Notícias

Banca de DEFESA: DANIELSON CORREA LEITE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELSON CORREA LEITE
DATA: 21/08/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala KP12-PPGSS/ICSA/UFPA
TÍTULO:

RELAÇÕES DE TRABALHO NA COMUNIDADE RIBEIRINHA SANTO EZEQUIEL MORENO EM PORTEL, MARAJÓ-PA



PALAVRAS-CHAVES:

Relações de trabalho. Comunidade tradicional. “Atravessador”. Amazônia. Relações de trabalho capitalistas. Territórios não capitalistas.


PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
RESUMO:

Nossa tarefa nesse trabalho foi tentar compreender como o avanço do capitalismo sobre territórios não capitalistas afeta as relações de trabalho em comunidades tradicionais na Amazônia, tendo como ponto de partida o estudo de caso da comunidade Santo Ezequiel Moreno, localizada no interior do município de Portel/PA, nas décadas de 1970/80. Nesse período, esta comunidade apresentou uma intensa apropriação da natureza mediada por “atravessadores” e empresas capitalistas, que utilizaram a força de trabalho ribeirinha. O estudo de caso possibilitou a manifestação de falas e saberes, o resgate da memória construída nas relações sociais por trabalhadores extrativistas do palmito do açaí, que vivenciaram relações de trabalho capitalistas em territórios não capitalistas. As relações de trabalho vinculadas às relações de parentesco, de gênero, aos instrumentos e técnicas de trabalho, à jornada de trabalho, às relações comerciais e o preço do palmito foram categorias descobertas na pesquisa de campo, as quais expomos e realizamos a síntese e discussão. A metodologia englobou a apresentação do método de análise e de exposição, a importância da abordagem qualitativa, os procedimentos metodológicos para a exposição do objeto e as técnicas utilizadas na pesquisa. Na discussão dos resultados pudemos constatar a convivência de relações de trabalho capitalistas em territórios não capitalistas. Essas relações dependiam da mediação de indivíduos sociais que estavam dispostos a trocar mercadorias. Ainda na síntese e discussão dos resultados defendemos que a reprodução social dos moradores da comunidade, nas décadas de 1970/80, dependiam, pois, da realização de produtos do trabalho na troca por dinheiro através de relações de trabalho atípicas ao capitalismo. Nesse sentido, essa lógica contraditória de dependência das relações de trabalho capitalistas para com territórios não capitalistas foi determinante para a gênese e desenvolvimento da comunidade Santo Ezequiel Moreno. As conclusões revelam que as relações de trabalho envolviam exploração da força de trabalho em formas não assalariadas e produção de mais-valia. Estas determinações aparecem na exposição da pesquisa como ponto de partida para a produção capitalista em bases atípicas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DALVA MARIA DA MOTA
Presidente - 2434396 - SOLANGE MARIA GAYOSO DA COSTA
Interno - 2185200 - VERA LUCIA BATISTA GOMES
Notícia cadastrada em: 16/08/2018 10:10
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - jatoba.ufpa.br.jatoba1