Notícias

Banca de DEFESA: JEFFERSON FRANCO RODRIGUES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JEFFERSON FRANCO RODRIGUES
DATA: 26/10/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Meet
TÍTULO:

AS EXPRESSÕES DA PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOS/AS ASSISTENTES SOCIAIS NAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE (OSS) DO ESTADO DO PARÁ


PALAVRAS-CHAVES:

Precarização do Trabalho. Trabalho do/da Assistente Social. Política de Saúde. Organizações Sociais de Saúde. OSS.


PÁGINAS: 253
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
RESUMO:

Esta dissertação apresenta uma análise das relações/condições de trabalho e saúde dos/as assistentes sociais que trabalham em hospitais de média/alta complexidade do Estado do Pará, especificamente, aqueles sob gestão das Organizações Sociais de Saúde (OSS). Trata-se de uma pesquisa quanti-qualitativa, de caráter exploratório, tendo como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Para analisar do objeto de estudo, adotou-se como suporte teórico-metodológico a teoria social crítica e o método materialismo histórico e dialético. Pelo presente estudo, verificou-se que há uma expansão da privatização da política de saúde via OSS, sendo o modelo de gestão privilegiada na agenda pública do Estado. No tange ao trabalho profissional, a gestão das OSS incidiu na precarização das relações de trabalho por meio da flexibilização via terceirização/quarteirização do trabalho, de contrato por tempo indeterminado, determinado e temporário, na admissão por processo seletivo e indicação, com baixos salários; na ausência e/ou baixa cobertura de direitos/benefícios trabalhistas; no prolongamento da jornada de trabalho e na intensificação do tempo de trabalho. Constatou-se “velhas” questões e “novos” dilemas no cotidiano de trabalho, implicando nas competências/atribuições e na autonomia profissional, a partir das exigências de atividades que não são compatíveis com o exercício profissional como, por exemplo, agendamento de ambulância, preenchimento de declaração de óbitos, verificação/identificação de usuários/as que evoluíram a óbito com COVID-19 e a sua comunicação para os familiares, etc. Com relação às condições de trabalho, identificou-se que há precárias estruturas de trabalho, expressos na falta de sala individual que possibilitasse assegurar o direito ao sigilo profissional; na carência de recursos financeiros, materiais e humanos; e de equipamentos de proteção individual, o que repercutiu na saúde do/a trabalhador/a. Com efeito, tem-se a ocorrência de adoecimentos e desgastes físicos/mentais provocados pela dinâmica de trabalho nos hospitais pesquisados. Conclui-se que a gestão da política de saúde via OSS implicou na intensificação da precarização das relações e das condições objetivas/subjetivas de trabalho e incidiu nas condições de saúde/vida dos/as trabalhadores/as, acentuados no contexto da pandemia da COVID-19.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1168060 - ADRIANA DE AZEVEDO MATHIS
Externo à Instituição - ANA CRISTINA DE SOUZA VIEIRA
Interno - 1373339 - CILENE SEBASTIANA DA CONCEICAO BRAGA
Notícia cadastrada em: 26/10/2021 11:55
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - jatoba.ufpa.br.jatoba1