para aquisição de IST’s.Nesse contexto, osprofissionais de saúde, principalmente médicos e enfermeiros que atendem a população idosa, não estão preparados para identificar a vulnerabilidade dessas pessoas em relação ao HIV/AIDS e não tem solicitado exames sorológicos. Objetivo:Conhecer as dificuldades vivenciadas pelos enfermeiros em abordar questões sobre sexualidade estimulando a prevenção do HIV/AIDS em idosos, em um hospital de referênca e construir uma tecnologia educacional voltada para esta demanda.

    Metodologia:Trata-se de um estudo quantitativo-qualitativo descritivo, realizado com enfermeiros e residentes em enfermagem que prestem atendimento população idosa no Serviço Ambulatorial Especializado para clientes com HIV/AIDS (SAE), no Setor de internação de pacientes com Doenças Infecto-Parasitárias (DIP),

    Clínica Médica (CM) e Pneumologia (PNEUMO) de um Hospital Universitário situado no Município de Belém-Pa. Resultados:Os resultados referentes aos aspectos socio-demográficos coletados, evidenciaram que a maior parte destes servidores encontrava-se situado no Setor de internação de pacientes com Doenças InfectoParasitárias (DIP), do sexo feminino, (67%), entre os 40 a 59 anos de idade, predomínio do título de especialização e com estado conjugal casado. Discussão:população idosa está vivendo mais e melhor e continua sexualmente ativa. Dessa forma, deve haver maior preocupação com IST’s, na velhice, principalmente a AIDS, Neste estudo, constatou-se a predominância de profissionais sem formação específica para prestaratendimento a estes usuários (67%), O uso do citrato de sildenafil, a terapia hormonal e as próteses penianas favoreceram o aumento da frequência e da qualidade das relações sexuais. Questões religiosas também conferem aspectos proibitivos no que se refere á sexualidade na terceira idade. Um dos aspectos observados foi aausência significativa de abordagem do tema sexualidade com a população idosa na atenção terciária de saúde, ou quando realizada, é de maneira não sistemática, incompleta ou informal. Conclusão: conhecimento das dificuldades vivenciadas por enfermeiros de um hospital universitário referência em doenças infecto parasitárias na abordagem da sexualidade de pessoas idosas, corroborou para um conceito de atividade sexual como manutenção das necessidades sócio afetivas, outrora, esta responsabilidade foi imputada a atenção básica, pois para os profissionais o nível terciário não é o melhor cenário da rede de atenção para tratar do tema.

  • MARCIA SOCORRO SILVA LIMA DUARTE
  • ASPECTOS SOCIODEMOGRÁFICOS E CLÍNICOS DE PACIENTES COM O TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA ATENDIDOS NO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL INFANTIL DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PA

  • Data: 25/08/2021
  • Mostrar Resumo
  • O autismoé um tipode transtornoglobal dodesenvolvimentode maior relevância devido a sua elevada prevalência. Dados epidemiológicos mundiais estimam que umacada88nascidosvivosapresentaTEA,queacometemaisosexomasculino. Justificativa: o referido tema tornou-se objeto deste estudo, devido a necessidade de conhecer a rede de atenção psicossocial voltado ao TEA e a dificuldade de encontrar trabalhos realizados nesta área dentro do contexto da saúde pública no município de Altamira-PA. Objetivo: descrever e analisar o funcionamento da rede de cuidados na atenção a saúde mental voltada à criança com TEA no município de Altamira-PA.Método: é um estudo descritivo exploratório e intervencionista de abordagem quantitativa. Serão utilizados para a coleta de dados: dados oficiais e pesquisa da literatura nas bases dados SCIELO, BVS, CAPES, análise documental dos elementos normativos da legislação brasileira (Leis, normas, portaria, decretos e cartilhas) em conformidade com a Política Pública para o Autismo. A fonte será constituída através dos dados oficiais secundários a partir dos relatórios extraídos do SIS AB através da ferramenta E SUS.Resultados: serão analisados de acordo com o programa BIO ESTAT através de tabelas e gráficos.Aspectos Éticos: estudo respeitará as diretrizes e critérios estabelecidos na Resolução 466/12 da Comissão Nacional de Pesquisa, mesmo, sendo de intervenção, os preceitos éticos estabelecidos no que se refere a zelar pela legitimidade, privacidade e sigilo das informações. Trata-se de um trabalho de intervenção com seres humanos que reúne os princípios da ética médica, e está baseado segundo os protocolos do ministério da saúde.Considerações finais: As Redes de Atenção à Saúde têm por propostas prestar atenção integral às demandas de saúde do indivíduo.

  • MAGDA NERY MAURO
  • “PROTOCOLO CLÍNICO DE ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE DO IDOSO: UMA FERRAMENTA PARA A PRÁTICA EM SAÚDE NA AMAZÔNIA”.

  • Data: 20/07/2021
  • Mostrar Resumo
  • É esperada uma projeção do Brasil, nos próximos anos, à condição de sexta maior população de pessoas com mais de 60 anos em todo o mundo. No âmbito da saúde do idoso, a atenção básica representa a principal porta de entrada para o Sistema Único de Saúde (SUS). Considerando a grande importância da educação continuada e da capacitação da equipe de saúde para o adequado atendimento da pessoa idosa, em destaque para o profissional da medicina, torna-se essencial promover um instrumento capaz de otimizar a condução clínica dentro do âmbito da saúde do idoso. O objetivo deste trabalho consistiu em elaborar protocolos clínicos de atenção básica à saúde do idoso, bem como avaliar a qualidade dos protocolos criados a partir do instrumento AGREE II (Appraisal of Guidelines for Research & Evaluation II). Método: estudo transversal, quantitativo e descritivo que possuiu como público participante médicos especialistas em geriatria que utilizaram o instrumento AGREE II para avaliar os protocolos. Após a devida aprovação, a pesquisa ocorreu em dezembro de 2020. A casuística foi composta por três médicos especialistas que avaliaram os domínios a respeito da qualidade dos protocolos clínicos por um período de 15 dias. As variáveis quantitativas foram armazenadas para cálculo estatístico e para confecção de gráficos e tabelas didáticas. Resultados: Os domínios 1, 4, 5 e 6 foram avaliados com 100% de índice de qualidade, o domínio 3 com 97,02% e o domínio 2, mesmo apresentando o menor índice de qualidade, de acordo com os avaliadores, ainda assim apresentou taxa de aprovação de 95,65%. A qualidade geral dos protocolos apresentou um índice de qualidade de 98,45%, sugerindo grau satisfatório de qualidade do produto. Ainda, apresentou o coeficiente de variação de Pearson de 0,02%, o que indica elevado grau de homogeneidade nas pontuações dos domínios. Por fim, foi unânime entre os avaliadores a recomendação para o uso dos protocolos elaborados no estudo sem necessidade de ajustes. Conclusão: os protocolos clínicos apresentaram avaliações satisfatórias quanto ao índice de qualidade, sendo recomendados por todos os avaliadores como instrumento norteador no cuidado do idoso na atenção básica.

  • PAULA MORAES COSTA
  • Concentração de Mercúrio em Peixes e a Exposição de Ribeirinhos na Região do Xingu

  • Data: 30/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • Na Amazônia há evidências de exposição humana ao mercúrio através do consumo de peixes em áreas afetadas pela exploração mineral e queimadas de florestas. Na região do Xingu pouco é conhecido sobre a contaminação ambiental por metais pesados. O principal objetivo deste estudo foi investigar os níveis de mercúrio total (Hg Total) em peixes consumidos e a exposição dos ribeirinhos a esse metal, que vivem na região do rio Xingu no Município de Senador José Porfírio/PA. Este estudo é observacional, transversal, prospectivo envolvendo quatro comunidades ribeirinhas da Volta Grande do Xingu, sendo desenvolvido no período de estiagem em 2020. Foram incluídos 141 ribeirinhos e 15 exemplares de três espécies de peixes consumidos e cabelo das comunidades para determinação das concentrações de Hg Total. Informações sociodemográficas e frequência semanal do consumo de peixes foram obtidas através de formulários. As concentrações de HgTotal foram medidas através da espectrofotometria de absorção atômica. O tucunaré e pescada branca apresentaram respectivamente, as seguintes concentrações de Hg Total: 3,83 µg/g e 2,33 µg/g. Já o pacu, espécie não predadora apresentou 0,09 µg/g como concentração mediana de Hg Total. As concentrações de HgTotal em amostras de cabelo nas comunidades analisadas apresentaram variações de 0,95 µg/g até 12,86 µg/g. Não houve diferença da exposição ao Hg às comunidades. O estudo mostrou que as comunidades ribeirinhas de Senador José Porfírio apresentam baixos níveis de exposição ao mercúrio em relação a outros estudos realizados na Amazônia, contudo a exposição ao metal na região deve ser monitorada periodicamente e a população orientada quanto ao consumo de pescado na dieta

  • ATSUO NAKANISHI
  •  PREVALÊNCIA DO Helicobacter pylori EM PACIENTES SUBMETIDOS À ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA NA REGIÃO DE TRANSAMAZÔNICA, ESTADO DO PARÁ, NO PERÍODO DE 2014 A 2018

     

  • Data: 09/06/2021
  • Mostrar Resumo
  • A bactéria Helicobacter pylori é reconhecida como patogênica das patologias gastrointestinais com significadas morbidade e mortalidade, sendo a avaliação da prevalência um importante ferramento para elaboração das diretrizes políticas e sociais de saneamento básico, habitação e orientação higieno-dietética. Foi realizado o estudo epidemiológico observacional, retrospectivo e transversal, comparando a prevalência de H. pylori em amostras com intervalo de 5 anos (2014 a 2018) que realizaram endoscopia digestiva alta com biópsias e teste de urease para pesquisa de H. pylori, com o objetivo de demonstrar a redução significativa da prevalência de H. pylori pela melhoria das condições sanitárias da região da Transamazônica, do Estado do Pará, como resultado do início da construção de UHE (Usina HidroElétrica) Belo Monte em 2013 e condicionante social oferecido pela Norte Energia S.A. de implantação e melhoria de saneamento básico. A prevalência geral de H. pylori nesta região neste período foi 25,7%. Houve a diminuição da prevalência de H. pylori nesta região, neste período de 5 anos, de 28,6% em 2014 para 20,9% em 2018, com significância estatística (p < 0,05). Foi observada a maior prevalência na faixa etária de 0 a 20 anos (34,5%) (p < 0,05). A prevalência de H. pylori nos resultados alterados da EDA foi maior em relação aos resultados normais da EDA (p < 0,05). Em relação às patologias do trato digestivo alto, úlcera duodenal em atividade apresentou maior prevalência de H. pylori (p < 0,05).

  • CAMILA PEREIRA DA COSTA
  • PROTOCOLO DE MANEJO DE COMPLICAÇÕES GASTROINTESTINAIS EM NUTRIÇÃO ENTERAL PARA PACIENTES INTERNADOS NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DE ALTA COMPLEXIDADE DA REGIÃO NORTE DO BRASIL

  • Data: 27/05/2021
  • Mostrar Resumo
  • Mesmo com diversos benefícios comprovados, a nutrição enteral pode ser prejudicada por seu interrompimento em 85% dos pacientes, tendo como uma das principais causas a ocorrência complicações gastrointestinais que, frequentemente, ocorrem em pacientes críticos. São escassos os estudos a respeito dessa temática que trazem evidências passíveis de gerar recomendações para a prática clínica. Objetivos: Desenvolver e validar um protocolo de manejo de complicações gastrointestinais em nutrição enteral para pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital de alta complexidade da Região Norte do Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo do tipo metodológico de desenvolvimento e validação de um protocolo. Para isso, foi realizada uma revisão integrativa nas bases de dados PubMed, Lilacs e Cochrane Library, incluindo artigos completos disponíveis integralmente, publicados nos últimos dez anos, escritos nos idiomas inglês, espanhol ou português, que abordavam o manejo de complicações gastrointestinais na unidade de terapia intensiva durante a nutrição enteral em pacientes adultos. Na segunda fase, a validação foi realizada por doze juízes especialistas, que julgaram o protocolo quanto aos atributos objetividade, conteúdo, linguagem, relevância, funcionalidade e resultados: A partir dos 71 artigos selecionados na revisão, obteve-se um protocolo de complicações gastrointestinais validado pelos juízes especialistas, com um índice de validade de conteúdo > 0,80. Conclusões: Esse trabalho evidenciou a importância de se conhecer a composição das fórmulas de nutrição enteral utilizadas em unidades de terapia intensiva.

  • DALBERTO LUCIANELLI JUNIOR
  • INFLUÊNCIA DAS CONDIÇÕES SOCIODEMOGRÁFICAS, COMPORTAMENTAIS E BIOLÓGICAS NA SAÚDE DA COMUNIDADE RIBEIRINHA DO RIO XINGU

  • Data: 28/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • Como existem poucas informações sobre o padrão de saúde das populações ribeirinhas, sobretudo na região do Pará, o presente estudo visa avaliar o perfil sociodemográfico, comportamental e biológico e sua relação com o surgimento das doenças crônicas não transmissíveis nas populações ribeirinhas na região do Xingu; como também avaliar as características, desses padrões em relação aos indicadores de saúde e quais os fatores de risco são considerados mais importantes. Trata-se de um estudo transversal, a amostra foi constituída por ribeirinhos acima de 18 anos de ambos os sexos pertencente a comunidade do Espelho do rio Xingu. O tamanho amostral (n.86) foi calculado com nível de confiança de 95% e erro amostral de 5%. A coleta de dados incluiu as condições sociodemográficas, hábitos comportamentais e agentes biológicos. Análise de dados para o agrupamento da amostra foi adotado o algoritmo de agrupamento K-means através de um método não supervisionado. Os valores foram expressos por mediana. Para dados contínuos e categóricos foram utilizados o teste Mann-Whitney e Qui-quadrado, respectivamente; e o nível de significância foi estabelecido em p<5%. Para divisão dos grupos e classificação do grau de importância de cada variável foi aplicado o algoritmo multilayer perceptron. Baseados nessas informações, a amostra foi dividida em dois grupos. Os fatores de riscos considerados para as doenças cardiovasculares e diabetes nos grupos foram a baixa escolaridade (p < 0.001), o sedentarismo (p < 0.01), o tempo de tabagismo, o alcoolismo e o índice de massa corpórea (p < 0.05) e a relação cintura-quadril com valores acima do esperado em ambos os grupos. No entanto, a alimentação saudável, principalmente pelo alto consumo de peixe foi considerada um critério positivo na saúde dos ribeirinhos. Assim, podemos inferir que os fatores considerados importantes para ter ou não uma boa condição de saúde foram as condições educacionais e sociais dessas comunidades. Complementando podemos dizer que uma parte da população ribeirinha foi considerada mais saudável do que a outra. Assim, ações educativas realizadas são alternativas para a melhor distribuição dos serviços de saúde e assim, promover a prevenção em saúde, desenvolvendo a responsabilidade da população para uma melhor qualidade de vida da região.

  • LAYSA BALIEIRO PINHEIRO
  • DESFECHOS MATERNOS E FETAIS EM GESTANTES COM DIAGNÓSTICO DE PRÉ-ECLÂMPSIA GRAVE

  • Data: 09/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • As Síndromes Hipertensivas Específicas da Gestação (SHEG) acarretam grande impacto na saúde da mulher, uma vez que são a segunda principal causa de morte materna no mundo e a primeira causa de morte materna direta no Brasil (20%) a 30%). Assim como estão relacionadas com expressivas morbidades (15% a 67%) e
    mortalidade fetal (1% a 2%). No Brasil, de 7% a 10% das gestações são afetadas pelas síndromes hipertensivas. As regiões Norte (8,4%) e Nordeste (8,2%) apresentam as taxas mais elevadas em relação ao Sudeste (5,1%), Sul (6,4%) e Centro-Oeste (6,4%), na qual a pré-eclâmpsia (PE) com características graves
    apresentam os piores desfechos maternos e fetais (KAN et al.,2006; GIORDANO et al., 2014; BOTELHO et al., 2014).
    A PE é uma doença multifatorial e multissistêmica, específica da gestação. Classicamente diagnosticada pela presença de hipertensão arterial associada à proteinúria, que se manifesta após a 20a semana de gestação em gestante previamente normotensa. Atualmente, também se considera pré-eclâmpsia quando, na ausência de proteinúria, a elevação da pressão arterial está associada a disfunção de órgãos-alvos (ACOG, 2013; OLIVEIRA, 2010).
    É proposto que o desenvolvimento da pré-eclampsia ocorra por um mecanismo imune subdividido em três estágios: o estágio 1 é a desregulação imunológica, a mãe apresenta uma tolerância parcial a invasão trofoblástica. O estágio 2 caracteriza-se pela placentação defeituosa, no qual os macrófagos, as células
    naturalkiller (NK) além dos trofoblastos provocariam estresse oxidativo provocando a placentação defeituosa. O estágio 3, inicia-se a partir da vigésima semana de gestação, é representado pela reação inflamatória sistêmica e o da disfunção endotelial que conduz o diagnóstico clínico da pré-eclâmpsia, ou seja, hipertensão
    arterial e proteinúria (REZENDE, 2017).
    O caráter multissistêmico da pré-eclâmpsia implica a possibilidade de evolução para situações de maior gravidade. As reações inflamatórias sistêmicas e a disfunção endotelial decorrente da placentação defeituosa provocam alterações no sistema materno que podem evoluir a estágios mais agressivos da PE grave, como
    eclâmpsia, síndrome de HELLP (hemólise, enzimas hepáticas elevadas, baixa contagem de plaquetas) e Coagulação Intravascular Disseminada (CIVD) e devem receber cuidados diferenciados em face da limitação funcional progressiva de 10 múltiplos órgãos e instabilidade clínica tanto materna quanto fetal (AMORIM et al., 2014; OLIVEIRA, 2010).

    O parto é o tratamento definitivo da pré-eclâmpsia/eclâmpsia, por se tratar de uma desordem decorrente de má perfusão placentária e disfunção endotelial a dequitação da placenta é necessária (REZENDE, 2017; OLIVEIRA, 2010). 
    A via de parto preferencial na PE deve ser a vaginal, não havendo contraindicação para procedimentos de maturação cervical (sonda de Foley; análogos de prostaglandinas) e reservando-se a cesariana para indicações obstétricas habituais (AMORIM et al., 2014; BOTELHO et al., 2014). O parto vaginal em gestantes com PE
    é o recomendado pelas principais associações de ginecologia e obstétrica, como a American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG), a Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e também pelo Ministério da Saúde (MS) do Brasil, entretanto os estudos demonstram uma elevada taxa de cesarianas nesse grupo de mulheres.
    A cesárea bem indicada deve ser realizada em situações de quadro clínico materno grave e instável que necessita de intervenção cirúrgica, condição na qual um parto vaginal prolongado pode diminuir a sobrevida materna e/ou fetal como:eclampsia e síndrome de HELLP (AMORIM et al., 2014; REZENDE, 2017; SIBAI,
    2005).
    Tendo em vista tais questões, torna-se de suma importância avaliar como estão os desfechos obstétricos e neonatais das pacientes com PE grave nas nossas maternidades, pois com esses resultados poderemos avaliar se há necessidade de ajustar protocolos, realizar novas qualificações nas equipes de atendimento com a
    finalidade de diminuir as potenciais complicações maternas e fetais. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar os resultados maternos e perinatais entre os casos de cesárea planejada e de emergência em gestantes com pré-eclâmpsia grave admitidas na maternidade da Santa Casa de Misericórdia do Pará.

  • LUIGI FERREIRA E SILVA
  • Médicos da Atenção Primária e o Manejo Clínico das Infecções das Vias Aéreas Superiores

  • Data: 08/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • As infecções de vias aéreas superiores (IVAS) compõem uma enorme fração dos atendimentos em porta de entrada das urgências e emergências, sendo a grande maioria de etiologia viral e sem complicações clínicas. Em decorrência de sua magnitude, também são alvo de prescrições de antibióticos, representando o principal grupo de doenças que recebem antibióticos indevidamente, gerando o fenômeno da resistência antimicrobiana, com grave repercussão na saúde pública e nos custos hospitalares e de reabilitação. O objetivo deste trabalho é analisar o manejo das IVAS por médicos que realizam atendimento em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) na Região Metropolitana de Belém-PA. Pesquisa observacional descritiva, exploratória e com abordagem qualitativa através da Análise de conteúdo proposto por Bardin com análise de similitude. Aplicado um protocolo de autoria própria para médicos assistentes em portas de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) com coleta de dados pessoais, profissionais e o manejo clínico de casos criados de otite média aguda, faringotonsilite aguda e rinossinusite aguda, no período de dezembro de 2019 a fevereiro de 2020. Totalizaram 26 participantes distribuídos na Região Metropolitana de Belém, a maioria do sexo feminino, sem especialização, e dos que tem especialização, a medicina de família e comunidade foi a mais frequente. A maioria dos sujeitos trabalha em porta aberta de baixa complexidade, concentrada em Belém, dentro da faixa etária de 25 a 30 anos. Os médicos participantes preconizaram prescrever medicações sintomáticas e antibióticos orais de forma domiciliar para todos os casos e de forma unânime, sem considerar exames complementares ou internação hospitalar, a maioria considerando o custo da medicação no momento de prescrever, a posologia e se é dispensada de forma gratuita atenção primária. Os autores esperaram um manejo clínico com menos antibiótico prescrito devido à ausência de critérios claros para tal, além de trazerem a importância de não se colocar antibióticos na primeira opção de casos sem indicação. Foi possível construir um produto digital que auxilie médicos a conduzir de forma correta e segura as infecções de vias aéreas superiores, adotando a tática delayed prescription para preconizar o uso racional de antibióticos.

  • ANTONIO CARLOS LIMA
  • AVALIAÇÃO DAS MEDIDAS COMPENSATÓRIAS DA HIDRELÉTRICA DE BELO MONTE RELACIONADAS À SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA.

  • Data: 08/04/2021
  • Mostrar Resumo
  •  As condicionantes ambientais estabelecidas para o licenciamento do empreendimento da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (UHEBM) nas suas distintas fases, definem a obrigatoriedade da empresa Norte Energia S/A de apresentar, dentro de seu Estudo de Impacto Ambiental (EIA), o diagnóstico do setor saúde, como também o  planejamento e as ações necessárias para a mitigação dos impactos no setor saúde descritos no Plano de Saúde Pública  (PSP). No âmbito deste plano, três programas foram estabelecidos para o setor em tela, quais sejam: Programa de Incentivo à Estruturação da Atenção Básica de Saúde; Programa de Vigilância Epidemiológica, Prevenção e Controle de Doenças; Programa de Ação e Controle da Malária – PACM. A avaliação destes programas neste referido estudo têm como objetivo avaliar se as medidas compensatórias implementadas na rede de saúde de Altamira constituídas no Plano de Saúde Pública  foram suficientemente adequadas para mitigação do impacto à saúde da população do município de Altamira-PA. A pesquisa se caracteriza como um estudo com delineamento exploratório-descritivo. Os instrumentos utilizados como fonte primária de informação da pesquisa foi a análise de documentos oficiais do processo de Licenciamento Ambiental da UHE Belo Monte dentre eles o EIA e PSP. Para melhor compreensão do estudo foi utilizado também fontes secundárias, provenientes de relatórios técnicos produzidos pelo órgão fiscalizador do empreendimento (IBAMA), artigos e estudos sobre empreendimentos hidrelétricos, acrescido de consulta em bases de dados oficiais do Brasil, extraídos dos sistemas de informações do Ministério da Saúde.  Os resultados da pesquisa apontam que algumas das  ações planejadas não foram alcançadas ou executadas dentro dos prazos inicialmente estabelecidos no PSP, portanto, não dispondo  em momento oportuno as estruturas necessárias e operacionais adequadas para o atendimento da população própria e atraída, destaca-se  a ausência de planejamento de ações para a ampliação dos serviços de média e alta complexidade que já se encontrava estranguladas, como ainda continuam. Em razão do não estabelecimento de metas no controle das principais doenças apontadas no EIA, houve dificuldade de nível significativo concernente à análise do programa de vigilância epidemiológica, prevenção e controle de doenças. Neste contexto, foi possível verificar aumento das doenças transmissíveis e não transmissíveis por influência direta da implantação da UHE Belo Monte, principalmente nas taxas de morbimortalidade por causas externas, aumento notório de óbito por transtornos mentais e comportamentais, crescimento dos casos de HIV, sífilis, sífilis neonatal e hepatites virais. Sendo observada, também, redução dos casos de malária, mortalidade infantil e estabilização dos casos de tuberculose, hanseníase e leishmaniose. O Programa de Controle e Avaliação da Malária obteve considerável sucesso na redução dos casos de malária, chegando a zerá-los pelo Plasmodium Falciparum em 2017. Conclui-se, então, a necessidade de mudança no processo de Licenciamento Ambiental de grandes empreendimentos na região amazônica, buscando implantar novas  ferramentas e metodologia na Avaliação de Impacto Ambiental, maior participação dos gestores do SUS no processo de estudo, planejamento e acompanhamento fiscalizatório  das medidas mitigatórias.

  • AUGUSTO FELIPE ROCHA E SILVA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE MOBILIZAÇÃO PRECOCE PARA PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA ABDOMINAL INTERNADOS EM UTI

  • Data: 08/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • Mais de 234 milhões de procedimentos cirúrgicos são realizados anualmente em todo o mundo e mesmo com os avanços nos cuidados cirúrgicos, a presença de morbidades após cirurgias abdominais ainda é alta, trazendo repercussões negativas para os pacientes, para a equipe de atendimento cirúrgico e para o sistema de saúde (FELDHEISER et al., 2016). Dificilmente os pacientes morrem na mesa cirúrgica durante o procedimento cirúrgico, o fator que leva ao óbito é a resposta fisiopatológica à cirurgia e suas complicações. Dessa forma, a compreensão desse processo se faz importante para minimizar a resposta ao estresse cirúrgico e, assim, melhorar a recuperação (SCOTT et al., 2015). A principal reação ao estresse cirúrgico é a resposta metabólica a lesão, sendo a prevenção desse estresse e consequente diminuição dessa resposta o mecanismo central em torno do qual o conceito de recuperação aprimorada é baseado. Esta resposta abrange todos os elementos associados à cirurgia, tais como ansiedade, jejum, danos nos tecidos, hemorragia, hipotermia, mudanças de fluidos, dor, hipóxia, repouso no leito, íleo e desequilíbrio cognitivo (SCOTT et al., 2015). Essas mudanças significativas na homeostase metabólica e fisiológica podem levar ao aumento da morbidade e mortalidade, com risco potencial de disfunção orgânica e diminuição da sobrevida a longo prazo, o que pode ser amplificado com as complicações pós-operatórias. Dessa forma, essas mudanças precisam ser tratadas adequadamente para um retorno bem sucedido às condições pré-operatórias (KHURI et al., 2005). Após uma cirurgia abdominal, seja aberta ou minimamente invasiva, os pacientes frequentemente apresentam complicações pós-operatórias que irão aumentar a morbidade, mortalidade, retardar a recuperação funcional e aumentar o tempo de internação hospitalar (LE et al., 2014). Essas complicações estão presentes em aproximadamente 50% dos pacientes submetidos a cirurgias abdominais alta, destacando-se as complicações pulmonares, íleo pós-operatório, infecção do sítio cirúrgico, hemorragia, eventos trombóticos e descondicionamento físico (SULLIVAN et al., 2016)

  • RODRIGO JANUARIO JACOMEL
  • DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA E FATORES DE RISCO DOS CASOS DE COVID-19 NA REGIÃO DO XINGU

  • Data: 08/04/2021
  • Mostrar Resumo
  • A doença pelo novo coronavírus (COVID-19) teve seus primeiros casos confirmados em dezembro de 2019 na província de Hubei na China. Essa doença é causada pelo coronavírus do tipo 2 (SARS-CoV-2), o qual é transmitido, principalmente, por gotículas respiratórias. Assim, uma crise global tem assolado os cinco continentes, o que leva a necessidade de ações de enfrentamento e estratégias para redução de impactos. Tais fatores são especialmente importantes para que se possa analisar as características e o caminho trilhado pela doença em região carentes, como a do médio Xingu. Objetivo: Determinar a incidência e a distribuição geográfica dos casos de COVID-19 na região do Xingu – Pará. Metodologia: O presente estudo é do tipo descritivo transversal com abordagem quantitativa, realizado através do levantamento de dados secundários referentes aos casos de Covid-19 na região do Xingu – PA. A população do estudo foi composta por pacientes diagnosticados com covid-19 em um dos municípios da região do Xingu. Foram incluídos na análise apenas os casos confirmados por meio RT-PCR, teste rápido, diagnóstico clínico ou ambos. Resultados: A pesquisa constatou 11.693 casos confirmados de COVID-19, 396 (3,39%) internações e 260 (2,22%) óbitos, no período de 24 de abril a 11 de setembro de 2020, na região do Xingu. Quando analisados o total de casos de COVID-19, por sexo, observou-se que 6.188 (52,9%) eram do sexo feminino e 5.505 (47,1%) do sexo masculino, e acometendo, principalmente, a faixa etária entre 30 a 39 anos. Ainda, os casos apresentaram distribuição geográfica variável em cada município da região do Xingu, apresentando o maior número em Altamira (4.019 casos), seguido de Medicilândia (1.693 casos) e Uruará (1.083 casos). Conclusão: Os municípios de Vitória do Xingu, Medicilândia, Altamira e Anapú enfrentaram, no período de levantamento dos dados, uma situação calamitosa com alta taxa de transmissão comunitária e quantidade significativa de óbitos. Estima-se, ainda, que esses números estejam abaixo da real emergência pública, tendo em vista as subnotificações e os resultados falso-negativos do processo de testagem. Peculiaridades regionais como as áreas de deslocamento de serviços, mercadorias e pessoas de Medicilândia e Vitória do Xingu, ou ainda as dificuldades de acesso a Porto de Moz devem ser analisadas com cautela no planejamento de estratégias de enfrentamento do vírus. Tendo, ainda, as particularidades do médio Xingu, a exemplo da significativa população de comunidades tradicionais como indígenas e ribeirinhos, é necessário um olhar atento para o desenrolar da COVID-19 na região a fim de se evitar um desfecho ainda mais pernicioso para a crise que se passa.

  • BRUNA GRAZIELLE CARVALHO JACOMEL
  • PROTOCOLO DE MANUSEIO MÍNIMO: TRANSDISCIPLINARIDADE NA NEUROPROTEÇÃO DO PREMATURO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NA REGIÃO NORTE DO BRASIL.

  • Data: 24/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • A prematuridade pode levar a necessidade da hospitalização em uma unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN), ambiente em que o recém-nascido prematuro (RNPT) está exposto a estressores, o que gera implicações diretas em algumas funções fisiológica como dor excessiva e problemas de neurodesenvolvimento. Assim, os protocolos de manuseio mínimo visam a padronização de condutas para menor número de manipulações, o que favorece a neuroproteção, viabilizando a salvaguarda de um pósalta com menor prevalência de problemas de neurodesenvolvimento. OBJETIVO: Avaliar a visão transdisciplinar sobre neuroproteção no prematuro na UTIN em um Hospital de Referência na Região Norte do Brasil. METODOLOGIA: Estudo de Campo, Analítico e Prospectivo, com abordagem quanti-qualitativa com uma amostra de 43 profissionais atuantes na UTIN do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT). Foi realizada uma visita técnica e a coleta de dados por meio de entrevista gravada, utilizando um questionário estruturado. RESULTADOS: Apenas 36 membros da equipe foram entrevistados já que 7 estavam em período de ambientação ou férias. Entre os membros da equipe prevaleceram: profissionais com 5 a 10 anos de experiência (30,56%), que nunca tiveram treinamentos específicos sobre a neuroproteção (89%). A equipe definiu neuroproteção como a proteção de estruturas neurológicas (63,89%), apontou como intervalo ideal de manipulação do RNPT de 3 em 3 horas (21 menções), além de concordarem que o banho (69,44%), a troca de fraldas (66,67%), troca de lençóis (53%), a luminosidade (94,4%) e os ruídos (100%) influenciam na neuroproteção do RNPT. CONCLUSÃO: O reduzido conhecimento da equipe sobre neuroproteção e de medidas protetoras, podem ser prejudiciais aos cuidados prestados ao RN pré-termo, pois são essenciais para o seu bem-estar durante a internação e pós-alta, tendo reflexos diretos no neurodesenvolvimento saudável da criança. Medidas de manuseio mínimo são cruciais para redução de agravos em RN, e embora a equipe estudada fosse experiente há necessidade de realização de intervenções de educação permanente em saúde, implementação de um Protocolo de Manuseio Mínimo e da realização de maiores estudos na área, principalmente voltados para a região do Xingu, com o intuito de sanar lacunas e agregar conhecimento sobre os benefícios da neuroproteção para o adequado desenvolvimento dos RN.

  • CLEIDIANE DA SILVA ANDRADE
  • ELABORAÇÃO E APLICAÇÃO DE UM PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO SUPERVISIONADO DE REABILITAÇÃO
    CARDIOVASCULAR PARA PACIENTES NO PRÉ-OPERATÓRIO DE CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO

  • Data: 19/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • O Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) está entre as doenças cardiovasculares mais relevantes devido a sua alta morbimortalidade, sendo a cirurgia de revascularização do miocárdio (CRM) ainda o tratamento de escolha na maioria dos pacientes com essa doença. O grau de oclusão da artéria coronária está intimamente relacionado com as alterações no sistema nervoso autônomo (SNA) cardíaco e em virtude desta associação, potencializada pelos fatores de risco, ocorre o aparecimento de sintomas como a intolerância ao esforço físico e diminuição do consumo máximo de oxigênio. Evidências apontam que a prática de exercício físico após IAM melhora o consumo de oxigênio, a capacidade funcional e promove adaptações cardiovasculares, como a modulação da frequência cardíaca, aumentando a Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC), redução da isquemia e ausência de efeitos colaterais. Neste contexto, é recomendada a inclusão da fisioterapia dentro de programas de Reabilitação Cardiovascular (RCV) ainda na fase hospitalar no pré-operatório, com início dos exercícios nas primeiras 24h a 48h após estabilização da doença e ausência de sintomas. Objetivo: Elaborar e aplicar um protocolo fisioterapêutico supervisionado de RCV para pacientes no pré-operatório de CRM. Metodologia: Foi elaborado um protocolo fisioterapêutico supervisionado de RCV fundamentado no exercício físico e em seguida realizado um ensaio clínico randomizado, onde 2 grupos foram distribuídos aleatoriamente em Grupo controle (GC) que recebeu protocolo convencional com orientações cirúrgicas, de exercícios respiratórios e metabólicos e Grupo Experimental (GE), submetido ao protocolo fisioterapêutico supervisionado de RCV com treinamento aeróbico, de membros e musculatura inspiratória. Ambos foram submetidos a avaliação da VFC no pré e pós protocolos e após CRM no dia da alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A análise dos dados foi realizada no programa IBM SPSS 25, para normalidade dos dados foi utilizado o teste de Shapiro-Wilk, a análise da variância dos dados foi realizada pelo teste MANOVA com post hoc de Tukey HSD e a análise dos dados demográficos pelo teste Qui-quadrado. Foi utilizado o effect size para determinar o efeito potencial dos diferentes tipos de intervenção. Produto e Resultados: O produto desta dissertação foi a elaboração de um protocolo fisioterapêutico supervisionado de RCV baseado nas recomendações em Reabilitação cardíaca fase 1. A amostra foi composta por 18 participantes, com média de idade (anos) no GC de 64±9,6 e no GE de 59±5,7 e predomínio do sexo masculino. Índices RMSSD, LF, HF, LF/HF tiveram alteração estatística significativa (p=0,05) no GE após RCV e CRM. SD1 e SD2 aumentaram significativamente (p=0,05) após terapia no GC e GE, porém após CRM, houve diminuição significativa de SD1 (p=0,05) e SD2 (p=0,05) no GC e no GE com p=0,05 e p=0,01 respectivamente. O índice RMSSD (p=0,05) aumentou significativamente no GC após protocolo. O GE teve diminuição significativa no tempo de internação pós-operatório (p=0,05), hospitalar (p<0,05) e na UTI (p=0,05). Conclusão: O protocolo fisioterapêutico de RCV progressivo e supervisionado resultou em maior modulação autonômica após protocolo no pré-operatório e após CRM, com menor tempo de internação hospitalar e na UTI, demonstrando ser viável, seguro e eficaz para as realidades do serviço permitindo melhora das condições autonômicas cardiovasculares e nos desfechos clínicos dos pacientes.

  • LEONARDO DE OLIVEIRA RODRIGUES DA SILVA
  • PANORAMA DA COVID-19 NAS MESORREGIÕES DO ESTADO DO PARÁ E SUAS RELAÇÕES COM O ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E SANEAMENTO BÁSICO.

  • Data: 08/03/2021
  • Mostrar Resumo
  • A pandemia do COVID-19, ocasionada pelo SARS-CoV-2, provoca desde infecções assintomáticas até a síndrome respiratória aguda grave, que por vezes, pode ser fatal, necessitando de enfrentamento. O objetivo foi analisar a epidemiologia da COVID-19 nas seis mesorregiões do estado do Pará, correlacionando-a com Índice de Desenvolvimento Humano Municipal Médio (IDHm) e o Percentual de Tratamento de esgoto do Estado (%TE). Trata-se de um estudo descritivo transversal com abordagem quantitativa, realizado através do levantamento de dados secundários dos casos de COVID-19, coletados no período de 07 de março a 30 de maio de 2020, e dados sociodemográficos das seis mesorregiões do estado do Pará. Foram notificados 267.700 casos confirmados da COVID-19 em todo o estado do Pará. As mesorregiões do Sudeste paraense e da Região Metropolitana de Belém, apresentaram os maiores valores, com 81.556 e 71.117, respectivamente. Não houve diferença de número de casos entre os gêneros, porém as duas faixas etárias mais acometidas pela infecção estão entre 30 a 39 anos (64.138 casos) e 40 a 49 anos (51.535 casos). Dentre as comorbidades mais prevalentes estão as Cardiopatias e o Diabetes. As maiores taxas de incidência da COVID-19 estão concentradas nas mesorregiões com grande fluxo de pessoas, havendo uma tendência dos aspectos sociodemográficos se relacionarem com a epidemiologia da COVID-19 nas mesorregiões do estado do Pará.

  • JESSICA RODRIGUES DE SOUSA
  • DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE APLICATIVO PARA AUXÍLIO DO DIAGNÓSTICO E GERENCIAMENTO CLÍNICO DAS REAÇÕES, RECIDIVAS, REINGRESSOS E REINFECÇÕES DA HANSENÍASE

  • Data: 24/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • As recorrências de sintomas da hanseníase devem preferencialmente ser gerenciadas por serviços de referência em hanseníase, enquanto que o tratamento das reações hansênicas poderá ser adequadamente realizado pelas Unidades de Atenção Primária. Contudo, algumas destas situações não são reconhecidas ou apropriadamente referenciadas pela atenção primária, ocasionando subnotificações e subtratamentos. Objetivo: Desenvolver um aplicativo para auxiliar no diagnóstico e gerenciamento clínico das reações, recidivas, reingressos e reinfecções da hanseníase durante e após o tratamento com poliquimioterapia. Métodos: Trata-se de uma revisão de literatura para o desenvolvimento de um aplicativo, seguido de uma avaliação tecnológica transversal de cunho analítico e descritivo. A partir da revisão realizada em manuais do Ministério da Saúde, foi desenvolvido um aplicativo com sistema operacional Android, o qual foi validado por juízes através de uma escala do tipo Likert, com análise do Coeficiente Alfa de Cronbach e Índice de Validade do Conteúdo. Resultados: O aplicativo “Reativação de Sintomas da Hanseníase” foi avaliado por 7 juízes, com idade média de 40,85±13,81 anos, a maioria com até 10 anos de formado (57%), com maior frequência de mestres (43%) ou especialistas (43%), que atuam nas unidades especializadas em hanseníase no Pará. Observou-se alta consistência interna na escala Likert (α=0,81) e elevada proporção de concordância interobservadores (IVC=0,97). A pontuação total média obtida nos itens da escala Likert foi 106,42 ±4,31, correspondendo à 96,74% da pontuação total. O domínio da interface obteve a média de 33,85±1,34 pontos (96,73% do total), o domínio da facilidade de uso obteve 28,14±2,54 pontos (97,71% do total); domínio da utilidade 24,42±1,13 pontos (97,68% do total); e o domínio do conteúdo, 20 pontos (100% do total). Conclusão: O aplicativo segundo avaliação dos juízes, é interativo, de fácil utilização, útil e com conteúdo confiável.

  • BIANCA SILVA DA CRUZ
  • ELABORAÇÃO DE CHECKLIST DE TRIAGEM PARA FISIOTERAPIA PÉLVICA APÓS TRATAMENTO PARA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO: PROPOSTA DE APLICATIVO

  • Data: 10/02/2021
  • Mostrar Resumo
  • O câncer colo do útero (CCU) é causado pela infecção persistente por alguns tipos de Papiloma Vírus Humano e o seu tratamento envolve quimioterapia, radioterapia e cirurgia, podendo ocasionar diferentes disfunções no assoalho pélvico, com isso, a fisioterapia tem papel importante na avaliação e tratamento das disfunções pélvicas decorrentes do tratamento oncológico. OBJETIVO: Desenvolver uma tecnologia digital em formato de aplicativo para auxílio na indicação de atendimento fisioterapêutico na região pélvica após tratamento de CCU. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de revisão de literatura para desenvolvimento de uma tecnologia digital em formato de aplicativo, que foi realizado após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa do Núcleo de medicina Tropical. O instrumento foi elaborado a partir da revisão bibliográfica. Os pesquisadores realizaram reuniões para finalizar o processo de criação do checklist, e o aplicativo foi programado em ambiente Androide Studio, ao final o aplicativo foi avaliado por duas fisioterapeutas especialistas na área. RESULTADOS: Na revisão bibliográfica, em relação as disfunções decorrentes do tratamento para CCU, foi verificado que os artigos relataram principalmente as seguintes disfunções: estenose vaginal, disfunção sexual, linfedema, e incontinência urinária ou problemas relacionados ao funcionamento da bexiga, dessa forma o aplicativo criado apresenta 5 capítulos abordando sintomas de disfunção urinária, função sexual, função anal, dor, e alterações como: linfedema, estenose vaginal, e fibrose vaginal. CONCLUSÃO: A utilização do aplicativo poderá auxiliar os profissionais fisioterapeutas na escolha do tipo de tratamento para pacientes pós tratamento oncológico.

2020
Descrição
  • ROSIANE LUZ CAVALCANTE
  • IMPACTO DA PANDEMIA POR COVID-19 NA IMUNIZAÇÃO DA VACINA CONTRA O HPV ENTRE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 9 A 14 ANOS, NO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA-PA

  • Data: 28/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • O Câncer do Colo do Útero (CCU) é o segundo tipo de Câncer mais comum na população feminina, sendo mais frequente em regiões menos desenvolvidas no mundo. O Human Papillomavirus (HPV) é considerado fator de elevado potencial oncogênico para desenvolvimento do CCU. Para combater este problema, a imunização é uma das intervenções em saúde pública mais econômicasaté o momento, que pode salvar milhões de vidas a cada ano. Com o surgimento da pandemia porCOVID-19, causado pelo SARS-CoV-2, essa prevenção vem sendo prejudicada. As medidas de bloqueio de países prejudicaram substancialmente a prestação de serviços de imunização. Para compreender a gravidade e as possíveis consequências negativas desta pandemia sobre as interrupções dos serviços de imunização na região do Xingu, é necessário fazer um balanço das tendências da cobertura de imunização antes e durante a pandemia daCOVID-19.Objetivo:Analisar o impacto da pandemia por COVID-19na cobertura vacinal anti-HPV em crianças e adolescentes de 9 a 14 anos, no município de Altamira-PA, visando contribuir com proposta para aumentar a taxa de cobertura neste município. Metodologia:Este estudo descritivo, ecológico e de série temporal foi realizado com dados secundários da cobertura vacinal anti-HPVentre crianças e adolescentes da região do Xingu com ênfase no município de Altamira. A população do estudo consistiu no total de 11.164 crianças e adolescentes, de ambos os sexos, sendo 4.553 (40,8%) do sexo masculino e 6.611 (59,2%) do sexo feminino. Resultados:Altamira registrou 4.052 doses aplicadas entre crianças e adolescentes em 2019, alcançou um percentual na cobertura total de 36.3% com média anual de 338 doses aplicadas mensalmente. E em 2020, este estudo estimou um total de 2.892 doses entre meninos e meninas, alcançando um percentual de 25.9%, sendo considerada média anual de 228 registros mensais de doses aplicadas. Conclusão:Os dados evidenciam que o município não alcançou a meta vacinal, mesmo antes da pandemia, preconizadapela Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde de 80%. Ressalta-se que a vacinação de HPV impacta em longo prazona redução de incidência da morbimortalidade de CCU, que é um problema de saúde pública o qual se encontradentro das metas de controle das doenças crônicas não transmissíveis.

  • NATALIA RODRIGUES EUGENIO
  • ELASTOGRAFIA COMO MÉTODO PREDITOR DE VARIZES ESOFÁGICAS

  • Data: 17/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • A fibrose hepática, definida pelo acúmulo de matriz extracelular com faixas de tecido fibroso, é a condição final em comum da maioria das doenças do fígado. Idealmente, a estratégia de gerenciamento de pacientes com descompensação da cirrose deve basear-se na prevenção da progressão da cirrose em vez de tratar complicações à medida que ocorrem. Dessa forma é preconizado realizar Endoscopia Digestiva Alta na avaliação inicial do paciente cirrótico para pesquisa de varizes esofágicas (VE). As evidências científicas indicam que a elastografia hepática possui níveis de sensibilidade e especificidade significativas que se aproximam ao exame padrão-ouro, com a vantagem de ser um exame indolor, não invasivo e de baixo custo, podendo ser um bom meio para o rastreamento de varizes esofágicas. O objetivo foi avaliar e descrever a correlação entre o valor da elastografia hepática transitória e a presença e grau de varizes esofágicas. O delineamento utilizado foi do tipo Teste Diagnóstico de Acurácia, dos doentes acompanhados no ambulatório do Grupo do Fígado. Para comparação entre as variáveis estudadas, foram utilizados os testes de Mann- Whitney e T de Student de acordo com as normalidades variáveis. Dentre os 56 pacientes selecionados, 53,6% (30/56) eram do sexo masculino. A média de idade foi de 60,3 ± 10,6 anos. A prevalência de varizes esofágicas foi de 50% (28/56). Os pacientes com varizes de esôfago (VE) apresentaram valores de elastância mais elevados quando comparados aos pacientes sem VE. Sugere-se a utilização de um Protocolo institucional para orientação e indicação de Elastografia Hepática Transitória em pacientes cirróticos.

  • ANTONIA LYANDRA JESUS DOS SANTOS
  • PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO GENITAL EM MULHERES VIVENDO COM HIV ATENDIDAS NO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA DE BRAGANÇA-PA

  • Data: 15/12/2020
  • Mostrar Resumo
  • O Papilomavírus Humano (HPV)é a Infecção Sexualmente Transmissível (IST) mais comum no mundo, são aproximadamente 291 milhões demulheres infectadas,e com incidência anual de cerca de 570mil casos de câncer de colo uterino(CCU), sendoo terceiro câncer mais incidente no Brasile o mais incidente no Estado do Pará. A infecção genital pelo HPV em mulheres vivendo com HIV/Aids (MVHA)temapresentado alta prevalênciaquando comparadas à população feminina em geral. Acredita-se quea imunossupressão causada pelo HIV possa ter papel importante naintensificaçãoda persistência do HPVe de seus mecanismos oncogênicos. De acordo com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS(UNAIDS),o CCUé o câncer mais comum entre as mulheres vivendo com HIV, sendo até5 vezes mais propensas aodesenvolvimento doque em mulheres que não vivem com HIV. O objetivo do estudo foidetectar a prevalênciada infecção genital pelo HPV em MVHA e seus fatores clínicos e epidemiológicosassociados. Trata-se de estudo transversal-analítico. Foram coletadas78 amostras biológicas do colo uterino de MVHA atendidas noServiço de Atendimento Especializado (SAE) de Bragança, Pará,no período de maio a novembro de 2019,para exames de citopatologia e detecção do DNH-HPV por PCR. E para coleta de informações foi utilizado um formulário e pesquisa de prontuários. A prevalência encontrada do HPV foi de 60,3%. Osfatoresde risco associadosa infecção pelo HPV em MVHA foi a idade >40 anos e o fato de estar solteira/separada/viúva(ambos p-valor=0,05). A prevalência do HPV em citologia normal (inflamatória/atrofia) foi de 58,3% e em citologia alterada foi 80%. O CCUfoi detectado em6,38% das mulheres coinfectadas. O uso regular de TARV entre as mulheres coinfetadas foiassociado a melhora da resposta imunológica. A TARV combinada AZT+3TC+EFZ apresentoupossível fator de proteção contra a infecção genital pelo HPV. Futuros estudosde coortedevem ser feitospara comprovar esse efeito. A avaliação da população de MVHA em relação a presença do HPV foi pioneiro na cidade de Bragança-PA e de grande importância para prevenção, detecção precoce e tratamento de lesões intraepiteliais e CCU, com subsídiospara implementação de programas de atenção à saúde regionalizados, divulgadopor meiode relatório informativo em meio a comunidade científica, gestores da saúde e participantes do estudo

  • HELANE CONCEICAO DAMASCENO
  • ASSOCIAÇÃO ENTRE A REPRESENTATIVIDADE DO EPITÉLIO GLANDULAR E A PRESENÇA DE ALTERAÇÕES PRECURSORAS DO CÂNCER DE COLO DO ÚTERO EM EXAMES COLPOCITOLÓGICOS NO MUNICÍPIO DE ALTAMIRA

  • Data: 20/11/2020
  • Mostrar Resumo
  • A detecção precoce do Câncer do colo do útero realizada através do exame colpocitopatológico depende da presença de células escamosas, glandulares e/ou metaplásicas constituindo critério de qualidade da amostra para o diagnóstico das lesões precursoras e do próprio Câncer cervical. OBJETIVO: Investigar a associação entre a representatividade do epitélio glandular/metaplásico e a positividade para alterações precursoras do Câncer em laudos colpocitopatológicos do programa de prevenção e controle do Câncer de colo de útero no município de Altamira. METODOLOGIA: Estudo ecológico realizado no município de Altamira-PA, utilizando-se a plataforma SISCAN/DATASUS do ministério da saúde para coleta de dados no período de janeiro 2014 a dezembro de 2018 que incluíram a verificação da frequência da representatividade de epitélio glandular/metaplásico nas coletas; a relação desta representatividade com a idade; verificação do índice de positividade e o percentual de lesão intraepitelial de alto grau (HSIL). Os dados foram analisados através da estatística descritiva e analítica por meio de testes não paramétricos (qui-quadrado x²) considerando diferença significativa quando p ≤ 0,05. RESULTADOS: A presença do epitélio glandular/metaplásico foi observada em 55,3% das amostras e dentre os exames alterados com lesões precursoras do Câncer de colo de útero 81,2% continham a presença de células do canal endocervical. A presença do epitélio glandular/metaplásico foi observada em 59,9% nas amostras de mulheres abaixo de 40 anos, em 56,3% daquelas com 40 a 49 anos, em 45,4% na faixa de 50 a 59, em 40% daquelas com 60 a 69 e em 36,4% em mulheres acima de 70 anos. A prevalência de exames alterados com presença do epitélio glandular/metaplásico por estabelecimento de saúde foi: HMSR 86 (69,4%); CAD 148 (85,1%); ESF da zona rural 14 (87,5%); ESF zona urbana 365 (82,8%). O índice de positividade esteve entre 0,9 a 3,4 e a capacidade de detecção de HSIL variou de 0,1 a 0,5 nos anos de estudo. CONCLUSÃO: a coleta do material cervicovaginal obtido em serviços de Prevenção do Câncer de colo uterino desenvolvidos em Unidades de Atenção Primária à saúde do Município de Altamira atende “em parte” às exigências de qualidade estabelecidas pelo Programa de Prevenção do Câncer do Ministério da Saúde, justificando a implantação de um protocolo de orientação à equipe técnica das unidades envolvidas no exame preventivo do Câncer de colo de útero.

  • KARINE MOREIRA GOMES
  • ATENÇÃO FARMACÊUTICA NO TRATAMENTO DE PACIENTES ONCOLÓGICOS EM HOSPITAISDE REFERÊNCIADEBELÉM, PARÁ, BRASIL

  • Data: 05/10/2020
  • Mostrar Resumo
  • O câncer se caracteriza pelo crescimento desordenado de células que podem invadir tecidos e órgãos. A complexidade do tratamento exige a formação de uma equipe multiprofissional, incluindoo farmacêutico, para viabilizar o tratamento e garantir a cura ou sobrevida do paciente. O objetivo do estudofoidescrever os aspectos da atenção farmacêuticadurante o tratamento quimioterápico de pacientes oncológicos em dois hospitais de referência emOncologia no município de Belém, Pará, Brasil. Trata-se de um estudo de avaliação de serviço com delineamento transversal, cuja amostra populacional foicomposta aleatoriamente por pacientes e farmacêuticos, médicosoncologistase enfermeiros do setor de Oncologia, pertencentes ao Hospital Universitário João de Barros Barreto e ao Hospital Ophir Loyola. Os que concordaramem participar do estudo,responderam perguntas através de questionário previamente elaboradoe os farmacêuticos foram avaliados empontos importantes dos procedimentos operacionais padrão de cada hospital. A análise dos dadosfoifeita no software Microsoft Office Excele no SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) for Windows, versão 24.0. Concluiu-se que os profissionais e pacientes de ambas as instituições são receptivos à atuação do farmacêutico, compreendem a importância da atenção farmacêutica e gostariam que fosse realizada de forma integral nas instituições. Verificou-se a necessidade de capacitação e aumento do númerode farmacêuticos para que sejam realizadas atividades clínicas mais frequentes.Ao final, elaborou-se um manualde atenção farmacêuticapara atualizar osprofissionais sobre o temae auxiliá-los no serviço, que será entregue às chefias do setor de Farmácia de cada hospital

  • ANA CAROLINA DE SOUZA DAMASCENO
  • BENGALA COM EMPUNHADURA FUNCIONAL: UMA PROPOSTA DE PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NA PERSPECTIVA DA TERAPIAOCUPACIONAL.

  • Data: 31/01/2020
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional é um fenômeno global, repercute não só no aumento da expectativa média de vida da população como também na exposição a alguns fatores de risco, dentre esses estão os episódios de queda. As quedas comprometem a independência e a qualidade de vida dos idosos, ocasionam impacto financeiro e funcional para os mesmos. Os de recursos de tecnologia assistiva são uma alternativa para a prevençã o. Nesse contexto, as bengalas são meios auxiliares de locomoção que contribuem para a prevenção de quedas em idosos, entretanto o abandono do dispositivo é fator de destaque, sendo impulsionado por diferentes motivos, desde prescrição imprópria como inadequação às variáveis biomecânicas. Diante disso esta pesquisa tem como objetivo desenvolver uma bengala funcional a partir de materiaisregionais como meio auxiliar de locomoção para prevenção do risco de queda em idosos. A metodologia utilizada na pesquisa caracteriza-se por ser de finalidadeaplicada, de caráter exploratório e do tipo experimental, seguindo os procedimentos a partir da metodologia sistemática de desenvolvimento de produto. Como resultado de pesquisa desenvolveu-se o produto Bengala Funcional, o qual foi produzido a partir da matéria prima fibra do açaí somado a um compósito polimérico, adotando design funcional. O produto proposto apresenta-se como alternativa de recurso de tecnologia assistiva auxiliar de baixo custo, a qual valoriza a matéria prima regional e a biomecânica do corpo humano, agregando biodegradabilidade e funcionalidade.
    Diante disso, pode-se concluir que existe hoje novas perspectivas para o emprego da fibra de açaí no desenvolvimento de novos produtos, entretanto ressalta-se a necessidade de se realizar testes mecânicos para validar a resistência do produto confeccionado, além disso, ressalta-se a importância de efetivar a funcionalidade do recurso auxiliar de marcha respeitando a biomecânica natural do corpo humano, proporcionando usabilidade do dispositivo.

2019
Descrição
  • FERNANDA RAMOS DA SILVA
  • Construção de um gibi como tecnologia educacional para prevenção do consumo de álcool, tabaco e outras drogas para crianças

  • Data: 18/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • : O uso abusivo de drogas (lícitas e ilícitas) é visto, mundialmente, como um grave problema de saúde pública que afeta crianças e adolescentes cada vez mais cedo. Faz-se necessário intervir, por meio de prevenção primária, utilizando-se de estratégias de prevenção em rede, com articulações intersetoriais que vão além do campo da saúde, com abordagens inovadoras, trabalhando principalmente a prevenção e promoção da saúde, evitando reproduções de comportamentos de risco, especialmente entre as crianças. Objetivo: Construir um gibi como tecnologia educativa em formato de revista em quadrinhos sobre prevenção do consumo de álcool, tabaco e outras drogas, partindo da dinâmica educativa para crianças de uma escola pública da periferia do município de Ananindeua-PA. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa metodológica, com abordagem quati-quantitativa, com período de realização de março de 2017 a dezembro de 2019. Teve como público alvo e cenário de pesquisa 30 crianças escolares de uma escola pública estadual de Ananindeua. O estudo consistiu em três fases: na primeira fase ocorreu a aproximação com os participantes e levantamento sobre os temas geradores da dinâmica educativa. A segunda etapa correspondeu à avaliação da apreensão do conhecimento e necessidade de saber das crianças escolares por meio de aplicação de uma dinâmica educativa. A terceira etapa consistiu na descrição do processo de criação do enredo da História em Quadrinhos. Resultados e discussão: Foi evidenciado que essas crianças têm ou já tiveram contato, direta ou indiretamente, como o tema proposto. O conhecimento dessas crianças sobre o assunto ainda é limitado, sendo pouco aprofundado, resultado que já era esperado, devido pertencerem a uma faixa etária considerada “imatura”. A História em Quadrinhos foi inspirada nos resultados dos conhecimentos apreendidos pelos participantes, sendo adaptada em sua história/enredo, linguagem regional e direta, cenário alusivo à periferia e em um desfecho positivo, 14 personagens foram criados para compor a narrativa. Considerações finais: Há um quantitativo incipiente de produções publicadas sobre a temática. Apesar de existir alguns projetos implantados em alguns Estados do Brasil, a prática de ações preventivas ao uso de drogas se configura como “embrionária” com crianças na conjuntura nacional, mesmo com a existência de políticas públicas transversais, privilegiando articulações e estratégias intersetoriais, em um cenário mundial em que cada vez se faz uso mais precocemente de drogas. Acredita-se que este estudo seja um dos pioneiros no cenário nacional, fazendo-se necessário que novas pesquisas e novas produções de tecnologias educacionais sejam criadas e validadas para abordar a prevenção do uso abusivo de drogas voltadas para crianças.

  • ANA LUISA MENDES DOS REIS
  • DERMATOLOGIA GERIÁTRICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: PROPOSTA PARA UM GUIA DE MANEJO CLÍNICO

  • Data: 17/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento populacional tornou-se uma realidade marcante em todo o mundo. A idade predispõe a uma série de modificações na fisiologia normal da pele. Desse modo, objetivou-se identificar as alterações dermatológicas mais frequentes nos idosos atendidos pela primeira vez no Ambulatório de Dermatologia da Universidade do Estado do Pará, em Belém-PA, no período de janeiro a junho de 2019, bem como os meios mais
    utilizados para o diagnóstico e as formas de tratamento mais realizadas, além de verificar a presença de xerose e prurido e as comorbidades associadas nessa população. Realizou- se também uma revisão integrativa da literatura contendo as melhores opções de tratamento para as alterações dermatológicas mais encontradas, que foi utilizada para a elaboração de um guia simplificado de manejo clínico, contendo orientações para condução diagnóstica e terapêutica, voltado para a atenção primária à saúde. Foram avaliadas 189 pessoas idosas e observou-se que 63,49% são do sexo feminino, com média de idade de 70,02 anos. As alterações dermatológicas mais encontradas foram: ceratose seborreica (14,81%), carcinoma basocelular (12,70%), onicomicose (10,58%), ceratose actínica (9,52%) e dermatite seborreica (7,94%). O meio diagnóstico mais utilizado para ceratose seborreica, ceratose actínica e dermatite seborreica foi clínico, enquanto que para a onicomicose foi o exame micológico direto e para o carcinoma basocelular o exame anatomopatológico. Já no que se refere ao tratamento destas condições,  ceratose

    ceborreica foi tratada principalmente com curetagem e eletrocauterização (64,28%), o carcinoma basocelular com exérese cirúrgica (100%), a onicomicose com associação de antifúngico oral e tópico (100%), a ceratose actínica com fluoruracila tópica (94,44%) ea dermatite seborreica com antifúngico tópico (86,67%). Além disso, observou-se xerose em 53,44% dos pacientes e prurido em 55% deles. Já a comorbidade mais encontrada foi a hipertensão arterial sistêmica (49,74%). A revisão integrativa da literatura, por sua vez, demonstrou que a terbinafina oral e a amorolfina tópica são as opções de tratamento mais indicadas para a onicomicose; a fluoruracila tópica é opção mais acessível e eficaz para a ceratose actínica; antifúngicos e corticoides tópicos são igualmente úteis no tratamento da dermatite seborreica; o fluconazol é a melhor opção oral para candidíase cutânea, já os azóis, a ciclopirox olamina e as alilaminas tópicas são igualmente eficazes; o itraconazol e a terbinafina são as melhores opções orais para as dermatofitoses e os azóis, a ciclopirox olamina e as alilaminas tópicas também são igualmente eficazes. Sendo assim, o propósito deste estudo foi tentar aumentar a resolubilidade dos agravos dermatológicos no nível primário de atenção à saúde, considerando as peculiaridades do envelhecimento, como as alterações fisiológicas da senescência, as comorbidades frequentemente presentes e os medicamentos mais adequados para este grupo populacional, características estas que tanto os diferem dos demais e exigem uma abordagem cuidadosa e específica.

  • SUZANA MENEZES DE ARAUJO VELOSO
  • IDOSOS SOB TERAPIA COM SINVASTATINA: IMPORTÂNCIA DO ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPÊUTICO

  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A população mundial com 60 anos ou mais atingiu 962 milhões em 2017. É estimado que esse número mais que duplique até 2050, com estimativa de 2,1 bilhões de idosos. Diante do rápido envelhecimento, discussões acerca das suas consequências na área da saúde são cada vez mais importantes. As doençasde caráter crônico-degenerativas, como as doenças cardiovasculares, representam as causas principais de morbimortalidade, fator a serconsiderado pelos profissionaisde saúde para a promoção da adesão ao tratamento.Emcontribuição, o farmacêutico é capazde detectar problemas relacionados a medicamentos, prevenir e resolver resultados negativos associados à terapia farmacológica. Diante do exposto, foi realizado um estudo prospectivo de intervenção cujo objetivo principal foiimplantar o serviço de acompanhamento farmacoterapêutico (AFT) destinado a idosos sob uso de sinvastatina. O estudo foi conduzido no período de junho a setembro de 2019 naAssociação da Melhor Idade (AMI) na cidade de Belém, Pará. O acompanhamento compreendeu consultas farmacêuticas conduzidas por formulário validado e adaptado ao estudo, com método “Subjetivo, Objetivo, Avaliação e Plano” (SOAP) auxiliar para registro das informações. Os participantes foram submetidos à coleta sanguínea paraanálise laboratorial do perfil lipídico eaos questionários Adherence to Refills and Medications Scale(ARMS) e Beliefs About Medications(BMQ) específico para avaliar o grau de adesão ao tratamento medicamentoso. Ao término do estudo, foi elaborado um Procedimento Operacional Padrão (POP) sobre o serviço de AFT. Os dados foram tabulados no programa Microsoft Office Excel e posteriormente submetidos ao Statistical Package for the Social Sciences(SPSS) para análise estatística comparativa “antes do AFT” e “após oAFT”. A população do estudo foi constituída por 12 participantescom média de idade de 66,7±5,4 anos, tipicamente do sexo feminino (91,7%).A média de medicamentos por participante foi de 4,8±1,8 e 10 idosos (83,3%)apresentaram algum problema relacionado à farmacoterapia (PRF). Destes, 30(53,6%) foram considerados resolvíveis em um total de 56 PRFs. Não houve diferença estatisticamente significativa entre os dados laboratoriais “antes” e “apósoAFT. Em relação aos questionários aplicados, o ARMS apresentou diferença estatisticamente significativa (p<0,05) entre as médias das respostas. Conclui-se, assim, que o profissional farmacêutico pode contribuir para a promoção da adesão ao tratamento medicamentoso e redução de problemas relacionados a este, a partir do AFT. Novos estudos são necessários para uma análise em período mais amplo acerca do perfil lipídico laboratorial de idosos sob terapia com sinvastatina.

  • AUDREY CABRAL BRANCHES SOARES
  • APLICATIVO MÓVEL PARA ATENDIMENTO DOMICILIAR INDIVIDUAL AO IDOSO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os processos de transição demográfica e epidemiológica trazem modificações quanto ao perfil de adoecimento populacional e a necessidade de reformulação dos serviços de saúde. A atenção domiciliar surge como alternativa  para garantir acessibilidade, cuidado integral à pessoa e abordagem da multimorbidade, nos contextos familiar, Sociocultural, psicológico e espiritual. Entretanto, na Atenção Primária à Saúde, a atenção domiciliar ainda se Configura como incipiente e pouco sistematizada. Deste modo, o presente estudo teve por objetivo validar um aplicativo móvel como recurso tecnológico para atendimento domiciliar ao idoso na Atenção Primária à Saúde, com intuito de orientar e sistematizar a atuação do profissional médico em tal contexto. Desta forma, este trabalho pode ser classificado como estudo prospectivo de ntervenção. O estudo foi realizado em três etapas: definição e seleção de requisitos a partir da literatura científica sobre o tema; desenvolvimento de aplicativo móvel a partir do IONIC framework versão 3 para criação de aplicativos híbridos; e validação de conteúdo e de propriedades de software por dez especialistas. A definição e seleção de conteúdo do aplicativo móvel resultou em cinco seções principais de conteúdo: critérios de elegibilidade, avaliação multidimensional, avaliação do cuidador, intercorrências e óbito em domicílio. O desenvolvimento do aplicativo móvel resultou em um software com 45 telas de conteúdo, capaz de funcionar em sistemas operacionais iOS e Android. Quanto ao perfil de avaliadores, a maioria contemplou todos os critérios adotados no estudo para a definição de especialistas, de forma que a totalidade apresentou experiência profissional em Atenção Primária à Saúde e atuação em preceptoria. Os resultados do estudo demonstraram um índice de validade de conteúdo global de 0,96 e média de 4,73 para a avaliação de propriedades do software, de forma que a ferramenta foi validada quanto ao conteúdo e funcionalidade e considerada adequada para uso no contexto do atendimento domiciliar ao idoso na Atenção Primária à Saúde. Conclui-se que a ferramenta tecnológica desenvolvida neste estudo é um produto com médio teor inovativo, média complexidade e abrangência potencial. Recomenda-se que estudos futuros adotem o aplicativo móvel no ensino de competências referentes a visita domiciliar ao idoso em contexto de ensino na graduação em medicina e na residência em medicina de Família e Comunidade, bem como no processo de trabalho do médico na atenção primária à saúde a fim avaliar seu impacto nestes cenários.

  • DEBORA CRISTINA DA SILVA FARIAS
  • DESENVOLVIMENTO DE UMA TECNOLOGIA EDUCACIONAL DIGITAL PARA PACIENTES E FAMILIARES SOBRE O SERVIÇO DE URGÊNCIA ONCOLÓGICA DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM CÂNCER NO ESTADO DO PARÁ

  • Data: 16/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A unidade de atendimento imediato é um setor de bastante procura no hospital referência em oncologia do estado do Pará, mas que constantemente é buscada de forma inadequada pelos pacientes porque os mesmos não sabem os critérios para atendimento nesta unidade. Não existe um modo sistemático no hospital para informar aos pacientes e cuidadores todas as informações a respeito do serviço. Sendo assim, a presente dissertação buscou desenvolver um aplicativo para dispositivos móveis com as informações pertinentes sobre a Unidade de Atendimento Imediato (UAI) e seu uso. Objetivo: Desenvolver uma tecnologia educacional digital em formato de aplicativo para dispositivos móveis direcionada a pacientes oncológicos e cuidadores relacionada ao reconhecimento de urgências e ao serviço de atendimento imediato ofertado em um hospital de referência em Oncologia. Método: Trata-se de um estudo metodológico de desenvolvimento de uma tecnologia digital em forma de aplicativo para dispositivos móveis com a finalidade de informar pacientes oncológicos e cuidadores sobre os serviços de urgência oferecidos na unidade de atendimento imediato de um hospital de referência. O conteúdo proposto na tecnologia foi elaborado pela pesquisadora com base em sua experiência na UAI. O aplicativo foi programado em linguagem Kotlin em ambiente de programação Android Studio para que tivesse 9 módulos informativos sobre o que é a UAI, o que são urgências oncológicas, quem faz parte da UAI, quando procurar e quando não procurar a UAI, documentos necessários, serviços ofertados e dúvidas frequentes. Resultados: O aplicativo desenvolvido rodou corretamente em diferentes dispositivos móveis com sistema operacional Android e está pronto para ser carregado para a Play Store. Seu registro já foi solicitado ao Instituto Nacional de Proteção Intelectual. Conclusão: O aplicativo poderá ser disponibilizado em breve aos usuários da UAI de forma gratuita.

  • CELYCE AGRASSAR DA SILVA
  • CUIDADOS PALIATIVOS EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA.

  • Data: 13/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O câncer infanto-juvenil apresenta dados epidemiológicas contemporâneas significativos sobre a prevalência e mortalidade, demonstrando a magnitude desta patologia no âmbito global, no qual os cuidados paliativos trariam o olhar de cuidado do indivíduo, para além da doença, ofertando melhora na qualidade de vida e dignidade frente desde o diagnostico até o momento de esgotamento das possibilidades curativas.Este estudo teve como objetivo realizar uma avaliação multifatorial sobre a qualidade de vida de pacientes oncológicos pediátricos inscritos no serviço de cuidados paliativos do hospital referênciano Nortedo Brasil. Foram avaliados pacientesinternados e via ambulatorial que eram acompanhados pelos cuidados paliativos considerando processo sociodemografico e componentes possíveis causadores de sofrimento durante vivencia oncológica: dor, náuseas, ansiedade, dificuldade na comunicação e etc. Paraexposição dos dados foi apresentada estatística descritiva após uso do inventarioPedsQL Modulo câncer destinado ao públicopediátrico com a referida doença. Como resultados, foram visualizados coeficientes representativos da qualidade de vida conforme auto relato e hetero relato. Como produto foi elaborada uma cartilha de autoavaliação dos pacientes e cuidadores de modo a servir de instrumento durante manejo dos profissionais ligados à assistência destesdo serviço em que a pesquisa foi situada. 

  • KEROLAYNE DE CASTRO BEZERRA
  • ELABORAÇÃO DE PROTOCOLO DE BUSCA ATIVA PARA DETECÇÃO DE REAÇÕES ADVERSAS A MEDICAMENTOS EM PACIENTES ONCOLÓGICOS

  • Data: 13/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • Os protocolos de tratamento de pacientes oncológicos envolvem complexa polifarmácia, situação que eleva o potencial para a ocorrência de reações adversas a medicamentos (RAM). Dessa forma, a onco-farmacovigilância foi desenvolvida, com o objetivo de monitorar RAM para drogas antineoplásicas citotóxicas, reduzir o risco de eventos adversos, reduzir o sofrimento e aumentar a qualidade de vida dos pacientes. Esse estudo teve o objetivo de elaborar um protocolo de busca ativa de reações adversas a medicamentos à ser utilizado pelo serviço da farmácia da quimioterapia de um Hospital Universitário em Belém-Pará, capaz de detectar eventos em tempo real, o que possibilita a execução de ações que possam prevenir, aliviar e/ou solucionar danos ao paciente. Trata-se de um estudo observacional prospectivo que se propôs a fazer a busca ativa de reações adversas a medicamentos em pacientes oncológicos e posterior elaboração de protocolo de detecção de RAM através de formulário de monitoramento de efeitos adversos. Foi aplicado à 50 pacientes oncológicos um questionário para coleta de informações sociodemográficas, um formulário de detecção de RAM e complementação dos dados com informações relevantes do prontuário, afim de se compor o quadro do paciente. Verificou-se associação entre interações medicamentosas identificadas e à polifarmácia utilizada pelos pacientes oncológicos (p < 0,01), reações adversas imediatas (p <0,01) e tardias (p <0,05). Problemas relacionados à medicamentos (PRM) demonstraram também estar associados à reações adversas imediatas (p <0,01) e tardias (p <0,01). Entre os protocolos acompanhados durante o período de estudo, observou-se associação entre o uso do fármaco Docetaxel e reações adversas imediatas (p <0,01) e entre protocolo FLOX modificado e reações adversas tardias (p <0,01). Pacientes com diagnóstico de Sarcoma de Kaposi e Câncer gástrico demonstraram pertencer à grupos de risco, visto o maior número de comorbidades associadas, interações medicamentosas do tipo grave, medicamentos prescritos, e reações adversas imediatas e tardias identificadas. A análise dos dados subsidiou a elaboração de um protocolo de busca ativa de reações adversas a medicamentos com estabelecimento de um fluxograma, definindo fármacos e pacientes de risco que devam ser incluídos prioritariamente visando a estruturação do serviço de farmácia clínica na unidade de saúde.

  • BERNARDO PORTO MAIA
  • SÍFILIS NA AMAZÔNIA: O PAPEL DO HOMEM NA EPIDEMIA

  • Data: 13/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A sífilis ainda representa importante agravo em saúde pública no mundo. Este estudo visa demonstrar o papel do homem com sífilis na perpetuação desta epidemia na Amazônia, através da caracterização do perfil sociodemográfico e clínico-epidemiológico dos homens com sífilis, no Estado do Pará. Trata-se de um estudo transversal, observacional, retrospectivo e descritivo, com abordagem quantitativa, realizado a partir dos dados obtidos dos bancos de Notificação Individual e Sífilis Gestacional da Secretaria de Estado da Saúde do Pará (SESPA). A casuística consiste em todos os casos de sífilis adquirida, sob qualquer forma clínica, em indivíduos do sexo masculino, notificados no Estado do Pará, entre 2013 e 2018. Dos 6.169 homens com sífilis, predomina a faixa etária de 19 a 30 anos, cor parda, escolaridade até o ensino fundamental completo e procedência de zona urbana. Quanto às características clínico-epidemiológicas, a maioria dos homens, parceiros sexuais de gestantes com sífilis, não recebeu tratamento. O principal motivo para o não tratamento do parceiro é quando este não apresenta mais contato com a mulher grávida. Concluiu-se que a sífilis adquirida na Amazônia encontra no homem um alvo importante para políticas específicas de atenção à saúde, com foco em diagnóstico precoce, tratamento e prevenção.

  • PAULA CAROLINE COELHO FONSECA
  • ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DA TOXOPLASMOSE OCULAR CONGÊNITA EM PACIENTES ATENDIDOS EM SERVIÇO DE REFERÊNCIA

  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A toxoplasmose congênita (TC) apresenta diferentes formas clínicas e dentre elas a forma ocular se destaca pela capacidade de causar grande comprometimento visual, principalmente aquelas que cursam com lesões maculares de retinocoroidite. Possui ampla distribuição mundial e tem como agente etiológico o protozoário Toxoplasma gondii, com maior incidência em áreas tropicais. O objetivo deste trabalho foi descrever os seus aspectos clínicos e epidemiológicos de crianças com toxoplasmose congênita atendidas em um centro de referência. Foi realizado um estudo retrospectivo, descritivo e com análises de alguns parâmetros sobre alterações oftalmológicas em crianças com TC, compreendendo o período de 2011 a 2018, através de dados de prontuários dos arquivos do ambulatório de infecções congênitas do Núcleo de Medicina Tropical (NMT/UFPA), de pacientes de ambos os sexos que realizaram exame físico e mapeamento de retina. Observou -se um predomínio de TC na faixa etária de 2 a 6 meses, em pacientes provenientes da capital do Estado, sem diferença significativa entre os sexos. Ao exame oftalmológico houve um maior acometimento bilateral (48%), com a forma cicatricial no momento do diagnóstico/ primeira consulta (48%). A maioria são alterações visíveis somente ao mapeamento de retina (80%), porém foram encontradas alterações visíveis na inspeção ocular, como: estrabismo (16%), microftalmia (16%) e catarata congênita (4%). A retinocoroidite foi a principal alteração oftalmológica identificada (80%) no mapeamento de retina, com predomínio de acometimento da região macular (65%). A associação entre lesão neurológica e ocular foi de 16%. Foi encontrado predomínio de sorologias características de infecção aguda 44% e 84% das crianças do estudo foram submetidas a tratamento específico. 72% das mães haviam feito pré-natal, porém apenas 32% realizou tratamento durante a gestação e somente 8% conhecia sobre doença. Nesta perspectiva, acredita-se que tais dados obtidos com esta pesquisa, bem como o teste informativo desenvolvido, possam oferecer conhecimento aos profissionais e população sobre a doença e suas medidas de prevenção, impacto no controle de morbidade, principalmente a redução dos impactos sociais causados por suas sequelas, como a visão subnormal e a cegueira, principalmente na região Norte

  • JULIANA NADIA FIGUEIREDO PIAUIENSE
  • INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE B EM PESSOAS QUE USAM DROGAS ILÍCITAS: PREVALÊNCIA, GENÓTIPOS, COMPORTAMENTOS DE RISCO E INTERVENÇÕES CHAVES NO ESTADO DO AMAPÁ, BRASIL

  • Data: 12/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • O vírus da hepatite B (VHB) é um envelopado de DNA pertencente à família Hepadnaviridae do gênero (Orthohepadnavirus) que possui tropismo pelos hepatócitos constituída por um invólucro externo e uma disposição interna. O período de incubação varia de30 a 180 dias. A transmissão pode ocorreratravés da exposição percutânea ou de mucosas de sangue ou fluidos corpóreos infectados com o VHB. No Brasil, cerca de 15,0% da população já entrouem contato com o vírus. Os casos crônicos acometem, aproximadamente, 1% da população. As pessoas que usamdrogas ilícitas (PQUD)apresentam risco aumentado de adquirir esse vírus, devido ao compartilhamento de equipamentos para uso de drogas e à adoção de práticas sexuais desprotegidas. O baixo nível de conhecimento sobre hepatites e a falta de atendimento adequado são também motivos para a elevadaprevalência do VHBentrePQUD, reforçando a necessidade urgente de ações de prevenção, controle e tratamento para a infecção viral e a dependência química. Sendo assim, esteestudotevecomo objetivoidentificar característicassócio-demográficase econômicasde PQUD e caracterizar a infecção pelo VHBnesse grupo de vulneráveisno estado do Amapá, norte do Brasil. Um estudo transversal com amostragem por conveniência (não-probabilística)acessou 308 participantespor meio da técnica de snowballem nove municípios do Amapá. A coleta foi realizada em março de 2015 a julho de 2018por meio de amostra biológica e questionário estruturado,preenchido durante entrevista face-a-face entre pesquisador-PQUD. O diagnóstico foi realizado por ensaio imunoenzimático e reação em cadeia depolimeraseem tempo real.A maioria deles pertenciamao sexo masculino, média de idade entre 18 a 29 anos, heterossexuais, solteiros, baixa escolaridade e nasceu em municípios do Amapá. A prevalência de exposição ao VHBfoi de 22,7% sendo que 7(2,3%) foram positivos para HBsAg, 43 (14,0%) para anti-HBc + anti-HBs e 20 (6,5%) somente anti-HBc. Em 12 (3,9%) foram detectados VHB-DNA. Os genótipos A (n = 7), D (n = 4) e F (n = 1) foram identificados.A busca ativa, a implementação de consultórios de ruas,a disponibilidade de preservativos, a oferta de testes rápidos e a orientação paraotratamentosão exemplos de estratégias de acesso e inclusão das PQUD à serviços de saúde. A implantação de um cronograma rápido (0,1e 2 meses) e acelerado (0, 7e 28dias) de vacinação pode aumentara adesão dos PQUD no esquema vacinal do VHB.Além doacesso e acolhimento adequados facilitarem acompreensãodas peculiaridades dos PQUD a fim de garantir um atendimento de qualidade potencializando o cuidado desta populaçãovulnerável.Os produtos desenvolvidos durante estudo foram: um capítulo de livro, um artigo científico e um relatório técnico para Secretária de Saúde do Estado do Amapápara conhecimento e incentivo de ações e estratégias de prevenção e promoção desaúdepara população de PQUD.Essas informações demonstraram a alta prevalência de infecções pelo VHBem PQUDno estado do Amapá que indicam a necessidade de ações de controle e prevenção à infecção pelo VHBentre PQUDe, por consequência, na população em geral.

  • MARINA BAIA DO VALE
  • ’A INFLUÊNCIA DA FISIOTERAPIA DE PREPARAÇÃO PARA O PARTONORMAL NO CONTROLE DAS EMOÇÕES: UM ENSAIO CLÍNICORANDOMIZADO’

  • Data: 11/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A fisioterapia dispõe de diversas técnicas de preparação para o parto normal, com o objetivo principal de preparar os músculos do assoalho pélvico de forma eficiente para suportar o peso durante a gestação e o esforço durante o trabalho de parto, atuando não somente na preparação do corpo para o parto mas também proporcionando aumento da confiança da gestante e diminuição do medo do parto. Objetivo: Verificar a influência da fisioterapia no pré-natal no controle das emoções. Metodologia: Ensaio clínico randomizado realizado na cidade de Bragança-PA. O estudo foi conduzido com primigestas de gravidez única e risco habitual, que estivessem matriculadas no pré-natal regular e desejassem o parto normal. As gestantes foram randomizadas em grupo controle e fisioterapia, sendo aplicado protocolo de fisioterapia pélvica para preparação para o parto normal no grupo fisioterapia. Todas as gestantes foram avaliadas no segundo e terceiro trimestre gestacional e no puerpério. Resultados: 31 gestantes participaram do estudo. A maioria das gestantes era adulta jovem, com baixa escolaridade, em união estável e se consideravam pardas. Houve diferença significativa no controle das emoções nas gestantes que realizaram fisioterapia. 93% e 86% do grupo fisioterapia versus 30% e 46%do grupo controle relataram maior confiança e diminuição do medo e ansiedade em relação ao parto normal, respectivamente. Conclusão: A fisioterapia na preparação para o parto normal teve influência positiva no controle de emoções de confiança, medo e ansiedade na percepção de primigestas

  • ANDRE MACIEL DOS SANTOS
  • DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA AUXILIAR NA FORMAÇÃO DE IMPRESSÕES DIAGNÓSTICAS INICIAIS EM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE TÓRAX

  • Data: 11/12/2019
  • Mostrar Resumo
  • A finalidade deste estudo foi elaborar e validar software para formação de impressões diagnósticas iniciais de tomografias computadorizadas (TC) de tórax. Trata-se de um estudo do tipo metodológico, quantitativo, transversal, descritivo. O desenvolvimento do software denominado RadioTips foi realizado no Laboratório de Neurologia Tropical do Núcleo de Medicina Tropical do Estado do Pará, utilizando linguagem Java e C++ através do programa MATLAB (Matrix Laboratory) R2017B. Foi baseado nos padrões fundamentais da TC de tórax e nas nomenclaturas atuais conforme o Colégio Brasileiro de Radiologia. A validação da qualidade técnica do software foi realizada por questionário, de acordo com as literaturas de validação e regras da ABNT/ISO/IEC 25062, utilizando-se escala tipo likert para quantificação das respostas. A amostra prevista foi constituída de 8 especialistas, sendo 75% (6) homens e 25% (2) mulheres, com uma faixa etária entre 36 e 50 anos, todos médicos especialistas em Radiologia e Diagnóstico por imagem há mais de 02 anos, trabalhando com TC de tórax, se atualizando no mínimo anualmente e buscando fontes variadas de aprendizado, sendo que 75% (6) eram conhecedores do Consenso Brasileiro de Terminologias em TC de Tórax. O questionário de validação foi submetido estatisticamente a testes de confiabilidade, apresentando Alfa de Cronbach de 0,79, indicando que a consistência interna do instrumento para a amostra estudada foi alta, e o Índice de Correlação Intraclasses de 78,9% (p<0,001) mostrando que os dados são confiáveis e o instrumento tem ótima qualidade. Os domínios interface, usabilidade, utilidade e aplicabilidade do questionário tiveram média acima de 4 (numa escala de 1 a 5), considerado valores satisfatórios quanto a avaliação do software pelos julgadores, havendo relação direta, entre os domínios utilidade e aplicabilidade (p=0,034).

  • ALINE MAYRA CABECA DE SOUSA
  • FORMULAÇÃO DE CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO DE ATENDIMENTO MÉDICO À POPULAÇÃO DE LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS

  • Data: 17/10/2019
  • Mostrar Resumo
  • A sexualidade é parâmetro constituinte da vida humana, segundo descrição de Albuquerque  et al (2013) sendo “o principal elemento estruturante da identidade e da personalidade, já que unifica seus níveis biológicos, psicológico e social”. Nesse contexto, se refere à inserção e papel do indivíduo no meio de convívio e percepção de si. Objeto de estudo por John Money, a sexualidade foi dividida em três conceitos primordiais: sexo, gênero e orientação sexual. Mesmo com discordância de outros autores quanto à descrição, a divisão destes termos possibilitou abertura científica para o tema, com estudos diversos pautados na diferenciação do comportamento afetivo-sexual em contextos culturais distintos. (ALBUQUERQUE et al , 2013; CARDOSO, 1996, 2008; MONEY, 1988, 1998)

    Ao conceituar sexo, concorda-se como sinônimo para “sexo biológico”, o qual divide indivíduos, a priori, em classificação binominal de acordo com a genitália de nascimento: macho/ fêmea, ou homem/mulher.  Diamond (1997) insere nova perspectiva ao estudar pacientes nascidos com genitália ambígua, adequando-os ao termo intersexuado. Dentro da discussão de gênero, sob o olhar da psicanálise, Stoller (1993) aponta que todos os indivíduos possuem masculinidade e feminilidade, sendo a identidade de gênero tendência a um dos dois, na autopercepção.  O termo “gênero”, e sua delimitação, surge dentre as discussões de grupos feministas, na tentativa de afastar o determinismo biológico implícito no termo “sexo”, aproximando a vivência sexualidade das relações socioculturais. (SAFFIOTI, 2009; STEARNS,2011)

    Abordando o terceiro dos eixos, o que versa sobre orientação sexual, estudos de Money (1988) classificam os comportamentos em monossexuais (heterossexuais e homossexuais) e bissexuais, baseado no sexo no parceiro envolvido na prática/ desejo sexual. Os discordantes, como Werner (1999) e Cardoso (2008), alegam que essa determinação é inconclusiva em certos convívios sociais, onde a classificação se dá de acordo com a posição tomada durante o ato, citando exemplo em povos indígenas ao redor do planeta e sociedades com menor contato com a globalização. Antes dos estudos de Money, alguns pesquisadores já haviam proposto escalas de organização de orientação sexual, baseadas no preceito que hetero e homossexualidade não são binários, mas apresentam-se em formato contínuo, sendo a  Escala de Kinsey (1948) de maior destaque. Kinsey propõe  organização em sete níveis distintos: (1) Exclusivamente heterossexual; (2) Predominantemente heterossexual com episódios raros de homossexualidade; (3) Predominantemente heterossexual com múltiplos episódios de homossexualidade; (4) Bissexual; (5) Predominantemente homossexual com múltiplos episódios de heterossexualidade; (6) Predominantemente homossexual com episódios raros de heterossexualidade e (7) Exclusivamente homossexual  

    A discussão sobre sexualidade, seus parâmetros e vivências é alvo de grandes divergências de opinião e ponderações, uma vez que é área de interesse de vários eixos de pesquisa nas ciências sociais, médicas e biológicas. Levando em consideração a complexidade das relações humanas e construção individual baseada nas experiências e cultura, a determinação anatômica e, consequentemente o binário homem-mulher, é insuficiente. Para delimitar grupos e orientar ações e estudos nos mesmos, faz-se necessário o uso de abordagem mais completa pautada na orientação sexual e identidade de gênero.  (ALBUQUERQUE, et al, 2013; BARBOSA;FACHINNI 2012; SAFFIOTI, 2009; STEARNS,2011.)

    Para melhor compreensão e dinâmica, temos que “sexo” refere-se a masculino, feminino e intersexo; “orientação sexual” a homossexualidade, heterossexualidade, bissexualidade, de acordo com interesse afetivo-emocional; enquanto “identidade de gênero” ocupa-se em denotar o papel no qual o indivíduo se enxerga na sociedade (homem, mulher, gênero fluído, queer, etc) (BENTO; PELÚCIO, 2012; BRASIL, 2010b; SANTOS, 2017)

  • LIZANDRA DIAS MAGNO
  • ANÁLISE MULTIVARIADA DE DADOS ESPIROMÉTRICOS DE PACIENTES ONCOLÓGICOS EM TRATAMENTO QUIMIOTERÁPICOPARA AUXÍLIO NA INDICAÇÃO DE ATENDIMENTO FISIOTERAPÊUTICO

  • Data: 28/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • Onúmero de sobreviventes ao câncer vem aumentando bastante nos últimos anos, o que também reflete sobre as complicações advindas de seu tratamento. Esteestudo teve como objetivo realizar uma análise multivariada para auxiliar na indicação de fisioterapia para pacientes oncológicos em quimioterapia a partir de uma série de dados espirométricos. Estudo do tipo observacional, analítico, transversal, realizadona Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON) Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB) em Belém-Pará, em que foram avaliados pacientes em tratamento quimioterápico, considerando hábitos de vida e características individuais, além daespirometria, com a mensuração Capacidade Vital Forçada (CVF)comparando valores obtido, predito, limítrofe e percentual; Volume Expiratório Forçado no Primeiro Segundo (VEF1)com valores obtido, predito, limítrofe e percentual; Índice de Tiffeneau (VEF1/CVF)e seus valores obtido, predito e limítrofe; Pico Expiratório de Fluxo (PEF)somente com valor obtido. Para exposição dos dadosfoi apresentada estatística descritiva e análise discriminante linear de Fisher. Como resultados, foram visualizadas disfunções pulmonares espirométricas na maioria dos pacientes avaliados, e a partir dos dados obtidos, foram criadas duas equações a fim de classificar os sujeitos quanto à necessidade de Fisioterapia que se expressam por meio de representação gráfica em planilha do Microsoft Excel. Espera-se que este produto possa auxiliar de forma prática na execução de avaliação dos pacientes oncológicos pelos profissionais do serviço em que o a pesquisa foi situada.

  • PATRICIA GAZEL PICANCO
  • AVALIAÇÃO INICIAL DO PACIENTE QUEIMADO: APLICATIVO PARA IDENTIFICAR RISCOS DE VIDA E PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO

  • Data: 28/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Os acidentes envolvendo o paciente queimado promovem gastos financeiros elevados e geram incapacidades funcionais e orgânicas ao paciente, além de consequências sociais e psicológicas para este e sua família. Grande parte dos óbitos e complicações graves envolvendo os pacientes queimados poderia ser revertida promovendo-se os cuidados adequados no atendimento desses. Neste contexto, a avaliação inicial eficaz e precisa é essencial para direcionamento do tratamento correto, reduzindo sequelas e promovendo melhores chances de cura. Considerando-se este contexto, o uso de dispositivos móveis, como smartphones, tablets e ipods, vem crescendo enormemente e a área da saúde utiliza cada vez mais os aplicativos para o uso na rotina diária. OBJETIVO: Desenvolver um aplicativo móvel para a avaliação inicial de pacientes queimados, auxiliando aqueles que não dominam o tema MATERIAIS E MÉTODOS: Este projeto é de característica mista de desenvolvimento de produto e avaliação de sua aplicabilidade e aceitação por potenciais usuários. A pesquisa se desenvolveu em 3 momentos: 1) revisão de literatura e reuniões multiprofissionais entre o programador e os pesquisadores 2) Concepção e desenvolvimento do software 3) avaliação do aplicativo pelo potencial usuário, através de um questionário que avaliou a interface, usabilidade, utilidade e aplicabilidade do software aplicado em profissionais especialistas de um centro de tratamento de queimados em Belém – PA após a utilização do app. A partir dos dados tabulados, foram elaboradas as estatísticas analíticas do estudo em formato de gráficos, a partir do cálculo das frequências (variáveis categóricas) absolutas e relativas. Foi realizado também uma análise de consistência interna do questionário através do teste de Alfa de Cronbach. PRODUTO E RESULTADOS: Foi desenvolvido o aplicativo iBurns, compatível com a plataforma Android e com as funcionalidades de cálculo da Superfície Corporal Queimada, reposição hídrica, profundidade e complexidade da queimadura, suporte avançado de vida, cuidados e recomendação imediatas, critérios de transferência para centros especializados, dentre outros. Após avaliação pelos usuários testados, obteve-se como itens mais bem avaliados a usabilidade e aplicabilidade, com 100% de concordância em 4 das 5 afirmações. O valor de Alfa de Cronbach do questionário foi 0,9564, classificado como excelente e demonstrando que este possui ótima consistência interna. CONCLUSÃO: Analisando a resposta dos avaliados, concluímos que o software desenvolvido obteve reconhecimento e aceitação, tanto pelas funcionalidades quanto pela usabilidade. Espera-se, com esta ferramenta um aumento da qualidade e rapidez no atendimento inicial ao paciente queimado. 

  • CARLA DANIELE NASCIMENTO PONTES
  • AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO TIREOIDIANA NOS PACIENTES EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA COMO FATOR PROGNÓSTICO: UMA PERSPECTIVA FUTURA

  • Data: 27/06/2019
  • Mostrar Resumo
  •  A síndrome do eutireoideo doente (ESS) é caracterizada pela redução dos níveis de T3 livre e aumento dos níveis de T3 reverso, com ou sem alteração dos níveis de TSH e T4 livre. Ela pode estar presente em diversas patologias e está intimamente relacionada ao prognóstico dos doentes críticos. Por isso, este estudo teve por objetivo avaliar a função tireoidiana dos pacientes internados na UTI da FSCMPA de Agosto e Dezembro de 2018 a fim de construir um protocolo de rastreio e prognóstico dos pacientes críticos. Fez-se, então, um estudo de caso-controle. Os resultados obtidos demostraram que a maioria dos pacientes incluídos era do gênero feminino, com idade de 20-29 anos, o tempo médio de permanência em UTI foi de 8 dias e principais causas de internação em UTI foram Eclampsia, muito provavelmente devido ao fato do hospital ser referência materno-infantil, seguido de sepse e insuficiência respiratória. A pesquisa de ESS pela equipe assistente ocorreu em apenas 3% dos pacientes, embora a prevalência tenha sido de 72%. A mortalidade geral foi de 40% e a maioria dos pacientes que foram a óbito possuíam ESS. A presença de ESS esteve diretamente ligada ao óbito, bem como a comorbidades, idade e tempo de permanência em UTI. Baseado nos resultados e nos pontos de corte encontrados, criou-se uma formula por regressão logística a fim de calcular a probabilidade dos pacientes irem a óbito, gerando assim, uma ferramenta complementar na avaliação prognóstica dos pacientes críticos. Diversos estudos vêm demostrando a importância da ESS e tentando estabelecer seu papel como fator prognóstico em UTI, especialmente nos doentes críticos crônicos. Portanto, conclui-se que a avaliação da função de hormônios tireoidianos pode ser incorporada a avaliação de rotina de UTI, a fim de complementar os atuais índices e escores utilizados para estimar risco de óbito e morbidade.

  • THAYNA MODESTO
  • ADESÃO AO TRATAMENTO DE PACIENTES INFECTADOS PELO HIV/AIDS ATENDIDOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

  • Data: 25/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • O Vírus da imunodeficiência humana (Human immunodeficiency virus – HIV) é o agente etiológico da Síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA/AIDS). Taxonomicamente o HIV é classificado na família Retroviridae, subfamília Orthoretrovirinae, no gênero Lentivirus, sendo reconhecidas duas espécies o HIV-1 e o HIV-2 (ICTV, 2014). Atualmente, a AIDS é considerada um sério problema de saúde pública em todo o mundo. De acordo com alguns estudos mais de 7.000 pessoas no mundo são infectadas, diariamente, pelo vírus (MARTINS et al., 2014; BACELAR e BRITO, 2015). No Brasil, a vigilância epidemiológica do HIV/AIDS é baseada na notificação compulsória de casos de AIDS por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde (MS). Os dados epidemiológicos também são oriundos dos registros de óbitos no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Sistema de Controle de Exames Laboratoriais (SISCEL) e do Controle Logístico de Medicamentos (SICLOM) (BRASIL, 2013b). Segundo o Boletim epidemiológico de 2015, desde o início da epidemia de AIDS em 1980 até junho de 2015, foram registrados no país 798.366 casos de AIDS, sendo 615.022 (77,0%) notificados no SINAN, 45.306 (5,7%) no SIM e 138.038 (17,3%) no SISCEL/SICLOM (BRASIL, 2015a). A patogênese de infecção do HIV envolve uma pronunciada depleção de células T CD4+ , levando a um quadro de imunodeficiência (MORGADO et al., 2000; LANE, 2010), podendo ser assintomática ou apresentar diferentes sintomas. Os estágios da infecção podem ser divididos em fase aguda, fase assintomática e fase de imunodeficiência avançada. O HIV pode ser transmitido por diferentes vias, como a sexual, transfusional, vertical, ocupacional e por compartilhamento de material perfurocortante (FERNANDES e BRITO, 2007). Em relação ao diagnóstico laboratorial da infecção pelo HIV em indivíduos com idade superior a 18 meses, o mesmo é realizado segundo a portaria SVS/MS nº 151 de 14 de outubro de 2009 (revogada pela portaria SVS/MS nº 29 de 17 de dezembro de 2013). Diante do resultado positivo, o paciente é encaminhado para o acompanhamento especializado para o início do tratamento (BRASIL, 2009). A terapia antirretroviral altamente ativa (TARV) tem o objetivo diminuir a morbidade e mortalidade das Pessoas que Vivem com HIV/AIDS (PVHA), melhorando a expectativa e qualidade de vida. Os medicamentos são adquiridos pelo MS e distribuídos nas Unidades Dispensadoras de Medicamentos (UDM) na rede pública de saúde; tanto os pacientes 7 atendidos pela rede pública quanto pela rede privada podem receber os medicamentos sem custos (BRASIL, 2012). O elenco nacional de antirretrovirais é composto por 22 medicamentos divididos em cinco classes farmacológicas que são os Inibidores de Protease (IP), Inibidores de Fusão (IsF), Inibidores da Transcriptase Reversa Análogos de Nucleosídeos (ITRN), Inibidores da Transcriptase Reversa Não-Análogos de Nucleosídeos (ITRNN) e Inibidores de Integrase (BRASIL, 2015b). O tratamento com os antirretrovirais são essenciais para as PVHA, porém os pacientes podem sofrer com alterações em longo prazo, resultantes da infecção pelo HIV e do tratamento medicamentoso. Estas alterações podem ser anatômicas (lipodistrofia), metabólicas, neuropsiquiátricas e gastrointestinais, que tendem a dificultar a adesão ao tratamento (BRASIL, 2008). A adesão é um processo complexo e multifatorial que abrange aspectos físicos, psicológicos, sociais, culturais e comportamentais. Ou seja, a adesão a um medicamento não envolve somente sua tomada na dose e frequência prescritas, mas também o comparecimento nas consultas agendadas com a equipe multidisciplinar, realização de exames, retirada dos medicamentos na data prevista, entre outros. Vale ressaltar que a má adesão é uma das principais causas de falha terapêutica. Por isso, cabe aos profissionais de saúde identificar dificuldades na adesão que podem causar no futuro o abandono do tratamento.

  • KAROLINE VITORIA SILVA RODRIGUES
  • INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA OCUPACIONAL COM HIPERTENSOS E DIABÉTICOS: DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE UM MANUAL DE HÁBITOS DE VIDA E ROTINA OCUPACIONAL

  • Data: 25/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil e no mundo, as Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) são as principais causas de morte e estão fortemente associadas a comportamentos e estilos de vida não saudáveis. As mudanças nos hábitos de vida são consideradas como cuidados fundamentais do tratamento de doenças crônicas, em especial da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e do Diabetes Mellitus (DM). A Terapia Ocupacional enquanto profissão que direciona suas intervenções para o fazer humano, considera que a rotina ocupacional do homem pode contribuir ou dificultar na adesão aos hábitos de vida e tratamento de uma doença crônica. Dessa forma, o estudo teve por objetivo elaborar e aplicar um manual de hábitos e rotina ocupacional, destinado ao acompanhamento terapêutico ocupacional de indivíduos cadastrados no programa Hiperdia de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de Belém-Pará. Trata-se de um estudo de intervenção, do tipo ensaio clínico não controlado, longitudinal, descritivo e analítico, destinado à intervenção terapêutica ocupacional no campo da adesão ao tratamento e prevenção de complicações, a partir do estímulo a mudanças nos hábitos de vida e rotina ocupacional de indivíduos hipertensos e/ou diabéticos. Utilizou-se como recurso terapêutico um Manual de hábitos de vida e rotina ocupacional, aplicado com 28 indivíduos cadastrados no programa HIPERDIA de uma UBS em Belém-PA. A intervenção teve duração de 8 semanas e avaliou a adesão ao tratamento a partir das mudanças desempenhadas nos hábitos de vida, sendo eles o uso adequado da medicação, alimentação saudável, prática de atividade física, controle do estresse, cessação do tabagismo e controle de bebida alcoólica; e nos aspectos da rotina ocupacional, sendo eles a vivência de conflitos familiares / interpessoais, sobrecarga de atividades e desorganização das atividades cotidianas. Os resultados apontaram para uma evolução na média do grupo em todos os itens avaliados, de hábitos e rotina, em comparação a 1ª e 8ª semana da intervenção. Os resultados indicaram uma melhora na adesão ao tratamento a partir de evoluções estatisticamente significativas em três dos cinco hábitos de vida avaliados (alimentares, uso adequado da medicação e controle de estresse). A intervenção terapêutica ocupacional evidenciou resultados significativos quanto a redução da sobrecarga de atividades dos participantes e apontou para uma relação condicionante entre os hábitos de vida e a rotina ocupacional, indicando que os participantes que realizaram maiores mudanças e ajustes na rotina ocupacional foram os que apresentaram maiores mudanças nos hábitos de vida. Conclui-se que o estudo apontou para resultados positivos relacionados à aplicabilidade do Manual, a partir de mudanças na rotina ocupacional e nos hábitos de vida, e consequente melhora da adesão ao tratamento dos participantes. A intervenção e o recurso possibilitaram maior participação do usuário ao serviço de saúde, gerenciamento da doença crônica, maior motivação para a realização das mudanças no cotidiano e maior percepção quanto as necessidades individuais e riscos em saúde

  • JAQUELINE BACELAR DA SILVA
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA INFECÇÃO PELO HIV/AIDS NO MUNICÍPIO DE PARINTINS/AMAZONAS

  • Data: 25/06/2019
  • Mostrar Resumo
  • vírus da imunodeficiência humana - HIV é um retrovírus humano da subfamília Lentivirus descrito em 1983, com tropismo para o sistema imunológico, infectando as células TCD4+ do hospedeiro, onde se replica, danificando e impossibilitando a célula de coordenar a função de defesa imunológica contra vírus, bactérias e fungos. Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico dos portadores do HIV/aids atendidos na Policlínica Padre Vitório Giurin no município de Parintins, estado do Amazonas, desde o primeiro caso diagnosticado no ano de 1992 até dezembro de 2017. Materiais e Métodos: Estudo descritivo quantitativo, com delineamento transversal e abordagem retrospectiva de dados colhidos em prontuário correspondendo aos casos diagnosticados de 1992 até dezembro de 2017, referentes à pacientes com diagnóstico de HIV. Foram utilizados os prontuários físicos e bancos de dados eletrônicos da Policlínica Padre Vittório Giurin e Serviço de Vigilância Epidemiológica do município de Parintins, Amazonas para a coleta das variáveis: gênero, idade no diagnóstico, estado civil, escolaridade, procedência (urbana ou rural) comportamento sexual (heterossexual, homossexual, bissexual), via de transmissão, primeiro registro de CD4+ e carga viral, notificação de aids, desfecho clínico, e coinfecções. Para a coleta dos dados foi utilizado um roteiro eletrônico estruturado para o interesse do estudo. Para análise individual das variáveis independentes foi aplicado o teste qui-quadrado com intervalo de confiança de 95% e nível alfa de significância de 5 %. Resultados: Foram analisados 397 prontuários; a média de idade foi de 31 anos (DP±11), 65% da amostra correspondia ao gênero masculino. A faixa etária de maior frequência foi de 20 a 29 anos (39%), estado civil solteiro (48%) e nível escolaridade superior a 12 anos. Quanto ao hábito sexual, 71% eram heterossexuais e a principal via de infecção foi a sexual 95%. As coinfecções mais prevalentes foram tuberculose (13%), sífilis (13%), neurotoxoplasmose (10%) e candidíase (8%) Conclusão: Foi possível conhecer o perfil epidemiológico do HIV/aids em uma população tão distinta do baixo Amazonas. Observou-se que a epidemiologia do HIV/aids caracteriza-se pela heterossexualização, feminização, pauperização, faixa etária jovem e nível médio de escolaridade. Além disso, observou-se que a mortalidade entre a população analisada está relacionada ao nível de escolaridade, presença de coinfecção e manifestação da aids.

  • LUZIELMA MACEDO GLORIA
  • DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA PARA O AUXÍLIO NA CLASSIFICAÇÃO E MANEJO CLÍNICO DE LOMBALGIA

  • Data: 02/05/2019
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As lombalgias constituem um importante problema de saúde, exigindo esforços dos profissionais a desenvolverem técnicas, instrumentos e tecnologias para avaliação, prevenção e tratamento. Objetivo: Elaborar um algoritmo computadorizado baseado nas diretrizes da APTA, que facilite o diagnóstico e tratamento de subgrupos de lombalgias. Materiais e Método: Trata-se de um estudo transversal, analítico e descritivo. Para construção do algoritmo e aplicativo foi utilizada a APTA. A pesquisa foi composta por duas etapas, na primeira, convidou-se via correio eletrônico os fisioterapeutas do CREFITO 12 a responderem um formulário composto por 5 domínios: caracterização da amostra (9 itens); formas de atualização profissional (2 itens); avaliação do conhecimento sobre o guia clínico de lombalgias (2 itens); julgamento sobre sua prática clínica com pacientes com dor lombar ( 2 itens); recomendações da APTA para classificação e tratamento de subgrupos de lombalgias sobre suas características pessoais e profissionais, (10 itens). Na segunda etapa, convidou-se fisioterapeutas que não tinham participado da primeira etapa a usarem o aplicativo por uma semana e depois responderem o segundo formulário composto de 4 domínios: interface (8 itens), usabilidade (5 itens), utilidade (5 itens) e aplicabilidade (5 itens) de acordo com a escala de Likert. Os dados foram apresentados em frequência relativa para a etapa 1 e médias e desvio padrão para etapa 2. Resultados: Na abordagem inicial participaram 59 fisioterapeutas, desses 52,54% eram do sexo feminino, as faixas etárias prevalentes foram entre 26 a 30 anos e 36 a 40 anos, ambas com 25,42 %. 100% disse gostar de tecnologia. O tempo de formação foram entre 0 a 2 anos e 11 a 15 anos, ambos com 23,73%, cerca de 50,85% eram oriundos de universidades públicas, 32,20% eram Bachareis.18,64% eram especialista em Fisioterapia Traumato-ortopédica, porém 64,41% disseram atender pacientes desta especialidade. O segmento corporal que julgaram ter boa atuação, foi a região lombar com 81,36%. Já em relação a atualização profissional, 83,05% disseram utilizar artigos científicos, porém, 40,68% sem frequência regular. 79,66% não conhecem a APTA, bem como, 59,32% disseram não conhecer outro guia clínico para lombalgias. Além disso, 59, 32% disseram não utilizar algum guia clínico para nortear no tratamento da dor lombar, apesar disso, 40,68% atribuíram à qualidade do atendimento o conceito “muito bom”. 52,54% disseram ter boa habilidade em diferenciar os subtipos de lombalgias, 44,07% atribuíram conceito “ Regular” ao tratamento de cada subgrupo sugerido pela APTA. Em relação aos tipos de lombalgias, 100% não souberam o número exato sugerido pela APTA. 27,12% souberam os fatores importantes para classificar os subtipos de lombalgias. Quanto a classificação dor aguda, subaguda e crônica em tempo de duração 23,73% classificaram corretamente, 6,78% classificaram a quantidade correta de subgrupos de lombalgias aguda, subaguda e crônica. 13,56% conhecem os instrumentos para avaliação da associação cognitiva ou emocional com o sintoma do paciente, quanto a indicação de tração manual ou mecânica 45,76% disseram ser indicado na dor aguda com dor irradiada para membros inferiores. Em relação a lombalgia subaguda com comprometimento emocional e/ou cognitivo, 57,63% responderam a característica correta. Já na lombalgia crônica com déficits de coordenação de movimento, 52,54% souberam especificar corretamente a característica desse subtipo. Para o teste e avaliação do aplicativo foram enviados 21 e-mails, desses apenas 8 fisioterapeutas usaram e responderam o formulário no tempo estabelecido. A avaliação da interface obteve média total de 4,23±0,19, a usabilidade com média total de 3,89±0,33, utilidade apresentando média entre 4,44±0,10 e aplicabilidade com média entre 4,34±0,30. Conclusão: a pesquisa traçou o perfil dos fisioterapeutas do CREFITO 12, além de avaliar a interface, usabilidade, utilidade e aplicabilidade, o que permitiu observar que o aplicativo apresenta adequabilidade e concordância entre os avaliadores. O produto por tanto, se torna mais uma opção dentre as ferramentas tecnológicas existentes na área da saúde, e assim auxiliar na tomada de decisão. 

  • MAYARA SILVA NASCIMENTO
  • A HANSENÍASE NO CONTEXTO FAMILIAR: O DOENTE, A DOENÇA E A FAMÍLIA

  • Data: 27/03/2019
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou investigar o conhecimento sobre a doença, participação e apoio familiar ao paciente, bem como a ocorrência da doença em famílias de portadores de hanseníase, matriculados no ambulatório de hanseníase do serviço de Dermatologia da UEPA. Trata-se de um estudo observacional, transversal e, predominantemente, descritivo, com ênfase nos casos de hanseníase e sua relação familiar. Foram entrevistadas 83 pessoas com diagnóstico de hanseníase, que estavam em acompanhamento no ambulatório de Dermatologia da UEPA. Foi utilizado um protocolo feito pela própria autora como instrumento de coleta de dados, contendo informações socioeconômicas, demográficas, aspectos clínicos da doença, conhecimento da doença pelo paciente e seu familiar, apoio familiar ao doente e sua doença e, por fim, história familiar de hanseníase. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Estado do Pará, sob o CAAE nº 80867817.1.0000.5174. Identificou-se predominância do sexo masculino, de 30 a 44 anos, escolaridade de 5ª a 8ª série e baixo nível socioeconômico. Houve predomínio da forma virchowiana, multibacilar, com baciloscopia negativa, ausência de neurite, porém, quando presente, com comprometimento de nervo ulnar, principalmente. A maioria, não apresentou nenhum tipo de reação hansênica. Dos que apresentaram, a maioria teve reação do tipo I, tratou com prednisona e não teve nenhuma reação adversa à droga. Quanto ao conhecimento de pacientes e familiares acerca da hanseníase, ambos apresentaram um conceito final considerado “bom”. No que se refere ao apoio familiar dado aos pacientes, a maioria apresentava-se na presença de um acompanhante nas consultas, com família ciente e apoiando diagnóstico e tratamento, e os pacientes relataram não terem sofrido preconceito por parte de sua família, com a doença. A maioria dos pacientes negou histórico familiar de hanseníase. Dos casos em que havia história familiar positiva, a maioria tinha laços consanguíneos com o paciente, realizou o tratamento adequado e maior parte dos contactantes foram examinados e vacinados. Dessa forma, considera-se urgente o esclarecimento acerca da hanseníase aos pacientes e familiares, assim como campanhas educativas para a comunidade, diminuindo o estigma e o preconceito, inclusive, dos próprios doentes, bem como de seus comunicantes, sejam eles amigos ou familiares. 

2018
Descrição
  • CAMILA CRISTINA GIRARD SANTOS
  • ANÁLISE DOS PREDITORES DE RISCO PARA DESENVOLVIMENTO DE HIPERTENSÃO GESTACIONAL GRAVE EM MULHERES ADMITIDAS COM SÍNDROME HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO

  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O processo de gestação transcorre como um período de mudanças significativas, o organismo materno sofre inúmeras modificações, consideradas fisiológicas, uma vez que está preparando o corpo feminino para o processo de crescimento e desenvolvimento de um concepto. Sendo assim, existem casos em que esse processo é sucedido de transformações que desvirtuam dos processos fisiológicos e passam a se tornar patológicos colocando em risco a vida da mãe e do feto à exemplo das síndromes hipertensivas específicas da gestação que encontram-se com uma das patologias obstétricas mais recorrentes entre gestantes (BRASIL, 2012).

    As síndromes hipertensivas específicas da gestação (SHEG) estão entre as principais causas de morbimortalidade materna e neonatal. A SHEG é considerada quando há uma alteração dos níveis pressóricos, a partir da 20ª semana de idade gestacional, identificada como um valor de pressão arterial sistólica superior a 140 milímetros de mercúrio (mmHg) e pressão diastólica acima de 90 mmHg (BRASIL, 2012).

    As alterações pressóricas na gestação apresentam classificações de acordo com sua apresentação clínica e grau de intensidade, sendo classificadas em pré-eclâmpsia grave ou não grave, eclâmpsia, hipertensão crônica e transitória, síndrome hellp e doença hipertensiva não classificável; todas apresentando como característica em comum alterações nos níveis pressóricos e/ou alterações clínicas e laboratoriais (ZUGAIB, 2012).

    As síndromes hipertensivas são habitualmente observadas durante as consultas do pré-natal, pois trata-se de uma doença silenciosa em que os sinais e sintomas surgem quando há agravamento do caso, portanto necessita de um acompanhamento rotineiro e especifico da aferição da pressão arterial e verificação de resultados laboratoriais, o que é realizado durante o programa (BRASIL, 2012).  Neste sentido o pré-natal torna-se primordial no rastreamento e acompanhamento de casos, o que também recai na preocupação com a qualidade deste programa quando o mesmo não consegue identificar estes problemas, ou quando há absenteísmo das gestantes, dificultando o diagnóstico, detecção de casos e tratamento em tempo oportuno.     

    No Brasil em uma pesquisa realizada na fonte de dados do datasus entre os anos de 2000 a 2009 existiam três principais causas da mortalidade materna, sendo elas: doenças que complicam a gravidez parto ou puerpério; eclâmpsia; e infecção puerperal, destacou-se que a eclâmpsia foi a principal causa de morte, com mulheres em sua maioria na faixa etária de 20 a 29 anos o que torna preocupante devido o surgimento dessa patologia em adultas jovens (BRASIL, 2009).

    Atualmente a preocupação com este problema global ocasionou no meio acadêmico o interesse em estudar os principais fatores de risco para o desenvolvimento das SHEG, mesmo sua etiologia ainda sendo muito discutida e algumas teorias sendo utilizadas, notou-se que estabelecer a relação entre os fatores de risco para esta patologia seria um meio viável para tentar minimizar os agravos em gestantes e o índice de morbimortalidade (BRASIL, 2012). Portanto o ministério da saúde coloca como fatores de risco alguns consensos entre literaturas, os quais perpassam por idade materna, primiparidade, hábitos de vida, antecedentes clínicos, obstétricos e familiares; e por meio do estudo destes fatores é possível a detecção precoce e tratamento em tempo oportuno de mulheres (BRASIL, 2012). 

  • OSWALDO CARDOSO FRAZAO NETO
  • LINHA DE CUIDADO DO TRANSPLANTE DE CÓRNEA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO BETTINA FERRO DE SOUZA/UFPA

  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo é uma pesquisa descritiva, transversal, de abordagem qualitativa, do serviço detransplante de córnea do Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) da Universidade Federal do Paráno ano de 2017. Tem como objetivo a elaboraçãoda linha de cuidado do transplante de córnea neste serviço de saúde universitário, descrevendo a evolução do transplante de córnea no Pará entre 2013 e 2017, o perfil socioclínico dos usuários do sistema no ano de 2017 e a caracterização do fluxo de atendimentoa esses sujeitos na perspectiva da linha decuidado, nos diferentes níveis de gestão e atenção, além de realizar discussão sobre as dificuldades envolvidas no processo.A metodologia tem como base a avaliação de dados de domínio público do Ministério da Saúde, Sistema Nacional de Transplantese Central de Transplantes do Parásobre o serviço em estudo,promovendo análise por meiodedinâmica de grupo durante reunião em órgão colegiado multidisciplinar na Unidade de Visão do HUBFS/UFPA, enfatizando a elaboração da linha de cuidado do transplante de córnea no hospitaluniversitário em estudo mediante o método da observação simplesparticipante, para posterior discussão sobre os entraves nas etapas que envolvem os pontos de atenção à saúde desses usuários

  • OLIVIA CAMPOS PINHEIRO
  • ANÁLISE DO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO, CLÍNICO E IMUNOLÓGICO DOS PACIENTES COM NEUROTOXOPLASMOSE INFECTADOS PELO HIV ATENDIDOS NO CENTRO DE REFERÊNCIA DO OESTE DO PARÁ

  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A Neurotoxoplasmose (NTX) é uma doença oportunista comum nos portadores de HIV/AIDS, causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, que pode surgir quando os níveis de linfócitos TCD4+ estão <200células/mm³. O objetivo do estudo foi descrever o perfil epidemiológico, clínico e laboratorial dos pacientes com NTX infectados pelo HIV, acompanhados no Centro Testagem e Aconselhamento/Serviço de Assistência Especializada (CTA/SAE). O estudo caracterizou-se como descritivo, quantitativo e longitudinal retrospectivo. A amostra foi composta por 91 prontuários de pacientes atendidos no CTA/SAE em Santarém – PA com diagnóstico de HIV e com NTX, que deram entrada no serviço no período de 1998 até dezembro de 2017. Buscou-se informações nos prontuários referentes às características sociodemográficas, clínicas e imunológicas em quatro momentos: P1– diagnóstico de NTX; P2– 6 meses de seguimento; P3– 1 ano; P4– 2 anos seguimento. Os dados foram analisados com recursos da estatística descritiva e inferencial, pelo programa R, adotando-se o nível de significância de p<0.05. Os resultados demonstraram que 73% dos pacientes são homens, a faixa etária prevalente foi 40-49 anos, 48% solteiro, a maioria procedente de Santarém (64%). A totalidade dos pacientes pesquisados obteve diagnóstico por meio clínico-radiológico e 66% deles ainda não sabiam a situação sorológica para HIV no momento do diagnóstico de NXT. Os principais sinais clínicos foram: hemiparesia (18%), cefaleia (14%), febre (13%) e déficit neurológico (13%). As infecções oportunistas/coinfecções mais presentes no seguimento clínico foram a monilíase oroesofágica (n=36), tuberculose pulmonar (n=15), sífilis e neurocriptococcose (n=11). A terapia antirretroviral mais utilizada foi o tenofovir+lamivudina+efavirez (40%). O esquema terapêutico para NTX prevalente foi sulfametoxazol-trimetropim (45%). Quando pesquisado sobre recidiva da Neurotoxoplasmose detectou-se que 90% não apresentaram. Ao avaliar os valores de linfócitos TCD4+ P1, observou-se que 38% dos pacientes tinham valores ≤50 células. Com relação à carga viral, 71% encontravam-se com níveis >10.000 cópias. Quando comparado com P4 nota-se uma elevação do TCD4 com 51% >350 células e 82% com carga viral indetectável. Conclui-se, que NTX ainda é uma complicação neurológica comum em pacientes com AIDS, contudo nota-se que com o diagnóstico precoce e o tratamento adequado, a evolução clínica e imunológica dos pacientes é evidente

  • PAOLA KATHERINE ESTEVES DA SILVA
  • REPERCUSSÕES CAUSADAS NAS CRIANÇAS VÍTIMAS DE TRAUMA EM HOSPITAL DEREFERÊNCIA DA REGIÃO NORTE

  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou analisar as repercussões emocionais, nutricionais e físicas que os traumas por causas externas podem causar nas crianças acometidas, bem como traçar o perfil clinico e epidemiológico das mesmas. O local de admissão dos menores foi o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), e os locais de internação foram a Clínica Pediátrica (CP) e Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIPED). Trata-se de um estudo exploratório e analítico, com abordagem qualitativa e quantitativaem criançasvítimas de trauma por causas externas. Foram coletados 635 prontuários de agosto de 2017 a julho de 2018 dos menores internados na CP e UTIPED, e foram realizadas entrevistas com 60 acompanhantes no período de setembro a outubro de 2018. Em relação ao perfil epidemiológico das crianças internadas, evidenciou-seprevalência do sexo masculino (68,8%), com idade de 5 a 9 anos (42,8%), provenientes do interior (55,6%), vítimas de quedas (n=47,7%), que evoluíram com fraturas de MMSS. Prevaleceu o uso de Ventilação MecânicaInvasiva (VMI), a maioria ficou internada por mais de 72H e 2,7 das crianças evoluiua óbito. Em relação às repercussões do trauma verificou-seque a maioria apresentou alterações emocionais em80% dos casos, sendo o choro frequente a alteração de maior prevalência, a maioria seguiu com alteração alimentar devido à alimentação ofertada pelo hospital ser diferente da habitualmente utilizada pelas mesmas. Amaioria das crianças cursOUcom alterações físicas, pois apresentousequelas como diminuição de força,amplitude de movimento (ADM) e edema em 45 % dos casos; não conseguiram realizar na maioria das vezes as atividades de vida diária (AVD ́S). A partir disto foi criada uma cartilha contendo informações quanto àprevenção dos traumas por causas externas com o intuito de auxiliar a formulação de políticas públicas e ações de saúde coletiva planejando e executando medidas de prevenção e promoção da saúde. 

  • ROOSE MARY NUNES MEDEIROS
  • FOTOPROTEÇÃO E EXPOSIÇÃO SOLAR E O CONHECIMENTO SOBRE O RISCO DE CÂNCER DE PELE DE TRABALHADORES DO MERCADO VER-O-PESO, BELÉM-PARÁ

  • Data: 18/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • O câncer da pele é a neoplasia de maior incidência no Brasil, sendo a exposição excessiva e crônica ao sol o principal fator de risco para o este câncer. Trabalhadores que exercem atividades ao ar livre são mais suscetíveis. Este estudo objetivou identificar os hábitos de fotoproteção e exposição solar e o conhecimento sobre o risco de câncer de pele de trabalhadores do mercado Ver-o-Peso, Belém-Pará. Trata-se de um estudo observacional, transversal e analítico, realizado com 150 trabalhadores da feira do Ver-o- Peso, no período de março a agosto de 2018. A casuística deste estudo foi composta, sobretudo, pelo sexo masculino, na faixa etária de 30 a 49 anos, fototipos III e IV, com a mesma proporção entre solteiros e casados e entre nível de ensino fundamental e médio. Os trabalhadores se expõem diariamente ao sol, sem distinção de horário, com exposição predominantemente na feira, onde passam em média 8 a 12 horas por dia. 84,7% faz uso da sombra como medida de proteção solar; 51,3% usa o fotoprotetor, sendo apenas 24% no trabalho; 48% usam chapéu; 33% evitam se expor diretamente ao sol no horário de 10 as 16h e 31% usam óculos de sol. 51% dos indivíduos que usam protetor solar, não reaplicam nenhuma vez ao longo do dia; 85% deles aplicam na face e corpo e 48% usam FPS entre 30 e 50. Os motivos relatados para o não uso do protetor solar foram o esquecimento, a falta de hábito, custo elevado do protetor, não ver necessidade do uso, falta de paciência e cosmética ruim. Não houve relatos de casos de câncer de pele entre os entrevistados e 4% relataram história familiar. 48% dos trabalhadores que relataram saber de algum dos riscos, não faziam uso de protetor solar; e 41,7% dos que apontaram o risco de câncer, ainda assim não usavam o produto. Assim, entende-se que há grande necessidade de se incrementar as campanhas de combate ao câncer de pele, bem como a veiculação das informações na mídia com explanações pelos especialistas, e garantir o acesso aos filtros solares, a fim de incentivar a utilização de fotoproteção no cotidiano da população, tendo por fim hábitos mais saudáveis que promovam a redução dos índices do câncer de pele.

  • ROSANA MOREIRA DA SILVA
  • PROTOCOLO DE PREVENÇÃO DE PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA EM HOSPITAL DE ALTA COMPLEXIDADE: FATORES INTERFERENTES E PROPOSTA DE INTERVENÇÃO EDUCATIVA

  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) é uma das complicações mais comuns nos pacientes ventilados mecanicamente, sendo fundamental a aderência do profissional ao protocolo de prevenção da PAV. Dessa forma, é necessária a capacitação contínua da equipe para garantir atendimento com qualidade e segurança ao paciente. Objetivo: identificar fatores que interferem na adesão do protocolo de PAV na UTI de um hospital de alta complexidade e avaliar uma proposta de intervenção educativa. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo, desenvolvido em unidades de terapia intensiva de um hospital público do Estado do Pará. Foram coletados por meio de questionários, os fatores interferentes na execução das medidas preventivas da PAV pela equipe multiprofissional; bem como, realizada a observação direta da adesão dos profissionais ao bundle mediante cleck list, coletado os dados de incidência da PAV antes e após a implementação do protocolo e os resultados de adesão dos profissionais ao bundles realizados pela própria instituição, além de promover uma intervenção educativa com toda equipe sobre a temática. Resultados: os fatores interferentes na adesão as medidas foram: ausência do medidor na cama para angular corretamente; a falta da clorexidina 0,12% na higiene oral e do dispositivo cuffômetro na mensuração do cuff; dificuldade na liberação do cirurgião assistente para início precoce da nutrição enteral e instabilidade clínica do paciente para a interrupção da sedação diária. Além disso, constatou-se após a ação educativa aumento na adesão das atividades de angulação da cabeceira da cama (25,3%), na realização da higiene oral com clorexidina 0,12% (26,7%), na interrupção diária da sedação (13,9%), bem como, diminuição das prescrições tardias da nutrição enteral. Também, foi detectado um aumento das taxas da PAV, crescendo 11.3% entre os anos de 2016 à 2018. Conclusão: constatou-se de modo geral uma baixa adesão ao bundle pela equipe multiprofissional, contudo, houve um aumento da adesão após a intervenção educativa. Cabe ressaltar que, para alcançar a qualidade da assistência e a segurança do paciente com o uso do bundle, é fundamental que todas as práticas estejam em conformidade, sendo primordial contar com o apoio da direção da instituição, fornecendo recursos organizacionais e disponibilizando infraestrutura.

  • CAMILA NASCIMENTO ALVES
  • FICHA DE ATENDIMENTO AMBULATORIAL E APLICATIVO: UMA PROPOSTA PARA FACILITAR O DIAGNÓSTICO E SEGUIMENTO NA ESCLEROSE MÚLTIPLA

  • Data: 17/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: As doenças desmielinizantes são desencadeadas porum evento inflamatório no sistema nervoso central ou periférico, determinando uma ampla gama de déficits neurológicos como comprometimento motor, parestesias, alteração visual e/ou esfincteriana, até uma incapacidade neurológica permanente. OBJETIVO:Implementar uma ficha de atendimento para o seguimento de pacientes com Esclerose Múltipla, além de um protocolo clínico para investigação de casos suspeitos. Ao final das fichas, demonstra-seum protótipo de aplicativo que visa facilitar o acesso e interpretação dos critérios diagnóstico da doença. A utilização rotineira dessas fichas irá padronizar o atendimento ambulatorial, facilitar o acesso aos dados para futuras pesquisas e guiar o médicosobre as perguntas mais pertinentes sobre a doença. METODOLOGIA:Foi realizada uma revisão de literatura nas bases de dados comoMEDLINE/Pubmed e Scientific Eletronic Library Online (SCIELO)para a criaçãodas fichas. São propostas duasfichas: uma para odiagnóstico e outra para o seguimentoclínico de paciente com Esclerose Múltipla,além de um aplicativo de celular com os critérios diagnósticos da doença. RESULTADOS: De maneira geral,as duas fichas contém um breve histórico sobre a doença, medicação utilizada, um guia de exame físico e um espaço para descrição dos principais examescomplementares. Ao final da ficha de diagnóstico, existemfotos das telas do aplicativo proposto para facilitar a utilização dos critérios de McDonald para definição ou não do diagnóstico.DISCUSSÃO: Na literatura não há estudo semelhante, que proponha uma ficha de atendimento para os casos de EM. A formulação das fichas foram baseadas emestudos descritivos, prospectivos e de revisão sistemática. CONCLUSÃO:O uso da ficha de atendimento torna aconsulta mais dinâmica e objetiva,além da inovação com aplicativo para definição diagnóstica.Posteriormente, essas fichas devem ser atualizadas para que sempre estejam adaptadasa realidade local. A análise futura permitirá avaliar avanços notempo de consulta, de armazenamento de informação, de análise mais vertical do prontuário e da evolução do pacientecom EM

  • ADRIANA KAMILLY LEITÃO PITMAN MACHADO
  • AVALIAÇÃO DAS DESORDENS PSIQUIÁTRICAS E CORRELAÇÃO COM O TRATAMENTO DE PACIENTES COM PSORÍASE VULGAR

  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A psoríase é uma doença crônica inflamatóriamultissistêmica com diversas comorbidades, entre elasestão os transtornos de ansiedade e de depressão.Neste trabalho,pesquisou-se a prevalênciadestas entidades psiquiátricas e relacionou-asàs variáveis socio-demográficas e às formas de tratamento clínico.Foram avaliados 90 pacientes, dentre eles, destaca-se que 41 pacientes (45,56%) utilizavam apenas tratamento tópico, 28 pacientes (31,11%) utilizavam metotrexate via oral e 21(23,33%) utilizavam imunobiológicos. Observou-se que 47 pacientesdos avaliados(52,23%) apresentaram algum grau de depressão (leve, moderado ou severo) e que 53 pacientes (58,89%) apresentaram algum grau de transtorno de ansiedade (leve, moderado ou severo).Não houve relação estatística significante entre o quadro de ansiedade e de depressão e o escore PASI elevado, assim como a faixa etária, a empregabilidadeoua escolaridade. Houve associação estatística entre o quadro psiquiátrico e o gênero feminino (p<0.0001) e da menor prevalência, com o uso de imunobiológicos, de depressão(p=0,0336)ede ansiedade moderada e severa(p=0,0458).Os achados ratificam os achados encontrados na literatura,nosquaisoquadro psiquiátrico possui também uma ampla associação com a fisiopatogenia inflamatória da psoríase, em especial em relação ao TNF-alfa e a IL-17, e as novas terapias com os imunobiológicos se configuramcomoalternativaseficazesjá que bloqueiam estas citocinas

  • ERICA BAPTISTA PINTO
  • ANÁLISE DA PELE DO CAMPO DE CANCERIZAÇÃO ANTES E APÓS O TRATAMENTO COM MEBUTATO DE INGENOL GEL ATRAVÉS DE MÉTODOS CLINICOS, HISTOPATOLÓGICOS E IMUNOHISTOQUÍMICOS

  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A formação de um campo de cancerização cutâneo sugere que a pele ao redor de malignidades foi exposta à mesma luz ultravioleta crônica da lesão inicial e, portanto, é passível transformação maligna. Quando múltiplas lesões de queratose actínica (QA) estão presentes ou quando lesões subclínicas são suspeitas, deve-se considerar o tratamento toda a área com dano actínico, objetivando erradicar todas as lesões: visíveis, subclínicas e pequenos focos de clones transformados. O mebutato de Ingenol (MI) é uma opção de uso tópico para o tratamento do campo. Quinze pacientes com múltiplas lesões de QA e sinais de fotodano foram submetidos ao tratamento com MI gel por dois (0,05%) ou três dias (0,015%) em uma área de 25cm2 localizada no corpo ou face e couro cabeludo, respectivamente. Biópsias foram realizadas antes e após 57 dias do início do tratamento e o material foi enviado para estudo histopatológico e imunohistoquímico, utilizando marcador para a proteína TP-53. A eliminação completa das lesões ocorreu em 85,7% dos pacientes que receberam o tratamento na face ou couro cabeludo e em 50% dos que trataram outras regiões do corpo. As reações cutâneas locais tiveram pico no dia 4 e redução importante no dia 8, de forma que após o décimo quinto dia os pacientes quase não apresentavam tais reações. O tratamento foi capaz de induzir melhora nos índices de gravidade e quantidade de atipia dos queratinócitos, promover maior síntese de fibras colágenas na derme superior e média e diminuir o grau de intensidade da elastose depositado na derme. Os resultados do estudo imunohistoquímico revelaram: aumento da expressão da TP-53 na epiderme do campo de cancerização após o tratamento com MI, em comparação aos níveis prétratamento. 

  • FERNANDO COSTA ARAUJO
  • TERAPIA DE CONTAGEM DE CARBOIDRATOS EM PACIENTES DIABÉTICOS TIPO 1 NO CONTEXTO AMAZÔNICO
  • Data: 14/12/2018
  • Mostrar Resumo
  •  
    O manejo do diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma tarefa complexa, integrando múltiplos fatores, mas centrada na abordagem nutricional. A atenção adequada à dieta e contagem de carboidratos (CHO) são fatores importantes no controle glicêmico e na  prevenção das complicações agudas e crônicas desta doença. A Amazônia brasileira possui uma grande diversidade de alimentos não disponíveis em outras regiões do país, e estes produtos regionais devem ser contemplados em estratégias específicas do plano alimentar do paciente DM1. Objetivos: Investigar associaçãode aspectos clínicos, epidemiológicos e dietéticos de pacientes diabéticos tipo 1 com controle glicêmico adequado; especificar produtos regionais de importância na dieta do paciente DM1; desenvolver material educativo com: orientações para educação em saúde de pacientes DM1 e manual de contagem de CHO com produtos típicos da Amazônia. Métodos: Foi realizado estudo transversal, observacional e de caráter descritivo, no período de 2017-2018, em um hospital terciário de Belém/PA, com 78 pacientes com diagnóstico prévio de DM1, por meio de entrevista (avaliação de variáveis clínicas e epidemiológicas; questionário quantitativo de frequência alimentar), exame clínico (dados antropométricos) e análise de prontuário (exames laboratoriais). As variáveis demográficas e clínicas foram associados a controle glicêmico adequado (HBA1c <7%) ou inadequado (HBA1c ≥7%) e foi seguida de um estudo documental para produção de um material educativo voltado a estes pacientes. Resultados: No grupo
    estudado, houve predomínio de mulheres, solteiros, pardos, adultos jovens, com ensino fundamental incompleto e pertencente à classe econômica C. Nenhuma dessas variáveis apresentou associação estatística com controle glicêmico. Houve associação de controle glicêmico adequado com menor dose total de insulina/dia, menor nível de glicemia de jejum e baixo nível de triglicerídeos. Em relação aos medicamentos em uso, a maioria dos pacientes fazia uso de insulinas análogas, não fazia contagem de CHO e quase metade fazia uso de outra classe medicamentosa. Pacientes com controle glicêmico inadequado tinham, em geral, consumo calórico e glicêmico aumentado e consumo protéico abaixo da meta. Os produtos regionais mais consumidos pelos pacientes DM1 foram açaí, farinha de mandioca e beiju. Consumo semanal de açaí esteve associado a pior controle glicêmico. A análise dos resultados da pesquisa subsidiou a elaboração de um material instrucional (manual), com informações sobre promoção do auto - cuidado no contexto do diabetes e orientações alimentares, com preparações de consumo habitual da região amazônica, com a seleção de 113 produtos regionais e suas respectivas informações nutricionais (macronutrientes). Conclusões: As concentrações de glicose no DM 1 são afetadas por aspectos clínicos metabólicos e por aspectos alimentares. A nutrição tem papel crucial no controle glicêmico e a maioria dos pacientes não fazia contagem de CHO. Alguns alimentos de alto índice glicêmico, como açaí, se associam a pior controle glicêmico. O Manual de Contagem de carboidrato com produtos amazônicos é uma ferramenta educacional que auxilia o paciente DM1 no manejo de sua dieta, favorecendo sua autonomia e prestigiando os produtos de sua rotina alimentar.
  • MARINA GABAY MOREIRA PEDROSO
  • ENTEROCOLITE NECROSANTE EM RECÉM NASCIDOS DE MUITO BAIXO PESO EM UM HOSPITAL DE ENSINO NA REGIÃO NORTE DO BRASIL

  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A enterocolite necrosante (ECN) é a emergência gastrointestinal neonatal mais comum. A incidência e gravidade são inversamente proporcionais ao peso de nascimento (PN) e à idade gestacional (IG). A lacuna em literatura de publicações sobre a morbimortalidade relacionada a ECN em recém nascidos (RN) na região amazônica motivou a condução deste estudo. Objetivouse analisar a ocorrência de enterocolite necrosante em RN de muito baixo peso nascidos na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará no período de janeiro de 2017 a dezembro de 2017. Realizou-se estudo transversal, retrospectivo, quantitativo e descritivo, em associação a um estudo do tipo caso-controle (1:2), retrospectivo, com coleta de dados via prontuário eletrônico. Foram incluídas crianças com PN menor que 1.500g, diagnosticadas ou não com ECN. A partir dos resultados de incidência, fatores de risco e mortalidade, foi proposto a elaboração de um Protocolo de Manejo Clinico para instituição. Foram analisados 494 prontuários, observando-se incidência de ECN de 7,7%, 52,6% de mortalidade e 26.3% foram submetidos a cirurgia, sendo que esses estão mais associados ao óbito. Dentre os casos, houve predominância de: sexo feminino (57.9%), pré-natal inadequado (55.3%), parto cesárea (73.7%), Apgar maior ou igual a sete no quinto minuto de vida (97.4%), pequenos para a idade gestacional (78.9%), peso entre 1000 – 1500g (71.1%) e IG entre 28 a 31 semanas (50%). As variáveis relacionadas a dieta não se associaram a ECN, assim como as relacionadas a ventilação mecânica. O cateter central de inserção periférica foi identificado como fator de risco para a doença (p=0,0038). A persistência do canal arterial ocorreu em 28.9% e bacilos gram negativos foram os agentes etiológicos mais isolados. A letalidade atribuída a ECN foi de 26,3%, com uma chance de sobrevida dos RNs com 120 dias após o diagnóstico apenas de 25,2%. Observou-se que a doença prolonga o tempo de internação hospitalar dos RNs. A incidência de ECN e a grande mortalidade encontradas no estudo, em associação a literatura, apontaram para a construção de um Protocolo de Manejo Clínico para instituição assim como um Formulário de Notificação da Doença para ser inserido na Plataforma Virtual do Sistema Informatizado de Prontuário que após implantados podem contribuir para uma maior sobrevida dos RNs com ECN. 

  • NINA PINTO MONTEIRO ROCHA
  • DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO EDUCATIVO SOBRE OS ASPECTOS CLÍNICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DA LEISHMANIOSE VISCERAL

  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • A Leishmaniose Visceral (LV) é um agravo com grande impacto para a saúde pública, que implica em perda de produtividade e morbimortalidade precoce. O Brasil foi responsável por 96% das notificações que ocorreram nas Américas em 2017, o que justifica a proposta desse trabalho em descrever os aspectos clínicos e terapêuticos da LV na região do Baixo Tocantins, área endêmica no Estado do Pará, como forma de fortalecer a atuação profissional na atenção primária a saúde. Como técnica de abordagem, a pesquisa apresenta um estudo transversal, descritivo, retrospectivo, sobre a base de dados do SINAN, no período de 2007 a 2015, referente aos casos de LV em pacientes maiores de 18 anos, notificados nesta região. Os resultados identificados, neste estudo, apresentam uma amostra composta por 284 casos de LV em pacientes com 18 anos ou mais, de um total de 1267 casos notificados no período. Houve predomínio da doença em indivíduos do sexo masculino, entre 18 e 27 anos, pardos, com ensino fundamental incompleto. O Municipio de Cametá se mostrou como o de maior incidência nos casos, tendo na zona rural, a maior prevalência da doença. Quanto à expressão clínica: fraqueza, febre, emagrecimento apresentaram maior prevalência. O diagnóstico, por sua vez, demorou de 0 a 90 dias, entre os primeiros sintomas e a notificação dos órgãos responsáveis. Além disso, pode-se perceber que a maioria dos pacientes identificados neste estudo, teve uma evolução para cura. Nesta perspectiva, acredita-se que a LV continua sendo uma doença endêmica na região do Baixo Tocantins tendo Cametá, o município com maior registro de casos e de tratamento. O espaço de tempo, entre o diagnóstico e o início do tratamento, tem implicação direta no desfecho clínico do paciente. Dessa forma, estudos como este comprovam a necessidade de treinamento constante das equipes de saúde para a melhor identificação de casos de LV.

  • ÍSIS ATAIDE DA SILVA
  • EXENTERAÇÃO PÉLVICA: Análise de complicações pós-cirúrgicas e óbito hospitalar para construção de cartilha educativa

  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • mortalidade precoce hospitalar visando a criação de instrumento de educação em saúde para orientação de mulheres candidatas à cirurgia. METODOLOGIA: Trata-se de uma coorte retrospectiva de pacientes submetidas à exenteração entre os anos de 2006 e 2017, na qual foram levantados dados sociodemográficos, clínicos e cirúrgicos, sendo investigado o surgimento de complicações pós-cirúrgicas, estas foram classificadas em precoces e tardias, sendo estratificadas mediante critérios estabelecidos por Clavie-Dindo. As coortes de análise consideraram o desfecho do óbito precoce hospitalar. Após análise dos dados, cartilha educativa foi elaborada abordando temas relacionados à exenteração pélvica, objetivando diminuição dos fatores de morbimortalidade pós-operatória. RESULTADOS: 31 mulheres, com idade média de 49 anos, foram submetidas à exenteração, majoritariamente por câncer cervical avançado (IVa) (61%), resultando em exenterações totais (45%) com confecção de colostomia e ureteroileostomia em larga escala (42%). As complicações pós-cirúrgicas precoces foram as mais evidentes (214), com classificações G1 e G2 mais incidentes (73%), sendo as repercussões infecciosas as mais notificadas (8%). Nove óbitos foram detectados precocemente, estando associado ao desfecho: a reabordagem cirúrgica (p=0,043), insuficiência renal (p=0,004) e sepse/choque séptico (p=0,019). CONCLUSÃO: Na atualidade, procedimentos exenterativos podem ser indicados para condutas curativas, a depender da seleção de pacientes com performance clínica. Neste contexto, o conhecimento do perfil de pacientes e morbimortalidades pós-operatórias é determinante na criação de estratégias que objetivem a diminuição de fatores determinantes na ocorrência de óbito precoce, a exemplo de instrumentos de educação continuada em saúde.

  • VICTOR ANGELO ALVES DA CRUZ SANTOS
  • PERFIL NUTRICIONAL DE PORTADORES CRÔNICOS DE HEPATITE C ATENDIDOS NO AMBULATÓRIO DO NÚCLEO DE MEDICINA TROPICAL EM BELÉM DO PARÁ

  • Data: 12/12/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução:O vírus da hepatite C (VHC) é uma das principais causas de doença hepática crônica em todo o mundo e a indicação mais frequente de transplante hepático na atualidade. As estimativas apontam para prevalência global em torno de 2% a 3%, ou seja, entre 123 milhões e 170 milhões de pessoas infectadas pelo VHC em todo o mundo. Objetivo: Avaliar o perfil nutricional de pacientes adultos e idosos portadores crônicos do vírus da hepatite C atendidos no ambulatório do Núcleo de Medicina Tropical em Belém do Pará. Método: Realizado estudo do tipo descritivo, observacional, com portadores crônicos de hepatice C atendidos na clínica do Núcleo de Medicina Tropical, no período de fevereiro de 2018 a julho de 2018. Foi realizada amostra por conveniência, com 40 pacientes sendo adultos e idosos, de ambos os sexos, com diagnóstico hepatice C crônica, triados com os critérios de inclusão e exclusão. Durante as consultas ambulatoriais os pacientes foram informados e convidados a participar do estudo. Após assinatura do TCLE, os pacientes foram entrevistados e avaliados, através do protocolo de pesquisa para caracterização da amostra, avaliação nutricional objetiva e bioquímica. Resultados:O presente estudo avaliou 40 pacientes, sexo masculino 65,00%. Houve maior prevalência para adultos 62,5%. Houve tendência de pacientes que residiam na região metropolitana 57,50%, escolaridade ensino fundamental 45,00% e renda entre 2 e 3 salários mínimos. A maioria dos pacientes relataram se ex-etilista 35,00%, 72,50% dos indivíduos praticavam irregularmente ou não praticavam nenhuma atividade física. Os pacientes adultos 62,50% conforme o critério de IMC predominou a categoria excesso de peso (64,00%). Em relação ao indicador CB, DCT, CMB, AMBc, houve tendencia para eutrofia. Quanto aos idosos avaliados 37,50% conforme o critério de IMC predominou a categoria eutrofia 53,33% da amostra. Em relação aos indicadores de circunferência do braço, Dobra Cutânea Triciptal, Circinferência Muscular do Braço, houve tendencia para risco de sobrepeso 80,00% em todas medidas. Quando analisados os parâmetros AMBc prevaleceu estado nutricional adequado 80,00% e circunferência da panturrilha sem perda de massa muscular 80,00%. No que se refere a classificação da cincunferência da cintura para homens e mulheresprevaleceu com risco 53,84% e 92,86%, respectivamente. Houve predominou para glicemia menor que 100 mg/dL 60,00%, na verificação da insulina foi maior para menor que 25 mU/L 85,00%, colesterol total prevaleceu menor que 200 mg/dL 75,00%, triglicerídeos preponderou resultado maior que 150 mgdL 52,50%, O TGO prevaleceu maior que 38 mg/dL 57,50% e o marcador de TGP houve uma tendência para maior ou igual a 41 mg/dL 52,55%. Conclusão:No presente trabalho houve predominio do sexo masculino, adultos com idade entre 50 a 59 que residiam na região metropolitana com escolaridade de ensino fundamental e renda entre 2 e 3 salários. Quanto à avaliação nutricional nos adultos, segundo o IMC, CB, DCT, CMB, AMBC a maioria dos pacientes estavam com eutrofia e com excess de peso de acordo com IMC. Quanto à avaliação nutricional nos idosos, segundo o CB, DCT e CMB a maioria dos pacientes estavam com excesso de peso, com eutrofia de acordo com IMC e sem perda de massa massa muscular sengundo circunferência da panturrilha. A classificação da cincunferência da cintura para ambos sexosfoi de risco para desenvolver doenças cardiovascular. Os exames laboratoriais TGO e TGP e triglicerídios estavam alterados, caracterizando a doença.

  • LUANA MOTA DA COSTA
  • INFECÇÃO PELO VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA: ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS, ACESSO E CUIDADO EM MULHERES PROFISSIONAIS DO SEXO NO MUNICÍPIO PARAENSE DE BRAGANÇA, NORTE DO BRASIL

     

  • Data: 28/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) é um grande desafio para a sociedade, pois tem se configurado como importante problema de saúde pública que afeta a população humana. A infecção pelo HIV e adoecimento pela síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS) atinge de forma diferenciada algumas populações classificadas como vulneráveis, como as mulheres profissionais do sexo (MPS). Levantamentos recentes mostram um crescimento global da epidemia do HIV nessas populações em diferentes regiões do mundo, sendo estimado que 75% dos casos de infecção pelo HIV foram adquiridos pela via sexual. No Brasil, dados epidemiológicos mostram que a infecção pelo HIV está cada vez mais presente na vida das mulheres. Estima-se que 4,9% das mulheres brasileiras estão infectadas pelo HIV. Apesar da maior vulnerabilidade, a situação epidemiológica da infecção pelo HIV em MPS ainda é desconhecida em diversas áreas geográficas do Brasil. Este estudo determinou a prevalência e os fatores associados à infecção pelo HIV-1 em MPS no município paraense de Bragança, norte do Brasil. Este estudo foi composto por amostras e informações de MPS que atuam no município de Bragança (01°03'46"S 46°46'22"O), nordeste do Pará, norte do Brasil. A amostragem de conveniência e o método “Respondent-Driven Sampling” foram utilizados. As informações foram coletadas por meio de entrevista face-a-face, utilizando um questionário estruturado. Todas as amostras foram testadas quanto à presença de anticorpos anti-HIV-1/2 por ELISA. As amostras sororreagentes foram testadas quanto à presença de cDNA-HIV-1 por PCR em tempo real. Os testes estatísticos Qui-quadrado, Odds Ratio e Regressões logísticas foram utilizados para estabelecer os fatores associados à infecção pelo HIV-1. No total, 137 MPS participaram deste estudo. A maioria delas se declarou solteira (88,86%) e heterossexual (94,89%), apresentava idade < 30 anos (56,6%), reduzida escolaridade (56,93%) e relatou ter nascido em municípios do Pará (71,53%), muitas MPS afirmaram ter uma religião (71,53%) e a totalidade das MPS iniciaram a vida sexual durante a adolescência, algumas delas (18,25%) relataram ter pelo menos um filho e já terem sofrido abortos (24,82%). Todas afirmaram que praticavam sexo oral, vaginal e anal, desde que o cliente pagasse pelos serviços. Em 137 MPS, 22 (16,06%) foram identificados com anticorpos anti-HIV-1/2. Todos as amostras sororreagentes apresentaram cDNA-HIV-1. Após a análise univariada, sete fatores foram associados à infecção pelo HIV: “uso de drogas ilícitas”, “dispensa de preservativo durante relação sexual”, “realização de sexo anal” “dispensa de preservativo se o cliente pagar mais”, “tempo de prostituição superior a sete anos”, B e “não realização de consulta/exame de ginecológico periodicamente”. Em suma, este estudo identificou informações relevantes para o direcionamento de estratégias de controle, assistência e prevenção da infecção pelo HIV em mulheres profissionais do sexo no município de Bragança.

  • SAMIRA OLIVEIRA SILVEIRA
  • ASPECTOS CLÍNICOS E TERAPÊUTICOS DA CROMOBLASTOMICOSE EM UMA COORTE HISTÓRICA EM UM AMBULATÓRIO UNIVERSITÁRIO, E PROPOSIÇÃO DE PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO.

  • Data: 27/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou descrever a evolução clínica dos pacientes portadores de cromomicose utilizando o protocolo de manejo clínico e terapêutico proposto neste estudo. Bem como, identificar os aspectos epidemiológicos e sócio-demográficos da população em estudo; relacionar o tipo clínico de cromomicose e tempo de evolução da doença; e por fim descrever a resposta terapêutica com o uso de imiquimod tópico como adjuvante no tratamento de cromomicose e relatar seus efeitos adversos. Dos 14 pacientes com diagnóstico de cromomicose de 2007 a 2017 em nossa instituição, 92,87% eram homens, 57,14% trabalhadores rurais, com predomínio na faixa etária entre 46-65 anos (57,14%). A forma clínica predmoniante foi a verruciforme com 71,43%. Foi observado que 100% dos pacientes do estudo não apresentaram melhora apenas com medicação sistêmica. Então, foi adicionado o tratamento adjuvante com imiquimod tópico. O protocolo clínico foi empregado em todos os pacientes do estudo. Observou-se uma diminuição na espessura das lesões em todos os pacientes, apesar da área das lesões permanecerem estáveis

  • RODRIGO THADEU CEI PEDROSO
  • DESENVOLVIMENTO DE TESTE ULTRASSONOGRÁFICO PARA AVALIAÇÃO DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES NO PRÉ-
    OPERATÓRIO
  • Data: 26/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A introdução da ultrassonografia na anestesiologia torna possível avaliar e antecipar uma via aérea de risco, orientando condutas e reduzindo riscos. A pesquisa tem por objetivo investigar a validade e aplicabilidade da ultrassonografia como teste diagnóstico para dificuldade quanto à intubação através da laringoscopia direta e/ou ventilação sob máscara facial, comparando -a com o método clínico tradicional de triagem. Realizou - se um estudo de acurácia, duplo cego no Hospital Ophir Loyola , Belém - PA. Foram incluídos pacientes de ambos os gêneros, na faixa etária entre 18 anos e 80 anos, com IMC entre 18 e 40kg/m², submetidos à anestesia geral, totalizando 144 pacientes. Realizou-se inspeção clínica tradicional, escaneamento ultrassonográfico das vias aérea e após indução anestésica, foi observa do ventilação fácil ou difícil bem como a dificuldade durante a laringoscopia direta baseada na classificação de Cormack-Lehane. Para inspeção relacionada à ventilação e intubação foram utilizadas as edidas clínicas tradicionais estabelecidas em literatura de acordo com protocolo de pesquisa. Para inspeção ultrassonográfica foram analisadas as distâncias: mento–hióide, pele–hióide, pele-ponto médio da epiglote, pele-cartilagem tireóidea, pele-comissura anterior das cordas vocais e distância pele-cartilagem cricóide. A análise dos dados se deu pelo teste T-student e Mann-Withney, sendo sua validade verificada pela Curva ROC. Quanto à previsão da laringoscopia direta a ultrassonografia obteve maior validade como teste diagnóstico, superando o método clínico. Apresentando sensibilidade de 71.4 %, especificidade de 60.3% e alto valor preditivo negativo de 92.1%, prevendo melhor os casos reais de intubações difíceis pelas medições das distâncias cervicais propostas. Foi elaborado um manual para orientar e padronizar a obtenção das medidas ultrassonográficas a beira -leito. Quando avaliada isoladamente, a ventilação sob máscara não apresentou relevância estatística pela ultrassonografia. Uma fórmula para estimar a dificuldade durante a laringoscopia partindo das medidas ultrassonográficas, foi elencada e servirá de base para criação de software para desenvolvimento de novas tecnologias (aplicativos para smartphones) que auxiliem na triagem diagnóstica dos pacientes. Concluiu -se que a ultrassonografia é um teste diagnóstico válido e superior ao clínico para antecipar dificuldades quanto à laringoscopia direta, sendo um teste efetivo à beira -leito.
     
     
     
  • ADRYA KAROLINNE DA SILVA PEREIRA
  • DOR EM PACIENTES ONCOLÓGICOS EM CUIDADOS PALIATIVOS: UMA
    ABORDAGEM COM VISTA À ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE MANEJO TRANSDISCIPLINAR
  • Data: 26/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • O câncer pode estar associado com muitos sintomas, mas a dor é um dos que causam mais medo e sofrimento aos pacientes, estima-se que 60 a 90% dos pacientes com câncer avançado evoluem com dor. O trabalho tem como objetivo descrever a ocorrência de dor e qualidade de vida entre pacientes oncológicos em cuidados paliativos com vista à elaboração de um protocolo de manejo transdisciplinar. Trata-se de um estudo transversal com pacientes oncológicos onde foi utilizado um protocolo de pesquisa adaptado pela autora baseado no Consenso Brasileiro sobre Manejo da Dor . Os sujeitos foram pacientes oncológicos em cuidados paliativos atendidos no ambulatório do Hospital Ophir Loyola no mês de outubro a dezembro de 2017. O estudo envolveu 102 pacientes sendo a maioria
    pertencente ao sexo masculino (57,84%) com ensino fundamental completo (22,25%) e/ou incompleto (24,51%) e
    com faixa etária acima de 60 anos (45,10%).
    No que diz respeito ao sítio tumoral primário o mais prevalente foi no tratogastrointestinal com 27,45% seguido do ginecológico representado por 24,51% e na mama com 18,63%. Também houve diferença em relação ao
    tratamento utilizado, onde apenas 10,78% estavam em tratamento com radioterapia e 5,88% em quimioterapia sendo que a maioria não estava em nenhum tratamento oncológico atual. Dos 85,71% pacientes que alegaram
    ter sofrido com esse sintoma, 84,82% fez uso de algum tipo de medicação para dor. Houve diferença significativa
    entre o uso de drogas, onde o uso de opióides é maior em pacientes sem dor, os pacientes de dor intensa utilizaram com maior frequência adjuvante e opióides fortes. No que se refere à qualidade de vida o domínio meio a
    mbiente apresentou o melhor aspecto dentre todos os participantes seguido do psicológico e relações sociais. O domínio físico da qualidade de vida apresentou o pior escore principalmente com os pacientes que relataram dor intens a. Com base na pesquisa e observações foi elaborado um protocolo de avaliação da dor de percepção multidisciplinar com o objetivo de contribuir para a assistência de qualidade ao paciente, e como
    consequência a melhora no manejo da dor total.
     
     
  • ANGELICA ROCHA DE MACEDO
  • PREVALÊNCIA DA INFECÇÃO PELO VÍRUS HIV EM PACIENTES COM DISTÚRBIOS PSIQUIÁTRICOS EM SERVIÇO DE REFERÊNCIA EM ATENÇÃO A SAÚDE MENTAL, BELÉM-PA
  • Data: 26/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento de transtornos psiquiátricos é mais frequente em pessoas vivendo com HIV/AIDS do que na população em geral. O transtorno psiquiátrico acarreta prejuízos tanto na adesão ao tratamento,quantoamaior exposição ao vírus HIV, além da alta carga estigmatizante que estas comorbidades carregam isoladas, que se potencializam quando combinadas. Este é um estudo descritivo, exploratório, transversal e retrospectivo, que teve como objetivos determinar a prevalência da infecção pelo vírus HIV/AIDS em pacientes com distúrbios psiquiátricos em serviço de referência em atenção a saúde mental, caracterizá-los sociodemograficamente, identificar seus principais diagnósticos psiquiátricos, elencar as principais comorbidades que os acometem, e elaborar nota técnica
    aos serviços da rede de assistência sobre os aspectos desses clientes. Os dados foram obtidos através de estudo em prontuários, dos pacientes internados no período de 2012 a 2014, selecionando-se de acordo com os critérios de inclusão e exclusão o "n" amostral de 7 prontuários. A prevalência foi de 0,8%, compatível com outras causuísti
    cas mundiais e superiores às estimativas nacionais para a população adulta que é de 0,6%. A amostra foi composta
    majoritariamente por mulheres, na faixa etária que varia dos 31 a 40 anos, solteiras, com primeiro grau incompleto, e renda que variou entre um e dois salários, procedentes da região metropolitana de Belém-PA, que vivem com seus familiares e sem companheiros, de cor preta e parda, e religião evangélica, transtorno psiquiátrico
    mais evidente foi o transtorno bipolar e a comorbidade mais encontrada foi o uso abusivo de drogas,viabilizando-se elaboração de nota técnica a respeito de seus aspectos. O estudo reforça a importância de medidas sobre determinantes sociais e do potencial da Rede de Atenção Psicossocial com o espaço de educação e debate das demandas inerentes à essa clientela para o fortalecimento dessas pessoas enquanto protagonistas.
  • LARICE ASSEF BASTOS PINHEIRO
  • AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA DE PACIENTES OBESOS: PROPOSTA PARA
    UM PROGRAMA DE CIRURGIA BARIÁTRICA
  • Data: 26/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • Transtornos psiquiátricos como ansiedade, depressão, compulsão alimentar e distorção da imagem corporal em pacientes obesos que buscam cirurgia bariátrica (CB) são frequentes e precisam ser avaliados no pré e pós-operatório, pois podem causar resultados insatisfatórios e pior qualidade de vida (QV). Este estudo tem objetivo de avaliar a utilidade de instrumentos de avaliação de distúrbios psiquiátricos em pacientes obesos em companhamento em programa de CB no Centro Hospitalar Jean Bitar em Belém/Pa, Agosto/2017 a Janeiro/2018. A avaliação foi feita através de ficha epidemiológica, questionário de Beck , IDATE-T, ECAP, EDS e IWQOL - Lite. A estatística foi executada através do software IBM SPSS Statistics for Windows v 20. Utilizados os testes t-Student e ANOVA, qui-quadrado e coeficiente de correlação de Pearson; valores de p≤0,05 foram significativos. Estudo foi constituído por 100 indivíduos, sendo 66 em pré-operatório e 34 em pós; idademédia de 43±10 anos; 90% do sexo feminino. Depressão, ansiedade e compulsão alimentar graves tiveram a lta prevalência, de 45,5%; 45,5%; 9,7%,
    respectivamente. O IMC variou de 47,8±7,8 kg/m2 no pré-operatório para 33,3±5,2kg/m2 no pós. A QV esteve comprometida de forma global no pré-operatório e a função física sofreu maior impacto com reganho de 10% de
    peso. A obesidade grave está associada a elevada prevalência de transtornos psiquiátricos como epressão,ansiedade, compulsão alimentar e distorção da imagem corporal que impactam diretamente na QV.A perda de peso obtida através da CB promove melhora significativa dos transtornos psicossociais, principalmente nos dois primeiros anos de pós-operatório e na QV. No pós-operatório superior a 2 anos, a prevalência dos transtornos psiquiátricos tendem a se elevar progressivamente, apesar de não comprometer a qualidade de vida de maneira tão intensa. Avaliação psicológica dos pacientes em programa de CBdeve ser sistematizada, abordando os transtornos mais comuns, com instrumentos padronizados e validados para pacientes obesos.
  • LUANA DA SILVA FREITAS
  • INFECÇÕES RELACIONADAS A ASSISTÊNCIA À SAÚDE NA UTI DE
    UM HOSPITAL DE ENSINO: Perfil dos pacientes com tumores sólidos

  • Data: 19/03/2018
  • Mostrar Resumo
  • A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é uma unidade complexa que admite pacientes potencialmente graves ou com descompensação de um ou mais sistemas orgânicos. Os procedimentos invasivos e a permanência prolongada na UTI são fatores preditivos para a ocorrência de infecções relacionadas a assistência à saúde (IRAS). O controle das IRAS é uma das prioridades em oncologia devido ao risco de infecção ser um dos diagnósticos mais destacados nos clientes com câncer, onde as neoplasias, todas em si debilitantes, podem levar ao tratamento quimioterápico, que gera graus variáveis de neutropenia. As neoplasias sólidas como o carcinoma e sarcoma possuem níveis de agressividade consideráveis em relação ao tempo de evolução e estadiamento. O objetivo dessa pesquisa foi caracterizar o perfil dos pacientes com tumores sólidos diagnosticados com IRAS durante a internação na UTI de um hospital de ensino. Trata-se de um estudo do tipo descritivo, observacional, transversal e retrospectivo, com abordagem quantitativa. A coleta de dados ocorreu na UTI de um Hospital Público de grande porte referência em oncologia, localizado no estado do Pará, no município de Belém. As fontes de informação foram os prontuários, sendo inclusos no estudo 52 pacientes internados na UTI no período de janeiro de 2016 à novembro de 2017. A análise dos dados ocorreu por intermédio da estatística descritiva simples das variáveis clínicoepidemiológicas encontradas. Os resultados e discussão foram categorizados em: 1) Caracterização clínica do paciente com tumor sólido internado na UTI; 2) Realização e permanência de dispositivos invasivos; 3) Culturas microbiológicas e 4) Topografia das IRAS. Notou-se a partir dessa caracterização de perfil, a importância de estudos como este para o contexto amazônico por se tratar do hospital oncológico referência na região e, para a instituição, por servir como subsídio para conhecer o perfil de uma clientela que possui percentuais expressivos quanto ao desenvolvimento de IRAS.

2017
Descrição
  • KAROLLYNE QUARESMA MOURAO
  • DEPRESSÃO NO IDOSO: FATORES DE RISCO, MEDICAÇÃO E
    PROTAGONISMO DA FAMÍLIA E EQUIPE DE SAÚDE
  • Data: 20/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • A depressão vem tomando grandes proporções a nível mundial e é considerada como uma das doenças mais incapacitantes, afetando a qualidade de vida dos idosos e contribuindo ao índice de mortalidade entre os idosos. Nesse contexto, este estudo foi desenvolvido na Casa do Idoso em Belém - Pa, com o objetivo de investigar a depressão dos idosos sob a perspectiva dos fatores de risco, medicação e protagonismo da equipe de saúde e das famílias. Trata -se de um estudo do tipo caso - controle entre dois grupos de idosos, o primeiro grupo constituído por idosos com diagnóstico de depressão e o segundo grupo por idosos sem diagnóstico de depressão. A amostra foi não - probabilística e por método de conveniência. Para a análise estatística dos dados foi considerado um nível de significância p-Valor≤ 0,05 para um intervalo de confiança de 95% entre os dados encontrados. Utilizou -se a estatística descritiva com cálculos de média e percentual. Para trabalhar esses cálculos estatísticos, adotou - se o Software Microsoft Excel®, os dados foram analisados e o estudo estatístico foi realizado no Programa Bioestat 5.0.
    O estudo evidenciou que os idosos com diagnóstico de depressão pertenciam em sua maioria ao sexo feminino, eram casados, possuíam entre seis a treze anos de estudo, a idade variou entre 71 a 80 anos, eram aposentados, sua renda era de um a três salários mínimos, eram considerados os chefes da família, estavam insatisfeitos com sua renda familiar, não possuíam vínculos sociais e/ou hobby, possuíam alguma doença crônica, utilizavam regularmente benzodiazepínicos e vivenciaram dificuldade financeiras e/ou aposentadoria que lhes propiciou sentimento de tristeza. Referiram receber apoio de suas famílias e da equipe saúde durante o tratamento. Sobre a capacidade funcional, referiram que atualmente necessitam de ajuda para realizar suas atividades da vida diária. Por outro lado, os idosos sem diagnóstico de depressão, em sua maioria pertenciam ao sexo masculino, eram casados, possuíam entre onze a quinze anos de estudo, a idade variou entre 71 a 80 anos, eram aposentados, sua renda era de um a três salários mínimos, eram considerados os chefes da família, estavam satisfeitos com sua renda, possuíam vínculos sociais e/ou hobby. Em relação a presença de comorbidades, a maioria não apresentava doenças crônicas, não utilizava benzodiazepínicos, vivenciou morte de familiares e/ou sentimento de desprezo por parte de seus familiar es, os quais propiciaram sentimento de tristeza. Quanto ao apoio recebido por suas famílias e equipe de saúde, revelaram que se sentiam amparados por ambos durante seu tratamento. No aspecto capacidade funcional, a maioria referiu que as atividades da vida diária são realizadas sem auxílio. A partir do estudo foi elaborado um instrumento a fim de auxiliar o manejo dos profissionais durante a abordagem inicial do idoso.
  • YANDRA SHERRING EINECKE
  • DESFECHOS CLÍNICOS E TERAPÊUTICOS DE PACIENTES COM PÊNFIGO E PROPOSIÇÃO DE PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO EM UM AMBULATÓRIO UNIVERSITÁRIO DE DERMATOLOGIA.

  • Data: 20/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou descrever a evolução clínica dos pacientes portadores de pênfigo, e proposição de um protocolo de acompanhamento e manejo clínico, acompanhados no ambulatório de dermatologia da Universidade do Estado do Pará, no período de 2010 a 2016. Os dados foram obtidos através da análise dos prontuários. Foram avaliados 32 pacientes com diagnóstico de pênfigo, sendo o pênfigo vulgar a forma clínica predominante. Ambos os sexos foram acometidos na mesma proporção; e a média de idade dos pacientes foi de 49 anos. Com relação a terapêutica, a droga de primeira escolha foi a prednisona oral, usada em todos os pacientes. Os imunossupressores foram empregados como terapia adjuvante nos casos de difícil controle, sendo a drogas mais utilizadas a azatioprina, dapsona e metotrexato. Dois pacientes fizeram uso do rituximabe, com relativo sucesso, nos primeiros dois anos de seguimento. As principais queixas registradas durante o tratamento foram epigastralgia, infecções bacterianas secundárias e ganho de peso. O índice de mortalidade foi de 9,3% e esteve associado a septicemia e infecções respiratórias.

     
  • FABRICIO TAVARES DOS SANTOS
  • CÂNCER GÁSTRICO E FATORES DE RISCO AMBIENTAIS: AS INFLUÊNCIAS DO REGIONALISMO AMAZÔNICO
    E A INFECÇÃO PELA H. pylori
  • Data: 20/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • O número de casos de câncer tem aumentado de maneira considerável em todo o mundo, principalmente a partir do século passado, configurando - se, na atualidade, como um dos mais importantes problemas de saúde pública mundial. A maioria dos casos de câncer gástrico (80%) está relacionada ao meio ambiente, no qual encontramos um grande número de fatores de risco. Esta pesquisa tem como objetivo definir os principais fatores de risco ambientais presentes nos pacientesinternados em um hospital de referência em oncologia de Belém-PA, relacionando - os com peculiaridades regionais amazônicas e com a infecção pela H. pylori . Trata - se de uma pesquisa com abordagem quantitativa de corte transversal, onde foram se ecionados 32 pacientes em um período de 2 meses. Observou - se como fator de risco para o adenocarcinoma gástrico idade maior que 50 anos (46,87 % faixa etária de 51 a 60 anos e 31,37 % faixa etária 61 a 70 anos; p-0.0064), baixa escolaridade e renda salarial (p–0.0016 e <0.0001), consumo de sal em alimentos processados, em especial carne seca salgada, peixe salgado e churrasco (p-0.0004, 0.0003 e 0.0064) e consumo diário de alimentos de hábitos regionais como farinha de mandioca (p<0.0001) . Infecção pela H. pylori não foi relacionado como fator de risco importante, assim como o tabagismo e etilismo.
  • LORENA LUCIANE MACEDO MARTINS
  • INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA A SAÚDE POR PSEUDOMONAS AERUGINOSA EM UM AMBIENTE HOSPITALAR: EPIDEMIOLOGIA E SUSCETIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS 

  • Data: 20/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • As infecções relacionadas à assistência a saúde (IRAS) representam um considerável problema de saúde pública, uma vez que eleva os custos de tratamento do paciente, aumentam tempo de permanência hospitalar, riscos de morbidade e mortalidade para os indivíduos internados. Tem-se a Pseudomonas aeruginosa como patógeno endêmico na maioria dos hospitais. Neste estudo objetivou-se descrever a epidemiologia da Pseudomonas aeruginosa e sua suscetibilidade aos antimicrobianos em um hospital privado de atenção terciária, da região metropolitana de Belém, no período de janeiro de 2015 a dezembro de 2016. Foi feito estudo retrospectivo, transversal e descritivo, com total de 137 culturas notificadas para infecção relacionada à assistência a saúde por Pseudomonas aeruginosa, considerando-se as variáveis de sexo, idade, sítio da infecção, material clínico isolado, tempo entre internação e desenvolvimento de infecção e a suscetibilidade aos antimicrobianos testados.  Na amostra estudada, observou-se equilíbrio entre os sexos, média da idade de 74,13±17,07 anos e mediana de 79 anos. O trato respiratório foi o sítio mais afetado por esta bactéria com 81,8%. Os isolados apresentaram boa sensibilidade a Colistina (99,3%), Amicacina (92%), Cefepime (70,8%) e Ciprofloxacina (66,4%). O tempo entre a admissão hospitalar e a aquisição de IRAS por P. aeruginosa foi de 60 dias. Os resultados obtidos neste estudo destacam a importância de estudos epidemiológicos contínuos, para haver reconhecimento da microbiota local, a fim de se evitar a instalação de surtos e expressão de novos mecanismos de resistência bacteriana aos antimicrobianos

  • ERIKA MARIA C KEUFFER C DE MACEDO
  • IMPLANTAÇÃO DO “PASSAPORTE DE ESTÍMULOS” PARA BEBÊS SAUDÁVEIS EM UMA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE MUNICÍPIO DO NORTE DO BRASIL.

  • Data: 19/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Nos dois primeiros anos de vida as conexões e plasticidade neurais ocorrem diretamente sobre influência do meio externo, permitindo a aquisição e sustentação das mais diversas habilidades. E a família é o núcleo mais imprescindível para o desenvolvimento infantil, uma vez que passa a maior parte do tempo com o bebê. Sendo assim, o objetivo foi implantar um programa de estimulação precoce para pais/cuidadores de bebês saudáveis de 0 a 2 anos de idade, em uma Estratégia Saúde da Família em Ananindeua/PA, utilizando o “Passaport e de Estímulos” . Realizou - se através de uma pesquisa - ação intervencionista com abordagem quali-quantitativa. Aplicou-se o mesmo questionário antes e após a intervenção com o material, para 32 mães, avaliando grau de conhecimento sobre estimulação precoce, nível de envolvimento do bebê nas atividades caseiras e escolha dos objetos para brincadeiras. Como resultados, houve diferença significante entre as respostas antes e após a instrumentalização, com consequente maior compreensão das mães acerca do conceito e aplicabilidade da estimulação precoce também em bebês saudáveis; da importância de envolver o bebê nas atividades do dia a dia para estimulá-los; e na possibilidade de também escolher objetos não convencionais como recursos de estimulação. Concluiu-se que envolver os pais no processo de estimulação de seus bebês gera aumento nos laços afetivos e potencializa as habilidades e competências adquiridas na primeira infância. Além disso, orientá-los quanto a possibilidade do uso de atividades e materiais comuns no cotidiano, aumenta a chance de mais variedade na oferta de estímulos e, consequentemente, bebês melhor desenvolvidos. 
     
  • THAIS GOMES CABRAL DE AVELAR
  • HABILIDADES FUNCIONAIS E AUTOCUIDADO DE CRIANÇAS EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA DA REGIÃO NORTE DO BRASIL

  • Data: 19/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • A Prematuridade e o Baixo Peso são destacados em vários estudos relacionados ao acompanhamento a longo prazo do desenvolvimento neuropsicomotor. O objetivo deste estudo foi investigar o desempenho funcional para o autocuidado, mobilidade e função social de crianças nascidas pré-termo e com baixo peso e que realizam acompanhamento ambulatorial em uma instituição de referência no norte do Brasil. Trata-se de um estudo transversal, que envolveu 20 crianças entre 12 e 18 meses de Idade Corrigida, avaliadas pelo Inventário de Avaliação Pediátrica (PEDI). Utilizando-se o score normativo, foi analisada a adequação do desempenho funcional nas áreas de autocuidado, mobilidade e função social. Observou-se que uma parcela das crianças inclusas no estudo estavam fora do limiar da normalidade, apresentando leve atraso no desempenho ocupacional. A partir dos dados obtidos sugere-se que crianças com histórico de prematuridade e baixo peso apresentam um perfil diferenciado de aquisição de independência do que crianças que nasceram a termo, necessitando de acompanhamento continuo por uma equipe multiprofissional e a realização de estimulação precoce para favorecer um maior desempenho funcional.

  • NATALIA MELAZO MENDONCA MACHADO
  • DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DOS CASOS DE SÍFILIS EM GES
    TANTES NO MUNICÍPIO DE BELÉM - PA
  • Data: 18/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • As evidências clínicas da prevalência de sífilis gestacional e suas complicações classificam esta doença como um problema de saúde pública em todo o mundo. Este estudo teve como objetivo estabelecer a distribuição espacial dos casos de sífilis em gestantes no município de Belém - PA, analisar a sua incidência, correlacionando sua ocorrência com características maternas, sociais e a oferta em saúde no município. Dessa forma foi realizado um estudo do tipo ecológico, longitudinal, descritivo e inferencial de corte transversal analisando os 8 distritos e os 71 bairros do município de Belém - PA envolvendo 1.171 gestantes diagnosticadas com sífilis gestacional durante o pré-natal realizado pelo Sistema Único de Saúde. Por intermédio da geotecnologia foram construídos mapas que demonstraram uma distribuição heterogênea dos casos ao longo dos anos, ocorrendo um aumento importante a
    partir do ano de 2015. Sobre o perfil sóciodemográfico das gestantes a doença acometeu principalmente mulheres na faixa etária de 19 a 21 anos, com baixo nível de escolaridade e que iniciaram o pré-natal no terceiro trimestre da gestação. Os distritos com as maiores taxas de incidência da doença foram o Outeiro (20.8 casos/10mil mulheres), Entroncamento (19.9 casos/10mil mulheres) e Icoaraci (19.0 casos/10mil mulheres). Os bairros que apresentaram as maiores taxas de incidência foram a Pratinha (236.1 casos /10mil mulheres) o Paracurí (74.2
    casos/10mil mulheres) e o Ariramba (70.6 casos/10mil mulheres) e apresentaram índices de vulnerabilidade social considerados alto (3,3/3,3) e médio (2,8) respectivamente. A sífilis gestacional deve ser considerada uma importante problemática, especialmente devido alta incidência nos bairros e distritos do município . Isto reforça a necessidade de mais estudos que detalhem a casuística local envolvida, visando auxilio na implantação políticas
    públicas direcionadas à melhora da assistência social dirigidas à saúde da mulher no município de Belém-PA.
  • LARISSA LUZ DO NASCIMENTO
  • APLICABILIDADE DO TESTE DE ANTIGENEMIA CRIPTOCÓCICA EM PESSOA VIVENDO COM HIV/AIDS E IMUNODEPRESSÃO SEVERA EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA.

  • Data: 20/09/2017
  • Mostrar Resumo
  • A criptococose é uma infecção fúngica oportunista de ampla distribuição mundialque afeta milhares de pessoas com AIDS causando mortes ou sequelas graves e incapacitantes principalmente quando acomete sistema nervoso central (SNC). Contudo, pode ser prevenida pela realização doscreeningatravés da pesquisa do Antígeno Criptocócico(CrAg) possibilitando o tratamento precoce ainda noperíodo infecção assintomática ou subclínica evitando desfechos trágicos. Objetivo: Determinar prevalência da antigenemia criptocócica em indivíduos assintomáticos com imunodepressão severa em um serviço de referênciadeterminar presençade doença assintomática no SNC. Casuística e Método: amostra envolveu99 pacientes com HIV/AIDS, que consentiram em participar do estudo respondendo inicialmente ao questionário clínico epidemiológicoe
    posteriormente submetidos à pesquisa de CrAg utilizando Lateral Flow Assay (CrAg/LFA) no soro. Aqueles que apresentaram CrAg/LFA positivo no soro foram convidados realizar punção lombar para avaliação de CrAg/LFA no líquor. Resultados: A antigenemia encontrada no soro foi de 2,02% (2/99) e, quando considerados apenas os indivíduos em uso de TARV, a prevalência foi de 3,27% (2/61) , não houve antigenemia positiva em amostras de indivíduos virgens de tratamento , portanto 100% da antigenemia obtida no estudo foi em pacientes experimentados. No grupo de pacientes com história de abandonado de tratamento, a prevalência de antigenemia encontrada foi de 2,43% (1/41). Apenas um usuário  apresentou antigenemia positiva no soro e também no líquido cefalorraquidiano (LCR). Conclusão:O presente estudo demonstrou alta prevalência de antigenemia criptocócica no soro em indivíduos assintomáticos e com imunodepressão severa. É importante realização de novos estudos com CrAg/LFA afim de otimizar screening, pontos de corte para a determinação dos títulos do CrAg relacionados a maior risco de disseminação doença meníngea, dessaforma, melhorarabordagem clínica e tratamento da Criptococose.

2016
Descrição
  • SOLANGE REZENDE RABELO DE LIMA
  • AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FUNCIONAL DE CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL ATENDIDAS EM UMA UNIDADE DE REABILITAÇÃO NO ESTADO DO PARÁ

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • O termo paralisia cerebral (PC) designa uma seqüela de caráter não-progressivo, tendo como principal alteração o comprometimento motor. A lesão compromete o processo de aquisição das habilidades. A avaliação do desempenho funcional está relacionada ao desempenho das crianças, de forma autônoma e independente, em suas atividades do cotidiano. Para tal, são utilizados instrumentos, como o como o Pediatric of Disability Invetory (PEDI) e o Gross Motor Function Classification System (GMFCS), capazes de mensurar adequadamente as habilidades e potencialidades de cada criança em relação ao seu impacto de uma determinada condição de saúde sobre a vida. O objetivos desta pesquisa foi avaliar o desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral com diferentes níveis de comprometimento motor. Trata-se de um tipo de estudo com abordagem quantitativa de natureza observacional descritiva. Foi realizado com crianças com diagnóstico médico de paralisia cerebral e em tratamento em uma Unidade de Referência em Reabilitação Infantil, localizada na cidade de Belém. A seleção da amostra foi realizada de forma não probabilística, na qual foram incluídas no estudo crianças (n=20) entre 2 e 7,5 anos de idade. Estas foram classificadas de acordo com o seu comprometimento motor, segundo a Classificação GMFCS, e posteriormente foi aplicado inventário PEDI. Para avaliação de correlação entre o grau de GMFCS e os domínios Habilidade Funcional e Assistência do Cuidador do PEDI foi utilizado o teste de Correlação de Spearman. Toda a inferência estatística foi calculada utilizando o software GraphPad Prism 6.0, considerando p-valor significativo ≤0,05. Do total das crianças que compuseram a amostra (n=2), 55% (n=11) pertencem ao sexo masculino, sendo o restante pertencente ao sexo oposto. A faixa etária mais frequente foi de 6,1 a 7,6 anos de idade, apresentando 40% (n=8) da amostra total. Características clínicas das crianças demonstram que a quadriplegia foi o tipo de Paralisia Cerebral mais frequente na amostra analisada, sendo observada em 60% (n=12). A análise descritiva das habilidades funcionais mobilidade, autocuidado e função social apontou a variabilidade das crianças. Ao realizar a análise dos dados verifica-se que as medianas dessas habilidades funcionais, de acordo com o grau de gravidade da função motora, variaram de 20,03 a 70,59. Considerando a análise assistência do cuidador às crianças no desempenho de suas tarefas cotidianas, considera-se que as crianças com maior grau de comprometimento motor recebem significativamente mais auxílio de seus cuidadores em todas áreas do que crianças com grau de comprometimento mais leve. Os resultados deste estudo demonstraram significante associação das alterações neuromotoras com o desempenho funcional. Apontaram variabilidade e heterogeneidade funcional das crianças com Paralisia Cerebral, quando analisados os diferentes níveis de comprometimento da função motora grossa nos domínios autocuidado, mobilidade e função social. A partir destas informações, é possível orientar de forma mais eficaz a prática terapêutica, de modo a planejar um plano de intervenção mais individualizado e efetivo, tendo em vista desenvolver as potencialidades, bem como orientar o cuidador a fim de permitir e estimular as crianças a terem maior grau de independência e autonomia.

  • FRANCISCA LIDIANE XIMENES DA SILVA AGUIAR
  • AVALIAÇÃO DA DOR NEUROPÁTICA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 ATENDIDOS NO PROGRAMA HIPERDIA, EM UM DISTRITO DE SANTARÉM, PARÁ

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Dor neuropática (DN) representa um grave problema de saúde pública decorrente do seu elevado potencial incapacitante. Ocorre com frequência em diabéticos e é considerada como o tipo de dor que mais prejudica a qualidade de vida dos pacientes, por seus sintomas extremamente desagradáveis. Apesar de sua gravidade a maioria dos casos de DN são subdiagnosticados e subtratados. Nesse sentido propõe-se a implementação de um protocolo de identificação da dor neuropática para diabéticos, dentro do fluxograma do Hiperdia em Santarém. Foi realizado um estudo prospectivo, descritivo e transversal, com 129 pacientes diabéticos atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do distrito da grande área da aldeia, em Santarém-Pará, com os quais foi aplicado o Questionário Clínico e Sociodemográfico, o Questionário DN4 e a Escala Visual Analógica da dor (EVA). Após análise dos dados obteve-se os seguintes resultados: a população da amostra teve predominância do sexo feminino (77%), com idade de 39 a 90 anos (média de 65,1 + 9,4 anos), maioria constituída por pardos (79%), com o ensino fundamental incompleto (45%), aposentados (41%), casados (54,3%) e naturais de Santarém (62%). Mais da metade da amostra afirmou não fumar ou ser ex-tabagista e não consumir bebidas alcóolicas. Todos os sujeitos da amostra tinham diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 2, sendo 74% associado a Hipertensão Arterial. A média de tempo de doença foi maior no grupo com dor neuropática (10,05 ± 7,07 anos). Referiram dor 51,9% da amostra, com uma prevalência global de dor neuropática de 34,1% e dor não-neuropática 17,8%. Dentre os fatores de risco investigados destacou-se que a inatividade física, um grande número de complicações e a ocorrência de diabetes em familiares oferecem maior risco para o desenvolvimento de dor neuropática. O estudo demonstrou boa adesão ao tratamento medicamentoso para diabetes (100%). Porém em relação a dor, apenas 43,28% faziam algum tipo de intervenção, sendo o grupo com dor neuropática o que mais tomou medidas contra a dor. Houve predominância de dor moderada entre os grupos e mais relatos de dor intensa no grupo com dor neuropática. Os membros inferiores foram o local da dor mais referido, com maior intensidade durante a noite no grupo com DN. O DN4 demonstrou ser uma ferramenta de aplicação rápida, simples, objetiva, com adequação satisfatória aos usuários da atenção básica. Através dos resultados obtidos, constatou-se a necessidade de identificar a dor neuropática, nas UBS de Santarém. Assim foi proposto o uso do Instrumento de Identificação da Dor Neuropática e proposta a sua inclusão às atividades do Hiperdia, para auxiliar no diagnóstico e no tratamento da DN e gerar informações epidemiológicas para subsidiar a elaboração de estratégias para o manejo da dor. Afim de potencializar os serviços de saúde prestados aos usuários, sugere-se a inclusão do fisioterapeuta nas UBS de Santarém, por poder contribuir de forma significativa com a identificação da DN e sua gestão, junto a equipe multiprofissional, em prol da melhoria na qualidade de vida dos pacientes.

  • JESSICA SILVA MARTINHO
  • ANÁLISE DE TENDÊNCIA DO HIV/AIDS EM IDOSOS NO PARÁ

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os primeiros casos da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), notificados a partir de 1980, estavam associados aos grupos considerados de risco para a aquisição do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV): homens que fazem sexo com homens (HSH), profissionais do sexo, hemofílicos e usuários de drogas. No início da epidemia, não se categorizavam os idosos como vulneráveis e as campanhas de prevenção direcionadas a essa população eram inexistentes. Ao longo da última década, o número de idosos vem crescendo de maneira acelerada e esse estrato da população brasileira aumentou de 14,5 milhões para 20,6 milhões. Como estão vivendo mais e utilizando drogas que melhoram o desempenho sexual, os idosos estão redescobrindo o sexo. Ao mesmo tempo, com a introdução do tratamento com terapia antirretroviral (TARV), ocorreu o aumento da expectativa de vida, ou seja, os indivíduos infectados estão envelhecendo com o HIV. O grande desafio é conhecer as características de cada região para auxiliar na tomada de decisões quanto aos aspectos preventivos e de controle da doença. Objetivo: Analisar a tendência da epidemia do HIV/AIDS em idosos no Estado do Pará, no período de 2004 a 2020. Metodologia: Trata-se de um estudo ecológico descritivo transversal, com abordagem quantitativa. A população foi constituída por notificações de indivíduos com AIDS, com idade igual ou superior a 60 anos, residentes no Pará, no período de 2004 a 2014, disponíveis no Sistema de Informações de Agravos de Notificação (SINAN). As variáveis utilizadas foram: município; ano de diagnóstico; faixa etária; sexo; raça/cor; escolaridade; e categoria de exposição hierarquizada. Foi utilizado o software SPSS 20.0 para realização dos procedimentos estatísticos descritivos: cálculo dos coeficientes de incidência e análise de tendência por regressão linear simples. Os coeficientes foram estratificados por ano e por sexo; ajustados por idade, conforme a técnica de padronização pelo método direto, sendo adotada como população-padrão a população do Pará em 2016; entre HSH foram utilizadas as estimativas obtidas na Pesquisa de Conhecimentos Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP). Foram consideradas como variável dependente (Y) os coeficientes padronizados de incidência da AIDS e como variável independente (X) os anos calendário do estudo. O nível de significância adotado foi de p<0,05. Resultados: O coeficiente de incidência revelou que houve um constante crescimento na frequência, com pouca oscilação. Os homens são os mais acometidos em todo o período, com uma relação para as mulheres de aproximadamente 2:1. A faixa etária de maior ocorrência é de 60 a 69 anos, atingindo uma porcentagem de quase 80% do total. A raça/cor com maior predominância é a categoria parda. Há um nível de ocorrência maior em idosos de baixa escolaridade (1ª a 8ª série) e heterossexuais. A tendência do HIV/AIDS em idosos no Pará apresentou uma reta crescente desde 2004 a 2014; e um coeficiente de incidência de 4,5 casos por 100.000 habitantes em 2020. Conclusão: A análise de tendência demonstra um crescimento contínuo dos casos em idosos em todo o período, contrariando as novas tecnologias e investimentos apresentados para controle e prevenção da epidemia no Brasil. É necessário que o coletivo social e as equipes multidisciplinares de saúde estejam acessíveis à contemporaneidade da tendência epidemiológica desta síndrome quanto ao acometimento de idosos.

  • RONNES DE AZEVEDO DIAS
  • PROCESSO DE TRABALHO DOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE BELÉM - PA

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Visando o fortalecimento da ESF, a melhoria da qualidade e a resolubilidade da Atenção Básica, foi criado em 24 de janeiro de 2008, por meio da Portaria GM/MS n. 154, o Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), que tem como objetivo ampliar a abrangência e o escopo das ações de Atenção Básica (AB), bem como sua eficácia e eficiência. O objetivo deste estudo foi analisar o trabalho dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família no município de Belém – PA através da Autoavaliação para Melhoria do Acesso e da Qualidade (AMAQ). A pesquisa foi realizada no município de Belém, no estado do Pará. Foram incluídos na pesquisa os profissionais atuantes a no mínimo 6 meses nos seguintes Núcleos de Apoio à Saúde da Família de Belém: NASF Terra Firme, NASF Bengui, NASF Telégrafo, NASF Sacramenta, NASF Paraíso dos Pássaros, NASF Marambaia, NASF Tapanã e NASF Guamá. O instrumento usado para a pesquisa foi o questionário “SUBDIMENSÃO E: Organização do Processo de Trabalho do NASF”, do instrumento Autoavaliação para melhoria do Acesso e da Qualidade(AMAQ). Dos 45 profissionais atuantes nas equipes NASF, 33 concordaram em participar da pesquisa. A média de idade dos participantes do estudo foi de 33,4 anos.Foi constatado que um número pequeno de profissionais tem formação complementar na área de saúde coletiva/saúde pública. O principal fator positivo no trabalho, segundo os profissionais, é a própria relação entre a equipe. A falta de coordenação específica para os Núcleos de Apoio à Saúde da Família do município, foi o fator mais citado entre os que dificultam o processo de trabalho no NASF. Concluiu-se a necessidade da implantação de estratégias de saúde que possibilitem o reforço dos pontos positivos e diminuição das limitações referentes ao processo de trabalho nos NASFs.

  • THAIS DE OLIVEIRA LISBOA
  • AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA E ELETROFISIOLÓGICA DA RETINA DE FAMÍLIA
    COM DRUSAS MACULARES DOMINANTES (MALATTIA LEVENTINESE)

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Mallatia leventinese ou drusas maculares dominantes é uma distrofia
    retiniana rara, de herança autossômica dominante, cuja alteração genética está
    localizada no braço curto do cromossomo 2p16-21. A sintomatologia inicia por baixa
    da acuidade visual progressiva e lenta, tipicamente na quarta ou quinta década de
    vida, podendo surgir mais precocemente, resultando em perda severa da acuidade
    visual. Objetivos: Avaliar os parâmetros morfológicos e eletrofisiológicos da retina
    de pacientes de uma mesma família, acometidos com drusas maculares dominantes
    (Malattia leventinese), atendidos no setor de oftalmologia do Hospital Universitário
    Bettina Ferro de Souza. Metodologia: Estudo é um relato de casos, individual e
    descritivo, no qual foram estudados 3 pacientes de uma mesma família, com idade
    entre 50-78 anos, residentes em Belém, diagnosticados com Malattia Leventinese
    por fundoscopia no Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS).
    Resultados: Os pacientes com início mais precoce ou idade mais avançada,
    apresentam acuidade visual pior, corroborando o caráter progressivo e relacionado
    com o tempo de doença. A espessura da coróide variou de 60 a 287μm, a espessura
    foveal de 165 a 248μm, a média da espessura da parafóvea de 194,5 a 302,3μm e
    da perifóvea de 195 a 306μm. As menores medidas foram encontradas na paciente
    mais idosa e que apresenta extensa área de atrofia na mácula. Conclusão:
    Paciente portadores de Malattia Leventinese podem relatar início da sintomatologia
    aos 20 anos, e o tempo de doença está diretamente relacionado a perda visual. Em
    estágios mais avançados ocorre uma modificação no padrão morfológico da doença,
    verificados em Retinografia Simples e OCT, com áreas de hiperpigmentação, atrofia
    do EPR, diminuição das drusas, afinamento central da retina e coróide e lesão da
    retina neurosensorial, confirmadas por alterações eletrofisiológicas, como ausência
    de resposta no ERGmf em todos os pacientes do estudo.

  • CAMILA DA COSTA NAHUM
  • ANÁLISE DA OCORRÊNCIA DE INFECÇÃO HOSPITALAR APÓS CIRURGIA CARDÍACA EM HOSPITAL DE REFERÊNCIA

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • A portaria 2616/1998 do Ministério da Saúde conceitua infecção hospitalar como qualquer infecção que é adquirida após a admissão do paciente e se manifesta durante o período de internação ou após a alta. A cirurgia cardíaca é um procedimento que acarreta diversas alterações na homeostase orgânica e o surgimento de complicações infecciosas não é uma realidade difícil de ocorrer devido ao trauma cirúrgico e aos fatores de risco que o paciente cardiopata em pós operatório possui. O objetivo foi analisar o perfil dos pacientes submetidos à cirurgia cardíaca e a incidência de infecção hospitalar no pós-operatório. Tratou-se de um estudo com abordagem quantitativa, descritivo, longitudinal e de caráter retrospectivo. A pesquisa foi aprovada no comitê de ética da instituição. A amostra do estudo consistiu em 316 pacientes que foram submetidos à cirurgia cardíaca na FHCGV no período de 2013-2014 e que atenderam aos critérios de inclusão e exclusão. Os dados foram coletados dos prontuários através de formulário. A análise foi feita através de comparações utilizando o odds ratio, teste qui quadrado e posteriormente regressão logística. Neste estudo, identificou-se que a maior parte dos pacientes era do sexo masculino, com idade inferior a 61anos, de raça parda, sendo analfabetos ou com ensino fundamental, da região metropolitana de Belém e casados. As principais comorbidades encontradas foram DM, HAS e tabagismo. Um número considerável dos pacientes do estudo desenvolveu infecção. A maior parte foi admitido por IAM, porém os pacientes com valvopatia tiveram maior associação com infecção. O tempo de internação pré-operatório foi maior que 26 dias. A troca de válvula mitral foi mais associada à infecções. As complicações pós-operatórias que apresentaram correlação com infecção foram a FA, Insuficiência respiratória e insuficiência renal aguda. Houve maior ocorrência de óbito entre os que apresentaram alguma infecção. Após a regressão logística o tempo de internação foi a variável que apresentou associação altamente significativa com a presença de infecção no pós-operatório. A principal infecção encontrada foi a pneumonia, seguida de sepse e ITU, sendo o principal agente a K. pneumoniae e os principais antibióticos utilizados o cefepime e vancomicina. A partir de tais achados propôs-se um protocolo específico para ser utilizado desde a unidade de internação, passando pelo bloco cirúrgico até a UTI, pois acredita-se que as medidas preventivas vão muitos além daquelas já muitas vezes debatidas no ambiente de cuidados intensivos, estas medidas devem abranger todas as equipes de saúde envolvidas no cuidado ao paciente nos diferentes setores do hospital, devendo existir essa interligação e comunicação eficaz entre eles.

  • JULIUS CAESAR MENDES SOARES MONTEIRO
  • SARCOMA DE KAPOSI EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS - PERFIL EPIDEMIOLOGICO, CLINICO E TERAPEUTICO DE UMA SERIE DE CASOS E PROPOSIÇÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DE ATENDIMENTO CLINICO EM SERVIÇOS DE REFERENCIA.

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O sarcoma de Kaposi (SK) é uma neoplasia caracterizada pela proliferação desordenada e anárquica dos vasos sanguíneos. É ocasionada pela infecção crônica pelo Herpesvirus 8 com impacto na modulação inflamatória e alterações epigenéticas desencadeadas nas células infectadas. Durante a década de 1980, notou-se uma incidência aumentada desta neoplasia em populações específicas, com destaque para homens que faziam sexo com homens. Após a descoberta do Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), o SK foi relacionado ao estágio de imunodepressão grave causada pelo HIV (aids) e foi considerado como doença definidora desse. Objetivo: Descrever e caracterizar os aspectos epidemiológicas dos indivíduos com SK, apresentação clínica da lesão cutânea, aspectos imunológicos e virológicos do HIV-1, e terapêutica. Casuística e Método: Foram incluídos indivíduos de ambos os sexos, adultos (>18 anos), com suspeição clínica de Sarcoma de Kaposi cutâneo e posterior confirmação histopatológicas, atendidos em nível ambulatorial ou de internação em unidades de referência em HIV/Aids ou dermatologia. Avaliaram-se variáveis demográficas, clínicas, imunológicas, virológicas e terapêuticas. Realizou-se análise descritiva dos dados. Projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos do Hospital Universitário João de Barros Barreto (Protocolo 787.848/2014). Resultados: Dos 25 participantes incluídos a maioria era do sexo masculino (88%), adultos jovens com média de idade de 34,60±10,51 anos, procedentes da Região Metropolitana de Belém (80%). Tiveram diagnóstico da infecção pelo HIV-1 há menos de 6 meses (60%), uso de terapia antirretroviral contínua (TARVc) (96%), porém abandono dessa em 25%. Apresentavam baixa contagem de Linfócitos T CD4+ (175,82±207,46 células/mm³) e alta carga viral (4,49±1,34 Log10 cópias/mL). Verificou-se apresentação clínica diversa quanto ao SK cutâneo (placa, nódulo, tubérculo, mácula e lesão tumoral), com predileção pelos membros inferiores (84%) e tórax (56%), com tempo de surgimento médio de 5,27±4,73 meses. Detectou-se alta proporção de lesões invasivas (56%) principalmente em estômago nesses (64,3%). O estádio clínico predominante foi T1 (72%), I1 (68%), e S1 (74%). Quimioterapia esteve indicada em 72%, conseguindo-se realizar a mesma em 48%. Óbito em até 3 meses após o diagnóstico ocorreu em 28% da amostra. Conclusão: Apesar da disponibilidade de testagem rápida para HIV e indicação de início precoce de TARVc, observou-se ocorrência elevada de diagnóstico já em aids a partir de uma doença definidora neoplásica (SK), com alto impacto na morbimortalidade de adultos jovens e no estigma desta doença.

  • ANA CAROLINE BRASIL VIANA
  • DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA HANSENÍASE E SUA RELAÇÃO COM O ÍNDICE DE CONDIÇÃO DE VIDA EM UM DISTRITO ADMINISTRATIVO NO MUNICÍPIO DE BELÉM-PA: APONTAMENTO PARA A ESTRATÉGIA EM SAÚDE DE FAMÍLIA

  • Data: 30/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença crônica, que representa um grave problema de saúde pública no Brasil. Manifesta-se por sinais e sintomas dermatoneurológicos. Tendo em vista, o contexto de hiperendemicidade da hanseníase encontrado no estado do Pará, é necessário utilizar ferramentas que permitam formular intervenções na cadeia de transmissão da doença de forma mais efetiva. O objetivo foi analisar a distribuição espacial da hanseníase e sua relação com o índice de condição de vida em um distrito administrativo no município de Belém-PA, no período de 2005 a 2014. Estudo ecológico, coletivo, observacional e retrospectivo no distrito D’água, município de Belém, no estado do Pará. Os dados foram coletados a partir da detecção de casos novos disponíveis no SINAN e arquivos de serviço de saúde locais, que foram posteriormente georreferenciados para análises de geoestatística. Foram notificados 936 casos, o sexo predominante foi o masculino, com a idade predominante maior que 15 anos, de baixa escolaridade, de classificação multibacilar. O coeficiente de detecção geral de casos novos da hanseníase apresentou redução em escala nacional, regional, estadual e até no distrito estudado. A análise de tendência, com a estimativa para 2020, demonstrou que o distrito D’água irá superar a região Norte em coeficiente de detecção. O mapa de distribuição espacial do número de casos novos apresentou um padrão de distribuição tipo mosaico, com diversos focos, e os multibacilares predominaram por toda a extensão do distrito. A análise de Kernel revelou “áreas quentes”, de maior concentração da doença. Na análise da distribuição espacial observou-se que a maioria dos territórios apresentava uma situação de muito alta endemicidade atrelada a transmissão ativa da doença e ao índice de condição de vida muito baixo e baixo, com densidade maior de casos multibacilares.

  • NATALIA BORGES NUNES
  • ASPECTOS RADIOLÓGICOS DA CRIPTOCOCOSE EM UMA
    REGIÃO ENDÊMICA DA AMAZÔNIA

  • Data: 29/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • A criptococose é uma infecção fúngica potencialmente fatal, que ocorre em todo o
    mundo e tem uma extensa variedade de hospedeiros, desde alguns severamente
    imunossuprimidos até outros aparentemente imunocompetentes. A infecção pelo HIV é
    o principal fator de risco e a espécie C. neoformans é a mais comum ao redor do mundo.
    A taxa global de criptococose é estimada em um milhão de casos anuais e mais de
    600.000 mortes. Cryptococcus é endemico na região Norte do Brasil, com
    peculiaridades como a alta prevalência da espécie C. gatti, de pacientes HIV-negativos
    e de população pediátrica. Objetivo: Descrever e analisar comparativamente os
    aspectos radiológicos entre pacientes HIV-positivos e HIV-negativos, bem como entre
    diferentes espécies do Cryptococcus isoladas em pacientes internados no Hospital
    Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), em Belém, Pará, no período de 2011-
    2015. Metodologia: Estudo retrospectivo, transversal e analítico, através da revisão de
    prontuários de pacientes com diagnóstico confirmado de criptococose, com ênfase nos
    estudos de raio-x, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Resultados:
    Foram estudados 52 pacientes, a maioria homens adultos jovens (média de 30 anos). Os
    sintomas mais comuns foram cefaleia (86,5%), febre (73,1%) e vômitos (67,3%), com
    predominância da forma clínica neurológica. A maioria dos pacientes foi HIV-negativo
    (53,9%) e a mortalidade foi de 32,7%. Em relação à identificação da espécie (n=33),
    foram encontrados 13 casos de C. gatti e 20 casos de C. neoformans. Os achados
    radiológicos pulmonares mais frequentes foram exames normais (41,4%), nódulo(s)
    e/ou massa(s) (19,5%) e opacidades intersticiais difusas (17,1%). Analisando os estudos
    de neuroimagem, os exames normais predominaram (39,4%), seguido pela dilatação dos
    espaços de Virchow-Robin (27,2%) e criptococomas (24,2%). Não houveram diferenças
    radiológicas estatisticamente significativas entre HIV+ e HIV-, espécies ou desfecho.
    Conclusão: Exames radiológicos normais predominaram tanto nos estudos pulmonares,
    quanto neurológicos, exigindo atenção médica redobrada. Dilatação dos espaços de
    Virchow-Robin e criptococomas pulmonares foram os principais achados de imagem.
    Indivíduos HIV-negativos e a espécie C gatti foram particularmente importantes neste
    território endêmico na Amazônia e os índices de mortalidade persistem elevados.

  • JUSSANDRA CARDOSO RODRIGUES
  • ANÁLISE DO PROGRAMA SAÚDE AUDITIVA DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO NA AMAZÔNIA

  • Data: 02/12/2016
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, diversas iniciativas voltadas para avaliação em saúde vêm sendo propostas de forma progressiva nas últimas décadas com vistas à avaliação de serviços de saúde. O objetivo deste estudo é avaliar a qualidade do serviço de Saúde Auditiva do Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) sob a perspectiva do usuário. Casuística e método: Realizar-se-á estudo do tipo descritivo em epidemiologia de serviços de saúde, a ser desenvolvido no HUBFS. Participaram do estudo 80 usuários (pacientes ou acompanhantes/responsáveis legais caso sejam crianças ou inaptos para responder ao questionário) atendidos no Programa Saúde Auditiva do HUBFS no período de agosto a setembro de 2016 através da aplicação de protocolo de pesquisa específico adaptado de Armigliato e col. (2010). Neste formulário, tem-se 18 perguntas, que norteiam: acesso ao serviço, avaliação da audição, atendimento personalizado, benefício para a família, comunicação e informação e competência profissional. Cada questão foi apresentada em escala graduada de cinco pontos. Os dados foram calculados em porcentagem e a pontuação de cada domínio e a pontuação total foi estabelecida. A estatística inferencial foi aplicada, adotando nível de significância de 0,1, a fim de verificar a influência das características demográficas no escore total. Os dados qualitativos foram categorizados e aplicado método de Análise de Conteúdo. Resultados e Discussão: O escore para o domínio acesso foi 52,44%, para avaliação da audição foi 87,38%, para atendimento personalizado foi 74,88%, para benefício para família foi 57,88%, para comunicação e informação foi 75,17%, para competência profissional foi 77,50% e para o escore total 71,65%. Verificou-se que já ter recebido o aparelho auditivo, tipo de atendimento buscado e quem respondeu ao formulário apresentam resultados mais elevados no escore total do questionário pela análise inferencial. Os resultados também apontam falhas no funcionamento da rede atenção básica – média complexidade – alta complexidade com prejuízo para os usuários. Conclusão: A aplicação do formulário é necessária para fortalecer a construção de indicadores de avaliação de satisfação de usuário do serviço Saúde Auditiva, e desta forma dar voz a este e corroborar sua participação nos processos de planejamento e controle social. Além disso, faz-se uma leitura da necessidade de ampliação desta avaliação incluindo a visão do gestor e dos profissionais do programa Saúde Auditiva, bem como do fortalecimento da rede atenção básica e média/alta complexidade do Sistema Único de Saúde no estado do Pará.

  • BETHANIA DIAS DE LUCENA
  • PREVALÊNCIA DE UNHAS FRÁGEIS EM PACIENTES PORTADORES DE ANEMIA FERROPRIVA ATENDIDOS EM CENTRO DE REFERÊNCIA

  • Data: 29/11/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O ferro atua como cofator em vários processos enzimáticos dos queratinócitos. Sua deficiência crônica pode manifestar-se em alterações epiteliais, podendo levar a alterações ungueais, como a onicosquizia e a onicorrexe, que caracterizam as unhas frágeis. Não se conhece, entretanto, a prevalência de fragilidade ungueal entre os portadores de anemia ferropriva. Portanto, este trabalho visa descrever tal prevalência, para maior conhecimento desta epidemiologia, com a finalidade de proporcionar ao paciente uma melhor abordagem e orientação quanto a essa queixa dermatológica, contribuindo para melhora de sua autoestima e qualidade de vida. Objetivos: Descrever a prevalência de unhas frágeis em pacientes portadores de anemia ferropriva, atendidos no HEMOPA; traçar o perfil sócio demográfico da população de estudo; identificar outras alterações ungueais; identificar a ocorrência de outras causas associadas à fragilidade ungueal. Metodologia: estudo transversal, individual, observacional, descritivo. A amostra foi composta de 26 pacientes, obtida através da convocação de todos contidos na lista de cadastro do HEMOPA com diagnóstico de anemia ferropriva, que se encaixavam nos critérios inclusão deste trabalho, e que compareceram ao local no dia e horário agendados. Foram submetidos ao exame clínico das unhas e às perguntas contidas no protocolo de pesquisa. Os resultados obtidos foram armazenados em planilhas eletrônicas, utilizando o software Microsoft Excel 2016, e analisados usando o software Statistician, versão 2.00.01.61. estabelecendo-se como significância valor de p ≤ 0,05 e intervalo de confiança (IC) de 95%. Resultados: Dos 26 pacientes, 88,42% eram de pessoas do gênero feminino. A idade média foi de 48,92 anos. Quanto à ocupação, 15 pacientes exerciam atividades de serviços domésticos. Nas unhas das mãos, observou-se principalmente a separação em camadas (61,54%), sulco longitudinal (50%), fissura longitudinal (30,77%), granulação da superfície ungueal (15,38%) e fendas dentadas (15,38%). Nos pododáctilos as alterações ungueais mais prevalentes foram fissura longitudinal (42,31%), linhas de Beau (34,62%), coloração amarelada difusa (34,62%), granulação da superfície (26,92%), onicólise (26,92%) e hiperceratose subungueal (23,08%). Observou-se 76% dos pacientes com onicorrexe e/ou onicosquizia. Entre os pacientes com fragilidade ungueal, 40% afirmaram usar esmaltes e removedores sempre; 85% sempre tinham contato com detergentes e produtos químicos; 40% possuíam o hábito de tirar cutículas. A prevalência de unhas frágeis entre aqueles que possuíam hemoglobina normal ou anemia leve foi de 85%, enquanto que entre os que apresentavam anemia moderada ou grave foi de 50%, porém não houve significância estatística. Conclusão: 76,9% dos pacientes portadores de anemia ferropriva apresentaram unhas frágeis, o que demonstra que se deve levar em consideração as causas sistêmicas como importantes fatores a serem avaliados na vigência do diagnóstico de unhas frágeis. A população mostrou-se predominantemente feminina, adulta, que possuía baixas renda e escolaridade, e que em grande parte exerciam atividades de serviços domésticos. Além da onicorrexe e onicosquizia, encontradas principalmente nas mãos, as principais alterações ungueais, em mãos e pés, foram sugestivas de trauma. Além da anemia ferropriva, foram encontrados outros fatores causais associados à fragilidade ungueal. Conclui-se que ao se deparar com um paciente apresentando sinais de fragilidade ungueal diversos fatores envolvidos na sua etiologia devem ser investigados. 

  • FERNANDA FURTADO DA CUNHA
  • Análise dos estadiamentos do câncer de colo uterino ao diagnóstico em hospital de referencia para câncer no estado do Pará, no período de 2001-2010. 

  • Data: 26/09/2016
  • Mostrar Resumo
  • Resumo

    O câncer de colo do útero apresenta um dos mais altos potenciais de cura, chegando a 100%, quando diagnosticado e tratado em estádios iniciais ou em fases precursoras. Para verificar se houve aumento significativo na detecção precoce e consequente redução do estágio invasor, propôs-se este estudo com objetivo de avaliar o estadiamento clínico do câncer de colo uterino na época do diagnóstico, em um hospital de referência para câncer no Estado do Pará no período de 2001 a 2010. Trata-se de um estudo observacional, retrospectivo, descritivo e analítico, que tomou por base dados de um Registro Hospitalar de Câncer (RHC) de referência no estado do Pará, onde foi realizada análise dos estádios do câncer de colo uterino ao diagnóstico no período de 2001 a 2010.  A população alvo da pesquisa foram todas as mulheres com diagnóstico de câncer de colo uterino constantes no registrado RHC-HOL. Os dados foram coletados diretamente do sistema de informações do RHC. Para guiar a coleta foi utilizado um instrumento de coleta de dados. As variáveis que foram utilizadas incluíram: idade, ocupação, procedência, grau de instrução, diagnóstico histopatológico, estadiamento, local do tumor primário, e desfecho. Os dados foram armazenados em banco do soft Excel, em seguida analisados e representados em tabelas e submetidos à análise da estatística descritiva e analítica. Os resultados mostram que as mulheres chegaram a unidade de referência com estadiamentos clínicos avançados, IIB e IIIB, com o carcinoma invasor contribuindo com a maioria dos casos, seguido do adenocarcinoma invasor, do total das lesões malignas do colo. O carcinoma invasor mostrou ainda, uma distribuição bienal crescente nos três primeiros biênios e no último biênio. O carcinoma in situ foi reduzindo sua frequência no decorrer dos biênios. Nos estadiamentos verificamos que os casos sem informação foi o mais frequente, seguido dos casos IIB, IIIB e IB. De modo geral o estágio II foi o mais frequente, seguido do estágio III. Apesar das campanhas de incentivo à prevenção, a ocorrência do câncer de colo uterino no estádio invasor ainda é muito alta, além disso, observou-se diminuição dos casos in situ, podendo se concluir que as ações adotadas estão sendo ineficientes. Campanhas educacionais devem ser fortalecidas e novos estudos devem ser conduzidos na expectativa de identificar fatores que estejam interferindo no desempenho do Programa de controle.

