Notícias

Banca de DEFESA: CARLOS SIMOES PEREIRA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLOS SIMOES PEREIRA
DATA: 18/12/2014
HORA: 09:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO SIPAM
TÍTULO:

PROCESSO DE ATTACHMENT, DENSIDADE DE RAIOS E A OCORRÊNCIA DE FLASHOVER EM LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ELETRICIDADE.


PALAVRAS-CHAVES:

ATTACHMENT, INCIDÊNCIA DE RAIOS, FLASHOVER, RAIO DE ATRAÇÃO


PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Elétrica
RESUMO:

Esta tese se refere ao uso de modelo de attachment de lideres (Leader Progression Model-LPM) na estimativa de valores de distancia de salto e uso conjunto de densidade de raios, para estimativa da taxa de flashover em linhas de transmissão de eletricidade na Amazônia. O modelo de progressão de líder aqui desenvolvido é denominado ModSalto que para a modelagem: faz integração direta da densidade linear de carga, proporcional a corrente prospectiva de raios (Ip) para estimar o campo elétrico produzido pelo líder descendente, na ponta da estrutura considerada em estudo (um para-raios, um condutor, etc.); faz integração da distribuição imagem de cargas e uso de formula de poder das pontas como fator de estimulo e intensificação do campo elétrico devido aos streamers na ponta da estrutura em estudo (um para-raios, um condutor, etc.).
O comportamento do líder no trajeto é avaliado com o uso da força de Lorentz, no espaço de movimentação das cargas elétricas do líder, onde atuam o campo elétrico devido à eletrificação das nuvens e o campo
magnético terrestre, que imprime um movimento cicloidal as cargas elétricas que pode explicar a natureza intermitente e tortuosa do líder descendente.
São definidos os parâmetros LFR (Lightning Flashover Rate) como uma estimativa da probabilidade de ocorrência de flashover induzido por raios e Jv (Janela de Vulnerabilidade) como quantificação da insuficiência de proteção provida pelo modelo EGM a uma linha de transmissão, protegida contra raios com o uso de condutores de blindagem (shield wire), a partir do qual a LFR pode ser estimada.
Fazemos uma reanalise dos dados de ocorrência de raios coletados pelo LLS do SIPAM entre outubro-2006 a julho-2008 com mais de 3 milhões de ocorrências comparando-os com dados de torres instrumentadas
permitindo uma avaliação da usabilidade desses dados.
Dados de elevação de terreno (SRTM) da NASA são usados para geração de formulas de raio de atração (Ra) que leva em conta a altura da estrutura e, adicionalmente, com o uso de parâmetros da distribuição Log
Normal, que descreve o comportamento estatístico de valores de corrente de primeiro impulso (stroke) das descargas atmosféricas, como estimado por LLS, para gerar por somatório ou integração, formula para área de
atração (Ae), usadas na quantificação do numero de raios que provavelmente atingirão determinada estrutura, em função da densidade de raios (raios/km2 /ano) no local do estudo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2184862 - ARTHUR DA COSTA ALMEIDA
Externo ao Programa - 325960 - BRIGIDA RAMATI PEREIRA DA ROCHA
Externo à Instituição - JOSE PISSOLATO FILHO
Externo ao Programa - 327128 - VALQUIRIA GUSMAO MACEDO
Interno - 6147556 - WALTER BARRA JUNIOR
Externo à Instituição - WILLAMY MOREIRA FROTA
Notícia cadastrada em: 27/11/2014 14:26
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba1