Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDRÉA FERREIRA LIMA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRÉA FERREIRA LIMA DA SILVA
DATA: 09/10/2020
HORA: 12:00
LOCAL: UFPA
TÍTULO:

ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE NA RELAÇÃO ESTADO-SOCIEDADE CIVIL
BELÉM – PA
2020


PALAVRAS-CHAVES:

Estado; sociedade civil; organizações sociais de saúde


PÁGINAS: 97
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
ESPECIALIDADE: Serviço Social da Saúde
RESUMO:

O projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a consolidação das Organizações Sociais de Saúde (OSS’s) na assistência à saúde pública no estado do Pará, considerando a equação Estado-sociedade civil. A partir das primeiras aproximações com o objeto de pesquisa, por um lado problematiza as características e o modo de operar das OSS’s no processo de privatização da saúde e sua participação indireta na ampliação dos circuitos de realização do mais-valor do capital, relacionando-as aos novos (velhos) mecanismos de acumulação por espoliação, da teoria de David Harvey e, por outro lado, diante dos dados preliminares sobre formas individuais e coletivas de reivindicação do direito à saúde, tipos de pautas e organização de grupos sociais no estado do Pará, questiona  a relação Estado-sociedade que sustenta o processo de privatização da saúde em nível estadual. A proposta de pesquisa é ancorada na teoria social histórico-crítica, que compreende que o Estado possui relação orgânica com a sociedade e adota o conceito de Estado Ampliado ou Integral de Antônio Gramsci como teoria e ferramenta metodológica para análise dos movimentos orgânico e de conjuntura, bem como da relação de forças no âmbito da sociedade civil e sociedade política. Tem-se como hipótese de trabalho que a consolidação das organizações sociais na assistência à saúde pública no estado no Pará e, por conseguinte, o processo de privatização da política de saúde é resultado da relação de forças no Estado Ampliado, no qual setores empresariais da sociedade civil ampliaram sua participação política no seio do Estado e na qual os setores populares da sociedade civil não conseguem adentrar, a não ser quando se organizam em favor de pautas especificas ou corporativas, que são incorporadas no aparelho estatal, mas não são suficientes para resgatar o projeto contra hegemônico no campo da saúde pública, o da Reforma sanitária. Além disso, as organizações sociais de saúde atuam por meio dos mecanismos de formação de consenso nos estabelecimentos de saúde público que gerenciam, disseminando valores e ideologias privatizantes para fortalecer e reproduzir o projeto hegemônico na saúde. Espera-se que as pesquisas bibliográfica, documental e de campo forneçam elementos novos para repensar o problema de pesquisa a luz do referencial teórico adotado e assim desenvolver uma reflexão teórica nova


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1168060 - ADRIANA DE AZEVEDO MATHIS
Interno - 1373339 - CILENE SEBASTIANA DA CONCEICAO BRAGA
Externo à Instituição - ELIANA COSTA GUERRA
Externo à Instituição - LUCIO FERNANDO OLIVER COSTILLA
Interno - 1152647 - SANDRA HELENA RIBEIRO CRUZ
Notícia cadastrada em: 06/10/2020 12:40
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - jatoba.ufpa.br.jatoba2