Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: AMANDA CARVALHO CANGUSSU GAMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA CARVALHO CANGUSSU GAMA
DATA: 01/12/2018
HORA: 14:00
LOCAL: FIC
TÍTULO:

"RELAÇÃO ENTRE TEOR DE FLÚOR NA ÁGUA CONSUMIDA NA POPULAÇÃO DE PAU D'ARCO-PA".


PALAVRAS-CHAVES:

 água fluoretada, fluorose, flúor


PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A doença cárie é um problema de saúde pública que acomete todo o mundo. O meio consagrado para controlar os efeitos danosos do açúcar para densenvolvimento dessa doença é o uso de flúor, seja na forma local ou sistêmica. Desde 1974, a fluoretação das águas de consumo é obrigatória no Brasil, mas ainda assim maior parte da população brasileira não recebe tratamento e fluoretação da água, mas mesmo regiões sem tratamento de água podem apresentar teores de flúor em águas de fonte natural. O problema é que o consumo de flúor na primeira infância em altas concentrações é responsável pelo desenvolvimento de fluorose na dentição permanente, uma deficiência de mineralização de esmalte caracterizada por alteração de cor e maior porosidade dos dentes. De acordo com relatos de cirurgiões-dentistas que trabalharam na Vila Marajoara, em Pau D’arco-Pa, a população dessa região teria sinais clínicos de fluorose. O objetivo desse trabalho foi fazer análise físico-química da água de consumo dessa região e da cidade, há 10 km de distância, com ênfase em concentração de fluoreto; determinar a prevalência de fluorose; e, se identificado maior concentração de fluoreto na região de Marajoara, fazer levantamento do índice CPO-D para verificar se esse consumo implicaria em menores índices de cárie na região. METODOLOGIA: Para análise físico-químico da água foram coletada 5 amostras de água das duas regiões diretamente na torneira onde moradores consumiam a água e levadas para análise do Laboratório de Análises Química da Universidade Estadual do Pará. As análises foram realizadas com sonda multi-parâmetro modelo YSI EXO 2 e sensores e análise de flúor pelo método SPADNS; para verificação de fluorose, foram avaliadas 25 pessoas da vila Marajoara e 132 da cidade, por três examinadores calibrados, sob luz natural, com auxílio de espátula de madeira, através do índice de Dean; para prevalência de cárie, aplicou-se o índice CPOD em dois grupos de cada região: grupo A- 8-12 anos ( n= Marajoara e n= cidade) e grupo B maiores de 12 anos(Marajoara n= 13, Cidade n=45) (Marajoara n = 9, Cidade n = 44), com os mesmo meios de exame clínico citados anteriormente. Os dois últimos foram submetidos ao teste de Tukey com nível de significância de 1% enquanto a análise físico química foi submetida ao mesmo teste com nível de significância de 5%. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Todas as amostras de água da Vila Marajoara apresenta teor de fluoreto acima do Valor Máximo Permitido (1,5mg/L), e houve diferença estatisticamente significante entre as duas regiões para os seguintes parâmetros: concentração de fluoreto, condutividade, turbidez e sólidos totais disponíveis; há também maior prevalência de fluorose na região de Marajoara (85%), com diferença estatisticamente significativa em relação à cidade (0,7%); para índice CPOD, não encontrou-se diferença estatisticamente significativa entre as duas regiões. CONCLUSÃO: Os resultados de alta concentração de fluoreto da Vila Marajoara devem estar diretamente relacionados com a maior prevalência de fluorose encontrada nessa região, mas não implica em menores índices de cárie, o que confirma a importância de se considerar hábitos alimentares e de higiene do indivíduo no desenvolvimento da doença. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2278489 - CLAUDIO NAHUM ALVES
Externo à Instituição - JOSÉ DOUGLAS DA GAMA MELO
Notícia cadastrada em: 27/11/2018 14:14
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - bacaba.ufpa.br.bacaba2