Notícias

Banca de DEFESA: HERACLITO SANTA BRIGIDA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HERACLITO SANTA BRIGIDA DA SILVA
DATA: 03/03/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO:

O GRITO VELADO E OS ALGOZES DA NATUREZA: Os impactos provocados pela construção de barragens de tratamento de rejeitos de mineração em Barcarena-Pa.


PALAVRAS-CHAVES:

Barragem. Rejeitos. Mineração. Impactos. Barcarena-Pa


PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
RESUMO:

A pesquisa intitulada “O grito velado e os algozes da natureza” Os impactos provocados pela construção de barragens de tratamento de rejeitos de mineração em Barcarena-Pa. Tem como objetivo, analisar o cenário de impactos sociais, ambientais e econômicos que são provocados pelas ações dos megaprojetos minerários, em especial os desastres provocados pelo rompimento de barragens das empresas Hydro/Alunorte e Imerys-RCC. Para alcançar o objetivo geral, traçou-se um conjunto de objetivos específicos: O primeiro tem como finalidade, sistematizar o debate acadêmico sobre impactos socioambientais relacionados a barragens de rejeitos de mineração; O segundo, busca realizar um levantamento dos impactos socioambientais provocados pela construção de barragens de tratamento de rejeitos em Barcarena; E o terceiro, vislumbra perquirir, a partir das vivências dos atores/sujeitos locais, as mudanças sociais, impactos diretos e indiretos provocados pelas ações dos projetos minerários. A pesquisa tem como orientação metódica o Materialismo Histórico Dialético, tendo como base os escritos da teoria social-crítica, delimitando como procedimentos metodológicos, as Pesquisas, bibliográfica, documental, e a de campo - visita de campo, as quais serviram como pontes e instrumentos que auxiliaram na objetivação dos resultados alcançados. Sistematizações teóricas apontam que o modo de produção capitalista, nas suas evoluções, tem acelerado o processo de acumulação de capital e escamoteando os impactos provocados na vida dos trabalhadores e comunidades que vivem no/dos territórios em que os empreendimentos são instalados. Nesta lógica, constata-se que os desastres, provocados pelas empresas Hydro/Alunorte e Imerys, revela-nos uma realidade de condições desiguais acentuada pela lógica capitalista, a qual os povos e comunidades tradicionais da Amazônia sofrem diariamente com os efeitos, pois é limitado a eles, o direito de desenvolverem suas condições de sobrevivência, tais como: a pesca e a produção do próprio alimento, pois as águas, o ar e, a terra estão contaminadas por produtos químicos, outro sim, são tolhidos ao direito de produção e reprodução das relações sociais, culturais e comunitárias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1217020 - JOAO MARCIO PALHETA DA SILVA
Presidente - 2341581 - MARCEL THEODOOR HAZEU
Interno - 2434396 - SOLANGE MARIA GAYOSO DA COSTA
Notícia cadastrada em: 01/03/2021 16:37
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - jatoba.ufpa.br.jatoba1