  • GERUSA NINOS FEITOSA
  • PERFIL DE RESISTÊNCIA DO Acinetobacter baumannii E FATORES DE RISCO PARA
    INFECÇÃO NO RECÉM – NASCIDO : SÉRIE HISTÓRICA REALIZADA EM UNIDADE
    DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL DE REFERÊNCIA NA AMAZÔNIA ORIENTAL
    BRASILEIRA

  • Data: 29/06/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Acinetobacter baumannii, é uma bactéria de climas úmidos e quentes,
    adapta-se bem à vida livre (solo e água), animais (parasitismo) e objetos inanimados.
    Comumente, é isolado no ambiente hospitalar, em equipamentos e soluções, com habilidade
    para sobreviver por longos períodos em superfícies ambientais, mesmo secas, sugerindo os
    objetos inanimados como prováveis reservatórios. Objetivo:Verificar o perfil epidemiológico
    de recém-nascidos que adquiriram infecção hospitalar por cepas de Acinetobacter baumannii
    isoladas durante internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de uma Maternidade
    Pública de Referência Terciária para gestante de alto risco, na cidade de Belém. Casuística e
    Método: Recém-nascidos de baixo peso, em uso de ventilação mecânica, com cateter venoso
    central, em uso de antimicrobianos para tratamento de quadro infeccioso com manifestação
    sistêmica e submetidos a procedimentos cirúrgicos. Realizou-se estudo documental e
    descritivo do tipo série histórica com abordagem quantitativa com todos os pacientes
    internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) da Fundação Santa Casa de
    Misericórdia do Pará, com diagnóstico de sepse comprovada por documentação
    microbiológica, no período de janeiro de 2005 a janeiro de 2014. Resultados: Verificou-se no
    grupo infectado maior proporção do sexo feminino (53,30%), com peso de nascimento com
    intervalo entre 1000 a 1500g (38,50%),os pré-termos foram os mais acometidos com 76,37%
    e com perfil de resistência antimicrobiana maior para Penicilinas (100%), Cefalosporina de 2ª
    geração (99,50% ),3ª geração (67,60% ) e 4ª geração (53,8%). Conclusão: Observamos no
    estudo que com a disseminação dos isolados de multiresistência no mundo, a escolha da
    terapêutica adequada se torna cada vez mais difícil. È de suma importância o conhecimento da
    epidemiologia local dos isolados de Acinetobacter, uma vez que estudos como esse tem
    demostrado a propagação de clones desta espécie em diferentes hospitais,para que seja
    estabelecido a otimização do tratamento a ser adotado e o controle rigoroso epidemiológico
    evitando assim infecções cruzadas interhospitalares.

  • GUTEMBERGUE SANTOS DE SOUSA
  • AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE NO CONTEXTO
    DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE: UM ESTUDO POR TRIANGULAÇÃO DE
    MÉTODOS NO MUNICÍPIO DE CANAÃ DOS CARAJÁS-PARÁ.

  • Data: 24/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença de grande relevância para a saúde pública, existindo ações exclusivas voltadas para a sua eliminação. Possui um programa específico, focado na atenção primária à saúde, principalmente na estratégia de saúde da família, atendendo à população através de ações preventivas e curativas. Este trabalho teve como objetivo avaliar o programa de controle da hanseníase em Canaã dos Carajás-Pará, por se tratar de um município da região amazônica com alta endemicidade de casos. Trata-se de um estudo epidemiológico, de avaliação de serviços de saúde, tendo como proposta a avaliação do programa de controle da hanseníase em suas diversas ações. Utilizou-se como proposta avaliativa, a triangulação de métodos baseada na avaliação de estrutura, processos e resultados. Tal estudo teve como público alvo os profissionais de saúde (médicos e enfermeiros), atuantes na rede de atenção primária em saúde, os gestores ligados ao programa municipal de controle da hanseníase e os gerentes das unidades de saúde ligados à atenção primária. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados questionários abertos e fechados, além de formulários pré-elaborados. A organização dos dados ocorreu através de técnicas quantitativas e em seguida, os dados foram tabulados eletronicamente para a aplicação de análise e testes estatísticos cabíveis. Este estudo foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa do Núcleo de Medicina Tropical da Universidade Federal do Pará, com parecer nº: 1.128.385. Os resultados encontrados demonstraram que o município possui muitas fragilidades em sua estrutura, apresentando como classificação regular a disponibilidade de materiais educativos e a oferta de atendimento em saúde bucal para os usuários do programa. Receberam classificação insatisfatória a realização do teste de acuidade visual, o armazenamento dos medicamentos da PQT na própria unidade de saúde, as ações de monitoramento em pacientes em uso de prednisona, as condutas em caso de neurites associadas, a solicitação de exames laboratoriais complementares no diagnóstico e em casos de reação tipo 2 e a ausência de horários alternativos para funcionamento da unidade e atendimento ao usuário com hanseníase. Os demais itens avaliados receberam avaliação com classificação bom ou excelente. Num contexto geral, identificou-se a presença dos atributos da atenção primária em saúde, demonstrando que o município encontra-se orientado para o ações de controle da hanseníase. Os indicadores de qualidade avaliaram a proporção de cura, proporção de abandono de tratamento, proporção de contatos examinados, proporção de recidiva, proporção de avaliação do grau de incapacidade no diagnóstico e na cura. Tais indicadores demonstraram fragilidades existentes no programa necessitando a implementação de ações para a melhoria do mesmo. Os dados encontrados, em sua maioria, coincidem com os relatos disponíveis na literatura. Diante dos dados, conclui-se que o município em questão possui uma estrutura variante entre insatisfatória e regular para o desenvolvimento das ações de controle da hanseníase. Identificou-se a presença e extensão dos atributos essenciais e derivados, indicando uma alta orientação do serviço para as ações de controle da hanseníase, com exceção do atributo acesso que não atingiu média igual ou superior ao ponto de corte, sendo classificado com baixa orientação para as ações de controle da hanseníase. Os indicadores avaliados identificaram que as ações de controle da hanseníase no município não estão impactando de maneira satisfatória, demonstrando fragilidades que precisam ser corrigidas.

  • LANA MATOS PELAES
  • AVALIAÇÃO DE ALTERAÇÕES COROIDEANAS EM PACIENTES PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA ATRAVÉS DA TOMOGRAFIA DE COERÊNCIA ÓPTICA 

  • Data: 17/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Hipertensão Arterial Sistêmica permanece como um grande problema de saúde no mundo todo, com alta prevalência e baixas taxas de controle, e é considerada um dos mais importantes problemas de saúde pública. A introdução da Tomografia de Coerência Óptica (OCT) na prática clínica modificou a oftalmologia. Trabalhos que avaliem a espessura da coróide, especificamente em portadores de HAS, são raros, por isso estudar a espessura da coróide e sua apresentação em diversas doenças sistêmicas e com manifestações na saúde ocular, dentre elas a Hipertensão Arterial Sistêmica, constitui-se em um crescente e atual desafio para a ciência oftalmológica e a medicina como um todo. Foi realizado um estudo transversal e analítico em pacientes portadores de hipertensão arterial sistêmica primária (hipertensão essencial) e em pacientes saudáveis, pertencentes ao grupo controle, encaminhados ao Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e posteriormente submetidos ao exame de OCT, no Núcleo de Medicina Tropical. A casuística contou com 74 pacientes, em um total de 148 olhos avaliados: 42 pacientes hipertensos e 32 pacientes do grupo controle. Os resultados encontrados mostraram uma média de espessura da coróide, na região subfoveal, de 273μm (olhos direitos) e 260μm (olhos esquerdos) de pacientes hipertensos; no grupo controle a média foi de 252μm (olhos direitos) e 249μm (olhos esquerdos), também na região subfoveal. As medidas de espessura da coróide, em pacientes hipertensos, encontram-se pouco aumentadas em comparação aos pacientes do grupo controle, porém sem diferenças significativas. As medidas de espessura da coróide, na região subfoveal, são mais espessas que as temporais e nasais, tanto para pacientes hipertensos quanto para pacientes saudáveis. Não foi encontrada diferença significativa entre as medições temporais e nasais, tanto no grupo de hipertensos, quanto no grupo controle. As mulheres hipertensas apresentaram valores de espessura coroideana maiores que os de mulheres saudáveis e ambas, por sua vez, apresentaram médias maiores que as de homens (hipertensos e saudáveis). Através desta pesquisa, procurou-se averiguar características que possam contribuir para o diagnóstico precoce do acometimento da coróide em pacientes hipertensos, através da tecnologia da Tomografia de Coerência Óptica.

  • CRISTIANE MOURA SILVA
  • CUIDADOS PALIATIVOS: AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DA EQUIPE DE
    SAÚDE EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

  • Data: 16/05/2016
  • Mostrar Resumo
  • Globalmente, estima-se que o número de pessoas com necessidade de Cuidados
    Paliativos no fim da vida é de 20,4 milhões. O aumento expressivo de doenças crônicodegenerativas
    pode adiar a morte, num processo de morrer prolongado e, por vezes, doloroso,
    particularizando-se as pessoas idosas. É preciso que todos reconheçam, incluindo a equipe de
    saúde, que a morte é um processo natural. Quando não se pode curar, proporcionar o conforto
    e aliviar o sofrimento são as prioridades do atendimento, fundamentando a base dos Cuidados
    Paliativos. Este estudo objetivou avaliar o conhecimento da equipe de saúde de um hospital
    universitário em Cuidados Paliativos. Estudo observacional e transversal realizado no
    Hospital Universitário João de Barros Barreto, incluindo 53 profissionais de saúde de equipe
    multiprofissional, através de aplicação de protocolo de pesquisa validado. Os dados foram
    submetidos às análises estatísticas descritivas, comparativas e de correlação. Os resultados
    demonstraram que a maioria dos participantes era do sexo feminino, os profissionais mais
    experientes pontuaram melhor nos questionamentos acerca de indicações de cuidados
    paliativos estritos, apenas 5,7% da amostra teve aprendizado na graduação, enquanto 66%
    complementou conhecimento em regime de pós-graduação. A avaliação do conhecimento da
    equipe de saúde em cuidados paliativos indicou deficits no entendimento de conceitos e
    princípios, dificuldades em reconhecer indicações precisas de paliação e sintomas que
    merecem tratamento. Observou-se ausência do tema na graduação da maioria dos
    profissionais, apontando a necessidade de rever o currículo dos cursos e de implementar
    medidas educativas. As informações do estudo demonstraram preferência pessoal dos
    profissionais de saúde em recusar medidas invasivas diante de sua própria morte. Entender a
    importância do aperfeiçoamento e do treinamento para capacitação da equipe
    multiprofissional permitirá planejar e instituir um Serviço de Cuidados Paliativos bem
    estruturado no Hospital Universitário João de Barros Barreto.

  • CYLIA OLIVEIRA GUEDES PEREIRA
  • CRIPTOCOCOSE EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES APARENTEMENTE IMUNOCOMPETENTES: CRYPTOCOCCUS GATTII VERSUS CRYPTOCOCCUS NEOFORMANS EM UMA REGIÃO ENDÊMICA DA AMAZÔNIA

  • Data: 01/02/2016
  • Mostrar Resumo
  • A criptococose é uma grave micose sistêmica com significativa morbimortalidade, afetando indivíduos imunocomprometidos e imunocompetentes, principalmente sob a forma de meningoencefalite. É uma doença endêmica na Região Norte, principalmente, entre crianças e adolescentes,sendo ainda pouco conhecida. Objetivo: Analisar de forma comparativa o perfil clínico, epidemiológico e laboratorial entre as diferentes espécies do Cryptococcus spp. isoladas em crianças e adolescentes aparentemente imunocompetentes, internados com o diagnóstico de criptococose no Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB), em Belém-Pará, no período de 1999-2012. Metodologia: Estudo retrospectivo, epidemiológico, transversal e analítico, com revisão de prontuários dos pacientes na faixa etária entre 0 e 19 anos com diagnóstico confirmado de criptococose e que preencheram os critérios de inclusão. Resultados: Este estudo foi composto por 67 pacientes com criptococose, a maioria procedente da mesorregião Nordeste (53,7%), sendo a média de idade de 12 anos. Do total, 41 eram do gênero masculino. Houve um predomínio de estudantes (97%). No decorrer dos anos o número de casos não ultrapassou o limiar epidemiológico e não houve associação da doença com os meses chuvosos. Quanto a identificação da espécie (N= 52) foi encontrado C. gattii em 34 pacientes e C. neoformans nos 18 restantes. Nos dois grupo a fase de desenvolvimento mais acometida foi a adolescência e o gênero masculino. A maioria, 40%, morava em zona rural. Observa-se um tempo de internação pelo C. gattii superior ao C. neoformans, com médias de 67,2 e 58,4 dias, respectivamente. Em ambas observou-se o predomínio de febre, cefaleia e vômitos e a forma clínica meningoencefálica foi a mais frequente. Todos os pacientes apresentaram sequelas ao término da indução. Conclusão: O C. gattii foi a espécie mais frequentemente isolada nos casos de criptococose em crianças e addolescentes aparentemente imunocompetentes. Ambas as espécies tiveram predomínio do gênero masculino e a fase mais acometida foi a dolescência. A presentação crônica da criptococose foi a mais frequente, assim como a forma meningoencefálica. O sintoma paresia / paralisia de membros surgiu como variável diferenciadora característica da infecção por C. neoformans. A alteração da acuidade visual foi a sequela que apresentou correlação estatística significante. A letalidade por C. gattii foi superior.

  • TAYNAH MAYARA MONTEIRO E SILVA RIKER
  • TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM CRIANÇAS NASCIDAS EM UMA
    UNIDADE DE REFERÊNCIA NO ANO DE 2012 EM BELÉM-PA

  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Existem cerca de 3,4 milhões de crianças infectadas pelo HIV em todo o mundo, com mais de 90% dos casos relacionados à transmissão vertical (TV), o que faz das medidas preventivas recomendadas um dos mais importantes resultados do conhecimento cientifico adquirido com a epidemia. Hoje, segundo as diretrizes atuais, cerca de até 2,6 milhões de crianças ainda estão nos critérios de elegibilidade para o tratamento contra o HIV. Esta pesquisa objetivou estabelecer a prevalência de transmissão vertical do HIV entre as parturientes atendidas no ano de 2012 em Unidade de Referência, Belém-PA, onde são acompanhados pré-natais de grávidas portadoras do HIV e realizado o monitoramento de seus conceptos até os 24 meses de vida. Realizou-se um estudo descritivo, retrospectivo, quantitativo, tipo corte transversal, em único centro, por meio de análise de prontuários, entre junho a julho de 2015. A taxa de transmissão vertical observada foi estimada em 0% (zero), reunindo-se todos os dados laboratoriais possíveis. Caracterizou-se o perfil sócio-demográfico das parturientes como: a maioria estava na faixa entre os 26-30 anos, solteiras, com o ensino médio completo, originárias de serviços de saúde, primordialmente do SUS; quanto ao perfil obstétrico: 80% aderiram ao Pré-Natal, 60% estava fazendo Terapia Antirretroviral (TARV), predominou o parto cesáreo, a termo, com administração de Zidovudina (AZT) intraparto; dentre os lactentes: 68% apresentou carga viral indetectável ao longo dos primeiros 24 meses de vida, sem realização da sorologia preconizada pelo Ministério da Saúde até a 6ª semana de vida, recebendo a profilaxia com AZT xarope (84%), sendo que apenas 8% tiveram alta registrada em prontuário. Apesar de se observar uma boa vigilância em relação à TV, cuja taxa foi 0% no ano sob estudo, é fundamental a implementação de estratégias de retenção do binômio mãe-lactente nos serviços de saúde para adequado seguimento obrigatório por 24 meses de idade, dada a baixa ocorrência de altas registradas em prontuário (quer por preenchimento inadequado, quer por evasão).

  • ANA THAIS MACHADO MOUTINHO
  • Estudo histológico e imunohistoquímico de biópsias de pacientes com psoríase

  • Data: 29/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A psoríase é uma doença de pele inflamatória crônica, multifatorial, com forte base genética, caracterizada por alterações complexas no crescimento e diferenciação epidérmica. Atinge entre 2%-3% da população, sendo igualmente distribuída, em ambos os sexos, podendo iniciar em qualquer faixa etária. As manifestações clínicas da psoríase são variáveis e classificadas nos subtipos: placas, gotas, eritrodérmica, pustulosa e palmo plantar. A sua cura ainda não é possível e nenhuma droga se mostrou eficaz. A patogenia da doença envolve interações desreguladas da resposta imune, particularmente da ação de citocinas como IL-1, IL-6, IFN-ᵧ, TNF-α, TGF-β, etc. O propósito deste estudo foi avaliar a expressão de citocinas IL-1 e TNF-α em biópsias de peles lesionadas de pacientes com psoríase, e ainda, correlacionar o perfil imunohistoquímico destes marcadores com a variedade de formas clínicas, os achados histopatológicos e as características epidemiológicas dos indivíduos estudados. Este estudo analisou 38 biópsias de pacientes com diagnóstico clínico e histopatológico de psoríase, atendidos no Ambulatório da Universidade Estadual do Pará - UEPA no período de janeiro de 2011 a janeiro de 2015. As biopsias de pele foram submetidas a cortes histológicos e à coloração hematoxilina e eosina para o diagnóstico histopatológico, enquanto à técnica de imunohistoquímica, foi utilizada na detecção da expressão das citocinas TNF-α e IL-1. O programa BioEstat 5.0 foi aplicado nas analises estatísticas, considerando o nível de significância de 95%. Em relação aos dados epidemiológicos, 55,26% (21/38) dos pacientes com psoríase eram do sexo masculino, 68,42% (26/38) estavam acima de 40 anos e 52,63% (20/38) tinham lesões acima de 2 anos de evolução. E baseado nos dados de imunohistoquimica destes pacientes foi detectado que 74% (28/38) das amostras de pele lesionadas estavam associadas com a forma clínica do tipo vulgar e apresentavam diversas alterações histopatológicas com destaque para a presença de adelgaçamento suprapapilar com acantose, intenso infiltrado inflamatório e alterações vasculares. Uma analise concomitante da expressão de TNF-α e IL-1 tendem a exibir uma relação diferenciada quanto as formas clinicas da psoríase. Adicionalmente, cerca da metade das amostras de lesão do tipo vulgar, exibia uma forte expressão de TNF-α, verificando-se uma consistente relação entre o índice de expressão desta citocina versus o de lesões histológicas.

  • CLAUDIA ROBERTA LIMA FURTADO DE MENDONCA
  • O CUIDADO À SAÚDE BUCAL DE CRIANÇAS COM CARDIOPATIAS CONGÊNITAS ATENDIDAS EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO PARÁ.

  • Data: 26/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • As cardiopatias congênitas são malformações do coração e/ou dos grandes vasos, comumente presentes ao nascimento. A criança cardiopata pode apresentar elevado índice de doenças bucais, como a cárie. As bactérias presentes na flora bucal, além de potenciais causadoras de cárie dentária, podem determinar Endocardite Infecciosa (EI). Desse modo, a falta de cuidado com a saúde bucal pode ser um fator de risco para complicações envolvendo o coração, particularmente em crianças com cardiopatia congênita. Portanto, é importante que seja realizada a educação dos pacientes de risco e de seus cuidadores, destacando-se as medidas preventivas nas atividades diárias. Neste sentido, este trabalho objetivou analisar os fatores que interferem no cuidado com a saúde bucal de crianças com cardiopatias congênitas. Foi realizado um estudo transversal, com a participação de 282 pais / responsáveis de crianças (6 meses a 12 anos) com cardiopatia congênita assistidas no Ambulatório de Cardiopediatria da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna. A coleta de dados foi realizada mediante levantamento nos prontuários das crianças cardiopatas com posterior aplicação de formulário aos seus pais/responsáveis, no período de fevereiro a maio de 2015. Apresentaram-se os dados por métodos estatísticos descritivos e inferenciais. Os hábitos sobre higiene oral, comportamentos dietéticos e outros fatores relacionados à promoção da saúde bucal das crianças cardiopatas participantes foram avaliados para a formação do Índice de Risco para Cárie (IRC). Das sete variáveis submetidas à análise de risco, cinco apresentaram significância estatística. O IRC compreendeu um score que variou entre 0 (menor risco para cárie) e 100 (maior risco para cárie) para cada criança. Do total, 124 (44%) apresentavam histórico de cárie dentária, observando-se que grande parcela destas crianças, demonstrava saúde bucal prejudicada. O IRC significativamente mais alto (50,3 pontos) foi na faixa etária de 7 a 9 anos. O relato dos pais (47,2%) sobre não terem recebido informações por parte da equipe de profissionais de saúde sobre a higiene bucal de seus filhos constituiu-se em significativo IRC (média= 36,3). Quase a metade (48,9%) dos pais/responsáveis alegaram não ter conhecimento sobre o maior risco de seus filhos cardiopatas adquirirem infecções cardíacas e desconheciam a relação entre essas infecções com a saúde bucal. Fatores socioeconômicos tiveram influência significativa sobre o IRC. Nas diversas categorias que compuseram o estado civil dos pais/responsáveis, os divorciados apresentaram maior IRC (média=35,9). Quanto à escolaridade e renda familiar, aqueles com menos oito anos de estudo e que recebiam entre 1 e 3 salários mínimos tiveram os maiores IRC, média respectivamente de 32,7 e de 29,1. Conclui-se que o comprometimento da saúde oral em crianças com cardiopatia congênita, o desconhecimento de pais e/ou responsáveis sobre a importância da higiene bucal e sua relação com o possível agravamento da patologia cardíaca de seus filhos e fatores socioeconômicos contribuíram de modo significativo na composição do Índice de Risco para Cárie. O IRC obtido neste estudo sugere a necessidade de aperfeiçoamento de políticas públicas que fomentem ações para a promoção da saúde bucal da criança com cardiopatia congênita.

  • GABRIELA ATHAYDE AMIN
  • ACOMETIMENTO UNGUEAL E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES COM PSORÍASE VULGAR EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO PARÁ

  • Data: 25/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A psoríase ungueal (PU) pode afetar de 70 a 80% dos pacientes portadores de psoríase e é um marcador preditivo da artrite psoriásica, além de trazer um impacto funcional, estético e psicológico para a qualidade devida. As manifestações da psoríase ungueal podem atingir a matriz ou o leito ungueal. Ainda são escassos os dados sobre a psoríase ungueal, em especial na população brasileira. Objetivos: Descrever o acometimento ungueal em pacientes portadores de psoríase em um serviço de referência em Belém-PA, elencando os seus aspectos clínicos e epidemiológicos e correlacionar o acometimento ungueal utilizando-se do Índice de gravidade da psoríase ungueal (NAPSI) com o Índice de Qualidade de vida em Dermatologia (DLQI) e o Índice da Área e Severidade da Psoríase. Metodologia: O estudo é do tipo transversal, descritivo, do tipo série de casos; Realizado no Ambulatório de Dermatologia da Universidade do Estado do Pará, com 43 pacientes portadores de psoríase vulgar com acometimento ungueal; foi aplicado um questionário epidemiológico, coletados dados de prontuário e verificados índices de gravidade da doença. Resultados: Dos 43 pacientes avaliados, 51,16% eram do sexo feminino, com média de idade de 44,58 anos, a profissão/ocupação mais frequente foi a do lar com 19% dos casos, a média de tempo de doença foi de 7,6 anos; a artrite psoriásica foi verificada em 16,27% dos casos, os pacientes estavam em sua maioria em uso de medicações tópicas, representando 74%. O NAPSI médio foi de 15,8, o PASI médio foi de 7,7, o BSA médio de 23% a média do DLQI foi de 5,27. Quando questionados sobre o incômodo em relação as unhas, 46,51% relataram que apresentavam incômodo. A alteração clínica mais frequente foi a onicólise, presente em 34% dos casos e verificou-se a correlação positiva entre as variáveis BSA x DLQI, PASI x DLQI e NAPSI x tempo de doença e NAPSI e PASI. Conclusão: A onicólise é a manifestação mais frequnte na psoríase ungueal. A doença ungueal representa uma importante forma da doença que está relacionada com a gravidade da psoríase vulgar, implicando diretamente no índice de qualidade de vida desta doença.

  • ELINE PINHEIRO WEBA COSTA
  • HANSENÍASE: ASPECTOS CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICOS E ALTERAÇÕES DA
    MUCOSA NASAL DE PACIENTES MATRICULADOS EM SERVIÇO DE
    REFERÊNCIA

  • Data: 25/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • A Hanseníase é uma doença granulomatosa crônica, que afeta a pele e as células de
    Schwann dos nervos periféricos, causada pelo Mycobacterium leprae. A mucosa nasal dos
    pacientes com hanseníase está acometida na maioria dos casos, e de forma precoce. Contudo,
    existem poucos trabalhos na literatura que visam estudar o perfil dessas alterações e sua
    correlação com a forma clínica. Objetivou-se através deste, descrever as alterações da mucosa
    nasal, através de endoscopia nasal, nos pacientes portadores de hanseníase, atendidos no
    Serviço de Dermatologia da Universidade do Estado do Pará. Este estudo é do tipo transversal
    controlado, predominantemente descritivo, composto por 16 pacientes hansenianos, sendo 8
    pacientes classificados como paucibacilares e 8 como multibacilares, e 16 controles. Após
    diagnóstico e entrevista inicial realizados na UEPA, o paciente foi encaminhado para realização
    de endoscopia nasal no Hospital Bettina Ferro de Souza. Foi realizada análise estatística dos
    resultados e considerados apenas os valores com p≤0,05. Observou-se que há mais casos de
    alteração de mucosa nasal em pacientes multibacilares (75%) quando comparados à
    paucibacilares (12,5%). As alterações mais observadas foram infiltração, hansenomas e crostas
    hemáticas. Além disso, há maior proporção de homens (68,8%) com diagnóstico de hanseníase,
    e estes apresentam 23 vezes mais chance de acometimento da mucosa nasal que as mulhe res.
    Não foi observada relação positiva entre sintomas nasais e alterações observadas na mucosa
    nasal. Por conta disso, faz-se importante a realização do exame otorrinolaringológico e
    principalmente do exame endoscópico das mucosas das cavidades nasais em todos os pacientes
    com hanseníase independentemente de queixas ou forma clínica da doença.

  • ELCILANE GOMES SILVA
  • IDENTIFICAÇÃO DE COMORBIDADES E FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR EM PACIENTES COM DIAGNÓSTICO DE PSORÍASE EM UM SERVIÇO DE DERMATOLOGIA

  • Data: 25/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A Psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, de base genética, caracterizada por hiperplasia da epiderme, isomorfismo, caráter recidivante e largo espectro de manifestações clínicas. Ocorre universalmente, igualmente em homens e mulheres, sendo das mais comuns doenças cutâneas. A associação da psoríase com doenças cardiovasculares é descrita desde 1961, sendo esta uma importante causa de morbidade e mortalidade, dentre elas, o infarto agudo do miocárdio, doença vascular periférica e acidente vascular encefálico. Além do que, os fatores de risco para doença cardiovascular, como hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus, obesidade, dislipidemia e tabagismo têm prevalência aumentada entre os pacientes com psoríase e a prevalência de obesidade e o diabetes mellitus é proporcional à gravidade da psoríase. OBJETIVO: Descrever as características demográficas, clínicas, epidemiológicas e laboratoriais de um grupo de pacientes com diagnóstico de psoríase e avaliar a prevalência de comorbidades clínicas, fatores de risco cardiovasculares e Síndrome metabólica nesse grupo de pacientes. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo transversal com amostragem por conveniência, onde aplicou-se um questionário a 86 pacientes com diagnóstico prévio de psoríase atendidos no serviço de Dermatologia da Universidade do Estado do Pará. Os pacientes foram submetidos a anamnese e exame físico, além de preenchimento de questionário específico sobre dados clínico-epidemiológicos. O perfil de risco cardiovascular foi verificado pelo escore de risco de Framinghan. Para a análise estatística, foram empregados os testes qui-quadrado e Teste G. Foi considerado o valor p<0,05 como limiar de significância estatística. RESULTADOS: Considerando os 86 pacientes avaliados, foi encontrada média de idade de 51,9 anos (49,3; 54,6), com proporção semelhante entre os sexos, maioria de cor parda com ensino fundamental incompleto e empregados. O tempo médio de doença é de 11,2 anos. A forma clínica predominante foi a psoríase em placas, presente em 75,6% dos pacientes. O tipo de Artrite Psoriásica predominante foi poliartrite simétrica em 48,3%. Grande parte dos pacientes (62,8%) apresentaram envolvimento ungueal, sendo a onicólise a alteração mais frequente (38,9%), seguida pelos pittings ungueais (26,7%). Verificou-se prevalência aumentada de HAS, DM tipo 2, SM e obesidade nos pacientes estudados, quando comparados à população geral. O aumento da circunferência abdominal também foi observado, além de grande número de pacientes etilistas e ex-tabagistas. Conforme os critérios de gravidade utilizados, 91,9% dos pacientes foram considerados graves. A grande maioria dos pacientes recebe tratamento sistêmico, sendo que 21,1% estão realizando tratamento com agentes imunobiológicos. O perfil de risco cardiovascular dos pacientes mostrou-se alto pelo escore de risco de Framinghan, sendo que 59,8% dos pacientes apresentaram risco médio ou alto de eventos coronarianos fatais e não fatais em 10 anos. A média foi considerada alta se comparada a outros estudos envolvendo a população brasileira.CONCLUSÃO: Houve elevada prevalência de comorbidades cardiovasculares como Síndrome metabólica, obesidade, Hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus tipo 2 e elevado risco cardiovascular pelo escore de risco de Framinghan. Essas comorbidades que se associam a psoríase aumentam e muito as taxas de morbidade e mortalidade da doença, e por isso são necessárias medidas efetivas preventivas e terapêuticas.

  • ALINNE LEAO MENDES BELTRAO
  • FATORES PROGNÓSTICOS DE SOBREEVIDA DE NEONATOS SUBMETIDOS À
    CORREÇÃO CIRÚRGICA DE GASTROSQUISE
  • Data: 20/01/2016
  • Mostrar Resumo
  • Introdução:A gastrosquise é uma malformação congênita de crescente prevalência, caracterizada por defeito no fechamento da parede abdominal anterior, com extrusão do intestino e consequente lesão intestinal. Dentre os fatores possivelmente relacionados à patogênese da doença, destacam - se: idade materna abaixo dos 20 anos; aixo nível sócio-econômico; uso de nicotina, álcool, drogas ilícitas; e possível olimorfismo de Nucleotídeo Simples (SNP) com alteração da decodificação de proteínas relacionadas à vasculogênese. O prognóstico depende da associação de diversos fatores, alguns ainda bastante controversos. Objetivo: Avaliar os fatores prognósticos elacionados à sobrevida /mortalidade de neonatos submetidos à correção cirúrgica de gastrosquise. Metodologia:Foi realizado um estudo transversal retrospectivo, sendo incluídos neonatos submetidos à correção cirúrgica de gastrosquise na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, no período de janeiro de 2010 a abril de 2015, onde foram avaliadas as variáveis relacionadas ao risco de mortalidade neonatal. Resultados:Foram incluídos 168 neonatos com gastrosquise, os quais foram distribuídos em dois grupos: grupo alta hospitalar e grupo mortalidade. A mortalidade encontrada foi de 51,2%. O menor número de consultas de pré - natal foi associado à maior mortalidade no pós - operatório (4,85 versus 6,05, P 0,004), e quanto mais precoce o diagnóstico pré-natal menor a taxa de mortalidade (22,28 versus 27,68,P 0,005). Os casos de óbito tinham médias de peso ao nascimento de 2159g versus 2445,26g do grupo alta (P=0,000), e idade gestacional de 37,26 semanas versus 38,07 semanas do grupo alta (P =0,027). Os principais fatores pós - natais associados à mortalidade foram a maior gravidade da lesão intestinal (OR5.5, IC 1,9-15,51,P 0,001) e a septicemia (OR 112,1, IC 14,7-849,6, P 0,000). O echamento primário da parede abdominal foi associado à menor mortalidade neonatal (OR 2,1, IC 1,1-4,2,P 0,019). Não houve diferença com relação à via de parto e tempo entre nascimento e correção cirúrgica, contudo a média de espera pelo procedimento foi de 30,39 horas (DP 108,04). Conclusões: Neste estudo, a taxa de  mortalidade foi de 51,2%, muito acima da média verificada em países desenvolvidos. Os fatores associados ao desfecho foram: baixo peso ao nascer, menor idade gestacional, gravidade da lesão intestinal, associação com outras malformações ou agravos intestinais, necessidade de colocação de silo, ocorrência de complicações pós - operatórias, incluindo a septicemia. Na pesquisa, não houve diferença com relação à via de parto e tempo entre nascimento e correção cirúrgica.
     
2015
Descrição
  • DANIEL ARNAUD PEREIRA FERREIRA
  • EFEITOS DA TERAPIA ANTITUBERCULOSE SOBRE O SISTEMA VISUAL EM UMA SÉRIE DE CASOS

  • Data: 28/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • No Brasil, o esquema básico para o tratamento da tuberculose passou a incluir o etambutol e a isoniazida. O presente estudo objetivou descrever e correlacionar achados sobre o sistema visual de pacientes em terapia medicamentosa para tuberculose pulmonar em diferentes fases do tratamento, a partir das avaliações clínica oftalmológica, de visão de cores, da campimetria computadorizada, da tomografia de coerência óptica e eletrofisiológica cortical visual. A coleta de dados foi feita no Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS) e no Laboratório de Neurologia Tropical do Núcleo de Medicina Tropical (NMT), no período compreendido entre os meses de setembro de 2014 a agosto de 2015. O estudo foi observacional, prospectivo, descritico, do tipo série de casos. Participaram quatorze pacientes em início de tratamento e, para cada teste avaliado, o número de pacientes foi diferente devido à adesão dos mesmos na participação da pesquisa. Apenas um participante apresentou alteração na avaliação oftalmológica, mais especificamente no relfexo pupilar. O teste de cores revelou melhora gradativa na maioria dos participantes, com melhora média de 19,3% ± 12,6% entre a primeira e segunda visita e de 20,5% ± 9,6 entre a primeira e a terceira. Na campimetria, foi encontrada uma melhora geral na sensibilidade aos estímulos luminosos em 30 graus de visão estimulados nas segundas e terceiras visitas, quando comparadas às primeiras. A tomografia de coerência óptica e o potencial cortical visual provocado, revelaram piora na maioria dos participantes, com a tomografia mostrando piora em cem por cento dos pacientes na terceira visita, quando comparada com os dados da primeira e com o potencial cortical visual provocado, o qual evidenciou redução principalmente na amplitude na segunda e terceira visitas quando comparadas à primeira. Os participantes submetidos a uma maior concentração das drogas etambutol e isoniazida se mostraram sempre piores ao serem comparados com os obtidos com os participantes submetidos a uma dosagem menor.

  • ROBERTO FREITAS DE CASTRO LEAO
  • MANIFESTAÇÕES OFTALMOLÓGICAS DO VÍRUS LINFOTRÓPICO HUMANO DE CÉLULAS T EM PACIENTES DO núcleo de medicina tropical da universidade federal DO PARÁ

  • Data: 18/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O vírus linfotrópico humano de células T (HTLV) está implicado em diversas doenças sistêmicas, com destaque à paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV (PET/MAH) e à leucemia/linfoma de células T do adulto (LLCTA), além de alterações oftalmológicas como a ceratoconjuntivite seca (KCS) e a uveíte associada ao HTLV (UAH). O objetivo do presente estudo foi descrever as principais alterações oftalmológicas encontradas nos pacientes portadores do HTLV do Núcleo de Medicina Tropical da Universidade Federal do Pará e associá-las às doenças sistêmicas relacionadas ao vírus. Foi realizado um estudo transversal, descritivo e analítico, com 22 pacientes com sorologia positiva para o HTLV, submetidos a exame oftalmológico para diagnóstico da KCS e UAH, e outras alterações oculares. No estudo descritivo, 54,55% dos pacientes apresentavam PET/MAH e 45,45% eram assintomáticos, nenhum paciente apresentava LLCTA. A principal alteração oftalmológica encontrada foi a KCS, presente em 40,9% dos pacientes e não houve nenhum caso de UAH. No estudo analítico foi identificada uma associação entre KCS e PET/MAH, em comparação aos pacientes assintomáticos (p < 0,05). Conclui-se que a presença da PET/MAH configura um fator de risco para o desenvolvimento da KCS em pacientes com HTLV.

     

  • VANESSA VILHENA BARBOSA
  • O PRESERVATIVO MASCULINO SOB A ÓTICA DE MULHERES
    HETEROSSEXUAIS COM PARCEIRO ÚNICO

  • Data: 17/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • A diferença entre homens e mulheres em relação aos casos de Aids no Brasil vem diminuindo ao longo dos anos. Dentro de alguns relacionamentos heterossexuais, as negociações e discussões acerca do uso de preservativo nem sempre são vistas de maneira saudável pelos homens, pois estes abordam a questão com preconceito, causando constrangimento à sua parceira. O objetivo deste trabalho foi investigar as percepções de mulheres heterossexuais com um único parceiro sexual atendidas em uma Unidade de Saúde da Família em Belém-Pará sobre o uso de preservativo masculino. A pesquisa foi qualitativa e descritiva e consistiu em aplicação de formulários com perguntas abertas sobre ideias e experiências sobre o uso de preservativo masculino a 13 mulheres. Os critérios de inclusão foram mulheres heterossexuais; de qualquer cor, classe social e grau de escolaridade; na faixa etária de 18 a 59 anos; com um único parceiro sexual e cadastradas na equipe III da Unidade de Saúde da Família Eduardo Angelim no ano de 2015. Os critérios de exclusão foram mulheres que se recusarem a participar da pesquisa e mulheres que desistirem de contribuir para o estudo durante sua realização. Os dados foram avaliados por meio da análise do discurso. A maioria identifica o condom como meio de prevenção de DST. Como vantagens, citam a questão da higiene íntima, a dupla proteção contra gravidez indesejada e DST e o fato de ser método contraceptivo isento de hormônios sintéticos. Como desvantagem, referem incômodo e irritação na mucosa vaginal em função do material do preservativo. A maioria dos casais toma a iniciativa mútua de propor o uso de preservativo. A maioria das mulheres nega interferência do condom no próprio prazer sexual e quase a totalidade refere que é possível ter uma relação sexual prazerosa com o preservativo masculino. Os parceiros dividem-se em proporção semelhante quanto à satisfação ou insatisfação com o preservativo; A maioria identifica que as mulheres em geral não têm informação suficiente sobre DST. Como sugestões para melhorar o conhecimento das mulheres e a adesão ao preservativo, as participantes sugerem mais palestras educativas na unidade de saúde e fora desta, intensificar a distribuição gratuita de preservativos, mais propagandas do Ministério da Saúde sobre prevenção de DST (especialmente para mulheres em relação estável), melhorar a qualidade do material do preservativo, superar preconceitos em relação ao condom e mais diálogo entre mulheres e homens.

  • ERICA FURTADO AZEVEDO COELHO
  • FATORES DE RISCO ASSOCIADOS A SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSOS ADSCRITOS A UMA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM ANANINDEUA/PA

  • Data: 17/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O envelhecimento da população mundial vem ganhando importância cada vez maior na saúde pública, uma vez que este grupo etário vem crescendo de forma acelerada. Estima-se que em 2050, cerca de dois bilhões de pessoas serão maiores de 60 anos, onde 80% estarão vivendo em países em desenvolvimento. Aproximadamente 10 milhões de brasileiros sofrem de depressão, destes, 4,7% a 36,8% são idosos. No Brasil muitos são os fatores de risco associados, inclusive relacionados ao arranjo familiar e à rede de suporte, sendo escassos os estudos na região Norte. O objetivo do presente trabalho foi identificar os fatores de risco associados aos sintomas depressivos, em idosos adscritos a uma Estratégia Saúde da Família (ESF), em Ananindeua/PA. Foi realizado um estudo do tipo descritivo, analítico e transversal, envolvendo 101 pacientes adscritos à ESF em questão, com aplicação de formulário sócio-demográfico, contendo varáveis consideradas fatores de risco para depressão; a Escala de Depressão Geriátrica abreviada (GDS- 15 questões); e o Mapa Mínimo de Relações do Idoso (MMRI) para avaliação da rede de suporte social. Houve associação dos sintomas depressivos dos idosos na faixa etária de 60 a 69, em divorciados/separados, com o número de eventos estressores, e dentre as doenças crônicas a cardiopatia foi a mais referida. Não houve associação dos sintomas depressivos com gênero, renda, escolaridade, arranjo familiar e rede de apoio social. Os idosos pesquisados apresentaram tamanho de rede pequena, segundo sua percepção, tendo como único relacionamento significativo a família. Conclui-se que, neste grupo de idosos avaliados, os fatores de risco associados aos sintomas depressivos não estão diretamente relacionados ao arranjo familiar. Podendo estar associado à pequena rede de relacionamento apresentado, entretanto necessita-se de estudo qualitativo desta rede de suporte para tal afirmação.

  • NATHÁLIA SILVA DE SOUZA BASTOS
  • QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS HIPERTENSOS ATENDIDOS NO SETOR DE FISIOTERAPIA DE UM CENTRO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO

  • Data: 16/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O crescimento da população idosa brasileira constitui-se como importante mudança demográfica na atualidade e traz alterações epidemiológicas, caracterizada pelo aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis como a hipertensão arterial sistêmica (HAS). O tratamento desta doença requer modificações no estilo de vida do indivíduo, incluindo o uso contínuo de medicamentos que podem provocar efeitos adversos. O grande desafio é conhecer o impacto da doença e do seu tratamento sobre a vida do indivíduo. Objetivos: Avaliar a qualidade de vida de idosos hipertensos sob tratamento no setor de fisioterapia de um centro de atenção à saúde do idoso e investigar a correlação entre variáveis clínicas e o nível de atividade física (NAF) com a qualidade de vida. Metodologia: Estudo analítico com delineamento correlacional e corte transversal. A coleta de dados foi realizada no período de maio a novembro de 2015 e foram utilizados um questionário sociodemográfico e clínico, questionário de qualidade de vida de Bulpitt e Fletcher e o Questionário de Baecke Modificado para o Idoso para mensurar o nível de atividade física (NAF). O processamento estatístico foi realizado no BioEstat 5.3 e o nível de significância adotado foi 0.05. Foram aplicados os métodos estatísticos: teste do Qui-quadrado, teste t de Student e Kruskall-Wallis e correlação linear de Pearson para análise dos dados. Resultados: Participaram do estudo 101 idosos, com média de idade 75 ± 6 anos, sendo que este grupo apresenta tendência para o sexo feminino e média de 3 ± 2 filhos; tendência para uso de bloqueadores do receptor da angiotensina II; para pressão controlada; mais de 4 anos de HAS; não uso de medicamentos para outras doenças crônicas e prática de atividade física, cujo NAF apresentou interdependência com a qualidade de vida, sendo a pontuação de atividades domésticas a que obteve a maior média. As variáveis que não apresentaram influência na qualidade de vida foram número de medicamentos e número de outras doenças crônicas, controle dos níveis de pressão arterial, participação em ações de educação em saúde e monitoramento da HAS na atenção básica. Conclusão: O não uso de medicamentos para outras doenças crônicas, o menor tempo de tratamento, a prática de atividade física regular e as atividades domésticas podem exercer um impacto positivo sobre a qualidade de vida dos idosos estudados. Sugere-se a realização de outros estudos que abordem uma avaliação mais aprofundada das atividades domésticas e da qualidade de vida de idosos hipertensos que abordem os diferentes domínios que compõem este conceito.

  • MARINA MARIA GUIMARAES BORGES
  • FATORES ASSOCIADOS À DOR CRÔNICA EM LONGEVOS ATENDIDOS
    EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA

  • Data: 16/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • A dor crônica é um problema de saúde pública que afeta 20 a 30% da
    população dos países ocidentais. Embora tenha havido muitos avanços
    científicos na compreensão da neurofisiologia da dor, mais estudos são
    necessários para identificar fatores associados e passíveis de intervenção a
    fim de minimizar a morbidade e melhorar a qualidade de vida da população
    idosa. Nesta perspectiva, o objetivo do estudo foi avaliar dor crônica e sua
    associação com transtornos de humor e déficit de vitamina D em idosos
    longevos atendidos no Ambulatório de Geriatria do Hospital Universitário
    João de Barros Barreto. Para tal, obteve-se uma amostra de 81 indivíduos,
    sendo divididos em dois grupos: Grupo Dor (GD), composto por 42
    pacientes, e Grupo Controle (GC), constituído por 39 indivíduos. Um
    protocolo com dados sociodemográficos foi aplicado aos dois grupos e, ao
    GD, perguntas para caracterizar a dor no idoso quanto à sua natureza, tipo,
    fatores associados e intensidade da dor. Aos dois grupos foi solicitado
    dosagem sérica de vitamina D e aplicada a Escala de Depressão Geriátrica
    para fins de comparação. Após análise dos dados observou-se que pacientes
    com dor crônica são principalmente do sexo feminino, 78,6%, com idade
    entre 80-89 anos, pardos, com baixa escolaridade, e viúvos; dentre estes
    resultados somente a baixa escolaridade apresentou significância estatística
    na comparação entre Grupos. Quanto a caracterização da dor, a maioria foi
    de natureza nociceptiva, intermitente, latejante ou em peso, e de
    intensidade moderada. Níveis baixos de vitamina D foram associadas a Dor
    crônica (p=0,0030), assim como a presença de sintomas depressivos
    (p=0,0104). Dor é uma causa bem documentada de declínio funcional e
    incapacidade progressiva em idosos. Com o aumento da expectativa de
    vida haverá, inevitavelmente, um aumento na prevalência de dor crônica e
    seus custos sociais associados. Assim, pesquisadores precisam obter uma
    melhor compreensão dos mecanismos da dor para o desenvolvimento de
    estratégias de intervenção eficientes.

  • SILVIA CRISTINA SANTOS DA SILVA
  • PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE GESTANTES/PUÉRPERAS SOROPOSITIVAS PARA O HIV EM UMA MATERNIDADE DE REFERÊNCIA EM BELÉM-PA

  • Data: 07/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • A infeção pelo HIV atinge cada vez mais mulheres em idade reprodutiva, por conseguinte vem à tona a preocupação com a transmissão vertical, assim o estudo em questão tem como objetivo descrever o perfil epidemiológico de gestantes/púerperas soropositivas para o HIV atendidas em uma maternidade de referência, no período de agosto a dezembro de 2013. A partir da análise dos dados obtidos através da aplicação de questionário, seguindo os preceitos éticos, obtiveram-se os seguintes resultados: faixa etária predominante foi de 21 a 25 anos (48,0%), 80% se declarou de cor parda, metade é da região metropolitana de Belém e outra do interior do estado, 70% exercem atividades do lar, 48% tinham o ensino fundamental incompleto, 70% vivem em união estável, e 72% possuem renda familiar de 1 a 3 salários mínimos. Quanto aos hábitos de vida: 12
    % fumaram, 18 % consumiram bebidas alcóolicas e apenas 4 % usaram drogas ilícitas/injetável nesta gestação. Com relação às caraterísticas gineco-obstétricas a média da menarca foi de 13,2 anos, a primeira relação sexual teve média de 15,4 anos, quanto ao número de parceiros sexuais foi de 5,5 e a quantidade de parceiros sexuais atuais foi de aproximadamente 1 parceiro, tiveram a média de 3 gestações e 2 partos, 82,0% delas já utilizou algum método contraceptivo. Com relação a gravidez atual, a idade gestacional mais frequente no momento da internação foi de 38 semanas, 37 e 36, respectivamente. A adesão ao pré-natal alcançou 92,0% e a maioria (65,0%) realizou de 6 a 10 consultas e teve início do pré-natal no 1º trimestre de gravidez, 64,0% realizou o teste anti-HIV nesta gestação, principalmente no 1º e 2º trimestre. Quanto ao momento do diagnóstico 50,0% souberam no pré-natal, 28,0% antes do pré-natal, 18% na maternidade e 4,0% após o parto, o status sorológico dos parceiros em 38,8% era desconhecido, 32,0% negativo, e 30% positivo, 78,0% das gestantes/puérperas fizeram uso da terapia antirretroviral, sendo a profilática a predominante (89,2%). A análise e discussão dos resultados nos permite concluir que o perfil das gestantes puérperas soropositivas se assemelha com os descritos na literatura, por vezes existindo peculiaridades da nossa região. Necessidade de ampliação do diagnóstico de infecção para todas as mulheres jovens, de acordo com as políticas de saúde da mulher, e captação dos parceiros de mulheres que convivem com o vírus HIV.

  • EDGAR DE BRITO SOBRINHO
  • Relação entre carga de trabalho de enfermagem e gravidade de pacientes críticos

  • Data: 07/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O conceito de Terapia Intensiva surgiu a partir da epidemia devastadora de poliomielite em Copenhague de 1952, o que resultou em centenas de vítimas que sofreram de insuficiência respiratória e bulbar e que necessitaram de ventilação artificial durante várias semanas (BRIDI et al., 2014).
    Em 1953, Bjorn Ibsen, o anestesista que havia sugerido que a ventilação com pressão positiva fosse o tratamento de escolha durante a epidemia, havia criado a primeira unidade de terapia intensiva (UTI) na Europa, reunindo os médicos e fisiologistas para gerenciar pacientes doentes (KELLY et al., 2014).
    Quase um século antes, no conflito da Crimeia, Florence Nightingale, em Scutari (Turquia), atendeu, junto com 38 enfermeiras, soldados britânicos seriamente feridos, agrupados e isolados em áreas com medidas preventivas para evitar infecções e epidemias, como disenterias e tétano. A redução de mortalidade foi marcante (ELLIS, 2010).
    O objetivo principal de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) não mudou. Continua sendo o de manter uma estrutura capaz de fornecer suporte para pacientes graves, com potencial risco de morte e livre de infecções (LUCE; WHITE, 2015).
    No complexo sistema de saúde contemporâneo, as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) são setores fundamentais e que demandam elevados recursos humanos e financeiros. Porém, cada vez mais, novas tecnologias são incorporadas a esses ambientes, o que aumenta a sua complexidade e a possibilidade de eventos adversos nas unidades, além de um terreno amplo para dilemas éticos (BOU et al., 2013; MAGALHÃES et al., 2013; LUCE; WHITE, 2015).
    O fator humano passou a ser cada vez mais estudado e se mostrou o elo mais frágil na ocorrência de erros dentro dessas unidades. Nos últimos anos, muitos estudos compararam a estrutura de segurança usada na aviação com a usada nos hospitais modernos, principalmente em ambientes complexos, como as UTIs, e observaram que os hospitais se preocupavam pouco com a segurança dos procedimentos realizados (BAUMAN; HYZY, 2012).
    Apenas ao longo dos últimos anos esforços conjuntos da Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e Sociedade de Especialistas (como a Associação de Medicina Intensiva Brasileira – AMIB) se organizaram para estudar e propor medidas de segurança aos pacientes internados nessas unidades, as quais foram dispostas na Resolução Diretiva

    Colegiada (RDC) n°7 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), de 24 de fevereiro de 2010. (RDC 7, 2010)
    Dessa forma, uma série de medidas começaram a ser incorporadas à essas unidades, tais como Checklists operacionais, duplas checagens, avaliação do estresse profissional e da carga de trabalho profissional (BAUMAN; HYZY, 2012).
    Assim, por observar que as UTIs são ambientes complexos e onde ocorrem muitas distrações ao longo da assistência aos pacientes, medidas foram estudadas a fim de evitar que tais situações alcançassem o paciente (BRIDI et al., 2014).
    Dessas medidas estudadas uma ganhou destaque por mensurar a carga de trabalho da enfermagem e auxiliar a dimensionar o número de funcionários necessários para atender um determinado grupo de pacientes, o NAS (Nursing Activite Service)(LUCCHINI et al., 2014).
    O NAS avalia a demanda de trabalho de profissionais de enfermagem por paciente, sendo que cada ponto na escala equivale a 14,4 minutos de assistência (CONISHI; GAIDZINSKI, 2007; QUEIJO; PADILHA, 2009).
    Além disso, os pacientes mais graves demandam maior carga de trabalho assistencial, agregado ao fato de que o aumento da carga de trabalho da enfermagem está relacionado com a ocorrência de eventos adversos e infecções relacionadas à assistência (CYRINO; DELL'ACQUA, 2012). Sendo assim, é possível que os pacientes mais graves não tenham a equipe assistencial que necessitam para o seu tratamento, o que pode agravar a sua condição clínica.
    Porém, na prática, esse dimensionamento é baseado no ambiente hospitalar pelos requisistos mínimos da RDC 7, o que pode não representar um dimensionamento adequado para cada paciente e aumentar os riscos de mortalidade dessa população (CYRINO; DELL'ACQUA, 2012).
    Devido à carência de estudos regionais sobre dimensionamento de profissionais de enfermagem na UTI e a correlação da carga de trabalho de enfermagem no desfecho clínico dos pacientes, foi desenhado o objetivo desse estudo.

  • KETRYNNE FERNANDES KAUFFMANN
  • RESSIGNIFICAÇÃO E ENFRENTAMENTO DO ADOECER EM PACIENTES VIVENDO COM HTLV-I.

  • Data: 04/12/2015
  • Mostrar Resumo
  • O Vírus Linfotrópico Humano de Células T (HTLV) é um oncoretrovírus relacionado a doenças linfoproliferativas, degenerativas do Sistema Nervoso Central, inflamatórias e por algumas alterações imunológicas do ser humano. Embora a maioria dos pacientes seja assintomática, este vírus está associado a graves doenças como a Paraparesia Espástica Tropical ou Mielopatia Associada ao HTLV (PET/MAH) e a Leucemia/Linfoma de Células T do Adulto (LLcTA). Além destes comprometimentos, esta infecção pode acompanhar intenso sofrimento emocional, mudanças nas atividades laborais e prejuízos na autonomia dos portadores. Entretanto, há poucos estudos nesta temática. O objetivo do presente trabalho foi descrever a percepção de pacientes com HTLV-1 sobre a infecção e o impacto na sua qualidade de vida; descrever as características sociodemográficas; identificar o conhecimento acerca de doenças infectocontagiosas; caracterizar o impacto diante do diagnóstico; relacionar presença de sintomas e qualidade de vida; identificar efeitos do adoecimento nas relações familiares, na rotina de vida e relações conjugais; e compreender o processo de ressignificação e enfrentamento frente ao adoecimento pela infecção por HTLV-1. Participaram16 pacientes matriculados no Ambulatório do Núcleo de Medicina Tropical na Região Metropolitana de Belém-PA. Foi realizado um estudo qualitativo, no período de Agosto de 2014 a Setembro de 2015, com levantamento da história, das relações, representações, crenças, percepções e opiniões referentes às interpretações dos participantes sobre o modo como vivem, como se sentem e o que pensam. Dentre os participantes, a maioria era do sexo feminino, com idade média de 55 anos. A maioria dos participantes apresentou uma percepção de sofrimento para os próximos anos de vida e desamparo. Embora tenham relatado a percepção de sofrimento, a maioria demostrou enfrentamento do adoecimento baseado na espiritualidade como forma de amenizar o impacto da infecção em suas vidas. Concluiu-se que a infecção pelo HTLV-1 impacta negativamente no bem estar dos soropositivos, e que os dados obtidos estão em acordo com as informações previamente identificadas na literatura. Desse modo, aponta-se a necessidade de serviços integrados para acompanhamento aos pacientes com HTLV-1 e aos familiares, oferecendo atendimento integral nas demandas globais nos domínios físico, emocional, espiritual e social, com um enfoque em programas de educação em saúde e aconselhamento.

  • FERNANDO DA CUNHA DANTAS
  • A PARTICIPAÇÃO DE IDOSOS EM OCUPAÇÕES SIGNIFICATIVAS APÓS A MANIFESTAÇÃO DA AIDS
    BELÉM

  • Data: 24/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • DANTAS, Fernando da Cunha. A participação de idosos em ocupações significativas após a manifestação da AIDS. 2015. 80 f. Dissertação (Mestrado em Saúde na Amazônia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2015.
    O crescimento da população de idosos é um fenômeno mundial e está ocorrendo a um nível sem precedentes. Uma das mais importantes mudanças demográficas que o Brasil experimentou, no fim do século XX, foi o expressivo envelhecimento da estrutura etária da sua população. Tal realidade emergiu questões de saúde nunca antes experimentadas, a exemplo do aumento na incidência das doenças sexualmente transmissíveis no público idoso, com destaque para a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida - AIDS. Trata-se, por sua vez, de uma doença infecciosa causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana - HIV, cujos infectados evoluem para uma grave disfunção do sistema imunológico, o que provoca uma crise na saúde, ao repercutir em diversas esferas da vida humana, inclusive, na ocupacional. Diante deste quadro, entende-se a importância de uma abordagem integral e integrada, a fim de promover o bem-estar e a qualidade de vida destes sujeitos. Com base nessa realidade, o objetivo principal desta pesquisa foi investigar a participação em ocupações significativas dos idosos após a manifestação clínica da AIDS. O presente estudo foi realizado no mês de junho de 2015, na Unidade de Referência Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especiais (UREDIPE), com a participação de 12 (doze) idosos com diagnóstico de AIDS. Para tanto, a coleta de dados foi orientada pelas narrativas livres acerca das “histórias de vida” dos sujeitos da pesquisa, nos moldes de uma entrevista não-estruturada, baseada em duas perguntas disparadoras, que visavam favorecer a retomada dos seus históricos ocupacionais antes do aparecimento da doença, bem como das condições atuais das suas ocupações, após a manifestação da síndrome. Quanto aos resultados da pesquisa, observou-se que os participantes apresentavam um amplo repertório de atividades em suas rotinas pregressas, com certa prevalência das atividades de cunho laboral. Em sua maioria, descobriram o diagnóstico após a incidência das infecções oportunistas, momento em que já ocorreram repercussões significativas ao contexto ocupacional. Em relação ao cotidiano atual, registraram-se diferentes implicações a uma ampla gama de atividades, incluindo o autocuidado, trabalho e lazer. Constatou-se, ainda, a ressignificação de papéis e rotinas, a partir do adoecimento, em diferentes contextos: conjugal, familiar, profissional, hábitos de vida, entre outros. Por fim, registraram-se valiosos recursos de enfrentamento que os indivíduos utilizaram para confrontar a realidade de vida marcada por esta doença, com destaque para a ocupação com seu potencial restaurador, a espiritualidade e o suporte oferecido por profissionais da área da saúde junto a este processo.
    Palavras-chave: AIDS. HIV. Idosos. Ocupações.

  • ANDRE PALMEIRA GONCALVES
  • PREVALÊNCIA DA TOXOPLASMOSE EM PACIENTES COM ESQUIZOFRENIA DE UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA EM SAÚDE MENTAL, BELÉM-PA

     

  • Data: 15/11/2015
  • Mostrar Resumo
  • O Toxoplasma gondii é um protozoário intracelular com tropismos pelas células do sistema nervoso central que pode causar alterações de suas funções, dentre elas o comportamento. Estudos prévios mundiais têm mostrado que pacientes com esquizofrenia apresentam concentrações séricas de IgG anti-T. gondii significativamente maiores do que os grupos controles. Uma investigação semelhante foi realizada em Belém-PA, considerada área de alta prevalência de toxoplasmose, abordando-se pacientes esquizofrênicos de um serviço de referência em saúde mental (49, grupo de casos) e voluntários sadios (52, grupo controle) selecionados através do uso da Escala BPRS-A e submetidos à entrevista por um protocolo sóciodemográfico e ao teste sorológico para toxoplasmose para pesquisa sérica de IgG anti-T. gondii. Trabalhou-se com uma amostra de 101 indivíduos entre os dois grupos formados, que quanto às características sociodemográficas observou-se que não houve diferenças estatísticas em relação ao gênero, faixa etária  (predomínio entre 22 a 29 anos), uso de drogas (ilícitas ou não) e antecedentes mórbidos neurológicos; entretanto verificou-se que o analfabetismo funcional (19,8%) foi maior  entre os casos, e que 20,79% frequentaram até o ensino fundamental, enquanto o grupo controle apresentou 46,53% de frequência para o ensino médio. No grupo controle todos declararam ser praticantes de alguma religião, e no grupo de estudo 42,57% não souberam informar ou não são praticantes de nenhuma religião; 94% negaram casos de esquizofrenia na família, entre os 6% que responderam positivamente 5% estavam no grupo de estudo. Quanto aos fatores de risco para toxoplasmose não houve associação de contatos com animais; do mesmo modo que o consumo de carnes cruas ou mal cozidas e ao consumo de água. Os resultados dos exames sorológicos IgG Anti-T.gondii revelaram prevalência geral de 66,34%, sendo 71,43% no grupo de casos, e 61,54% no grupo controle. A soropositividade nos dois grupos não sofreu diferença entre os fatores analisados. No contexto desta pesquisa ter sido realizada onde a prevalência da toxoplasmose é alta na população geral, a taxa de soropositividade Anti-T.gondii IgG nos pacientes com esquizofrenia não teve diferença significativa com as encontradas em voluntários sadios, não podendo ser estabelecido a possibilidade de nexo causal da esquizofrenia com este agravo, somando-se ao fato desta doença psiquiátrica também ser multifatorial. Outras ferramentas devem surgir para que se possa melhor compreender a relação neuroquímica entre a latência deste protozoário nas células do sistema nervoso central e o desencadeamento da esquizofrenia.

    Palavras chave: Esquizofrenia. Toxoplasmose. Saúde mental.

     

  • AUREA VIVIANE CASTRO DE ASSUNCAO
  • INFECÇÕES POR CANDIDA SPP RELACIONADAS A ASSISTÊNCIA A SAÚDE EM UM HOSPITAL PRIVADO DE ATENÇÃO TERCIÁRIA: EPIDEMIOLOGIA E SUSCETIBILIDADE AOS ANTIFÚNGICOS

  • Data: 21/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • Em hospitais terciários, o gênero Candida responde por cerca de 80% das infecções fúngicas documentadas, incluindo infecções da corrente sanguínea, trato urinário e sítio cirúrgico, representando um grande desafio aos clínicos de diferentes especialidades devido às dificuldades diagnósticas e terapêuticas das infecções causadas por tais agentes. O objetivo deste estudo foi descrever a epidemiologia e suscetibilidade da Candida spp aos antifúngicos em situações de candidúrias e candidemias em um hospital privado de atenção terciária no período de janeiro de 2014 a maio 2015 em Belém-Pará. Os dados foram coletados a partir das fichas de notificações de infecções do próprio hospital. Na Infecção de Trato Urinário, C. albicans representou 53,48% (N = 23) da amostra. Na Infecção Primária de Corrente Sanguínea, observa-se uma distribuição mais homogênea, em que as espécies não albicans somadas representaram 58,83%. Das 43 notificações de candidúria, a mediana da idade foi de 86 anos, com 97,67% (N= 42) dos casos ocorrendo em maiores de 60 anos, do sexo feminino (60,46%), internados em UTI (72,09%) e que estavam com dispositivo invasivo do tipo sonda vesical de demora (86%). Dos 17 casos notificados de candidemia, a mediana da idade foi de 62 anos, com 58,82% (N = 10) dos casos ocorrendo em maiores de 60 anos, do sexo masculino (52,94%), submetidos a cirurgia – incluindo cirurgias de trato gastrointestinal (52,94%), internados em UTI (58,82%) e que estavam com dispositivo invasivo do tipo cateter venoso central (88,23%). Concluiu-se que C. albicans foi a espécie mais prevalente, seguida de C. parapsilosis e C. tropicalis nos dois tipos de infecção analisados. Tanto as candidúrias quanto as candidemias foram mais prevalentes em idosos, internados em UTI, que estavam com dispositivo invasivo do tipo sonda vesical de demora e cateter venoso central respectivamente. A maioria das amostras foi sensível aos antifúngicos testados, incluindo azólicos e equinocandinas.

  • GEOVANNA LEMOS LOPES
  • DESENVOLVIMENTO E EVOLUÇÃO DO DANO NEURAL EM INDIVÍDUOS COM
    HANSENÍASE NO DECORRER DO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO, ALTA E
    PÓS-ALTA
    Belém

  • Data: 06/10/2015
  • Mostrar Resumo
  • A hanseníase é uma doença de acometimento principalmente dermatológico e neurológico, sendo que o comprometimento neural, chamado de dano neural hansênico está intimamente ligado à causa do aparecimento das incapacidades físicas. O objetivo deste estudo foi descrever e estimar o risco de desenvolvimento e evolução do dano neural hansênico durante o tratamento medicamentoso, por ocasião da alta e um ano após a alta. Para tanto, foi realizado um estudo observacional do tipo coorte clínica histórica, no período de 2006 a 2014, envolvendo 85 casos com hanseníase diagnosticados, tratados e acompanhados inclusive no período pós-alta em um serviço de referência para o atendimento de hansenianos. Os dados sociodemográficos, clínicos, da função neural e relacionados ao grau de incapacidade foram coletados dos prontuários e livros de controle do serviço. Os resultados mostraram predominância de casos do sexo masculino, abaixo de 45 anos de idade, procedentes da região metropolitana de Belém. Observou-se que a maioria dos casos no momento do diagnóstico da doença já apresentava dano neural. Houve predominância do estágio mais brando do dano sensitivo que não reduziu até o fim do estudo. Verificou-se que os hansenianos acima de 45 anos de idade apresentaram risco baixo para agravar o dano neural; Os multibacilares mostraram risco para desenvolver e agravar o dano neural em todo o período da pesquisa. Casos com reações hansênicas também mostraram risco para desenvolver o dano neural na alta e pós-alta; e agravá-lo durante o tratamento. A presença de neurite, dano sensitivo e grau de incapacidade aumentaram o risco para piorar o quadro neural. A análise de sobrevivência por Kaplan-Meyer demonstrou que os multibacilares apresentaram pior prognóstico quanto à evolução do dano neural. Dessa forma, conclui-se que o dano neural hansênico comportou-se peculiarmente, de modo que alguns fatores podem aumentar o risco para seu desenvolvimento e/ou agravamento durante o tratamento, alta e após a alta, reafirmando a complexidade do seguimento dos casos com hanseníase.

  • ANDRE VILARINO MADEIRA
  • ACHADOS NO TOMOGRAFIA DE ABDOMEN DAA EQUINOCOCCOSE POLICÍSTICA NEOTROPICAL

  • Data: 15/09/2015
  • Mostrar Resumo
  • A equinococose policística neotropical é uma infecção associada ao estágio larvar (hidátide) de duas espécies de cestóides do gênero Echinococcus: Echinococcus vogeli e Echinococcus oligarthrus. Ambas produzem hidátides de tipo policístico nos hospedeiros intermediários, que são várias espécies de roedores silvestres, principalmente a paca (Cuniculus paca) e ratos espinhosos (gênero Proechimys) para E.vogeli, e cutias (gênero Dasyprocta) para E. oligarthrus. As hidátides correspondem à fase larval dos Echinococcus e as estruturas císticas que envolvem os protoescoleces dão origem aos futuros vermes adultos. O homem adquire o parasita acidentalmente e se comporta, no caso, como hospedeiro intermediário. A fonte de infecção é, quase sempre, o cão de caça ou o cão doméstico alimentados, em sítios de caça, com vísceras de roedores parasitados. Neste trabalho relatamos os achados de imagens de 14 casos em humanos da Equinococose policística e propomos um estadiamento baseado nos achados de tomografia computadorizada após um protocolo estabelecido de tratamento clínico de 6 meses , necessitado ser validado ainda por um estudo de coorte. Os pacientes apresentaram idade média de 53 anos (34-71 anos), todos eram procedentes da Amazônia oriental, maioria do Estado do Pará e naturais da ilha de Marajó, bem como procedentes da região metropolitana de Belém. Todos os casos apresentavam lesão no fígado, sendo o lobo direito e segmento V mais acometido. As lesões hepáticas dominantes apresentavam aspecto morfológico predominante multiloculado, aspecto hipodenso e densidades maiores que 30 UH, com volume médio de 407 cm³, variando de 0,4 a 2495 cm. Os locais extra-hepáticos mais acometidos foram pulmão e a região peritoneal adjacente ao fígado. Todas as lesões extra-hepáticas apresentavam aspecto morfológico unilocular e hipodensas, e a maioria com densidades maiores que 30 UH e volume médio de 11,0 cm³, variando de 0,5 a 55 cm³. A tomografia computadorizada é um excelente exame de imagem para detectar as lesões císticas e as calcificações da equinococose, sendo observada em treze pacientes e as periféricas eram as mais comuns. As avaliações do comprometimento hepático e extra-hepático, das estruturas vasculares e das vias biliares se mostraram eficiente pela tomografia computadorizada, notadamente quando se utilizava o meio de contraste. Nenhuma lesão apresentou realce após a administração do meio de contraste e não observamos linfonodomegalias, ascite ou varizes esofágicas nos exames avaliados. A sorologia para echinococus spp foi positiva em dez casos, sendo que em um caso não obtivemos esse dado. As principais complicações nos exames de imagens observados na nosssa casuística foram à dilatação das vias biliares intra-hepáticas, observada em metade dos 21 pacientes, seguido de crescimento exofítico da lesão e comprometimento da veia cava inferior retro hepática em mais de 180 graus. Somente um paciente apresentou aspecto de imagem de hipertensão porta com dilatação da veia porta e esplenomegalia. 

  • THAIANE LIMA LAGE
  • ESTUDO DA EXPRESSÃO IMUNO-HISTOQUÍMICA DA IL-4, IL-10 E IFN-GAMA, NO GRANULOMA DAS LESÕES TEGUMENTARES DE PACIENTES PORTADORES DE CO-INFECÇÃO LEISHMANIOSE E HIV

  • Data: 26/06/2015
  • Mostrar Resumo
  • A co-infecção Leishmania-HIV vem sendo considerada doença emergente de alta gravidade em várias regiões do mundo, apresentando aumento expressivo do número de casos desde o início da década de 1990 e há projeções de seu crescimento contínuo, devido à superposição geográfica das duas infecções, como consequência da urbanização das leishmanioses e da interiorização da infecção por HIV. O presente estudo teve por objetivo descrever e analisar quantitativamente aspectos imunohistoquímicos do granuloma de lesões de lesões tegumentares de pacientes coinfectados por Leishmania sp e o vírus da imunodeficiência humana, utilizando os marcadores interferom gama (IFN-gama), interleucina quatro (IL-4) e interleucina dez (IL-10). Para tal foram analisadas amostras constituídas de 9 biopsias de pele de pacientes co infectados e 16 de pacientes não co infectados. A medida dessas citocinas foi realizada através do método imuno-histoquimico. No tratamento estatístico, foi utilizado o teste T e a correlação linear de Spearman. Os resultados obtidos mostram que o INF-gama, a IL-4 e IL-10 estavam diminuídas no granuloma da lesão de ambos os grupos, sendo que eles se correlacionaram de forma inversa com o tempo de evolução da doença. Mostrou também valores destas citocinas diretamente proporcional aos valores de linfócitos T CD 4+ e CD8+, e relação inversa com a carga viral dos pacientes co infectados com o vírus da imunodeficiência humana. 

SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - (91)3201-7793 | Copyright © 2006-2024 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha2