Notícias

Banca de DEFESA: LAYANNA MARTINS DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAYANNA MARTINS DA SILVA
DATA: 04/09/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Laboratório de Planejamento e Desenvolvimento de Fármacos (LPDF/UFPA)
TÍTULO:

"ANÁLISE DOS ESPAÇO-TEMPORALDA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO NA AMAZÔNIA BRASILEIRA".


PALAVRAS-CHAVES:

Análise Espacial; Leishmaniose visceral; Geotecnologias; Saúde Pública.


PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
SUBÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A Leishmaniose Visceral (LV) é uma protozoose sistêmica, de curso lento e crônico e mesmo realizando tratamento específico pode evoluir para óbito em 90% dos casos. É popularmente conhecida por Calazar, causada por protozoários do gênero Leishmania sp, pertencentes ao complexo Leishmania donovani. Os vetores LV são insetos denominados flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquito palha. No Brasil, a LV apresenta aspectos geográficos, climáticos e sociais diferenciados, em função da sua ampla distribuição geográfica, envolvendo as regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, uma vez que distribuição espacial da LV evidência mudanças nos perfis socioambientais, desconfiguram sua essência rural e favorecem a urbanização da doença. Dessa forma análises de geotecnologias podem contribuir para mapear e controlar as áreas que necessitam de intervenções de saúde pública e prevenção. Desta forma, este trabalho pretende-se identificar e descrever os fatores socioambientais associados à prevalência de leishmaniose visceral no período entre 2007 e 2017 em Redenção no sudeste do Pará, Brasil. A presente pesquisa é considerada do tipo descritiva e analítica, assim, foram incluídos nesse estudo todos os casos confirmados de LV no período entre 2007-2017 e notificadas no SINAN que preenchiam os critérios usados pelo Ministério da Saúde. A partir do shapefile com os casos de leishmaniose visceral, foram realizadas análises de estatística espacial, que permitiu estimar as suas densidades dentro da área de estudo. Os resultados mostraram que foram encontradas variações na porcentagem de incidência da doença ao longo dos 10 anos de estudo, sendo que o gênero masculino foi o mais acometido, bem como a faixa-etária de 1-5 anos. Com relação ao ambiente a época de seca foi a de maior incidência de LV corroborando com os aspectos ambientais dessa época do ano, houve pouca variação do número de casos entre bairros da cidade de Redenção. Nossos resultados mostram que é necessário que seja realizado um programa de controle integrado dessa patologia.

 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2278489 - CLAUDIO NAHUM ALVES
Interno - 071.100.732-20 - GILMAR WANZELLER SIQUEIRA - UNIFESP
Externo à Instituição - RENATO HILTON DA SILVA REIS
Notícia cadastrada em: 03/09/2020 15:02
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba2