Notícias

Banca de DEFESA: JURACY MARTINS VIEIRA NOGUEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JURACY MARTINS VIEIRA NOGUEIRA
DATA: 17/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: PPGCMA
TÍTULO:

"CARACTERIZAÇÃO DOS ÓLEOS AMAZÔNICOS POR ESPECTROCOPIA NO ULTRAVIOLETA VISÍVEL (UV-Vis)".


PALAVRAS-CHAVES:

 Óleos vegetai;análises físico-química; espectrofotometria de ultravioleta


PÁGINAS: 66
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
SUBÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A região amazônica é bastante conhecida pelo potencial de recursos naturais que apresenta para exploração de diversas indústrias. Dentro deste cenário, destaca-se as espécies oleaginosas, isto é, matérias-primas utilizadas para a obtenção de óleos, principalmente os vegetais. Os óleos de açaí, andiroba, castanha-do-pará, copaíba e rícino são alguns dos frutos e sementes comumente encontrados na Amazônia e que possuem destaque quanto à extração de óleo vegetal. Sendo assim, o presente estudo teve como objetivo desenvolver um método de controle de qualidade destes cinco óleos a partir de análises espectrofotométricas na região do ultravioleta visível, a partir de comparação com análises físico-químicas já utilizadas na literatura para óleos vegetais. Desta forma, os óleos de açaí, andiroba, castanha-do-pará, copaíba e rícino foram todos extraídos por prensa mecânica a frio, obedecendo aos respectivos preparo de amostra para cada matéria-prima. Foram realizados o índice de acidez e saponificação, assim como a determinação da densidade e análise do pH para as cinco amostras. Por fim, foram analisados os teores de dienos conjugados, flavonoides totais e antocianinas, além da quantificação da extinção específica, ensaios realizados a partir de leitura da absorbância no espectrofotômetro de absorção no ultravioleta. Para o índice de acidez, os óleos de açaí, andiroba, castanha-do-pará, copaíba e rícino apresentaram, respectivamente, os valores de 0,86%, 0,72%, 3,46%, 10,9% e 1,15%, expressos em porcentagem de ácido graxo livre em ácido oleico. Quanto ao índice de saponificação, os resultados dos óleos de açaí, andiroba, castanha-do-pará, copaíba e rícino foram, respectivamente, 221,48, 197,78, 199,76, 446,66 e 203,28, todos em unidade de mgKOH/g. A densidade encontrada para o óleo de açaí foi de 0,9133g/mL, para a andiroba foi de 0,9083g/mL, para a castanha-do-pará foi de 0,9262g/mL, para a copaíba foi de 0,9070g/mL e para o rícino foi de 0,9553g/mL. A análise do pH resultou no valor de 5 para o açaí, 4,7 para a andiroba, 6,8 para a castanha-do-pará, 5,6 para a copaíba e 5,3 para o rícino. Os espectros de absorção no ultravioleta que foram obtidos, em conjunto com valor de absorbância, expressaram resultados satisfatórios para o teor de dienos conjugados, flavonoides totais e antocianinas para todos os óleos estudados, havendo ressalvas apenas para o óleo de castanha-do-pará na determinação da extinção específica. Os resultados apontam que cabe a comparação de análises espectrofotométricas na região do ultravioleta visível com os métodos de análise físico-química largamente utilizados no estudo dos óleos vegetais de açaí, andiroba, castanha-do-pará, copaíba e rícino, principalmente pela simples reprodutibilidade e similaridade dos resultados de ambas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2278489 - CLAUDIO NAHUM ALVES
Interno - 071.100.732-20 - GILMAR WANZELLER SIQUEIRA - UNIFESP
Interno - 1268476 - JOSE ROGERIO DE ARAUJO SILVA
Notícia cadastrada em: 15/06/2022 14:10
SIGAA | Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) - | Copyright © 2006-2022 - UFPA - castanha.ufpa.br.castanha1