Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GICELE BRITO FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GICELE BRITO FERREIRA
DATA: 18/05/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Sala KP12
TÍTULO:

Expropriação e deslocamento forçado nas áreas de conservação da Amazônia Marajoara Ocidental.


PALAVRAS-CHAVES:

Deslocamento Forçado. Populações Tradicionais. Área de Conservação


PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Serviço Social
SUBÁREA: Serviço Social Aplicado
RESUMO:

A presente proposição de pesquisa de Doutorado, submetida a qualificação no Programa de Pós-Graduação em Serviço Social objetiva identificar como se atualiza na Amazônia Marajoara Ocidental, o processo de expropriação de meios e modos de vida que tem como consequência o deslocamento forçado de populações tradicionais ribeirinhas das áreas de conservação. O foco central desta pesquisa serão os deslocamentos forçados, migrações-mobilidades ocasionadas por expropriações, violências e outros determinantes das relações socioambientais em áreas de conservação a partir de seus respectivos marcos históricos e ambientais, com seus
fluxos internos e complexidades. É a partir desta totalidade que se faz necessário compreender os conflitos sociais instituintes para poder avaliar os conflitos socioambientais e, portanto, para discutir os conflitos que envolvem a gestão dos recursos naturais considerando a cosmologia das populações tradicionais. Buscar-se-á
identificar os distintos sujeitos sociais, territórios e recursos ambientais (TRINDADE JUNIOR, 2006; ENGELS, 1999 [1876]; MARX, 2011; PORTO-GONÇALVES, 2019) envolvidos nos procedimentos de deslocamento conflituoso. Nesse contexto, podemos considerar o acesso a novas formas de mobilidade, no espaço e tempo, das populações tradicionais que passaram a se confrontar com outras racionalidades políticas e econômicas e de “usufruir das modernas tecnologias” (ESCOBAR, 1997; ÁLVAREZ, DAGNINO, ESCOBAR, 1998; LITTLE, 2004). Essa modernização está associada também à ampliação do reconhecimento dos seus direitos sociais (LITTLE, 2004). Esse processo, que aparentemente renova as utopias sociais para essas populações, transcorre em um campo de disputas sociais e de redefinição de relações com o mercado que agora incorpora os cuidados com a preservação dos recursos naturais, com as simbologias do mercado ecológico, e reúne os elementos característicos do que tem sido identificado por alguns autores como um processo de modernização ecológica (LITTLE, 2004; CUNHA, ALMEIDA, 2001; DIEGUES, 1996; COSTA, 2012) que gera conflito entre aqueles que faziam uso comum. As considerações anteriores apontam para necessidade de reconstruir o projeto de formação profissional do Assistente Social, demarcado transversalmente pelos dilemas da contemporaneidade da sociedade brasileira. Como uma das expressões da questão social, o processo de migração e de deslocamento forçado de áreas de conservação, que foram constituídas como espaços de preservação da natureza e da humanidade, passam a ser expropriadas, este processo precisa ser estudado.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 6753492 - CRISTINA MARIA AREDA OSHAI
Externo ao Programa - 2423422 - HARLEY SILVA
Presidente - 2341581 - MARCEL THEODOOR HAZEU
Externo ao Programa - 2249019 - MARCELA VECCHIONE GONCALVES
Notícia cadastrada em: 29/04/2022 12:20
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba1